domingo, 22 de janeiro de 2012

Em mim


Frio de doer, cobertor para  aquecer.
Calor ardente na pele, brisa fresca e leve.
Chuva  de alagar,  sol para secar.
Lágrima que enfraquece,  sorriso que fortalece.
Saudade que aperta, lembrança que liberta.
Bilho dos olhos que se vão...Amor, luz na escuridão.
Chama que se apaga, lentamente. Brasa que revive o que está dormente.
O cobertor, a brisa, o sol, o sorriso, a lembrança, o amor e a brasa.
Todos vivem aqui, dentro de mim. Promessa feita, destino traçado. Tentarei usá-los com precisão.
Bia Hain

6 comentários:

  1. Um amontoado de sentimentos que se armazena na alma em busca de momentos oportunos para serem liberados pelo coração...

    Muito lindo

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. E se usá-los vai aquecer a alma. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Bia, parabéns pela maneira com que trata em poesia o sentimento que nos enche a vida, o amor. Embora nem sempre o amor venha da maneira como gostariamos, todos nós esperamos por ele. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  4. Belas ferramentas que você dispõe para qualquer trabalho de reconstrução que se faça necessário,
    apesar de considerar que depois do texto anterior,
    pouco trabalho tenha que ser realizado.

    ResponderExcluir
  5. Aplausos Bia...por este grito lindo repleto de sentimentos...maravilhoso...beijos

    ResponderExcluir
  6. Armazenar o que, por certo, um dia será usado, faz bem. Saberemos como fazer uso, no momento oportuno.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.