sábado, 28 de janeiro de 2012

Teoria da faca



Seguindo a série "o cotidiano ensina", olhei uma faca na cozinha (hahaha, sempre a cozinha!) e pensei: quando nascemos, nossa vida é como um desses objetos novos, saído da caixa. Temos em mãos um objeto brilhante, sem riscos, com um fio poderosamente cortante. Somos destemidos como sua lâmina, brilhamos, queremos desbravar o mundo, mas a falta de experiência faz com que nos machuquemos, e machuquemos o outro, sem querer. A inexperiência torna a vida ousada e perigosa, porém cheia de aventuras.
Então a vida ensina que é preciso cuidado com seu manejo, e com o cuidado vamos perdendo junto o brilho.
 O uso contínuo também faz a lâmina perder aos poucos o seu fio, que vai ficando cega, gasta pelo tempo. Já não enxergamos mais o que está à nossa volta, nos limitamos ao ofício de "cortar", sem pensar muito no que estamos fazendo,  sem falar que uma lâmina cega pode machucar tanto ou até mais que uma afiada, já que "mastiga" seu objeto de corte.
Tal qual a faca, a vida também precisa ser "amolada" de vez em quando. Olhar para dentro de si e ver onde é preciso mais brilho, mais polimento, onde o "fio" perdeu as esperanças e precisa ser recuperado, qual o melhor ângulo para se posicionar e tomar dela o melhor corte, buscar reaprender qual a melhor maneira de manejá-la sem se ferir, sem machucar, e sem deixar de, contudo, viver...
"Amolar" o fio da vida é tarefa constante, às vezes doída, porém necessária. Estou a amolar o fio da minha faca...e você, precisa de uma pedra de afiar emprestada?

Imagem by www.tresirmaosseries.blogspot.com

6 comentários:

  1. Muito boa esta sua comparação. Realmente, dependendo em que mãos está, uma faca afiada pode ser muito útil ou perigosa.
    Eu estou em um momento de minha vida Bia, em que estou até mesmo largando a faca. Eu cansei de racionalizar tanto, questionar, buscar respostas, teorizar... Estou numa fase meio Live and Let Die. rs.

    ResponderExcluir
  2. Oi Bia!

    Gostei da teoria, gosto também de comparar a vida como a onda no mar... Agora estou na brisa e marola...

    As pedras para amolar a vida está sempre nos emprestando, o importante e não perder o fio e saber usa-lo!

    Um maravilhoso fim de semana!

    Beijoooooooooo

    ResponderExcluir
  3. Linda analogia, Adorada Bia!

    Realmente, precisamos de vivência para saber "manejar" esta lâmina... Infelizmente, alguns usam a experiência não para poupar os que os cercam de ferimentos mas sim, para criar talhos profundos... Eternas cicatrizes...

    Felizmente, estes são minoria, pois pessoas como você possuem um imã que nos atrai de forma cativante e irresistível. E nos salvam dos cruéis...

    Sua candura se traduz em seus textos, tão alvos, limpos, suaves.

    Tão eterna...

    Tão Bia!

    Beijos, querida Menina!

    ResponderExcluir
  4. gostei da comparação Bia, acho que já estou meio cega... Ando precisando que me esfreguem na pedra pra eu poder cortar melhor viu??
    E quanto a saber usar essa arma, eu acho que sei cortar bem com ela, embora ande correndo de tarefas que exijam o seu manuseio.
    Beijokas doces querida e um ótimo domingo

    ResponderExcluir
  5. É, este é o preço da maturidade...
    mas sempre podemos nos recriar e inventar novas maneiras de brilhar...
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ótima analogia Bia, dou todo apoio para sua ida à cozinha, se de lá saem reflexões tão lindas quanto esta, vamos à cozinha!

    O fio da minha, afio o tempo todo pra cortar suave e não machucar.

    Beijinho

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...