sábado, 11 de fevereiro de 2012

Tempestade


O tempo formando beleza rara
Observei da janela do 3º andar
O vento que assusta e refresca
Anuncia tempestade a chegar.
Mistura de medo e fascínio
Raios teimam em faiscar
O encanto não é dono do meu domínio
Só o vento, à ele, pode me levar.
"Leve-me, que os sentimentos não tem peso"
Permissiva, fiz-me parte do ar.
A quem pertenço está longe...
Aos seus braços vou chegar.
Vou feliz com a tempestade
etéreo vento, a te abraçar.
Bia Hain


9 comentários:

  1. Sem palavras perante tão belo poema, minha amiga. Um forte abraço e um ótimo domingo.

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  2. obrigada pela visita...

    gostei muito dos seus escritos...palavras lindas...que penetram a alma...

    um grande abraço!


    Zil

    ResponderExcluir
  3. Até uma tempestade pode revelar belezas...Tua poesia é um exemplo...beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Que lindo,

    A permissão é o alicerce para esta viagem ao vento que não sabemos por onde vamos mas sabemos o que vamos encontrar..o coração sempre nos leva ao caminho certo...

    Abraços, eu simplesmente amei, muito lindo

    ResponderExcluir
  5. Gostei e muito do pouco que vi do teu blog, segui, se quiseres segue também o meu :)

    ResponderExcluir
  6. Ir ao sabor do tempo, para se encontrar nos braços de quem se ama, isso é muito belo. Bjos.

    ResponderExcluir
  7. Lindo Bia e que belas palavras...abçs!

    http://palavraseessencias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Maravilhosa poesia...onde as metáforas não se assuntam com a tempestade nem com a distância, procurando o melhor de todos os beijos, segredos, orgasmos...amigo...o abraço de quem ama...apalusos

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.