domingo, 8 de julho de 2012

Quando a dignidade prevalece

Imagem by Freepik

Esses dias, assistindo à entrevista da Luíza Brunet para o quadro do Fantástico "O que vi da vida" (o link está aqui ), o que mais me chamou a atenção não foi a história em si nem sua visão sobre a vida, pois já me parecia uma mulher com caráter e personalidade. Ela começou e encerrou sua entrevista falando sobre dignidade.
Essa é uma palavra da qual gosto muito. Houve uma época em minha vida em que, extremamente frágil, mantive a dignidade em relação à uma pessoa e perdi em relação à outra, e isso não foi nada bom. A outra pessoa percebeu e se prevaleceu disso, me tratando de uma forma humilhante, e eu me submeti. Em fases difíceis sempre tento me recordar disso para não cometer o mesmo erro, nem sempre tenho sucesso, mas consigo me resgatar com mais rapidez e muitas vezes, sem ajuda. Minhas decisões tem sido rigorosamente pautadas nessa postura, por mais dolorosas que possam ser. 
A linha que divide a dignidade da arrogância é extremamente tênue. A arrogância fere o outro porque nos coloca numa posição acima, e ninguém tem esse direito, de exigir mais privilégios ou querer ser melhor que o outro. A dignidade nos mantém igual, nem melhor, nem pior. Igual, porque todos somos iguais em direitos e deveres. A humilhação nos faz baixar a cabeça, a arrogância nos faz olhar por cima, com o queixo levantado. A dignidade nos faz olhar reto, para o horizonte, a postura para a qual nascemos. Simples assim.
Penso que o que mais provoca a perda da dignidade são a carência e a ausência de amor próprio. Na ânsia de agradar, de conseguir migalhas de aprovação, carinho e atenção acabamos por nos submeter à vontade do outro ou da sociedade esquecendo do que somos e do que merecemos. Há também aquele caso em que dependemos da vontade de outrem para realizar algo e este não está disposto a colaborar ou agir. Insistir, nesse caso, constitui em perder sua própria honra.
Sou uma pessoa batalhadora, decidida e perseverante, não costumo desistir facilmente dos meus objetivos, uma vez traçados. Mas como eu disse uma vez aqui, a luta deve acabar quando a energia gasta para se conseguir o que deseja é maior do que aquilo que desejamos conquistar ou nos coloca numa posição muito aquém do que merecemos de fato. Perder nunca é bom, é a vontade vencer que impulsiona o ser humano a continuar e a ser melhor. Mas saber perder, já que a perda é de alguma forma, inevitável, é sem dúvida um ato de integridade e caráter. Saber escolher as "armas", também. Muitas vezes pessoas jogam baixo e outras se submetem simplesmente porque a dignidade nem sempre é um caminho fácil. O melhor e mais importante é saber que nunca é tarde para resgatá-la. Saber recomeçar também é um ato de dignidade. Pode ser um caminho longo e trabalhoso, mas sem dúvida, recompensador.
Uma vez, fazendo um Retrato Chinês com um amigo, quando se pergunta "se eu fosse um animal" ele respondeu: "um cavalo. Porque mesmo tendo a força que tem obedece ao homem sem perder seu porte jamais". Linda lição que ele me ensinou, passei a olhar cavalos com outros olhos. Que possamos ceder sempre que for preciso para tornar o ambiente da qual fazemos parte um lugar melhor, sem conquanto esquecer que só podemos respeitar ao outro quando respeitamos primeiro a nós mesmos.


"Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos."
Sócrates

"Não é digno de saborear o mel aquele que se afasta da colmeia com medo das picadelas das abelhas."
William Shakespeare

"O amor dá todos os direitos a quem ama , de por ele lutar com dignidade, com força, com grandeza."
Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha





74 comentários:

  1. Oii Bia, vc está certa, a dignidade as vezes pode ser confundida com arrogância em determinadas situações, nem sempre é fácil se portar do jeito correto! Não vi o depoimento da Luiza mas gosto muito dela! ótimo domingo! Bjooosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen. Tenho aprendido através de um curso que os sentimentos que praticamos e julgamos ser corretos, muitas vezes, estão errados, justamente por pertencerem a uma linha tênue entre um e outro. Um abraço!

      Excluir
  2. Sempre lindo te ler,Bia e ver tuas reflexões...Gosto!beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, com você aprendo a pensar de um jeito simples! :) Um abraço!

      Excluir
  3. Olá Bia.
    Gostei bastante do seu post, faz refletir.
    E falar em valores - como a dignidade - que hoje são tão raros, só nos faz admirá-la ainda mais.

    Um beijo,
    Excelente domingo.
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jhosy! Os valores infelizmente não são mais valorizados. Uma pena para todos! Um abraço!

      Excluir
  4. Muito bonito o texto e é verdade em todos momentos por mais difíceis que sejam não precisamos nos curvar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Waldir. Há o momento do curvar, há o momento da altivez, mas somente quando usados precisamente. Saber usar é que é o difícil! Um abraço!

      Excluir
  5. Um tempo atras pedir um amigo, por falta de dignidade.
    Hoje reconheço, que sem isso. Sou uma egoísta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nathália. A vida nos redime dos nossos erros, quando permitimos. Penso que esse é o momento para usar a humildade com dignidade: pedir desculpas ao seu amigo pode ser um belo gesto e ainda vai retirar a sensação de que foi egoísta. Um abraço!

      Excluir
  6. Oi Bia, gostei demais do texto, a dignidade nao tem preço...

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já a baixa estima ou soberba tem preços bem altos. Um abraço!

      Excluir
  7. Boa noite Bia,

    Tudo bem amiga?

    Sua postagem está super rica,
    algo que prezo muito é minha dignidade, e sempre a defino com uma mistura de simplicidade, humildade e ao mesmo tempo coragem de ser, sem ter que pisar em outros, aceitar sempre o que é bom e evitar envolvimentos com o que em nada me acrescenta , buscar a diferença, sem ser diferente no sentido de arrogância . Acredito que todos nós precisamos uns dos outros , e dignidade é uma virtude que recebemos da vida , mas abraçada por poucos...

    Abraços e linda semana pra ti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cecília. Definiu uma bela combinação para o conceito de dignidade. Aprendi esses dias que o respeito é um conceito muito mais amplo do que eu imaginava, é exatamente entender a diferença sem achar que ser diferente é ser melhor. algo muito próximo do que escreveu aqui. O que torna tudo mais difícil é saber que a dignidade está em cada um, mas a falta de vontade de praticá-la atinge toda a sociedade, o que é lastimável. Um abraço!

      Excluir
  8. Perfeito o teu texto, minha amiga.
    Ter flexibilidade e discernimento para decidir a hora de retroceder ou até mesmo desistir é muito importante.
    Também acredito que a arrogancia e a submissão imposta e gratuita não acrescentam nada a nós mesmos e à ninguém mais.
    E todo aprendizado é longo e muito difícil, mas uma vez aprendida a lição, a vida flui como um rio. Obstáculos? Como faz o rio, a gente contorna.
    Abraços e um semana rica para você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gisa! Que lindo o que deixou aqui...um fato é que as lições da vida não são de fácil aprendizado, e o saber contornar o que não pode ser mudado com a naturalidade de um rio é o desenho da paz de espírito. Um abraço!

      Excluir
  9. Oi Bia,

    Um belo tema, daria para escrever um livro acerca dele :)
    Dignidade, ela é como o respeito, ou se tem, ou não, é algo que não se aprende é algo que nasce dentro de nòs, uma virtude como disse a Cecilia e muito bem .

    Essa "expressão" do cavalo tem logica, mas jamais compare isso com dignidade, o cavalo é "obrigado" (ensinado) a fazer isso e não se digna por vontade propria a fazê-lo ;)
    Desculpe se estou errado, mas é meu ponto de vista .

    Abraços e uma optima semana :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Live. Eu concordo que há virtudes que nascem conosco e penso que outras podem ser aprendidas e/ou aprimoradas.
      Em relação ao cavalo eu não quis dizer que é digno o que fazem com ele, principalmente se usam de maus tratos, somente que ele respeita o ser humano apesar da sua força, mesmo quando não é respeitado, e isso é digno.
      Um abraço!

      Excluir
  10. muito apropriado o tema que escolheste. penso que no ser humano todas as linhas que separam nossas virtudes de nossos defeitos são muito tênues e o esforço para ser melhor é uma luta diária. também luto pela minha dignidade que acredito prevalecer a maior parte da minha vida, mas em algumas situações fiquei muito perdida. em casos de relacionamentos amorosos então, putz, diz o ditado que no amor e na guerra vale tudo,rsrs não é bem assim, mas uma pessoa apaixonada faz bobagens...

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeanne, foi perfeita sua colocação sobre o esforço diário acerca das nossas fraquezas. Ah, e foi perfeita também em relação aos relacionamentos amorosos, acho que fazemos parte do mesmo time! Sou capaz de fazer qualquer coisa pelas pessoas que amo, inclusive esquecer de mim mesma, e se não houver interesse e cuidado do outro lado com essa entrega, o que acontece? A dignidade se vai...Um dia o coração acha o limite da cerca entre a paixão e a dignidade. Uma abraço!

      Excluir
  11. Bia, também vi essa entrevista e gostei muito. A arrogância é uma das piores coisas do ser humano e muitas vezes a pessoa nem percebe o quanto é esnobe. Gostei da comparação com o cavalo, que faz todo o sentido; podemos ceder um pouco, mas sem jamais perder o nosso orgulho e porte. Aliás, que foto linda a desse cavalo branco. Beijão e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio. A Luiza Brunet é uma das personalidades que acho que sempre se sobressaiu das outras pela inteligência, transparência e postura, qualidades que vão além da beleza. É isso, o cavalo cede, mas não deixa de ser quem é. Demorei para achar uma foto de cavalo que expressasse o que eu gostaria de passar, essa é do Freepik, um site de fotos grátis bem legal. Um abraço!

      Excluir
  12. Até para sofrer temos que ter uma dignidade imensa..
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmine, sucinta e perfeita. Acho que é nos momentos de sofrimento, onde mais estamos fragilizados, que mais precisamos cuidar da dignidade. Um abraço!

      Excluir
  13. a parte primordial num relacionamento é a valorização do outro e isso não quer dizer q vc não se dá valor, pois só devemos valorizar quem é digno. Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eder. Concordo completamente, um relacionamento a dois só pode ser bem sucedido a partir da valorização mútua. Quando só um dos dois espera benefícios (o famoso ditado "venha a nós e ao vosso reino, nada") já está mostrando que não carrega em si muita dignidade. Uma pessoa digna é, sobretudo, justa. Um abraço!

      Excluir
  14. Bom dia!
    Quando com dignidade, reconhecemos e respeitamos nossos limites, a vida torna-se mais leve de ser vivida.

    Ótima semana pela frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor. Limites, essa curiosa palavrinha, sempre tão difícil de encontrar. A dignidade está estreitamente ligada ao respeito. Um abraço!

      Excluir
  15. Oi Bia,
    já anexei seu blog ao quadro da BCAP. Desculpe a demora em atualizar.

    Adorei seu texto sobre a dignidade. É um caminho do meio muito dificil de trilhar. Qualquer descuido... já estamos tocando a margem da superioridade ou a margem da inferioridade, o autoritarismo ou a humilhação.
    Excelente tema de reflexão. Obrigada.
    Beijinhos.
    Rute

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rute. Para tanto é necessário manter os sentidos bem aguçados...qualquer descuido, saímos fora da margem e magoamos alguém: no autoritarismo, ao outro; na humilhação, a nós mesmos. Obrigada você por sua visita! Um abraço!

      Excluir
  16. Oi Bia! Vejo três sentimentos diferentes, mas tão interligados. Acredito que a diferença entre dignidade, arrogância e humilhação estão no outro. Isso porque nunca se sabe o que passa na cabeça das pessoas e as opiniões nunca são iguais...
    Bjos!
    amonailart.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Valquíria. Eu estava conversando sobre isso com minha mãe hoje. Mais complicado do que querer ser uma boa pessoa e desenvolver bons valores dentro de si é aplicá-los no meio em que vivemos, sempre tão cercado de incógnitas. Dizer que somos responsáveis só por nós mesmo é uma grande ilusão. As vidas estão ligadas e as atitudes e pensamentos do outro refletem direta ou indiretamente na nossa vida. Um abraço!

      Excluir
  17. Bia um dos seus melhores textos até hoje nem vou falar nada só vou postar o que já fez e arrasou!!

    "Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos."
    Sócrates

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, patrícia, muito obrigada por seu elogio, o que você me diz com certeza tem peso. Um abraço!

      Excluir
  18. Boa tarde Bia,senti sua falta,não dos comentários apenas,mas de sua presença amiga...

    Um texto bem escrito que passa a pessoa que você é...muitas vezes a vida nos leva a situações que nos fazem calar...situações essas que não fazem bem a nossa alma,pois acabamos esquecendo de quem somos e nosso porte vai pro espaço...mas sempre temos uma nova chance em cada amanhecer...Deus nos dá essa oportunidade,de aprendermos a nos resgastar,pois,se há pessoas que "se"acham,ELE tem certeza de quem somos,e somos todos iguais aos olhos do Pai!

    Concordo em tudo,principalmente que quando diz em melhorarmos o lugar onde estamos,isso se aplica a tudo...
    Outrora,ao caminhar pela praia,e ver algum lixo jogado n'areia eu criticava - "Nossa,que gente sem educação,devem fazer isso na casa deles" e seguia minha caminhada...hoje,ainda critico,mas pego e coloco na lixeira...

    Um beijo amiga blogueira, e "dignidade sempre"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mel. Na semana passada as coisas estavam meio tumultuadas, entrando em férias coloco as visitas em dia.
      Ás vezes, quando a alma está em silêncio, é difícil lembrar que cada amanhecer oferece uma oportunidade de fazer diferente o que não está bom.
      O exemplo de sua caminhada no mar mostra o que aprendeu e o que todos devemos aprender: mais do que julgar a ação do outro e reclamar, temos que começar a mudança por nós mesmos. UM abraço!

      Excluir
  19. Acho que a questão de dignidade é uma das quais geram muita polemica, afinal, o que é se manter digno? Muito preferem não se comprometer para não serem chamados de arrogantes, mas termos nossa própria dignidade é nos proteger das armadilhas e das opressões do mundo. Mas é claro, com moderação se não vira arrogância mesmo e por esse caminho que nós perdemos coisas que nas quais no futuro iremos nos arrepender ! Amei seu texto, me fez refletir demais.

    www.spiderwebs.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sabrina! Minha maior dificuldade em relação à dignidade é justamente ceder demais com medo de me arrepender. Raramente eu peco pela arrogância, mas constantemente peco pela humilhação. É preciso discernir entre o ceder e o se humilhar. Sempre as linhas tênues...
      Um abraço!

      Excluir
  20. Oi Bia,
    Se a gente busca pautar a nossa vida dentro de valores consistentes, certamente levamos uma vida melhor.
    Manter a integridade em todas as nossas atitudes é primordial.
    Muitas vezes poderemos sair perdendo em algumas situações, mas pelo menos não viveremos aquela maxima terrivel do "levar vantagem em tudo".
    Você disse bem, para sermos respeitados, primeiramente devemos nos respeitar.Se abrirmos mão do amor proprio, abrimos mão tambem do respeito.
    O se respeitar beira mesmo a arrogancia e merece muito cuidado para não atravessar o tenue limite.
    Belo texto, parabens.

    bjo procê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lufe. Manter a integridade contribui muito para a paz de espírito, mas isso nem sempre é fácil numa sociedade que privilegia a sacanagem e o jeitinho.
      Pessoas que não se sentem confortáveis no "levar vantagem em tudo" já demonstram uma boa dose de generosidade e respeito com o outro.
      Cada um tem seus limites, é preciso saber reconhecê-los e restabelecê-los quando a dignidade se esvai.
      Um abraço!

      Excluir
  21. Passo para te deixar muitos beijinhos! :)

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde, Bia. Muito boa a sua postagem, fala de um assunto interessante, e que vez em quando esquecemos de praticar.
    A dignidade é uma bandeira que todos devemos levantar, e por isso quando a esquecemos de lado, sofremos, perdemos o eixo, e nunca dá resultado.
    Bom é lutarmos pelo queremos de um modo olhando para os lados, para nós e o próximo.
    Perdas fazem parte da vida, e encará-las é fundamental.
    Que tenhamos a dignidade para lidarmos em toda e qualquer situação, pois ela enobrece o espírito sem leválo à arrogância.
    Beijo grande, e fique na paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, patrícia. é preciso mesmo olhar para todos os lados, cuidando para que o repeito excessivo ao outro não se torne desrespeito consigo mesmo. É uma pena que muitas vezes as pessoas que sabem perder tenham essa atitude desvalorizada. Na realidade é um dos motivos que penso fazer da dignidade um artigo raro: ela não é premiada, ao passo que a humilhação e a arrogância muitas vezes são. Um abraço!

      Excluir
  23. Boa tarde Bella!!!

    Lendo seu excelente texto deu vontade de deita-me no divã inexistente e refletir sobre a existência... Os valores hoje estão tão banalizados, e têm princípios que não se aprende na escola, somente na família e na vida. Acredito que passar por essa existência, vivendo com dignidade, sem ferir o próximo, já é uma grande conquista!

    Beijo no coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bia! Tem razão, tem que ser uma conquista em prol da própria consciência. Conquistá-la exige esforço e paciência, dignidade não vem de graça. Demanda reflexão. Um abraço!

      Excluir
  24. Olá, Bia!
    Foi simples, correta e direta em suas palavras!!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  25. Perder, desistir, entender que a luta não vale a pena, são atos que demonstram fortaleza, embora, algumas vezes, confundidos com fraqueza. Também a dignidade costuma parecer fragilidade, quando não admitida e bem entendida pelos realmente fracos de espírito. Admitir nossas convicções e responder por nossos atos, sem submissão ao poder ou à necessidade de afeto, é um comportamento que tenho, realmente, como digno. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene. Admiro demais essa capacidade que você tem em traduzir Valores e sentimentos com essa clareza absurda. Muitas vezes a dignidade é vista sim como fraqueza, e por isso é uma qualidade tão pouco destacada. E disse muito bem, muitas vezes a dignidade dá lugar à submissão ao poder ou à necessidade de afeto. Nesse caso o outro pensa "ah, essa me ama de verdade porque se humilha em busca de afeto". Não é amor: é perda da dignidade. Um abraço!

      Excluir
  26. Bia

    Lendo e reflectindo.
    Você está muito correcta na sua análise.
    No dia em que aprendi a dizer não e recuperei a auto-estima por mim e para mim, a vida começou a sorri-me e eu sorri para vida.
    Tinha saudades de te ler. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luar! Não gosto de dizer não para quem gosto. Ainda preciso aprender a não ultrapassar meus limites, porque dá trabalho regatar a dignidade depois disso. Uma coisa é ser bom, outra é ser bobo. A primeira dignifica, a segunda, não. Um abraço!

      Excluir
  27. Bia querida! Adorei teu texto! Dignidade é o sentimento que nos possibilita ir em frente de consciência tranquila, na certeza de estarmos na direção certa.... Adorei teu texto! Ótima reflexão para todos nós! Bia, obrigada pelo carinho e pela presença amiga, sempre constante no blog....Vai ser uma prazer! Na postagem de 5ªF, dia 12 de julho, incluirei o "Culinária na Boa".... Daí, se puderes me mandar, o quanto antes, uma imagem, de preferência o cabeçalho do blog, pois o banner é muito pequeno e, a propósito, já está no meu blogrol! Meu e-mail:
    elaine.averbuch@gmail.com
    Uma quarta-feira iluminada!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elaine, é isso: a dignidade nos permite seguir em frente com um sorriso no rosto. Obrigada por divulgar meu novo blog, sem dúvida um ato de generosidade. Um abraço!

      Excluir
  28. Olá!Boa noite!
    Tudo bem?
    ...concordo com sua afirmação "A linha que divide a dignidade da arrogância é extremamente tênue."É fundamental expor aos outros os nossos limites, e é muito importante ser firme diante de algo que não está correto para nós... Não há nada mais complicado do que as relações humanas. Cada pessoa carrega consigo sua história de vida, seu passado, expectativas, medos e anseios. Quem ama a si mesmo compreende os outros porque sabe da complexidade das contradições humanas...
    Obrigado pela visita!
    Boa quarta feira!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis! Essa firmeza na postura é justamente difícil devido às relações humanas. Uma pessoa correta não quer invadir o espaço do outro, exigir demais, magoar...Já quem não liga para isso pode se prevalecer das boas intenções do outro para levar vantagens ou ignorar as necessidades alheias. Administrar esses diferentes sentimentos e pensamentos não é nada fácil, principalmente quando lidamos com pessoas que não se expõe. Linda sua última frase! Um abraço!

      Excluir
  29. Bia, um grande beijo no seu coração. Dignidade, essa é uma palavra que diz tudo sobre o que somos e o que não podemos deixar de ser. Minha querida. É sempre um convite ao pensar, e que bom que o faz, a traves de suas crônicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, paulo, saber que meus escritos fazem pensar é, sem dúvida, um ganho. Um abraço!

      Excluir
  30. http://www.facebook.com/itsnoworneverofficial - pode por gosto sff?

    Adorei isso u.u, ABRAÇO BEM APERTADO u.u

    ResponderExcluir
  31. Você está certa, Bia! A maioria das pessoas confundem dignidade com arrogância e é mais fácil dizer que é digno, fazendo o errado, do que fazer o certo sem parecer arrogante. Não é fácil lidar com o comportamento humano e aquele que consegue, é um herói.
    abraços e tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, barbie, curioso seu pensamento, tem razão. Como sempre a maioria das pessoas escolhem o fácil em detrimento do certo. É nesse momento que a dignidade perde pontos preciosos. Agora lidar com o comportamento humano me parece mais difícil do que eu pensava. Um abraço!

      Excluir
  32. Olá Bia,

    Creio que recuar ou desistir quando for preciso é postura de quem detém os valores básicos que mantém o ser humano no limiar do bom senso, quais sejam, amor-próprio, coragem e a prefalada dignidade. Ao passar desse limite corre-se o risco de perder-se
    o respeito, tão fundamental para o equilíbrio das relações.
    Dignidade, para mim, é manter-se dentro dos princípios da ética, do respeito e da honradez, ainda que doa ou que
    passe uma imagem de altivez e arrogância. O importante é estarmos em paz conosco e conscientes de que agimos dentro
    daqueles valores. Deixar-se humilhar é derrubar a auto-estima.

    Vi a entrevista da Luiza Brunet. Ela é uma mulher admirável.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera! O mais complicado é saber o momento certo de recuar. Quando o fazemos sem lutar vira covardia e ninguém consegue se manter digno sendo covarde. Quando se luta além do que deveria vira humilhação por falta de amor própria e também não é qualidade digna. Como é difícil saber o momento de um ou outro! É preciso calma, intuição, sabedoria e humildade para observar qual é o melhor caminho. Atitudes levadas por sentimentos intempestivos não tem muita chance de se tornarem dignas. Um abraço!

      Excluir
  33. Oi Bia! Tem selinho pra vc lá no blog :D
    Bjos!
    amonailart.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Val, já vi e em breve colco por aqui, valeu! Um abraço!

      Excluir
  34. Oii Amiga, passando novamente p avisar que tem sorteio no Blog! Bjoooosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen, já conferi e quero ganhar! :) Um abraço!

      Excluir
  35. Dignidade e princípios parecem cair em desuso. Nunca se arrependa daquilo que é feito em prol dos seus princípios.

    ResponderExcluir
  36. Bia, eu não assisti a entrevista, porém, você discorreu sobre o tema dignidade de modo muito digno.
    Eu acredito que a dignidade seja o equilíbrio da auto-estima.
    Tanto quem humilha quanto quem se deixa humilhar, não tem dignidade.

    PS: Não lhe encontrei no Facebook, você usa algum nick por lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Christian. No perfil do Face uso meu nome "real"...Não tenho perfil como Bia. Por isso não me encontrou. Um abraço!

      Excluir
  37. Bia, não resisti a imagem do cavalo e vim ler esse post. É meio antigo, mas espero que não se importe...

    adoro cavalos

    bjsMeus
    Catita

    ResponderExcluir
  38. Boa tarde! Somente agora, passados três anos, vi que postaste uma de minhas frases - e ao lado de expoentes da literatura universal. Agradeço-te comovida a deferência, pois jamais poderia imaginar isso ocorrer.

    Um grande e fraterno abraço!

    Mirna Cavalcanti de Albuquerque

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.