domingo, 12 de agosto de 2012

Desabafo de uma "pãe"


Imagem by Freepik

São 16:37 hs. Já postei hoje, mas senti vontade de escrever...Nesse momento estou sozinha em casa, após almoçar com meu pai, pois tenho a graça de tê-lo vivo e com saúde. Estou pensando em minha própria condição, a de estar sendo pai e mãe da minha filha há quase 16 anos (em breve ela fará 17). Houve apoio da minha família após seu nascimento, é certo, mas as responsabilidades sempre estiveram comigo, carregadas em meus ombros para ser pai e em meu coração pra ser mãe. Não foi fácil. Equilibrar essa balança sempre exigiu força e discernimento. Racionalidade para cuidar de sua saúde e de suas inseguranças, para dizer um não firme e indiscutível quando necessário, e emoção para aprender a enxergar nos olhos dela os problema que se passam no coração.
Sou feliz porque percebo nela uma extensão do que sou melhorada, porque ela me enche de carinhos e "eu te amo" gratuitos, porque se ama, é segura, boa amiga, determinada e batalhadora, sem carregar culpas exageradas nas costas ou medo de rejeição. Diz o que pensa, mas sabe guardar segredos. Dá umas "patadas" de vez em quando, mas reconhece quando está errada. Aliás, dar patadas é humano. Eu não gostaria que ela crescesse como eu, gentil demais, engolindo demais, aceitando demais. A vida engole quem é assim.
Porque no fundo, pais e mães de verdade só querem isso: passar para os filhos o que tem de bom e tentar ensinar diferente aquilo que eles pensam fazer mal feito.
Agora, prestes a partir para seus voos solo e para a vida adulta, choro de alívio, de orgulho e de cansaço por nunca ter encontrado alguém que pudesse me amar tanto a ponto de estender à ela esse amor. Aceitaram, mas não ajudaram. Ao contrário, me fiz mãe de alguém que não soube dar valor ao meu acolhimento, que não conhece o significado da palavra "gratidão" e que não poupa esforços para me apunhalar pelas costas quando há uma oportunidade.
Fazer o que...fui vencedora sim no papel de "pãe", e embora não haja uma data específica para isso, ganho meu presente todos os dias. Sua vida, filha.

65 comentários:

  1. Bia minha amiga que coisa mais linda que li agora aqui, só posso dizer que é abençoada.

    ResponderExcluir
  2. Como é a vida, minha linda. Ainda não fiz minha postagem do dia dos pais, como também não fiz minha postagem do dia das mães e estava me preparando justamente para postar para as(os) "pães", quando vi teu link na minha lista de leituras. Meu coração está apertado, mas senti, vindo aqui, que estou no caminho certo.
    Um grande beijo! Gisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gisa, fico feliz em poder deixar seu coração um pouco mais leve. Acompanho suas postagens e admiro pessoas como você, que mesmo na adversidade se mantém distribuindo amor. Um abraço!

      Excluir
  3. Bia,

    Este teu post está tocante e profundo.

    Dou-te os parabéns pelo amor existente à tua volta.

    Obrigada pela partilha.

    Obrigada também pela visita, pelos comentários. O conto dedicado aos blogueiros, saiu de improviso. Acontece-me destas coisas muitas vezes, mas com poesia.

    Serás sempre bem-vinda no espaço.

    Um beijo,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris. O amor para já me deu algumas rasteiras, mas também já me senti muito amada. Minha filha é daquelas que me dá amor sempre. Um abraço!

      Excluir
  4. Feliz de quem pode sentir orgulho de seus atos. De quem conseguiu passar aos filhos uma educação primorosa, dando-lhes condição para caminhar com os próprios pés. As mães que exercem esse duplo papel merecem aplausos. A vida exige muitas renúncias delas, porque os filhos estão em primeiro lugar. Sinta-se feliz e homenageada neste dia. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene, que lindo escrito! Obrigada por suas generosas palavras. Sem dúvida que para ser "pãe" o número de renúncias é grande, mas o resultado compensa todos os esforços. UM abraço!

      Excluir
  5. Ei Bia...

    Amiga quanta admiração eu tive de você ao ler seu desabafo...por mais dificuldades que passastes para exercer esta dupla vida de pai e mãe hoje podes colher os frutos de uma boa semente que foi delicadamente cuidada por você, recebendo todo carinho, dedicação, sustento, e o que você recebe dela (filha) hoje nada mais é que a merecida gratidão de uma mulher que ousou ser "Pãe". Parabéns e sinta se a melhor do mundo , porque se dedicou ao seu maior tesouro e com certeza motivo de seu orgulho...

    Abraços e tenhas uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cecília. Talvez eu tenha tido também sorte, de ter recebido uma boa semente...ou será que todos podem ser boas sementes se forem bem cultivadas? Talvez o maior tesouro que lhe deixei foi ensinar o poder da gratidão, e por isso colho os frutos hoje. Um abraço, e obrigada!

      Excluir
  6. Bia,

    Que texto incrível, ser "pãe" com certeza é algo diferente mas de se ter muito respeito, você soube passar a sua filha tudo o que foi possível como sei que mesmo com tal idade, faria tudo por ela.
    Independente do que tenha passado, soube criar um se humano do bem que reconhece em você as qualidades que têm, com certeza ela terá as próprias características, mas saberá de onde veio as suas bases para mostrá-las ao mundo.

    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cla! A maior aposta dos pais é educá-los durante anos para perceber, lá na frente, quando já podem fazer suas escolhas, os reflexos de seus ensinamentos. Fico feliz que os reflexos tenham sido os melhores possíveis. Um abraço!

      Excluir
  7. Sabe, Bia, a mulher congrega em si tanto a maternidade quanto a paternidade. A minha esposa me faz um pai melhor, ela me porporciona ser melhor pai com a sua maternidade. Parabéns, amiga, vc é uma vencedora. Sinto orgulho de vc. Por que não, mesmo atrasado, feliz dias do "pãe". Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eder, muito bonito o que disse sobre sua mulher. Ela o torna um pai melhor, mas sem dúvida isso acontece porque você se permite esse aprendizado. Há pais que, por orgulho, não aceitam ajuda, ou o querem do seu jeito. Obrigada, um abraço!

      Excluir
  8. Que lindo! Você é uma guerreira e tanto!

    ResponderExcluir
  9. Bia!! Parabéns por sua parte pai. Parabéns pelo belo texto. Que Deus ilumine seu caminho e de sua filha. Bjos

    ResponderExcluir
  10. Oi Bia,
    A condição de pai/mãe, não é exclusivamente sua. Há muitas mulheres guerreiras que compartilham e com orgulho, desta mesma realidade.

    Parabéns por ter enfrentado sozinha preconceitos, comentários e contratempos. Sabemos que há muitos pais que não merecem serem chamados de pais.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor. Saber que há outras pessoas nessas condições (porque também há pais que fazem papel de mãe) me estimulou a escrever esse texto.
      Muitos desistem da missão por medo de julgamentos, outros tem receio de que uma educação à uma mão seja ineficiente...sou testemunha de um outro caso em que a mãe só prejudica a educação da filha, o que significa que nem sempre ter os dois por perto funciona.
      Um abraço!

      Excluir
  11. Bia

    Me emocionou demais este texto.
    Se sinta orgulhosa por ser esta "pãe" , que colhe o fruto que semeou sozinha.
    Nossos filhos nos ensinam a ser fortes, lutadoras e seres humanos melhores.
    Voltando de férias e sem tempo para ler tudo, não resisto a te dar os Parabéns pela tua obra mais que perfeita.
    Um beijinho com carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luar, obrigada por suas palavras. Quando um texto emociona o outro é porque houveram traços de identificação...concordo, minha filha me fez um ser humano melhor.
      Um abraço!

      Excluir
  12. Oii Bia, não sei o que dizer, estou aki pensando refletindo me identificando com parte da história, e não sei o que dizer, parabéns? Seria pouco! Me separei qdo a Andressa tinha apenas um ano e sei que o apoio de quem acolhe acontece, mas não divide as responsabilidades, sei que no fim as mães é que ficam com a parte mais pesada! Conheci amores que aceitaram mas como vc disse não se envolveram e nem ajudaram, até conhecer meu marido que aceitou, ajudou, sofreu junto e hj minha filha quer estar mais com ele do que com o verdadeiro pai, isso é muito bom! Só posso desejar que essa filha linda e amorosa que vc nos descreve leve com ela em seus voos solos, a lição de superação que vc demonstrou a ela e que ela seja iluminada e muito realizada nas escolhas que fizer! Bjoooosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen. Também me separei quando ela iria fazer um ano, o pai foi embora e nunca ajudou. Hoje penso que foi o melhor, ele era muito instável e poderia deixá-la uma menina insegura e confusa. Sempre deixo em aberto a possibilidade de procurar o pai dela, mas acho que ainda não chegou o momento.
      Fico muito, muito feliz por você ter encontrado alguém generoso o suficiente a ponto de cuidar de sua filha como se fosse dele, o termômetro é perceber que ela o prefere ao pai. Não tive a mesma sorte, ou talvez não o mereça, sei lá; o amor dela é minha pertença.
      Um abraço!

      Excluir
  13. Querida Bia, a minha mãe tambem foi pãe, porque meu pai não ajudou financeiramente. Ela bancou tudo sozinha, não foi nada facil. E éramos duas! Com isso, algumas coisas não pude realizar na vida, são sacrificios que não escolhemos, que acontecem, mas sempre há um plano B!

    Querida amiga, parabens por sua força, tem horas que olhamos para tras e nem sabemos como atravessamos um caminho tão longo, algumas vezes com brasas no chão.

    Bia, até hoje estou sozinha. Os homens estão a procura das mulheres "perfeitas", como se eles fossem. Não espero nada de ninguem, não mesmo. Espero apenas que minha filha seja feliz e realizada.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym. Embora a parte financeira tenha ficado comigo (roupas, estudos, remédios), meu irmão ajudou com alguns presentes mais caros e viagens, então sempre houveram esforços coletivos para que ela realizasse alguns sonhos. Sem exageros, para ela não ficar mimada ou ingrata.
      Sabe Sissym, ultimamente tenho tido reservas em olhar para trás, meu caminho tem sido duro mesmo, melhor esquecer que há brasas no chão, caso contrário não conseguimos caminhar adiante.
      Os homens esperarem perfeição é um grande problema. É impossível agradar ao outro o tempo todo, assim como somos humanos e temos defeitos e momentos de fraqueza. É difícil para um homem, compreender isso.
      Um abraço!

      Excluir
  14. Bia querida, tem alguém em algum lugar de outra dimensão que está te observando e cuidando. Todo o teu esforço valeu a pena. Errar todos os pais erram, mas o importante é o amor, o estar ao lado e transmitir nossos valores, nossa dignidade. Também fui pai e mãe e sei o quanto é difícil, mas no final dá tudo certo.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeanne, sua frase inicial é reconfortante! Frase de quem já passou pelo que passei e sabe o quanto é complicado manter a fé e a dignidade em alguns momentos, e o quanto é complicado segurar o esteio dos valores. Parabéns, então, à você também, um abraço!

      Excluir
  15. Olá Bia,

    Um texto emocionante...entao feliz dia das paes..rs

    Abçs

    ResponderExcluir
  16. Oi Bia
    Que lindo post, me emocionei, sinceramente, nem sabia que vc tinha filhos, quanto mais desta idade, vc é tão jovem! O mais engraçado é que eu te respondi lá no meu blog há umas três horas, depois vc vê o que eu escrevi, e não sabia de nada, nada mesmo, só agora estou sabendo mais um pouco da sua vida. Parabéns!
    Bjão. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana! Realmente surpreendente seu comentário, parece que adivinhou, hein? Tive minha filha aos vinte anos, sem dúvida uma mudança brusca de rumo, mas deu tudo certo. São as escolhas que fazemos, ou que a vida nos impõe e precisamos abraçá-las. Um abraço!

      Excluir
  17. Bia querida! Te aplaudo de pé! Feliz Dia das "Pães"! E sinta muito orgulho em ser "Pãe", pois em teu coração e em Deus você encontrou a força, o amor, a sabedoria e a fé necessários, para empreender esta jornada linda, há 17 anos já, e com este resultado! Parabéns! Já te admirava! Agora, admiro mais ainda! Um abençoado início de semana!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elaine, obrigada por seu carinho, um abraço!

      Excluir
  18. Tu és uma vencedora, Bia! Linda história... abraços e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  19. Bia, que lindo abrir seu coração dessa maneira. Voce deve se orgulhar e muito por ter criado tão bem sua filha. Eu acho que a maior alegria de uma mãe ver sua cria dando vôo solo, sinal que voce criou muito bem. |Uma pessoa independente corajosa e que certamente saberá se defender quando necessário e que conseguirá se dar bem em qualquer lugar que queira viver. Não é para isso que criamos nossos filhos para serem felizes e independentes?
    Parabens querida!

    respondi sua pergunta lá no blog
    bjs
    http://lcg-esmalterapia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lila! Seu comentário me fez lembrar do que li certa vez no livro de Içami Tiba, de que sabemos que estamos criando bem nossos filhos quando, à medida que crescem, precisam menos do nosso colo, mas não acham uma vergonha procurá-lo quando precisam muito. Por um lado é estranho ver que seu filho não precisa mais de você, por outro lado é gratificante vê-lo fazendo escolhas acertadas. Um abraço!

      Excluir
  20. Olá!Boa tarde!
    Tudo bem por aqui?
    ah...eu demorei para vir aqui...porque pensei que vc estava na BC do Chris...lendo seu texto eu confirmei o que eu pensava de você: Uma guerreira!Emocionante relato, mas não menor que a minha admiração!Com o tempo descobri que tem pessoas que se merecem, tem outras que não amadurecem. Com o tempo descobri a diferença entre dar a mão e doar o coração, entre sorrir e ser feliz, entre sofrer e ser triste. Com o tempo fui deixando coisas sem importâncias, transformando em lembranças e construindo esperanças. Levou um tempo para eu descobrir que o tempo transforma, reforma e se forma. Se arrume para você, se olhe no espelho que você vai ver, a pessoa para quem mais vale a pena viver. Seja a sua melhor companhia, se convide para ser feliz, se for preciso enxugue suas lágrimas, mas se for possível não as deixe cair...tenha orgulho de você e que sua filha tenha muito de sua alma guerreira...
    Obrigado!
    Boa terça/quarta feira!
    Beijos
    ah, rsrs...dia errado...abaixo daquela postagem tinha uma Feliz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis, participei sim na Blogagem Coletiva, é o post anterior...
      Seus escritos são tocantes, vou reler sempre que estiver me sentido pra baixo.
      Um abraço!

      Será que hoje é o dia certo para lê-lo? hahaha

      Excluir
  21. Bia
    É bastante interessante, talvez a tal sincronicidade que Jung falava, mas com essa sua crônica você se deu a conhecer, e não era nada diferente da ideia que fazia de ti, uma mulher batalhadora, que cresceu nos erros, se segurou nos acertos e ainda acredita no amor. Só te desejo o que você já fez por merecer, uma grande e preenchedora felicidade em sua digna vida.
    Do leitor bissexto e amigo de caminhada pelas palavras
    Antonio Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Antonio. Há tempos você caminha aqui comigo, e sabe sobre minha busca pela felicidade. Quem sabe cumprindo todas as etapas que a vida me impõe, ela finalmente chega e fica?
      Enquanto não acontece, vou sobrevivendo feliz com os louros do papel de "pãe".
      Um abraço!

      Excluir

  22. Oi Bia,

    Pensei que sua filha fosse mais nova.
    Muito válido este seu desabafo. Realmente, não é fácil ser pai e mãe ao mesmo tempo, mas vejo que você é uma vitoriosa. Uma vida nestas circunstâncias exige muita renúncia, mas vale a pena quando se colhe os respectivos frutos. Tenho certeza de que sua filha a ama e admira muito e está preparada para alçar os seus voos com responsabilidade e coragem, pois foi o que você lhe passou.
    Só me resta parabenizá-la por por ter sido uma excelente "pãe".

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera, muito obrigada, desejo que ela também possa colher frutos saborosos em sua jornada. Um abraço!

      Excluir
  23. Bia, a foto no Sob o encanto das flores é de uma churasqueira. Bjos.

    ResponderExcluir
  24. Tenha uma linda noite, minha amiga. Bjs.

    ResponderExcluir
  25. Eu tenho um tanto de admiração que não posso descrever, por pais, mães e pães que colocam a própria vida em segundo plano a fim de se dedicarem a fazer feliz o motivo do seu amor maior. Essa tua história é linda e abençoada. Suponho que ela, sua filha, tenha imenso orgulho de ter tido, numa pessoa só, pai e mãe tão especiais.

    Beijo, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene. Ainda bem que ela tornou-se um bom ser humano. Fico com o coração partido quando vejo pessoas que dão a vida por um filho e recebem de volta, desrespeito e ingratidão. Um abraço!

      Excluir
  26. Belo desabafo, Bia. Te admiro ainda mais após ler. Ser pãe não é fácil e precisa de muita dedicação e amor, caracterísicas que vc tem de sobra. Beijão!

    ResponderExcluir
  27. Bia, você é uma guerreira de ser pai e mãe de uma adolescente. Essa fase não é nem um pouco fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gilberto. Tem razão, essa fase é um tantinho complicada, a minha sorte é que ela não ficou arrogante e nunca desprezou meus conselhos. Isso facilitou um bocado para ambos os lados. Um abraço!

      Excluir
  28. Bia, como sou fã de mulheres como você! Eu fico admirado e me rendendo a essa capacidade humana de ser o que vocês são. Por sinal, nunca encontrei palavras que pudessem definir com exatidão a beleza e a força de mulher que são pessoas iguais a você. Um beijo minha querida no seu rico coração. Parabéns por ter sido e por ser a mulher que é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulo, suas palavras me enchem de orgulho, obrigada. Um abraço!

      Excluir
  29. Querida Bia adorei o teu post! Lindo! Vem de quem ama e e puro no seu amor como mãe. Mas fiquei baralhada com a parte do apunhalar pelas costas... Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Belle, a questão do apunhalar pelas costas é referente à uma outra pessoa a quem fiz tanto (ou mais) do que fiz pela minha filha e que, infelizmente, além de não saber o que é ser grata, ainda não se contém e fala besteiras quando é contrariada. Lamentável. Fiz o possível para ensinar sobre o poder multiplicador do amor, mas quando a pessoa não quer entender, fica difícil. Um abraço!

      Excluir
  30. seu texto é reflexivo... muito bom. abraços lamarque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lamarque, volte sempre que quiser! Um abraço!

      Excluir

  31. Olá!Bom dia...eu volto para ler seu post

    mas estou te devendo uma poesia mais mais, kkkkk
    fui.......

    Mais um dia vai começar.
    Dá para sentir o alvorecer
    De um lindíssimo amanhecer.
    Um fio de luz suplicando para entrar.

    O próprio dia espera-lhe acordar.
    Para que eu possa ser mais feliz.

    A cada dia que se soma
    Sinto como se fosse
    A concretização de meus sonhos.

    Aprendi que sonhos são realidade.
    Aprendi a fazer rima e verso
    Para gritar meu imenso amor
    Que quando a paixão nosso peito invade
    Somos um misto de fantasia e saudade
    Sinto no céu da minha boca, seu beijo
    Estremeço nesse desejo enorme
    Que toma meu corpo deixando-me louco
    Vibra meu corpo
    Somem meus sentidos
    Amor sem limites que toca
    Minha alma com tamanha paixão.

    Gostaria de estar sempre
    Acompanhando com o olhar
    Esse seu despertar tão especial
    Para lhe cobrir de abraços e beijos.

    Bom dia, meu amor.
    Hoje, amanhã e sempre.

    ResponderExcluir
  32. Venho ler este post levemente atrasada, mas é com muito carinho que te deixo os parabéns por ser "pãe". A minha mãe também merece esse título e os parabéns. Aliás vocês merecem as felicitações em dobro pois mesmo com todas as dificuldades e tropeços criaram pessoas direitas, corretas e que se orgulham muito de vocês existirem e terem aceitado ajudá-las nesse caminho.
    Parabéns!

    Bejus

    ResponderExcluir
  33. Olá querida Bia, que texto emocionante!

    Fiquei muito sensibilizada com esta leitura pois fui criada por uma Pãe :) Até hoje, no dia dos pais, minha homenagem vai para ela, que criou sozinha eu e meu irmão, visto que nosso pai preferiu ter outra família e cortar os contatos... Ela chegou a ter 2 empregos para nos dar o melhor, e ainda tinha tempo para nos dar amor, carinho e segurança. Olho para trás e mesmo sabendo que existiram erros, não consigo vê-los, só consigo admirar tamanha força, sabedoria e coragem que ela teve para fazer tudo isso sozinha e criar pessoas íntegras que somos.
    Parabéns por ter esta mesma força e saber valorizar sua trajetória !

    Grande beijo para vocês duas, que o caminho de vocês continue sendo de muito amor e alegrias :)
    Bom finalzinho de semana !! :)

    ResponderExcluir
  34. Oi, Sam! Na verdade essa situação, de mães criando sozinhas seus filhos, é muito mais comum do que se pensa. É claro que também há homens maravilhosos desempenhando as duas funções. Eu gostaria de ter um filho e um marido afetuoso e firme por perto, para que cada um cumprisse seu papel sem desrespeitar o papel do outro. Mas a vida não é feita só das nossas escolhas, e sim de uma combinação de escolhas que resultam no que vivemos.
    Também já cheguei a ter dois empregos, carrego até hoje as responsabilidades pelas decisões tomadas, mas fico encantada quando vejo alguém como você, que sabe admirar e respeitar sua mãe pelo que ela fez pelos dois, tenho certeza de que a gratidão é o maior presente que pode oferecer à ela. Um abraço, bom final de semana!

    ResponderExcluir
  35. Bia, boa tarde. Tenho de confessar que este teu texto me tinha escapado. Talvez coincidisse no tempo com alguma das interrupções que tive este ano na minha actividade na blogosfera. Enorme texto, Bia, enorme autora, enorme pãe, enorme vénia. Abraço.

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.