domingo, 16 de setembro de 2012

A simpática empatia

Obs: Feliz, acabei de saber que a Yasmine recebeu meus presentes de aniversário do meu blog, quem quiser conferir os mimos, clique aqui.

Imagem by Freepik

É interessante a maneira como as coisas levam-me a escrever um post. Embora pense muito no assunto, minhas divagações de hoje culminaram em escritos a partir de outro post.
Na quarta, cujo tema da Blogagem Coletiva era "gostaria de fazer mais não tenho coragem", citei o exemplo de uma colega que deixaria o noivo pelo Big Brother, nem que fosse por uma semana. Concordei porque na ocasião a moça apresentou um contexto que me fez perceber que o amor não é prioridade na vida dela. É noiva, mas não quer casar, nem ter filhos...quer mesmo é ter histórias para contar (e nesse caso, pode não ter um final feliz, é fato). De qualquer forma, as consequências de suas escolhas são um problema dela.
Eu não deixaria um grande amor por outra coisa, ao contrário, deixaria todo o resto por um grande amor. Se olharmos desse jeito, a atitude é a mesma, a coragem também, mas em situações diferentes. Na ocasião, também entendi os motivos de quem não concordou com o posicionamento dela, por privilegiarem a segurança de um relacionamento, o que também é bom. Sonhos são inquestionáveis. Mas essa é outra questão.
Só me foi possível entender os dois lados porque há anos tento praticar a empatia. Alguns não conhecem essa palavra, outros confundem com simpatia e outros ainda não sabem seu significado.
Empatia é a capacidade que uma pessoa tem de se colocar no lugar do outro. É um momento em que você sai um pouquinho do seu mundinho egoísta, esquece momentaneamente suas crenças e pontos de vista para absorver o que o outro pensa e sente, e a partir daí, compreender a situação por seus olhos. Vejam bem, aqui entra um dado importante: compreender algo sob outro ponto de vista não quer dizer que eu  faria a mesma coisa.  Significa simplesmente que eu consigo compreender que as pessoas não são iguais, que cada um tem seus desejos, pensamentos, sonhos, e merecem respeito por isso. Talvez eu discorde, talvez eu ache errado ou injusto, talvez eu nem goste muito da pessoa, mas isso não me impede de entender.

Imagem by Freepik

Penso que não há justiça sem empatia. Não consigo ver como se pode ser justo se só consigo enxergar as coisas pelo meu prisma, se só consigo julgar algo baseado nos meus interesses ou nas minhas crenças e prioridades. Talvez essa seja a raiz da grande injustiça que presenciamos todos os dias. Tudo tem dois lados, que precisam ser expostos e entendidos antes de uma conclusão.
Por isso também os limites do respeito são invadidos a cada momento. Geralmente um lado se preocupa em  agir de forma empática, diplomática, em tomar atitudes mediadoras que agradem a todos na medida do possível, mas os outros lados não. Com isso a balança pesa demais para aquele que se doa em enxergar pelos olhos do outro, que vai ficando sufocado diante da cegueira alheia.
Por outro lado, pode ser uma grande armadilha querer usar a empatia em demasia. Ela é prejudicial quando, na ânsia de entender o outro lado, acabamos tentando descobrir o que seria melhor para a outra parte e tomamos uma decisão errada, na boa vontade de ajudar ou proteger, ou antecipar algo (até mesmo sofrer por algo) que nem chega a acontecer. Ter empatia é uma coisa, fazer algo pelo outro sem apresentar escolhas pode levar ao risco de magoar ou subestimar sem intenção. Na dúvida, se decisões precisam ser tomadas, é interessante se colocar no lugar do outro e após as conclusões, perguntar para ver se os seus pontos de vista e escolhas realmente se confirmam. Desse jeito corre-se menos riscos de errar.
No livro "Não leve a vida tão à sério", há um exercício que procuro praticar inclusive com estranhos: imagine  estar no lugar daquela pessoa e o que está pensando através de sua expressão, postura, olhar...pode-se fazer em um ônibus, num consultório, no trabalho. É uma boa maneira de desenvolver outa característica essencial para empatia, a sensibilidade. E de perceber que o mundo vai muito além do "meu" mundo.

"Ser empático é ver o mundo com os olhos do outro e não ver o nosso mundo refletido nos olhos dele."
Carl Rogers

"A maior expressão de empatia é sermos
compreensivos com alguém de quem não gostamos."
Mark W. Baker

"Paz, amor e empatia!"
Kurt cobain

***

Desafio nº 18: História em 77 palavras


As três irmãs

Promessas existiriam sem existência da confiança? Ambas nasceram afilhadas de pai e mãe. Promessa, menina brejeira e encantadora, chega aos olhos do ouvinte como lentes coloridas para enxergar no futuro a chegada suave dos anseios realizados. Já a confiança, irmã mais velha, dá força necessária para afastar a incredulidade, irmã invejosa, ovelha negra da família...Torço para a vitória da promessa e da confiança, sob pena de ver a incredulidade, com risinho ladino, feliz pela tristeza alheia.

Essa é a minha participação para o blog História em 77 palavas, da adorável Margarida, cuja objetivo era escrever um história sem usar os termos não, que, mas, pois, como e os verbos ser e estar. O desafio foi iniciado no meu blog Putz e terá continuidade por aqui.

****

Adoro de paixão minha homenageada de hoje É a fadinha

Sissym

Esse doce de pessoa tem tudo a ver com o tema de hoje. Sinto uma empatia com ela de alma, uma vontade de buscar os sonhos aliada à imensa clareza com que vemos a vida e com a vontade de viver um grande amor que está latente. Seus diversos espaços traduzem bem os lados dessa mulher guerreira: Blog Zoom, com poesia de ótima qualidade; Masquerade, onde desvela as máscaras da sociedade; A verdade é cruel, onde despeja suas tristezas em relação às crueldades por qual todos passamos, e Sem reservas. Beijo, Sissym!

****
Convite:

Quem gosta de fotos, está convidado a visitar meu Mirante de imagens.

79 comentários:

  1. Já sigo a Sissym em dois de seus blogs ela é uma fofa mesmo.
    Adorei o texto estou aprendendo isso no Divã virtual, essa semana mesmo tive que excluir dois comentários de pessoas que ofenderam a participante muito não tem esse tato de se colocar no lugar da pessoa e julgam, ´tão facil fazer isso não é mesmo, como disse estar dentro do seu mundo egoísta e só ver o que quer.
    A participação da historia de 77 palavras tbm ficou ótima Bia vc escreve muito bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia, seu divã é um espeço excelente para o exercício da empatia, mas geralmente é mais fácil julgar do praticar essa virtude. Um abraço!

      Excluir
  2. Que lindo tema:empatia. Colocaste muito bem o que essa palavra significa. Saber colocar-se no lugar do outro, sentir...

    Lindo! Adorei tua história e participação e ver a Fadinha aqui, lindo! beijos às duas! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, também adoro essa palavra e seu significado. Um abraço!

      Excluir
  3. Achei interessantíssimo você falar sobre empatia. Por que sim, muita gente entende bem o significado, mas na prática acaba não agindo conforme o que deve ser, e mais que isso, muitas vezes é isso mesmo: colocar-se no lugar do outro faz pensar que se tem o direito de decidir pelo outro , mas ai a identificação passa a ser desrespeito, não ?

    Suas palavras sempre me fazem refletir bastante, e passar por aqui é sempre muito bom Bia.

    Um beijo,
    Desde já excelente semana.
    Jhosy
    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jhosy, definiu perfeitamente. A partir do momento em que mais do que entender pelo outro, se decide pelo outro, vira desrespeito. E para acontecer a empatia é uma questão de prática e disponibilidade. Um abraço!

      Excluir
  4. A isenção só conseguimos qdo nos colocamos no lugar do outro. A indiferença e o pré-julgamento nos tira a oportunidade de sermos justos. Bia, um excelente domingo. Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eder, para essa isenção ocorrer é preciso muitas vezes abafar o sentimento para que não torne nossa visão turva. Um abraço!

      Excluir
  5. Ei Bia...

    Tudo bem amiga?

    Que gostoso ler teu texto...bom seria se todos nós tivéssemos a sensibilidade em enter na prática a simpática empatia. Costumo dizer que temos dois olhos e poderíamos dar uma função diferente a cada um deles um para o que realmente acreditamos e o outro para o que não concordamos mas respeitamos sem querer impor o que pensamos. Empatia tem um lado chamado aceitação , respeito, compreensão e também nos da oportunidade de ajudarmos de forma sábia quem as vezes se perde em suas idéias sem distorcer a serenidade e simpatia da pessoa. Uma liberdade limitada em que não só vale a nossa opinião mas a dos outros também. Isto faz parte da nossa convivência, e do nosso ser racional e prático de SER HUMANO. Penso que se não fosse as diferenças o mundo seria tão silencioso não e verdade?

    Amei a indicação de hoje, Sissym é uma pessoa que tenho um carinho enorme , doce, linda, simpática , além de seus blogs serem maravilhosos. Gosto dela de graça e cheia de graça rsrsrs...assim como você que já tenho um carinho pra la de especial mesmo....

    Abraços Bia e obrigada sempre por abrilhantar com palavras edificante e realistas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cecília! Gostei muito do termo que usou, "liberdade limitada". Esse termo pode ser usado em dois sentidos, no sentido de que preciso aprender a ver o outro lado, mas não posso decidir pelo outro. A Sissym é uma das mais belas almas da blogosfera. Um abraço!

      Excluir
    2. Cecilia, vc representa a delicadeza e a maturidade demonstra profundidade e sapiência na visão da vida.

      bjs

      Excluir
  6. Colocando-nos no lugar do outro podemos entendê-lo, compreendê-lo e ajudá-lo.

    Adoro a Sissym tbm. Um fofa essa fadinha, delicada e gentil, está sempre a visitar-me, deixando seus encantos por lá.

    Um bjo pra vcs duas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty! Creio que a empatia é essencial para o bom relacionamento. Um abraço!

      Excluir
  7. Boa tarde amiga , quando estava pesquisando um pensamento para deixar no comentário de hoje ,lembrei de uma frase de um autor desconhecido que diz mais ou menos assim:” Começamos pensando em mudar o mundo, esquecemos, e depois vemos quanto o mundo nos mudou”. Verdade este pensamento, como mudamos com o passar dos tempos, a vida é um eterna aprendizagem e o bom é que temos oportunidade de mudar a cada dia. A pouco tempo navegava na net, entrava nos sites, pesquisava e saia sem comentar, hoje sinto prazer em fazer visitas, comentar e sempre que encontro um blog de boa qualidade, já não sei sair sem deixar um comentário e participar e faço isto com prazer, tanto quanto fico feliz em ler os comentário que vocês seguidores e anônimos deixam no meu cantinho.
    Estou mais uma vez aqui pra desejar milhões de coisas boas pra você em especial, que os seus sonhos sejam realizados e que você seja muito feliz.
    A final, como diz Cornelius Agrippa: A verdadeira felicidade consiste não no conhecimento de boas coisas e sim numa vida fel. Não em compreender,mas, em viver compreensivamente. Também
    não é uma grande erudição, mas a boa vontade
    que une os homens a Deus." Bjusss, fica com Deus!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdes, sou apaixonada por pensamentos, os que traz aqui sempre enriquecem meu conhecimento. Saber compreender é um belo ato. Um abraço!

      Excluir
  8. Empatia é um assunto complicado. Complicado porque para cada pessoa parece haver uma interpretação. A sua é muito parecida com a minha, mas há pessoas que não sabem o verdadeiro significado, mesmo pensando que devem achar. Eu poderia me alongar a respeito Bia, mas poderia me comprometer. Até!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chris, sua resposta ilustra uma conclusão na qual cheguei recentemente (talvez você pense, "eu já sabia", hahaha): na dúvida, é melhor ficar calado. Gosto de saber que entende a empatia como eu. Um abraço!

      Excluir
  9. oi querida...

    adorei o texto sobre "empatia"...perfeito....brilhante sua idéia...

    adoro tudo que vc escreve...a forma de se expressar é fantástica...

    bom final de domingo e ótima semana!

    meu carinho...

    Zil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Zil, quem dera o mundo fosse mais empático, não é? Um abraço!

      Excluir
  10. Eu compartilho do mesmo pensamento, ninguém é igual a ninguém, e cada um reage de forma diferente diante de determinadas situações, não podemos querer ou exigir que todos pensem como nós, ou ajam como nós. Confesso que não tenho toda essa empatia, mas no minimo procuro respeitar as opiniões e sentimentos do próximo, se não entendo, ou não aceito, procuro pelo menos respeitar, pq sinceramente tem gente que dá nos nervos rsrs, aturar é difícil, mas respeitar é preciso.

    Merecida a homenagem, a Sissym é realmente uma pessoa encantadora.

    Abraços, estou seguindo aqui. Adorei o nome do blog

    http://rebobinandomemoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, respeitar, na minha opinião, já é uma das características da empatia. Seja sempre bem vindo! Um abraço!

      Excluir
  11. Olá!Boa noite!
    Bia!
    ... Geralmente, quando criamos uma imagem, sem procurar conhecer a pessoa previamente, corremos o risco de cometer equívocos e julgamentos indevidos,este já é o primeiro erro para quem quer praticar a empatia.
    Ao praticar a empatia, estamos nos abrindo a ouvir e a conhecer de verdade as pessoas ao nosso redor. Assim, temos a oportunidade de descobrir que, mesmo que tenham comportamentos e pensamentos muito diferentes dos nossos, é possível encontrar uma harmonia na interação...
    Que mais? Não, que, mas, pois, como e os verbos ser e estar...interessante essa história em 77 palavras!E eu que "tô louco" para fazer uma poesia sem repetir letras...
    Fui lá no Mirante e vou lá na Sissym...
    Obrigado!
    Boa semana!Bençãos infinitas!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis! Seu comentário me acrescentou um termo ao uso da empatia: conhecer a verdade. É isso! Cegos pelo nosso mundinho, muitas vezes não queremos conhecer a verdade, mesmo que ela seja diferente do que nos agrada.
      Tenta fazer a história em 77 palavras, eu adoro! É um belo exercício para a imaginação. Um abraço!

      Excluir
  12. É preciso sempre se colocar no lugar do outro, embora isso às vezes seja difícil. Adorei essa sua reflexão, Bia.

    A Sissym é ótima e também vejo nela tudo isso que mencionaste. É um prazer ler os textos e poemas dela. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, é sempre bom tê-lo pro aqui. Um abraço!

      Excluir
  13. Bia querida! Como está você? Gosto muito de ler teus textos.... Depois fico refletindo a respeito....É muito bom vir aqui.... Fui conhecer o Mirante e já estou seguindo....Hoje tem post novo!
    Um início de semana iluminado!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elaine, que bom ter gostado do Mirante, é um exercício de uma paixão. Um abraço!

      Excluir
  14. Querida, adorei o post, realmente as desavenças que tanto acontecem é por falta de empatia, de querermos que as pessoas pensem igual a nós, e tenham atitudes de acordo com os nossos padrões e conceitos do que é certo ou errado, quando na verdade cd um tem sua história de vida e suas prioridades e experiências. Empatia nada mais é do respeito ao próximo. Tenha uma ótima segunda feira.

    Patrícia Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosa, disse muito bem, temos a tendência a achar que só o que pensamos está certo ou é o melhor, e muitas vezes estamos errados. Um abraço!

      Excluir
  15. Também adorei o post. Essa questão de empatia e simpatia é muito complicada, mas o que eu sei é que existe muita gente antipática...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim como existe muita gente complicada, hahaha. Um abraço, Gilberto!

      Excluir
    2. Gilberto, eu sou fofa, fofíssima, do genero muito simpatica, nada que imaginar uma balança, alias...fadas nao podem mentir... estou de regime! lol

      BEIJOS

      Excluir
  16. Muito bem explicado a diferença eu mesmo tinha duvidas, que bom se mais pessoas fossem mais empáticas e não antipáticas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Waldir, esse termo realmente é pouco discutido, por isso causa dúvidas. Um abraço!

      Excluir
  17. Através do post no blog de Yasmine, descobri teu espaço. Gostei muito de conhecer tuas letras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, que bom ter gostado, seja sempre bem vinda! Um abraço!

      Excluir
  18. Oi Bia!
    Eu penso que a empatia não seja você se colocar no lugar de uma outra pessoa, mas sim se colocar a frente de pessoas, de blogs, sites etc...e de cara limpa. É uma relação que diz mais respeito a minha postura que a de outros.

    Manter bons laços sociais, saber ouvir, aceitar opiniões, interagir, é abrir as portas para a empatia aconteça.

    Sou fã de carteirinha em um blog da Sissym, ela escreve com maestria.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor. Sua visão é diferente da minha, mas é um ponto de vista interessante e válido, principalmente no que diz respeito ao abrir portas. Um abraço!

      Excluir
  19. Quando ouvimos algo que contraria nossas verdades temos o ímpeto de descartar, de pronto, esse posicionamento que diverge do nosso. E podemos cometer grandes equívocos, por não abrir o leque de possibilidades e entrar no mundo do diferente. É esse mundo que nos leva a repensar conceitos e abraçar mudanças. Acredito que, com a vivência, ficamos menos radicais e aprendemos a respeitar, pois todos temos experiências bem pessoais a fundamentar nossas condutas. E todas as verdades têm vários lados.
    Sua participação ficou excelente. Precisamos da confiança para viver. Não se pode olhar tudo com medo, mesmo já tendo sofrido com algumas quedas.
    A Sissym merece o destaque que lhe deu. Seus cantos mostram uma pessoa sensível e atenta ao que o mundo lhe mostra. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene. Já aconteceu algumas vezes comigo, de num momento de conversa ou discussão eu defender meus pontos de vista, mas depois ficar pensando no assunto...muitas vezes percebo que o outro também tem razão. Então posso mudar meu ponto de vista, ou respeitar o do outro. É mais fácil conviver com essa flexibilidade, a não ser que abusem dela.
      Adorei o que disse sobre a confiança...por mais difícil que pareça, o medo nem sempre é o melhor conselheiro. Um abraço!

      Excluir

  20. Olá Bia,

    A abordagem é bem interessante e suas colocações estão muito bem postas. Não é fácil se colocar no lugar de outrem. Cada um tem uma filosofia de vida, ideologias próprias, percepção e maneira de olhar diferentes. Concordo que seremos mais justos se tentarmos olhar as coisas pelo mesmo ângulo, embora dele discordemos. Mas, o mais importante, é aprender a respeitar a individualidade de cada um.

    Sua participação foi ótima. É preciso imaginação e criatividade
    para escrever um história com exatas 77 palavras e ainda com restrição de termos.

    Conheço a homenageada de hoje, que esbanja simpatia.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justamente essa nossa vivência pode ter dois lados: nos tornar fechados para olhar o outro, ou nos fazer entender que todos tem seus próprios desejos e pensamentos. Que o respeito prevaleça! Um abraço!

      Excluir
  21. Oii Bia, legal seu texto, sabe que nunca tinha observado o verdadeiros significado de empatia, achei muito bacana, uma ótima forma de entender melhor as pessoas nos colocarmos no lugar delas! Amei o Blog de fotos e já fiquei com vc! Bjoossssss e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen, que bom ter gostado das fotos e ter entendido um pouco mais dessa maravilha que é a empatia! UM abraço!

      Excluir
  22. Oi Bia!
    Vim lá do blog da Yasmine te conhecer!
    Na psicologia aprendemos logo cado o que é empatia, não seremos bons profissionais sem praticá-la. É um exercício diário que devemos trazer para a vida e sairmos de nosso mundinho.
    Acho bem interessante estes desafios, vejo sempre lá na Chica. Você foi maravilhosa no seu. Parabéns!
    beijinhos e uma alegre semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Valéria! Seja sempre bem vinda! Eu não havia pensado na empatia pelo ângulo da psicologia, mas faz sentido. Só assim o profissional é capaz de entender e ajudar seu paciente. Um abraço!

      Excluir
  23. Oi Bia querida, com atraso venho responder os comentários dos amigos. Nasci com empatia, pra mim é normal, às vezes nem queria entender tanto os outros profundamente, pois alguns não merecem, mas de qq forma é uma virtude a ser conquistada. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Jeanne!

      Você disse tudo, me sinto assim também, não há como fugir da empatia, enxergo mais que devia eu acho, e ás vezes dá esta sensação mesmo, queria ser mais dura com alguns que não merecem compreensão, mas ela sempre estará lá, sempre percebo os motivos das pessoas, sempre acabo percebendo-as mais do elas próprias se percebem às vezes, não há como fugir da nossa personalidade, te entendo!

      Excluir
    2. Van e Jeanne, aqui está um "trio parada dura" (junto comigo)...a empatia é maravilhosa, mas por entender o outro e conseguir enxergar além até mesmo do que ele próprio, acabamos por oferecer compreensão a todos, sem distinção. Mas o importante é saber que estamos fazendo algo bom. Um abraço!

      Excluir
    3. Compartilho com voces o mesmo pensamento, pq me sinto assim tambem.

      Beijos e otimo domingo.

      Excluir
  24. Eu adoro essa palavra, empatia. Eu amo o seu significado e torço pra que a sua prática seja mais usual, assim o caminhar seria menos traumático e mais florido.

    Pequenos gestos, se feito por um tantão de gente, o resultado seria incrível.

    Beijo, Bia.
    Reflexões perfeitas como é comum por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milene, a ideia é essa. Semear pequenos gestos para que sejam feitos por um tantão, adorei o termo!
      Um abraço!

      Excluir
  25. Oi Bia

    Empatia é um dos sentimentos que alivia nossa vida, é muito confortável quando compreendemos alguém, mesmo que as atitudes deste alguém seja contra nossas atitudes, a compreensão é sempre um aliviar de pesos, pois é muito difícil quando alguém nos fere e não compreendemos tal ato, nosso sofrimento é duplo quando não há compreensão.

    Por outro lado quando a empatia é pelas ideias e personalidade alheia, quando nos identificamos com alguém, surge a sensação de que "a nossa família é mesmo a humanidade" encontramos sempre irmãos gêmeos em ideias e sentimentos aqui e ali e isto é conforto! Infelizes os que não conseguem desenvolver a empatia por nada nem por ninguém, vivem imenso desconforto!

    A frase entre aspas foi escrita ontem nos comentários do meu blog pela Bárbara Nascimento. Achei linda!

    Abraços

    ResponderExcluir
  26. Sobre a Sissym:

    Esta fadinha sonhadora e cheia de amor é uma unanimidade, amada na blogosfera e fora dela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Van! Creio que boa parte da minha visão sobre empatia aprendi com você. Como vemos parecido, e comentou de um jeito que estava aqui, mas eu não verbalizei: a compreensão alivia porque o sofrimento sem compreensão parece somar quilos a mais. Também penso assim.
      Também adorei sua visão acerca do desconforto que as pessoas não praticantes da empatia devem sentir, pois não conseguem enxergar no outro o gesto de compreensão e acabam sempre achando que a humanidade está contra si, ou a seu serviço.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Ahhhhhhmmmm ainda bem que falou de mim!
      Sou sonhadora mesmo.... ahhhh vivo flutuando!
      Sonho acordada, mas acredito profundamente no futuro.

      Beijocas

      Excluir
  27. Olá Bia,

    Gostei muito da forma como se expressou no texto, a empatia é tudo que todos nós deveríamos ter....

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa, é só uma questão de treinar o olhar sobre o outro. Um abraço!

      Excluir
  28. Sou suspeita prá falar da Sissym, porque ela é encantadora!
    Teu texto de hoje me trouxe uma série de reflexões sobre o que eu faço para os outros. Se sou uma pessoa que se colocar no lugar, que pensa demais, que deixa de lado. É engraçado, nunca havia parado prá pensar sobre meus posicionamentos e até onde vai minha sensibilidade.
    Fantástico o texto Bia, parabéns! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Márcia! Gosto quando as pessoas refletem sobre meus escritos, a intenção é acrescentar algo de bom à quem chega por aqui. É preciso ficar mesmo atento para que o excesso de empatia não acabe por deixar de lado nossos anseios. Um abraço!

      Excluir
  29. A empatia é difícil de ser praticada sim, ainda mais no mundo totalmente egocêntrico que nos encontramos. Concordo quando diz que indiretamente podemos prejudicar alguém, se praticarmos a empatia com enorme frequência. Já passei por isso. Contudo, acho que é uma oportunidade para se moldar e se adaptar às situações que nos desfavorecem. É preciso mais empatia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A medida certa da empatia descobriremos com o tempo e com seu exercício, só é possível aprender através de erros e acertos. Um abraço!

      Excluir
  30. Empatia é o que sinto ao ler o seu texto.
    Abraço forte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luar, sinto uma empatia enorme contigo. Um abraço!

      Excluir
  31. Bia, empatia, não sabemos o quanto é difícil de praticar, mas nos abre um olhar mais sensível ao mundo, antes de criticar pensamos no que o outro pode estar passando,não podemos ser egoístas diante do mundo ele gira para todos e com todos, praticar não vai fazer você perder o seu tempo e sim conhecer aqueles que estão a sua volta profundamente.

    A indicação é ótima Sissym é encantadora.
    Parabéns pelo post, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cla! A empatia faz refrear nossos impulsos de julgar os fatos no primeiro momento, no calor da emoção. Ela nos faz parar, respirar e pensar, e essa prudência pode ser muito útil. Um abraço!

      Excluir
  32. oi Bia querida, penso que esse assunto é bem dificil de comentar, ou não, se disser apenas o que sou.
    tenho a empatia caracterizada, tatuada, sou ela!
    sempre coloco-me no lugar da outra pessoa, nunca discuto sem antes analisar muito e colocar-me na posição contrária.
    creio honestamente que ninguém é igual, ninguém mesmo, e temos obrigação de respeitar e amar as pessoas como são.
    adoro vir aqui, tudo muito bom! beijos querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivani, seus comentários sobre sua procedência mostram a mulher encantadora e madura que é. Também adoro seus escritos, um abraço!

      Excluir
  33. Adorei ler o seu discorrer sobre empatia ... nada fácil. Exige uma luta permanente, uma atenção constante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, atenção constante e sensibilidade vigilante. Um abraço!

      Excluir
  34. Olá Bia querida como vai?

    Adorei a homenagem que fez para nossa bela e querida Fadinha Sissym!! Taí uma pessoa que sabe se colocar nos lugar dos outros e nos deixa à vontade de imediato! Iluminada esta fadinha!
    Gostei muito da sua postagem, procuro sempre praticar a empatia e o exercício que sugeriu é muito legal, vou fazer :)
    As suas colocações do lado negativo da empatia também são muito importantes, algumas vezes na ânsia de fazer isso, realmente acabei me desgastando demais. Precisamos ter sempre um equilíbrio.
    Eu acredito firmemente que se nos colocássemos sempre no lugar do outro o mundo seria infinitamente melhor e as relações muito mais ricas e construtivas. Uma pena que a maioria de nós ainda seja arrogante e egoísta e só esteja interessado em ser dono da verdade e olhar para seu próprio umbigo...

    Arrasou ;)
    Grande beijoooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sam! Faça mesmo o exercício, é muito bom, relaxa e nos faz perceber o outro, imaginar quantos mundos diferentes nos cercam.
      Como sempre, o equilíbrio no exercício das nossas virtudes é uma conquista do tempo, às vezes pensamos que estamos fazendo tudo certo e lá um dia nos damos conta de que nossa boa vontade não era a mais adequada.
      Acho que nascemos egoístas, quanto bebês toda a atenção tem que estar voltada para nós por uma questão de sobrevivência. É preciso cortar esses laços com nosso entendimento para fazer outros laços subsequentes, generosos e produtivos.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Sammmmmmyyyyy, I love you so much!

      Bjs

      Excluir
  35. Obaaaaa! Sou musa inspiradora!!!!!

    Bia, primeiro sobre seu texto:

    - Do que aprendi na vida, não abriria mão de uma oportunidade por causa de um grande amor. Eu pensei ter encontrado um grande amor, por 3 anos disse "nao" à uma oportunidade de trabalho no exterior. Eu sou louca por gente, cultura, aprender, etc... e... voces sabem a minha historia de vida. É a única coisa que não digeri por completo, mas o negocio é aprender e seguir em frente. Orai e vigiai.

    - Otimo explicar EMPATIA! "Embora não tenhamos conhecimento direto da mente dos outros, muitas vezes podemos fazer suposições bastante precisas acerca da maneira como as outras pessoas sentem ou no que pensam." Concordo com o que disse, compreender não significa acatar (seguir). Por incrível que pareça, tem poucos minutos atras que eu comentei num blog o avesso do pensamento da escritora. Não concordava com o que dizia (sobre conselho) e apresentei o meu ponto de vista.
    Porque aprendemos constantemente quando aceitamos ouvir. Ouvir o que o outro tem a "aconselhar" não é seguir e sim comparar. Para ajudar a tomar decisões mais complexas.

    Aí está a justiça, não absorver para si o que o outro pensa ou vive, mas procurar entender para reconhecer imparcialmente o direito de cada um.

    Por exemplo, eu tenho alguem muito proxima que não consegue se colocar no lugar do outro e ajudar nas horas cruciais, mas impõe e machuca e se retira quando não devia. Com arrogancia sem embasamento humano.

    Foi a empatia partida de mim que me fez ganhar uma das mais incriveis amigas. Se aplica a este caso a frase citada de Mark W. Baker.

    - Mais tarde vou visitar o blog onde participou.

    E.... e....


    Eu tambem sinto uma empatia de alma por voce. Não tem explicação, simplesmente é. É o destino criado por Deus.

    As vezes eu penso, desde que entrei na blogosfera, que tenho entrado na vida de muita gente no pior momento. Não sei como tenho a habilidade de levantar os animos. E quando as feridas cicatrizam, como um bebe, começa a andar sozinho e vai. Talvez seja a minha missão.

    Gente, sou guerreira mesmo. Hoje falei ao telefone com um amigo tão bacana, era apenas para tirar duvidas sobre um telhado. Com ele, passo horas conversando de todos os assuntos, até politica! Ele se admirava, por tudo que contei sobre "novidades", como posso ser tão positiva, otimista, e ainda estampar um sorriso no rosto. Esta força estranha dentro de mim é o que me levanta algumas vezes quando tropeço ou choro e ainda é capaz de levantar gente que nunca vi, mas pediu socorro pelas linhas e fui lá dar parte de mim.

    Por fim, vou visitar o seu novo blog, já estive antes, mas ainda não deixei minhas impressões.

    BEIJOS e muito obrigada a todos.









    ResponderExcluir
  36. A todos os amigos que aqui deixaram referência feita a minha pessoa, aos que ainda virão, e aos que se tornarão:

    Muito obrigada. Eu conheço cada um de olhos fechados.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sissym eu não conheço toda a sua história, apenas partes, mas penso que fez a escolha que achava ser a melhor para si, e penso também que estamos onde temos que estar naquele momento,
      Espero que outras grandes oportunidades lhe acenem!
      Amei suas conclusões acerca do conselho! As pessoas me procuram bastante para pedir conselhos, e sempre fico em dúvida se devia ter falado meu ponto de vista ou não. Mas o que disse tem fundamento, eu falar meu ponto de vista não obriga a pessoa a seguir o que eu disse, mas pode ajudá-la a enxergar melhor algo que não está claro. Obrigada por falar a respeito disso.
      Uma das coisas que menos prezo na vida é a arrogância. Também convivo proximamente com alguém assim, que acaba sufocando os direitos dos outros em benefício próprio. Que dó!
      Também me sinto "missionária" como você...e tem coisa melhor fazer o "resgate de almas"?
      Nossa empatia deve começar pelo adjetivo guerreiras. Posso ir ao fundo do poço, mas não me permito derrotar pelas amarguras mundanas. Um abraço!

      Excluir
    2. Querida Bia, muito obrigada.

      Eu li todos os comentarios dos amigos, compartilhar pensamentos e opinioes são relevantes para nos atualizarmos. Somos seres em eterna evolução.

      Beijos

      Excluir
  37. Oi Bia,
    Adorei o post,concordo com você!
    Enquanto olhamos apenas com os nossos olhos enxergamos uma realidade diferente daquela de quando nos colocamos no lugar dos outros.
    Não é fácil olhar dessa forma,mas muda muito a forma como agimos e como vemos a pessoa.A compreensão ao outro começa com o nosso olhar.
    Adorei a homenagem a Sissym é maravilhosaaa mesmo e é ótimo ser homenageada em um espaço como o seu!*__*
    abração,=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen! A compreeensão e a empatia não são mesmo conquistadas facilmente, mas nos fazem sentir tão bem...é sempre bom ter sua visita por aqui. Um abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.