quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Gostaria de fazer mas não tenho coragem...

Achei muito curioso o tema proposto pela Patrícia. Ainda ontem, em uma pizzaria comemorando o aniversário de uma grande amiga (só mulheres), o grupo se espantou quando uma delas disse que mandou um vídeo para o Big Brother, e que o noivo a abandonaria se ela fosse escolhida. Ela afirmou que iria assim mesmo, porque era um sonho e se ele gostasse mesmo dela, a apoiaria. Eu concordei e as pessoas ficaram ainda mais espantadas. Esclarecendo: eu não deixaria um grande amor pelo Big Brother, só entendi e apoiei o ponto de vista dela, já que se tratava do seu maior sonho.

Imagem by Freepik


Percebi a grande dificuldade que as pessoas em geral tem de sair de sua segurança e conforto para ir atrás de um sonho. Hoje, nesse exato momento, eu tenho absoluta certeza que deixaria tudo para trás em busca da realização do que eu mais desejo. C-E-R-T-E-Z-A. Se daria certo ou não, é outra questão. Eu faria o possível, pois vivo de entregas.
Vejo que eu e a mulher do exemplo acima somos poucas. Eu não me perdoo se vejo uma oportunidade que esperei me acenando e a deixo passar, quando sei que depois fica a sensação horrível do "poderia ter feito e não fiz". É claro que como em tudo na vida, isso tem seu preço e suas consequências, mas prefiro arcar com elas e ter lembranças e histórias para contar do que viver uma vida morna, tranquila, porém sem graça. Escolhas...Sempre escolho enfrentar meus medos por mais que eles tentem me dominar.
Mas para não fugir ao tema, vou citar alguns exemplos que superam minha ousadia, hahaha.

Saltar de paraquedas
Imagem by Emerson Moraes - Flickr

Deve ser mágica a sensação de flutuar no ar, mas o medo de que o equipamento falhe, por enquanto, ainda é maior.

Pular de bump jump
Imagem by Freepik

Pelo mesmo motivo acima, mas deve ser adrenalina pura. Na verdade qualquer coisa muito radical (até andar de montanha-russa) me dá uma dor de cabeça fortíssima, então não o faço até por uma questão de saúde.

Missão de paz
Imagem by Freepik

Várias vezes já quis me engajar em alguma missão de paz ou fazer parte de algum órgão como a Cruz Vermelha, inclusive já pesquisei sobre o assunto. Não é hipocrisia quando digo que gosto de amar, de dar amor, e como isso parece tão banal no meio em que vivo, talvez se eu pudesse oferecê-lo a quem realmente precisa, ele fosse bem acolhido. Mas fico pensando em deixar minha família (mãe, pai, filha) que ainda precisam de mim, e fico pensando se isso não seria uma fuga para as dores que carrego comigo, então o objetivo se perderia um pouquinho. Vou doando amor por aqui mesmo até conseguir enxergar isso com mais clareza.

Falar
Imagem by Freepik

Esse eu tive que adicionar, colei da Patrícia, hahaha...Queria ter coragem de falar o que sinto, não o que é bom, mas o que me incomoda e me deixa triste, sem ter medo de magoar as pessoas que amo. Gostaria que me compreendessem  quando reclamo de algo sem causar rancor ou rejeição. 

"Devemos construir diques de coragem para conter a correnteza do medo. "
( Martin Luther King ) 


Essa foi minha participação para a Blogagem Coletiva do blog Café entre amigos, da amiga Patrícia.


O blog em destaque de hoje é do querido Felisberto, do blog 


O ponto forte do blog do Felis são os poemas, sempre escritos com sentimentos profundos, geralmente acerca do amor. Além disso, pode-se encontrar contos e uma história em sequência. Vejo o Felis como um homem generoso, gentil e bem humorado. 

84 comentários:

  1. Olá Bia,

    Assim como você, também sempre enfrentei meus medos, a coragem se fez e se faz presente na minha vida.

    Quanto ao que citou, também não teria coragem, esportes radicais e altura, não é comigo, mas uma coisa te digo, as vezes falei certas verdades e sempre fui considerada grossa, hoje procuro me poupar, nem todos estão prontos para ouvir o que você pensa sobre o outro né...

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa. É por medo de parecer grossa que acabo deixando de falar muito do que penso. Mas gostaria de expôr um pouco mais o que me magoa. Também procuro fazer com que a coragem prevaleça. Um abraço!

      Excluir
  2. que ótimo isso! adorei o tema da blogagem!
    esse medo de radicalizar é quase universal amiga.
    esportes radicais são lindos vistos pela tv.
    mas precisa muita coragem, medo zero!
    quanto ao engajar-se em alguma missão, eu acho maravilhosos.
    se fosse médica iria para o "medicos sem fronteira" que acho uma missão lindíssima!
    realmente tem o lance da familia, do apêgo aos filhos, mas tudo tem seu tempo. Um dia voce irá, se quer mesmo.
    quanto à falar, desse mal eu não morro. Eu falo tudo, reuno a turma, ou falo individualmente com um, mas falo!
    tente, quando voce começar não vai parar mais pórque perceberá que as pessoas adoram participar, mesmo que seja para levar uma bronquinha (vale elogiar sempre).
    amei sua postagem querida, tenha um lindo dia, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivani, alguns esportes radicais até me aventuraria, como uma trilha ou canoagem...na verdade eu preciso me sentir segura, e então vou em frente. Adorei suas dicas sobre o falar. Meu pai era uma pessoa super-retraída, e agora,aos 71 anos, fala tudo o que pensa... e se sente muito bem com isso! hahaha Um abraço!

      Excluir
  3. Minha amiga arrasou na postagem é exatamente o que disse :

    "Percebi a grande dificuldade que as pessoas em geral tem de sair de sua segurança e conforto para ir atrás de um sonho"

    Eu agi assim muitas vezes tive coragem de ir atrás do sonho e não deu certo, com as perdas e conforme fui amadurecendo hoje sou bem mais pé no chão, recomeçar não é facil, mas tbm não podemos deixar de viver não é mesmo, hoje sou sincera em admitir que sou bem mais covarde kkkk, esportes radicais não faria de jeito nenhum, essas semana aqui mesmo do dia da independencia um paraquedista fez um movimento erado e se estatelou no chão a cena foi chocante nossa fiquei horrorizada, tudo que se diz a altura, velocidade e água to fora......e na questão pessoal queria ser mais ousada penso demais esse é meu mal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia! Resumiu bem o que eu quis dizer. Também já errei algumas vezes em ir atrás dos meus sonhos, já caí, me levantei e o recomeçar é mesmo complicado, mas muito melhor do que viver tranquila, porém infeliz. A idade com certeza apura nossas escolhas, mas elas precisam ser apreciadas.
      Ousadia depende de auto-incentivo, tente, vale a pena!
      Um abraço!

      Excluir
  4. Dá-lhe Bia! Menina esperta! É por este e outros motivos que venho sempre aqui...
    Viver intensamente o agora, o amanhã nem existe!
    Tive uma amiga que foi selecionada p/ a entrevista do BBB e desistiu, tinha um perfil interessante: Bonita, negra e psicóloga. Na época ela ficou com medo que a exposição prejudica-se o lado profissional. (também foi induzida a pensar assim por vários amigos que tinham medo de sair da zona de conforto).

    Bia, tenha uma ótimo dia!

    Bjãooooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bia! Muito bom seu depoimento. Infelizmente as pessoas desistem mesmo dos seus sonhos por pressões represálias da sociedade. É fato que estar no Big Brother causa uma exposição tremenda, e aí entra a balança de pesar qual sonho a fará mais feliz, e saber a quem ouvir.
      Danada essa tal "zona de conforto..."
      Um abraço!

      Excluir
  5. Ah Bia tem medo de altura???

    Não posso dizer nada pois eu também tenho rsrsrs
    Mas até tentaria para não ter mais medo, me incomoda, mas eu gostaria de abrir a boca também mais para as pessoas acordarem para a vida, mas nos dias de hoje se você fala qualquer coisa pode levar um soco.

    Tenha um ótimo dia, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade não tenho medo de altura, tenho medo de cair dela, hahaha. Meu irmão tem um apartamento no 17º andar e fico lá olhando da janela numa boa!
      A intolerância de hoje nos impede de falar o que sentimos, as pessoas levam tudo para o lado pessoal.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Queres coisas bem radicais,rsrs Legal a participação! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica! O que não é radical não depende de coragem, não é mesmo? Um abraço!

      Excluir
  7. Oi Bia!
    Ás vezes estamos tão submersos em nossa rotina que não sabemos mais se gostamos realmente dela ou se estamos apenas acostumados.
    Realmente seria bom falar as coisas sem magoar as pessoas, mas infelizmente isso não depende só da gente, mas da outra pessoa tb né :/
    Bjos!
    http://www.amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Val! Muito pertinente seu comentário...há uma enorme distância entre gostar da rotina, o que é bom, já que ela é necessária, e estar acostumado. O negócio é que alguns preferem o costume à felicidade.
      Um abraço!

      Excluir
  8. Esse negocio de aventura não é comigo não, mais falar as vezes penso se deveria, as vezes acho melhor não pq as palavras são perigosas e muitas vezes mal interpretadas . bjo

    Meu post da BC : http://agape-amorverdadeiro.blogspot.com.br/2012/09/13-blogagem-coletiva-cafe-entre-amigos.html

    Patrícia Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia! É preciso saber o que e quando falar justamente por causa da interpretação, que varia de pessoa para pessoa. Um abraço!

      Excluir
  9. Bia que lindo seu post..
    Amei cada palavra... e notar o quanto guerreira você é..
    Seus dois primeiros medos são os meus também.. pelos mesmos motivos rsrs
    Adorei... rssr

    E muito lindo o que disse sobre doar amor e ajuda aos que precisam..

    Um beijo carinhoso e uma tarde inda viu?

    Ps: sobre a BC dos sabores lá da minha cozinha, é toda terça, mas fique a vontade em participar quando der pra você viu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, também adorei sua postagem. Medos sempre tem uma tendência a serem comuns. Na terça estarei postando minha receita, um abraço!

      Excluir
  10. Big Brother, A Fazenda, Reality Shows, creio que não sejam vitrines pra ninguém. É mais uma competição e exposição de futilidades.
    Se é um sonho ou ilusão, isso depende do ponto de vista de cada participante que ao final, terá que arcar com seus prós e contras.

    Admiro esportes radicais, mas, não sou adepto.
    Todo o medo, não passa de um alerta de cuidados.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor, eu concordo que tais programas são mesmo expositivos e gera sempre consequências aos participantes, mas cada um deve arcar com suas escolhas.
      O medo é saudável até o ponto em que nos protege, mas ruim quando impede de ir atrás dos nossos sonhos.
      Um abraço!

      Excluir
  11. Gostei demais, Bia.
    Eu sou daquelas q reclamo muito, sou franca e gosto de ser verdadeira, às vezes sou inconveniente por isso.
    Também gosto de dar amor* a minha profissão já me proporciona esse engajamento c crianças pobres "bem carentes; quanto ao BBB... Ah! quem dera ter uma chance de ganhar um dim dim, mas ñ largaria emprego nem namorado, assim..."dependeria das regras do Programa, nada de exibição do corpo e tal.
    Gostei da BC, já estive na Patrícia e sei q a ideia é dela; parabéns pela participação! Ficou legal.
    beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mery. Infelizmente acho que as regras do programa admitem quase tudo, então é melhor colher seu milhão por aqui mesmo, hahaha. A franqueza em excesso pode ter esse lado inconveniente, o que é popularmente chamado de "sincericídio".
      Um abraço!

      Excluir
  12. Olá!Boa tarde!
    Bia!
    ...penso que essa BC,será a q teremos mais pontos convergentes entre nós!
    Pular de paraquedas e bump jump nem pensar, para começar tenho pânico de altura! Acho que nem por milhões d adrenalina em euros faria!
    Também em relação á missão de paz, o que eu ser individual, poderia ajudar se o engajamento do próprio Brasil em PKO é extremamente baixo, à exceção da Missão para a Estabilização do Haiti . Não existe uma política, no bom sentido, para isso!
    ah falar...sim, esse é o problema, nem todos estão preparados para ouvir!
    Obrigado pela divulgação de meu blog, tá? De coração!
    e...uma certeza: bem humorado sou mesmo.Alguns amigos blogueiros em comum pode confirmar isso!Gentil e generoso? Não tem como não ser...
    Obrigado!
    Boa quarta feira!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis! Não acho que hajam convergências, já que no post eu disse não ter coragem de fazer tudo isso, e como você também não tem, deu empate!
      Quanto à missão, realmente o Brasil deixa a desejar no sentido de estimular programas como esse, o que é uma pena, com tantas pessoas precisando de ajuda por aí.
      Um abraço!

      Excluir
  13. Olá Bia,
    Gostei muito de seu texto, o medo nos impede para um monte de coisas legais, gostei da decisão de sua amiga, não por querer trocar um grande amor por um reality show, mas sim por sua convicção em seguir um sonho, o qual deve ser respeitado.
    Esportes radicais me apavoram, também em pensar sobre os equipamentos, acho que é por isso.
    Parabéns pela escolha do Blog do Felisberto, realmente é tudo isso mesmo o que escreveu sobre a pessoa e muito mais. Ele é um amor de pessoa.
    Adorei passar por aqui, beijinhos.
    http://eternamentevv.blogspot.com.br/2012/09/bc-gostaria-de-fazer-mas-nao-tenho.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Verinha. Esse foi o mesmo ponto de vista que eu tive. Não se trata de deixar um amor, e sim seguir um sonho.
      Vemos com frequência equipamentos que falham quando utilizados mesmo quando são de boa qualidade, portanto prefiro a segurança do solo, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  14. Bia, todo o dia escolhemos e consequentemente pagamos por essas escolhas. O fato de ele não aceitar não significa que não a ama.
    Tenho a impressão que não é o que falamos que ofenda as pessoas, mas as pessoas que não estão preparadas para ouvir. Eu meço bem as palavras qdo quero dizer algo que me incomoda, e nunca deixo de dizer. Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eder. Tem razão, ele provavelmente a ama, mas aí vemos um incompatibilidade de sonhos, o que deve ser resolvido entre o casal. Eu aprendi a medir as palavras e a falar o que sinto com mais calma, mas algumas pessoas teimam em não ouvir. Parece que só ouvem quando você perde a paciência!
      Um abraço!

      Excluir
  15. Querida como nossos desejos por falta de coragem
    a gente não consegue, ta ai uma coisa boa, da sua
    amiga acho que vale a pena tentar, e seu post de hj
    ficou muito bom,
    Abraços com carinho
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita, a coragem precisa ser estimulada para vencer o medo, constantemente. Um abraço!

      Excluir
  16. Bia,

    Não tenho medo de altura, mas não curto esportes radicais.

    Existe algo mais belo do que o ser humano que se doa numa missão de paz?! É um sonho... chegarei lá.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym, então você também quer ir numa missão de paz, vamos juntas? :) Um abraço!

      Excluir
  17. Você foi a uma pizaria e não disse nada *-*, se eu te pego :)

    Na minha opinião isso da sua amiga não é um sonho, mas sim uma ilusão, seu noivo procedeu bem em negar, mas ela agiu da mesma forma, na minha opinião, repito ;)

    Uma dica de um doido pra você, Bia, se tem vontade de saltar, salte, de voar, voe, de fazer o mais radical que existe, và em frente, a vida por si jà é um risco enorme por isso deixe o medo de lado, quando algo tiver que acontecer assim serà, mesmo dormindo ;)

    Esse ponto que você refere sobre o falar, sim, nos dias que correm é muito constrangedor falar tudo o que queremos, hoje é mais dificil saber ouvir do que falar, nessa eu estou com você .

    Queria mesmo é estar na pizaria, mas fica pra proxima ;)

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Live! Concordo plenamente com seu segundo parágrafo, acho mesmo que não sabemos quando nem como partir e deixar de aproveitar as oportunidades é um desperdício de vida...pensar assim me estimula a fazer algumas "loucuras", das quais não me arrependo.
      Na próxima pizzaria te convido, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  18. Linda participação!
    http://anabelaemblogagenscoletivas.blogspot.com.br/2012/09/gostaria-de-fazer-mais-nao-tenho-coragem.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, seja sempre bem vinda! Um abraço!

      Excluir
  19. Parabéns bem escrito e explicado, é bacana mesmo que tem essa coragem de fazer missões acho que o aprendizado é fantástico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabriela, penso ser um aprendizado que não se adquire de nenhuma outra forma. Um abraço!

      Excluir
  20. Parabens pelo oque escreveu, muito legal! Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi Bia, adorei o texto. Na verdade as pessoas sentem medo de ir em busca do sonho porque não gostam da mudança, é mais 'seguro' se manter na rotina de sempre. Também queria ter coragem para falar tudo o que sinto e tb para falar em público com a mesma tranquilidade que muitos têm. Beijos. (O blog do Felisberto é ótimo mesmo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, a rotina é boa e necessária, mas não deve se sobrepôr à grande estrela dessa vida: ser feliz! Um abraço!

      Excluir
  22. texto bom viu!já fui atrás de sonho,me machuquei,voltei,sonhei de novo,errei de novo ,voltei...e assim vou vivendo.
    meu beijo Bia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmine. Certamente vivemos de forma muito parecida...Um abraço!

      Excluir
  23. Excelente seu post saltar de paraquedas só se me amarrassem ou não tivesse jeito o avião estivesse caindo rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Waldir, se o avião estivesse caindo, até eu! hahaha Um abraço!

      Excluir
  24. Certíssima sua amiga!
    Eu abandonaria sim um grande amor por um grande sonho..
    Principalmente porque tenho vários sonhos e nenhum amor.
    hahahaha

    Vou atrás dos meus sonhos direto (mentira, sou muito preguiçosa).
    Mas irei um dia!

    beeeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tanara, seja bem vinda! Seu argumento sobre largar um amor para viver um sonho foi ótimo, hahaha. E não deixe de ir atrás de um sonho! Um abraço!

      Excluir
  25. Sua blogagem está excelente uma das melhores que vi.

    ResponderExcluir
  26. Bia, esses esportes radicais não me atraem. Para quem tem medo de viajar de avião (heheheh), são impraticáveis. O engajamento em projetos de auxílio humanitário é muito belo e não precisa de distância, porque perto de nós sempre há quem busca ajuda, desesperadamente. Quando adolescente, cheguei a pensar muito sobre o assunto. E admiro os que se doam, totalmente. Mas para quem tem família e filhos, seria como dar a fruta para terceiros, deixando a cria sem saboreá-la.
    Tenho certa aversão por programas onde as pessoas se expõem, sem objetivos nobres. Respeito a opção de cada um, mas vejo nelas (as de participação) uma procura, tão somente, de minutos de fama, pelos quais, creio eu, não valeria a pena abandonar um amor real. São escolhas pessoais e quem as faz, certamente, tem que avaliar as consequências. Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene. Excelente seu ponto de vista sobre o engajamento em projetos humanitários, é mesmo como penso, como posso ajudar pessoas que estão longe e deixar seu auxílio minha própria família? Estou terminando um treinamento para atuar no CVV e assim ajudar quem precisa sem sair de casa.
      concordo com seu comentário sobre os programas de fama efêmera, mas como disse, a escolha é de cada um.
      Um abraço!

      Excluir
  27. Ultrapassar os próprios limites, é um desafio complexo pra mim e vivo deixando passar o trem... Vai chegar um dia em que não vou mais alcançá-lo, né?

    Oh, só não invente de escalar montanhas. Isso de ficar lá preso e dá trabalho aos bombeiros e sei lá mais quem, não tem graça. hahaha... Brincadeirinha.

    Beijo, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene, "simbora" alcançar esse trem, menina!
      hahaha, Não quero ter que acionar os bombeiros para me resgatar...mas gostaria de escalar uma montanha! Um abraço!

      Excluir
  28. Olha aqui a "loira" (que sou eu, claro) a pensar que um dos meus desejos era mesmo dizer o que magoa, o que me vai na alma, sem ferir, sem ofender e na esperança de ser compreendida. Para não o fazer, calo, vou moendo e remoendo e acabo por me sacrificar a mim mesma.
    Voos só mesmo de avião e porque a vontade de conhecer outras culturas e outros povos me atrai muito. rsrsr
    O voluntariado, tocou-me profundamente porque foi algo que muito pesquisei numa fase da minha vida. Inclusivamente comecei a tentar contactos através de amigos para o fazer. No dia que entendi que o fazia para fugir de mim, e de situações que vivia, achei que não poderia ser egoísta a esse ponto. Para onde quer que fosse todos os problemas iriam comigo porque não sou mulher de me desligar. Decidi o mesmo, semear amor para colher amor, aqui entre a família e os amigos. Bom te conhecer, mais um pouco. Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luar, que bom que me compreendeu. Acabmos por engolir o que está doendo e a dor é como aquela de um dente inflamado apertado pela restauração, vai latejando, latejando...
      O plano de me engajar em alguma missão não está totalmente arquivado, mas como hoje seria baseado nas mesmas fundações que aqui expôs, melhor esperar que o tempo me mostre que caminho seguir. Para nos doar para o outro é preciso que estejamos inteiras e não corroídas por dores. Um abraço!

      Excluir
  29. Seu post esta tão lindo gostei do jeito que fez.

    ResponderExcluir
  30. É vdd sair do conforto e ir atrás do sonho é complicado, eu fiz isso sofri muito mas com a ajuda do meu marido conseguimos resolver mas é duro vc estar la em cima e começar do zero muitos não aguentam. Parabéns pelas escolhas tbm não tenho coragem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrizia! Imagino o quanto deve ter sido difícil recomeçar após ver seu sonho indo por água abaixo, mas você não carregará a frustração de não ter tentado. Ainda bem que teve o apoio do marido! Um abraço!

      Excluir
  31. Oi Bia. Você arrasou por aqui. Sair é busca da realização de um sonho é soberbo. Requer coragem? Claro! Mas precisamos ousar. Tenho problema com altura então... nada de asa delta rsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracita! A ousadia é irmã da coragem, mas nos traz a realização dos sonhos. Acho o máximo asa delta, essa eu talvez arriscasse. Um abraço!

      Excluir
  32. Olá minha cara amiga,
    Com satisfação lhe comunico que saiu a programação do 1º Prosas Poéticas; saiba em que dia será feita a sua apresentação.
    Um abraço e até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, J.R., o selo já está no meu blog! Um abraço!

      Excluir
  33. Oi Bia
    Muito legal sua participação na BC, também estou participando dessa vez, e temos em comum o medo de altura, já dizer o que pensa, isso eu digo mesmo kkkkkkk. Legal homenagear o Feliz, ele é um fofinho ninja kkkkkk. Obrigada pelo carinho de sempre no meu blog.
    Bjão. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana, já conferi sua participação, está ótima. Não tenho medo de altura, mas de situações que me coloquem em perigo diante dela. Obrigada, um abraço!

      Excluir
  34. Boa noite Bia! Tudo bem?
    O que ei mais quero ainda é saltar de paraquedas ou parapente... na verdade de qualquer coisa que voe..rsrs e se jogar ao infinito!
    Me identifiquei com os seus medos!!
    E também adorei a indicação do blog do Felis! Ele é um amor, seus poemas emergem do coração !
    Deixei uma flor para você lá no Vivendo Feliz no dia 1 de setembro... e já está quase chegando a primavera e ainda não foi colhê-la!!
    Um super beijo!
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana! Pelo conteúdo do seu blog, acredito que você tem ousadia o suficiente para se aventurar em esportes radicais, com certeza! Adorei a flor que deixou para mim em seu blog, já já estará por aqui! Um abraço!

      Excluir
  35. Bia, adorei o tema! Sou uma pessoa que tem medo de arriscar ainda, mas estou trabalhando isso em mim. Admiro demais pessoas como você que agarram com unhas e dentes as oportunidades! Fantástico! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Márcia! Disse certo, é preciso trabalhar isso dentro da gente. Esses tempos me deixei dominar pelo medo, não foi nada bom. O medo em excesso nos enfraquece demais.
      Um abraço!

      Excluir
  36. Oi Bia,
    Também tem muitas coisas que tenho vontade,mas me falta coragem.Saltar de paraquedas é uma delas,mas penso o mesmo que você,vamos ver se isso um dia muda,rs.
    Tenho muita vontade de fazer um serviço voluntário,acho uma experiência de vida muito enriquecedora e falar,a gente sempre tem a preocupação de magoar ou ferir quem gostamos por falar o que sentimos não é,a vida toda calei,hoje em dia ando me abrindo um pouco mais,mas até este momento só tem uma pessoa com quem consigo falar francamente,bom seria se pudéssemos expor o que sentimos mais vezes.
    um lindo final de semana,abraço,=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen! É melhor ter uma pessoa com quem pode se abrir do que não ter ninguém. Eu me abri muito com alguém, hoje estou um pouquinho mais fechada...tenho esse problema, de ir me fechando aos poucos com medo de estar sendo chata ou reclamona, e acabo me sufocando. Um abraço!

      Excluir
  37. Boa noite


    Estou passando pra desejar um final de semana maravilhoso, cheio de amor, alegria e felicidade.
    Desculpe o recadinho colado, mas esse final de semana vai ser super corrido e não gostaria de ficar sem te visitar aqui no blog.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  38. Olá Bia,
    Muito interessante o que postou sobre o encontro na pizzaria, e também penso da mesma forma! Você citou algo que realmente também me deixa com medo, ou seja, falar coisas que magoem as pessoas! Detesto isso, mas muitas vezes é necessário! Parabéns pela blogagem, dessa vez não estou participando mas vim aqui te prestigiar!

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Flávio! Uma pena não ter participado dessa vez, fica então para a próxima. Um abraço!

      Excluir
  39. Bia,
    Eu também não me perdoo quando perco a oportunidade de concretizar algo que desejo. O arrependimento que vem depois é insuportável, quase um martírio!
    Mas saltar de qualquer lugar alto, avião, ponte, montanha, o que for...Estou fora! Também não tenho ousadia para isso não. Rsrs
    Quanto ao Felis, também o vejo da maneira como você o descreveu e assino embaixo!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isa! Esse negócio do arrependimento depende muito do ponto de vista...alguns preferem suportar o arrependimento do que não se faz, outros do que se fez e não deu certo, depende da personalidade de cada um. Eu sou como você.
      Um abraço!

      Excluir
  40. Olá Bia!

    Tudo bem?

    Desculpa, a ausência mas tive um grande problema com vírus informático e só ontem consegui postar, e participar na bc do cafe entre amigos. Desta vez, é que sou a última a postar...

    Bem, sem mais blá, blá, blá, gostei da tua participação. Tens medo de alturas?

    Geralmente, tento dizer o que sinto e não o que penso, porque quando estamos decepcionadas com alguém, nós temos tendência só para ver aquele acto de maldade e de injustiça. Acho que nessas ocasiões a nossa mente, mente e desfoca as coisas fazendo com que entendamos tudo da pior forma. Assim, nem sempre devemos falar o que pensamos. ;)

    Obrigada pela visita carinhosa.

    Um beijo,

    Cris Henriques

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris! Espero que já tenha resolvido seu problema informático, esse é o problema da tecnologia! Gostei demais sobre o seu ponto de vista sobre o que falar ou não...foi pensar assim que me fez aprender a engolir as palavras na hora da dor. Um abraço!

      Excluir
  41. OOoi!
    Desses todos só nunca pensei em me engajar numa missão de paz. Acho que não conclui a missão com "os de perto" então não valeria ir para longe.

    Bejus

    ResponderExcluir
  42. Chegando um pouco atrasada, mas não posso deixar de comentar uma postagem tão interessante.
    Sou medrosa. Assim como vc, acho que deve ser fantástica a sensação da queda livre, mas não me arriscaria. Sou pé no chão demais, capricorniana até a alma. Talvez por isso admire tanto os que "se jogam", seja no ar, ou nos Big Brotheres da vida.

    Um abração, Bia.

    ResponderExcluir
  43. Adorei sua participação! Sei que muitos "cults" torceriam mesmo os narizes ao ouvir o relato de sua amiga, contanto, acho muito mais legal pessoas que assumem o que querem e gostam, mesmo que isto faça parte do senso comum ou caia no brega mesmo. Cada um é cada um.
    Esta sua CER-TE-ZA significa que logo virá novidades por aí então. rs.
    A respeito das participações que li desta BC, a maioria percebi que tem medo de altura, interessante isto. E sobre caridade, não há hora nem lugar, você pode se doar onde estiver, lembrando sempre que não deve esperar recompensa ou nada em troca.
    Sobre falar o que se sente, realmente, dependendo da pessoa e da ocasião é uma tarefa árdua.
    Gostei de sua participação e a respeito do indicado, nem tenho o que falar, o Felisberto é um parceirão insone das noites cibernéticas regadas a Casillero del Diablo. ahaha.

    ResponderExcluir
  44. Bia obrigada pela visita, volte sempre aquele cantinho é nosso. Uma linda noite. Bjuss

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.