domingo, 9 de setembro de 2012

Uma faca de dois gumes

Obs: Escrevi esse texto consciente de que ele pode suscitar opiniões contrárias por se tratar de uma forma de preconceito socialmente aceitável. É um convite à olhar a situação com outros olhos.

Imagem by Filipe Rivelli - Flickr

Essa semana aconteceu uma situação que me fez pensar sobre os dois lados da beleza. Escrevi uma vez sobre o assunto em "A utilidade da futilidade", porém hoje a abordagem será outra.
Na escola onde trabalho há alguns meses entrou uma nova orientadora, muito bonita, que gosta de se arrumar bem inclusive para trabalhar, já foi miss da cidade e é amiga do prefeito. Bem, essas características por si só já geram uma série de buchichos, no estilo "deve ter um caso com o prefeito" ou "recebeu a prova antes do concurso", e por aí vai. Não sei dizer se isso aconteceu, ou não, e isso não me interessa.
Essa mesma funcionária, esta semana, foi à Secretaria de educação pedir orientações à sua superior sobre o caso de uma aluna carente com psicose que há quatro anos "dá pano para manga" e nada se resolve concretamente sobre ela (função que deveria ser da própria Secretaria).  Após continuar sem uma solução, ainda ouviu da boca da superior: "não adianta você andar toda arrumadinha, maquiada, com roupas bonitas, botinha da moda, se nossa função é visitar casas e enfiar muitas vezes o pé na lama". Ela ficou arrasada, principalmente porque, após o ocorrido, uma "amiga" que testemunhou a situação desmentiu tudo na frente da coordenadora geral da Secretaria. Golpe duplo.
Então aqui chegamos ao ponto. Em cinco anos de escola e quatro diferentes orientadoras depois, posso afirmar que Luíza* é uma das melhores orientadoras que conheci. Dedicada, comprometida, envolvida, sabe impôr respeito e cobrar responsabilidades dos pais que teimam em fugir dela. É bonita, mas é ética, alegre, simpática, inteligente e excelente profissional. Não hesita em enfiar sim seu pé na lama nos bairros pobres que visita só porque usa roupas da moda. Arregaça as mangas e trabalha.
Fiquei triste pela situação injusta que a vi passar e pelo preço caro que a beleza pode trazer. Muitas vezes a sociedade trata a beleza como um motivo para que a pessoa não carregue em si outros valores. Seria ela tão bonita se fosse arrogante e ignorante? Também, a beleza faz com que algumas pessoas achem que o outro não merece ser feliz, como se pensassem: "já é bonita, não precisa de mais nada". Como assim?
Sob meu ponto de vista, essa é mais uma forma de preconceito. Escutamos muito falar sobre o preconceito em relação à negros, pobres, gordinhos e deficientes. Mas atitudes como essa não são uma forma de preconceito? E mais, o são com muito mais frequência do que imaginamos, e não só causado principalmente por mulheres recalcadas que se sentem ameaçadas pela beleza da outra pessoa. Homens também mostram esse preconceito quando tratam uma mulher bonita como um objeto de prazer ou exibição, esquecendo que dentro da estampa pode estar morando um belo ser humano.
Não me considero um modelo de beleza, até porque meus conceitos sobre ela são outros. Mas por ser magra, clara e olho azuis, já senti na pele a força do pré-julgamento. Já ouvi comentários de ex-namoradas do tipo "ele só me trocou por ela porque é magra e tem olhos claros", já aprendi que é preciso trabalhar o dobro para mostrar competência e quebrar a primeira imagem que a aparência causa, já aprendi a me vestir de forma simples para chamar mais a atenção pelas atitudes do que pela beleza, já passei por situações realmente difíceis por conta dela, ciúmes excessivos, fui motivo de piada quando adolescente por ser bem magra e branca...Será que alguém já pensou por esse lado?
Sei que há pessoas que se privilegiam da aparência para conseguir alguma coisa. Mas isso também não acontece com outras pessoas que usam outros subterfúgios para se darem bem? Penso que qualquer forma de preconceito e generalização é injusta e magoa. É preciso que o ser humano se dispa de julgar o outro pelo que vê, não pelo que é, seja qual for sua condição. Aprender a enxergar o ser humano pelo que nos oferece no dia a dia e dar oportunidades para que se mostre é amá-lo verdadeiramente. Só depois disso somos capazes de desenvolver um ponto de vista claro e condizente com a realidade.
E a superior da Secretaria de educação, bonita ou feia, não importa: não cumpriu sua função social de resolver o problema da menina carente. Carente deve ser ela...de amor e boa vontade.


"A beleza é o acordo entre o conteúdo e a forma."
Henrik Ibsen


 "É a beleza que começa a agradar e a ternura completa o encanto."
Bernard Fontenelle

Hoje tenho o prazer de homenagear o blog do meu amigo Eder, o
Gotas de Prosias

Estamos por aqui há um bom tempo. Eder, além de ser um leitor fiel, escreve de uma maneira com a qual me identifico. Seu espaço reúne contos, por vezes bem humorados, noutras vezes mais profundos, e ainda divagações sobre o cotidiano. Para quem for lá, é imperdível visitar a série "Crônica do paraíso e seus infernos", situações corriqueiras protagonizadas por Adão e Eva e de uma ironia ímpar.

*O nome foi trocado para preservar a identidade.

81 comentários:

  1. Os belos também sofrem preconceitos,
    inveja, maledicência,
    mas a beleza abre inúmeras portas,
    não há como negar.

    Citando Vinicius: "As muito feias que me perdoem. Mas beleza é fundamental";
    Parodiando Vinicius: "É melhor ser bonito que ser triste".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, mas essas portas não seriam abertas se a sociedade fosse justa e tratasse a todos com igualdade. Esse tipo de atitude acaba reforçando o preconceito. É hipocrisia dizer que o belo não é bom, mas é duro precisar dar mais do que o normal para mostrar competência.
      O Vinícius era mesmo um danado...
      Um abraço!

      Excluir
  2. ✫. `⋎´ ✫❤✫..
    (⁀‵❤⁀,) ✫✫✫Bom dia de domingo✫.❤
    Que a beleza vai na frente em muitas
    ocasiões vai sim, mas a qualidade é que
    prevalece, apesar que nem todos dão valor né
    Mas gostei do texto, bom para refletir
    Abraços de um dia feliz

    Rita!!!
    (⁀❤‵⁀,) ✫✫✫..! ♥
    .`⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫❤
    ✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫❤✫

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita, o que é conquistado pela beleza não é duradouro, justamente porque no final, é a qualidade que fica. Entender isso diminuiria bastante o preconceito. Um abraço!

      Excluir
  3. Preconceitos assim existem mesmo..De longe as mulheres já colocam rótulos nas outras... Bela homenagem ao Eder aqui! beijos,lindo domingo!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, falou uma grande verdade. É mais comum vermos essa questão da beleza entre as mulheres do que entre os homens. No meio masculino, a "disputa" e o "orgulho ferido" são resultados de poder (cargos) ou bens materiais. Um abraço!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Beleza vem de dentro para fora, tem tantas pessoas que trazem suas belezas ou feiuras de dentro.
    E nem percebem que serem feias ou bonitas só depende delas mesmas.
    Um post muito rico em verdades!

    Um bom domingo e obrigada pela visita beijo grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari. Tenho para mim que alguém que se prevalece da casca não vai muito longe, porque a beleza cansa ou se torna banal, as qualidade é que tornam o ser humano completo, e elas que devem ser valorizadas. Um abraço!

      Excluir
    2. Concordo plenamente com Mari e Bia. Quem olha a beleza exterior se decepciona mais cedo! Se a beleza trouxesse apenas felicidade, os belos jamais seriam traídos!!

      Excluir
  6. Oi Bia

    Este seu texto, deu-me um alívio! Um alívio por ler pela primeira vez algo semelhante ao que falo sempre, o preconceito contra a beleza. Só em falar isto já se sofre preconceito, alguém sempre terá uma crítica do tipo: _Só faltava essa, alguém ser agraciado com a beleza e ainda reclamar dela, é falta do que fazer, ou falta de problemas reais.

    Sei o quanto este preconceito existe, é grande e faz cometer injustiças. As pessoas acham que ser bonito já é premio demais e querem punir os belos, quando não desacreditam neles, como você relata, pensam que conseguem as coisas não por mérito ou competência, mas por causa da beleza, pensam que pessoas bonitas só tem de valor a beleza e isto causa enorme sofrimento, alguns nem conseguem sustentar a beleza e se "enfeiam" para se livrarem um pouco desta carga.

    Sempre digo que se a pessoa acha que não existe preconceito contra a beleza, que se lembre das frases: "Tão bonita e tão burra", "tão bonita e tão mal educada", já ouviram este tipo de frase dirigida aos feios? Não, porque os feios podem ser imperfeitos, os bonitos não.

    Se for bonito e vazio, ótimo, o preconceito só virá reforçar a beleza, mas se for bonito e tiver conteúdo, for inteligente e competente, vai sofrer injustiças feito a Luiza.

    No fundo a inveja move muito as ações das pessoas e elas nem se dão conta do que realmente sentem.

    Eder é um escritor genial, quem ainda não conhece seus blogs deveria ir visitá-lo, a criatividade e o talento dele são espantosos. É também o melhor amigo que alguém pode ter, fiel,amoroso, afetuoso, puro e sincero. Sou fã incondicional do escritor e amo profundamente este a migo querido que a blogosfera me deu.

    Um beijo, Bia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Van, aliviada fico eu de ver que você, alguém com uma opinião tão relevante para mim, concorda que esse assunto é pouco abordado justamente por muitas pessoas considerarem um absurdo. Ora, qualquer preconceito é considerado absurdo e só deixa de sê-lo a partir do momento em que a sociedade entende o outro lado e passa a enxergar a situação por outros olhos, e por isso escrevi sobre o assunto. Foi dessa forma que deixei para trás muitos preconceitos.
      Acho interessante o que escreveu, é mesmo assim que funciona, como se a beleza fosse sinônimo da obrigação de perfeição...
      e se você "pisa na bola" de alguma forma, a justificativa recai justamente sobre sua imagem, como se fosse um trunfo dizer "tinha que ter alguma coisa errada".
      Esse tipo de preconceito me parece mesmo arraigado na inveja, mas isso só acontece porque a própria sociedade trata os belos como se fossem pessoas do outro mundo ou o privilegiam de alguma forma. A mídia vem reforçar esse ponto de vista, infelizmente!
      No final, todos viraremos pó e o que levaremos na alma é o que vai prevalecer, não o quanto fomos bem estampados vagando pelo mundo.
      O Eder é mesmo uma pessoa especial! Um abraço!

      Excluir
  7. Bia, qdo nos deixamos ser levado pela superfície, perdemos a oportunidade de conhecer a profundidade, o ser o é pela sua totalidade, a sua beleza está no que lhe é profundo não na sua superfície.

    Sim, o conto Gaia fala sobre o futuro, pode parecer desesperançoso no início, porém tem uma mensagem no final de esperança. Hoje posto a segunda página.

    Não sei como adjetivar essa homenagem, essa sua iniciativa de agraciar blogs-amigo os divulgando, então, lhe abraço carinhosamente e lhe digo: muito obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eder, é uma bênção ter por perto pessoas como você, que pensam assim. A profundidade varia de ser humano para ser humano, algumas pessoas são tão rasas e superficiais que nem vale a pena investigá-la, mas não dá para saber olhando sua casca, mas dando "pé" para que adentremos seu íntimo.
      Em breve estarei lendo a segunda parte do seu conto, e acredite, a homenagem é justa! Um abraço!

      Excluir
  8. Olá querida seguidora e amiga, estou mais uma vez aqui com meu comentário pronto, mas de forma alguma querendo me promover, mas está mais perto de você, reavivando os laços que nos une nessa blogosfera. Como diz Madre Tereza de Calcuta “Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”. Com certeza fazemos a diferença nesse mundo virtual, postando um pouco dos nossos conhecimentos, compartilhando coletivamente para que cheguem a outros indivíduos e assim sejam multiplicados. E lembrando mais uma vez Madre Tereza: “As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o seu eco é infindável”. Saber que temos amigos mesmo por traz dessa telinha fria é maravilhoso, afinal podemos está distantes, falar línguas diferentes, mas estamos debaixo do mesmo céu. Bjuss um abençoado domingo e um inicio de semana na paz de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdes, obrigada por sua presença sempre constante, Madre Tereza foi uma grande personalidade e merece ser citada. Um abraço!

      Excluir
  9. Estimada, Bia
    Fiquei preso lendo o seu texto. Ora pensando, ora deixando-me a pensar. A desfaçatez, no Brasil, é delirante. Algumas pessoas ocupam cargos por merecimentos, outras por menos merecimentos, e outras, flauteando a paciência de quem realmente quer servir as pessoas. Sempre digo a meus amigos, comece desafiando a inveja do outro, mostrando domínio, do que fazes. Tenha um domingo bom. harmonioso. estou lhe deixando um Convite
    Passei por aqui, para lê o seu blogue.
    Admirável. Harmonioso. Eu também estou montando um. Não tem as Cores e as Nuances do Vosso. Mas, confesso que é uma página, assim, meia que eclética. Hum... bem simples, quase Simplória. E outra vez lhe afirmo. Uma página autentica e independente. Estou lhe convidando a Visitar-me, e se possível Seguirmos juntos por Eles. Certamente estarei lá esperando por você, com o meu chapeuzinho em mãos ou na cabeça.
    Insisto que vá Visitar-me, afinal, o que vale na Vida, são os elos de Amizade. Voltarei.
    Deixe no comentário, o endereço do seu blogue, para facilitar, a retribuição em Segui-lo.


    www.josemariacosta.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, José. Mostrar esse domínio ao outro, do que se é capaz, às vezes é muito custoso. O ruim dos cargos públicos é isso, nem todos estão ali por merecimento ou competência, ou ainda, há aqueles que relaxam quando se sentem "seguros". E aquele que trabalha de verdade, o fará em dobro para suprir a folga do outro. Em breve lhe farei uma visita, um abraço!

      Excluir
  10. (...) Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,

    Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, 

    O essencial faz a vida valer a pena.

    E para mim, basta o essencial!

    Mário de Andrade

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margoh, tenho me rendido ao essencial com unhas e dentes, pelo menos desse jeito não enlouqueci. Só falta a bacia de cereja (adoro!). Um abraço!

      Excluir
  11. Bia, tbm já sofri esse tipo de preconceito, por ser nova e bonita, fui hostilizada no ambiente de trabalho e já fui (inicialmente) rejeitada por alunos adolescentes de uma ONG. Tive que trabalhar dobrado pra provar que era competente e uma pessoa de bem, que estava ali para somar esforços e ajudar a todos.
    É muito complicado entrar em certos ambientes, onde o grupo é fechado e não aceita novidades. Lá na escola já tivemos 4 coordenadoras em 8 anos, pq o grupo é complicado mesmo. Eu faço minha parte, acolhendo e respeitando. Mas não é uma tarefa fácil, tanto é que 3 já desistiram.

    Um abraço e boa sorte pra sua colega.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty. Já ouvi casos como o que trouxe aqui, de professoras jovens sendo hostilizadas por adolescentes. Quando fiz estágio durante o magistério jurei que nunca atuaria na profissão, justamente por isso. Como assumi na função após os trinta anos, a maturidade me ajudou a abordar uma sala de aula de um outro jeito, como muita seriedade no começo, o que quebra um pouco a questão da aparência.
      Muito relevante o que disse, é um problema essa questão do grupo fechado, principalmente onde trabalham muitas mulheres. A coordenadora anterior (outro cargo, a coordenação também mudou) foi severamente rejeitada no início, o que foi bem complicado, e ela era uma boa profissional. Às vezes penso que as pessoas só crescem na idade, não na mente. Um abraço!

      Excluir
  12. Infelizmente é "normal",tudo que foge ao comum gera preconceito,inveja...sentimentos dos pequenos e nas pessoas que sabem que não chegarão a ser igual...Existem pessoas que não são capazes de conviver com o belo...Parabéns pelo texto,um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nalva! Boa definição, "tudo o foge ao comum gera preconceito, inveja...". A questão é que não é uma escolha ser ou não comum, a pessoa nasce bonita ou não, negra ou branca, gorda ou magra...Nem é justo que se precise ser "igual" para se obter respeito e admiração.
      Um abraço!

      Excluir
  13. O preconceito existe sob todas as formas e em todos os lugares, enfrentá-lo é para poucos. A beleza de uma certa forma estigmatiza as pessoas que por ela são dotadas, assim como a falta dela o que na verdade é muito relativo por sinal. Todo traço marcante em uma pessoa muitas vezes acaba por se tornar um fardo nessa sociedade engessada que vivemos. Sair do rebanho e seguir rumos corretos é um desafio diário na vida dos que possuem caráter. Adorei tua reflexão minha querida! Gr. Bj.!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, seja bem vinda! Muito bom seu comentário, a linha que divide o belo do feio é tênue, porque é uma questão de ponto de vista. Ao contrário, respeito, caráter, boa educação refletem sempre os mesmos procedimentos, então por que não julgar uma pessoa por meio desses atributos?
      Triste é saber que pensar assim exige uma luta diária contra a massa alienada.
      Um abraço!

      Excluir
  14. Bia entendo perfeitamente o que quis dizer por exemplo eu já sofri muito preconceito por ser gorda, teve uma vez que fui levar um curriculo em uma loja de grife aqui e mulher olhou para mim e nem viu minhas referencias que eram boas hem e disse, sinto muito vc é gorda e isso vai constranger minhas clientes, a beleza esta ligada a isso tbm as vezes é como se fosse uma maldição esta na chefia porque é bonita e deve ter um caso com o chefe, me poupem, isso é atitude de pessoa infeliz que deve morrer de inveja dessa orientadora, como vc mesmo disse é uma das melhores que já trabalhou junto, mas estamos longe de nos livrar disso, de uma forma ou de outra a sociedade impõe e cobra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia, seu depoimento complementou brilhantemente minha postagem e só me orgulha conhecer alguém como você que entendeu o que eu quis dizer, vivendo o avesso da situação.
      Olha só o absurdo que você passou por estar fora dos "padrões" (palavrinha que eu detesto!). Esse é o tipo de situação que me deixa indignada e reforça o preconceito sobre a beleza, já que suas qualidades foram relegadas a nada diante do seu peso! É uma vergonha imaginar que ainda existem pessoas que pensam assim, tanto como a dona da loja como suas clientes.
      Ai, que raiva! Você é mais, amiga!
      Um abraço!

      Excluir
  15. Olá!Boa tarde!
    Boa!
    ...jamais viveremos numa sociedade totalmente isenta de preconceitos. Um cenário marcado e estigmatizado, onde a competência é punida.O preconceito parece habitar de forma indelével no espírito humano. É preciso muita força pra se descartar de todo o preconceito que macula o espírito, e pior do que isso, são os julgamentos muitas vezes hipócritas e dissimulados!Adotar um novo paradigma segundo o qual nos sentimos a vontade com que somos e em relação ás pessoas a nossa volta...
    Obrigado!
    Bom domingo!
    Bom início de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis! Ouço falar sobre "quebrar os paradigmas" desde que estudei no Ensino Médio (ou seja, faz teeempo...). Será que as pessoas não aprenderam nada na escola? Será que o ser humano não é capaz de compreender que qualquer forma de preconceito é excludente?
      Enquanto reinar a hipocrisia e a dissimulação, muitas situações como essa relatada ainda virão pela frente. Um abraço!

      Excluir
  16. Olá Bia!

    Realmente, é verdade o preconceito é uma coisa complicada e esse preconceito, não é apenas preconceito com beleza é pura inveja. A professora além de bonita, é aplicada, trabalhadora e conscienciosa.

    Ainda bem que não tenho preconceitos com nada nesta vida.

    Respondendo: muito obrigada pelas tuas visitas e comentários. Acerca da blogagem colectiva, pena que só pudessemos escolher 4 factos.
    Quanto à entrevista no Recanto dos Autores, adorei. Adoro escrever, pois escrever é como uma lufada de ar fresco após a tempestade.

    Um beijo,

    Cris Henriques

    P. S. - Deixo-te aqui uma oferta, é um selinho para os primeiros 100 seguidores do meu blog...

    http://lh5.ggpht.com/-USSsRV7QAXE/UElAslY96ZI/AAAAAAAAA5Y/zAyu41xlUlk/s1600-h/Selo%252520100%252520Seguidores%252520OQMCD%25255B4%25255D.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris! Tem razão, o que incomoda nesse caso é que ela não é "só mais um rostinhos bonito na multidão". Uma pena, já que sia intenção era ajudar alguém com dificuldades.
      Fico feliz que seu coração seja grande a ponto de não ter preconceitos e ainda sobrar espaço para escrever lindamente. Preciso arrumar minha página de selos, assim que o fizer colocarei o seu, com certeza. Um abraço, e obrigada!

      Excluir
  17. O hábito de se pensar que alguém conseguiu vencer pela beleza está muito arraigado. E essas pessoas precisam ser muito mais capazes que outras para conseguir mostrar seu valor. Tenho que esse "preconceito" está fundado na inveja. Certamente, a jovem foi mal recebida e injustamente depreciada porque quem a atendeu se sentiu incomodada com o fato de, apesar de bela, estar ela buscando algo justo e de direito. Você fez uma excelente abordagem.
    Quanto ao Eder, merece sua homenagem e nossos aplausos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene. Sei que não é muito, mas escrever aqui é minha forma de contribuir para que as pessoas saiam de seus casulos e consigam enxergar em situações como essa o absurdo que ocorreu. Você tem um olhar que vê longe, por isso compreende o quanto uma inveja pode ser corrosiva e cruel.
      Um abraço!

      Excluir
  18. Bia, será inveja juntamente com outros comportamentos nojentos?!

    Já tive reação contrária, por ser feia rsrsrsrs, na verdade infelizmente a maioria sempre olha a aparência, e como gosto de andar com chapéu de palha e sandália (as vezes, a chiquerosa havaianas), na minha city (que lembra Sucupira de Dias Gomes rs) não perdoa, de uns dois anos para cá, fui ficando mais conhecida, através de revistas, exposições, citadas em eventos etc. A cabocla começou a ganhar outro "status"... Aff! Sem comentários!

    Diga para sua colega não mudar suas atitudes em função das atitudes e conceitos de terceiros. Vou conhecer seu amigo...

    Tenha uma semana maravilhosa!

    Beijoooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, a resposta à primeira pergunta provavelmente é sim!
      Uma das coisas que gosto quando escrevo textos como esses são depoimentos relacionados ao tema. Veja só, você era considerada feia (eu adoro chapéu de palha e Havaianas) e as pessoas mudaram seu ponto de vista a partir do momento em que começou a ser reconhecida. Como é triste isso! Você é a mesma Bia, talentosa, querida, com um coração enorme para ajudar muita gente, como pôde ter sido classificada pela aparência? E mais, quem tem o poder de dizer se você é bonita ou feia? Eu aprendi a perceber a beleza do outro pelo olhar, pelo sorriso e pelo coração, e por isso afirmo que você é linda!
      Um abraço!

      Excluir
  19. Boa noite, Bia. O poeta Caio Fazolato não é meu filho e sim, namorado!
    Fique na paz de Deus!

    ResponderExcluir
  20. Na realidade, ele que sempre foi um excelente poeta, que me inspirou e que me incentivou a escrever, criar o blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia, desculpe o engano! O eu sabia que ele era seu incentivador, entendi errado quanto ao parentesco. Ambos escrevem muito bem, que bom ter encontrado alguém com a mesma afinidade, pois penso que afinidades, aproximam. Um abraço!

      Excluir
  21. Oii Bia, acho que tem os dois lados mesmo, a beleza tanto ajuda como inferioriza intelectualmente,o preconceito com pessoas bonitas onde reina a intelectualidade é muito forte mesmo, já vi uma situação parecida em escola tbém, uma professora sem créditos por que era bonita e se vestia bem, Puro preconceito! Uma pena que ainda ocorra! Bjoooooss e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen. Interpretou muito bem o título do post, "Uma faca de dois gumes". A beleza exterior é isso. Espero que sua colega professora tenha conseguido superar o mau momento. Um abraço!

      Excluir
  22. Bia boa noite,

    São dois lados, a cor, a beleza infelizmente delimita oportunidades no nosso dia a dia, mas as vezes esquecemos que as pessoas tem o lado de dentro e não são apenas bonecos de porcelana. O ser humano tão cheio de defeitos olha primeiro para si e olha para o outro desejando alguma característica, nunca está suficientemente bom.
    Em questão disso também já me vesti simples para expor o meu interior, que por mais que as pessoas olhem primeiramente o fora, o tempo leva, em compensação o que estão no nosso coração e atitudes, fica para toda a vida.

    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cla. Interessante comentário...acho que uma das origens dos preconceitos é justamente essa mania que o ser humano tem de viver se comparando com o outro, como se sempre precisasse ser melhor, de alguma forma, como se a vida fosse uma disputa e a maioria determinasse o que é certo ou errado em relação à aparência.
      O tempo é implacável, e quem não investe no interior, não terá o belo para mostrar por muito tempo. É por isso que boas atitudes deveriam ser mais valorizadas que a estampa.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Você disse tudo, Bia. E sem dúvida isso é sim uma forma de preconceito. Imagino o quanto que essa orientadora esteja sofrendo e enfrentando problemas. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, o legal é que ela é uma pessoa firme, convicta de sua capacidade e sabe se impôr. Mas é sempre um pouco mais custoso do que deveria. Um abraço!

      Excluir
  24. É, a beleza é bem relativa. Já achei belas pessoas que talvez não o fossem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, Gilberto. Meus padrões sobre o belo não são muito convencionais. Por isso mesmo as pessoas não deveriam ser esteriotipadas. Um abraço!

      Excluir
  25. Oi Bia, tudo bem?
    Interessante esse prisma que nos trás à tona: Preconceito com pessoas bonitas e principalmente as mulheres. Eu sou fã de mulheres lindas, as que pensam e agem, são perfeitas.

    Sobre o seu texto, acredito que o brilho de algumas pessoas, acabam ofuscando a visão de quem vive na penumbra da ignorância. No caso citado, não sei se se trata de preconceito, há uma mescla de inveja, de orgulho ferido por parte da superior em relação a sua subordinada. Pelo seu relato, Luiza, além de linda é talentosa, e para pessoas de pouca visão, passa a ser considerada uma rival, consequentemente de alguma forma será atacada.
    Quem sabe o caso vindo a público, as coisas tendem a mudar.

    Então você é magrela, branquela e de olhos azuis...kkkkk brincadeirinha, Bia!
    Não tenho sofrido esse tipo de preconceito, acho que não sou tão belo, quanto penso ser.

    Abração e linda semana pela frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor. Pessoas abertas para o novo como você enxergam nesse texto uma oportunidade para pensar por outro lado. Fico feliz que valorize as pessoas no seu conjunto, não só na aparência.
      É possível que o seu ponto de vista sobre a superior proceda. Em outras situações ela já agiu de forma desinteressada, porém nunca usou argumentos tão baixos, digamos assim...Acho que educação, boa vontade e canja de galinha não fazem mal a ninguém.
      Não sei o quanto é belo ou não, mas vejo que esse tipo de problema acontece mais com mulheres, fazer o quê...as pessoas ainda vivem nas cavernas.
      Um abraço!

      Excluir
  26. O preconceito é uma maldição, pois quem julga e condena são os hipócritas e os invejosos!

    Um belo texto!

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Vanessa. E gente para julgar tem às pencas por aí. Um abraço!

      Excluir
  27. Também acho que é uma forma de preconceito. Se formos pensar de acordo com esta sociedade decadente, veremos inúmeros tipos de preconceito, e o mais engraçado é que são dos dois lados da moeda, como você citou: o 'feio' e o 'bonito' sofrem preconceitos. No fim, nunca iremos agradar ninguém, por melhor que sejamos. Acho que a beleza é vista como mais significativa do que os atos, atualmente. E isso só tende a piorar. Gostei da sua opinião forte e de sua exposição. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema só tende a piorar porque as pessoas se recusam a proceder de outro forma. É difícil quebrar o estigma da aparência num país em a compra de cosméticos e os gastos com salão alcançam o um dos lugares no topo da lista mundial!
      Enquanto não for quebrada essa cultura, os preconceitos acerca da aparência continuarão os mesmos.
      Um abraço!

      Excluir
  28. E eu que nem sou magra, nem tenho olho claro, ainda assim sofro preconceito. Hahaha... Brincadeirinha.

    Pois é, Bia. Preconceito é estupidez seja lá em que nuance se apresente. Gente feia ou bonita pode ser ruim ou boa, competente ou não. É uma misturada só, inerente à condição de ser humano e falível.

    Fiquei solidária à situação da moça bonita, porque injustiça é um troço que me pega pelo pé e me dá rasteiras enormes de emoção.

    Beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene, No fundo todos somos falíveis, independentes da condição, mas talvez alguns não aceitem isso e para se defender dos seus fracassos pessoais, acabem por atacar o outro.
      Não só em relação à aparência, mas injustiça é um tema recorrente no meu espaço, porque também me dá rasteiras na alma. Um abraço!

      Excluir
  29. Olá Bia, o que mais me chamou a atenção aqui é que, conhecendo psicólogos e assistentes sociais, o que me intrigou realmente neste texto foram algumas observações feitas. Não uma crítica ao que você expôs, mas uma observação de como as coisas estão sendo conduzidas por aí...
    Um dos trechos diz: "Essa mesma funcionária, esta semana, foi à Secretaria de educação pedir orientações à sua superior sobre o caso de uma aluna carente com psicose que há quatro anos "dá pano para manga" e nada se resolve concretamente sobre ela (função que deveria ser da própria Secretaria)"
    Eu perguntaria: Por quê?
    Até onde sei, o papel da Secretaria de Educação é passar a educação sistematizada (dentro daquilo que conhecemos e / ou concordamos e discordamos) e tentar resolver os problemas da Educação que, em nosso país, sabemos que não são poucos.
    Pelo seu relato, o caso desta menina já tange a área social. E, até onde sei, o que tange a área social compete a Secretaria de Assistência Social e, da Saúde, no caso da menina ser uma psicótica, da Secretaria de Saúde.
    Eu não sei se eu entendi direito, mas o que me pareceu refletir em seu texto é que as pessoas mencionadas estão fazendo um trabalho que não lhes compete. O que lhes compete, indo pela lei (repetindo, até onde vai meu conhecimento) seria, observando esta situação, fazer um encaminhamento desta aluna psicótica, carente, encaminhando-a junto à sua família para um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), para que a mesma possa ser inscrita nos programas socioassistenciais disponíveis em seu município. Do contrário, qual seria o papel dos psicólogos e assistentes sociais então?
    Temos que ficar atentos a estes detalhes. Psicólogos, assistentes sociais, e educadores, cada um, estuda para atender o SEU público, do contrário, o que ocorre é exercício ilegal da profissão. Professor, pedagogo, diretor e sabe-se lá mais quem começar a querer fazer o papel que não lhes competem podem ao invés de ajudar, acabar agravando a situação tanto da estudante quanto da família. Nosso país é uma zona, se deixarmos certas coisas passar, logo veremos professores receitando psicotrópicos para psicóticos. rs.
    A respeito do preconceito. Sim, há preconceito com tudo, a diferença é que alguns pesam mais e a beleza não penso estar incluído nos preconceitos mais pesados. Afinal, a prova está no relato da Patrícia, se fosse você, conseguiria o emprego de boa. A real é que beleza abre muitas portas.
    Boa semana parceira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chris! Uma das coisas que gosto em você é o domínio sobre uma gama de assuntos variados, descreveu muito bem as competências de cada pessoa/departamento. Não me aprofundei no caso porque o foco não era esse, mas vale a brecha para um à parte.
      A menina foi minha aluna no 1º ano, em 2009. Era visível que apresentava algum distúrbio de comportamento, era agressiva, fazia de tudo para ser o centro das atenções, vinha de um contexto problemático de mãe envolvida com drogas, problemas em casa que não devo relatar aqui, enfim...a questão é que os encaminhamentos foram feitos pelo orientadora da época. A psicóloga que a atendia dizia que ela não tinha nenhuma problema, era só carência de atenção (!!!) e os comportamentos se agravando. Só agora e depois de muita insistência por parte da direção, um psiquiatra a atendeu e após os exames de praxe, diagnosticou a psicose. Isso após duas professoras, no auge do stress, quase pedirem a conta da função.
      Ela deveria tomar os medicamentos regularmente, o que a torna mais tranquila e apta a frequentar a sala de aula (acompanhada por uma professora exclusiva, liberada após o laudo), mas o pai, uma pessoa ignorante, não dá o medicamento nem vai buscar gratuitamente quando acaba, o que só acontece quando a escola insiste muito.
      Encurtando a história, a referida funcionária da Secretaria de Educação seria a "última instância" a ser procurada antes da Secretária. Os órgão já foram exaustivamente acionados, inclusive o Conselho Tutelar para acompanhar os cuidados com a menina, mas nada parece adiantar. Essa funcionária é responsável por cobrar dos órgãos competentes uma atitude eficaz, quando a escola já fez isso e não obteve grandes resultados, mas a quem recorrer se ela se isenta dessa função?
      A Secretaria de Educação deve dar apoio para que as escolas desenvolvam sua função de ensinar, e isso inclui interceder junto aos órgãos competentes para que o apoio seja efetivo, pois a menina, além de estar sendo prejudicada pela atitude do pai, prejudica o aprendizado dos outros alunos com suas crises nervosas. A realidade é que o sistema não funciona. Além do sofrimento dos que estavam à sua volta, a própria menina deve ter sofrido muito todos esses anos sem um atendimento adequado.
      Chris, a beleza abre muitas portas, é por esse motivo que é sim vítima de um preconceito velado. Se houvesse igualdade, o problema com certeza não existiria.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Bia, li com atenção sua resposta, psicólogos em sua maioria... sem comentários, porém, ainda assim, há alternativas.
      Uma seria acionar a Secretaria dos Direitos Humanos, através do Disque 100 ou na central da sua cidade, relatar que a aluna está sendo negligenciada pela família, no caso, o pai, pela Secretaria de Saúde, pela Secretaria de Assistência Social, tendo prejuízos na escola e, consequentemente, prejudicando o trabalho dos professores e os estudos dos demais alunos devido a má administração dos medicamentos, tendo surtos psicóticos.
      Outra alternativa é fazer uma denúncia direta ao Ministério Público, através da própria secretária de Educação. O que não pode são os professores e os alunos pagarem pela incompetência e descasos dos verdadeiros responsáveis por isto.
      Bom domingo.

      Excluir
  30. Bia, um grande beijo no seu coração. Eu estou de acordo com suas palavras, por sinal, bem descritas e escritas nesse texto. O preconceito não tem uma cara, um rosto ou tipo. Ele acontece das mais diversas formas, como essa que aqui você colocou. Lamentavelmente é assim, não importa se seja o feio e o bonito, o branco ou o preto, gordo, magro, alto ou baixo. Ele pode ganhar varias formas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulo. O preconceito, seja em qual forma for, nunca é belo. É mais uma mesquinharia da humanidade. Um abraço!

      Excluir
  31. minha querida Bia, o assunto é mesmo muito interessante.
    hoje não estou no meu melhor dia, portanto, digo apenas que esse preconceito existe muito mais entre mulheres do que entre "homens e mulheres".
    a mulher (não generalizando) não gosta de ver outra mais bonita, mais amada, ou mais feliz.
    isso incomoda, e sempre foi assim, e penso que sempre será.
    portanto, o que realmente está me preocupando é a menina.
    pobre menina, que pelo visto vai continuar com problemas e sem ajuda.
    hoje estou mesmo muito chata, perdão, estou triste porque fui ao velorio de um amigo.
    num outro dia serei mais longa. Beijos querida, adorei sua postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivani! Espero que esteja se sentindo melhor! : ) É triste uma mulher achar que a outa, por ser bonita, pode ameaçá-la, mas sei que tem fundamentos na sociedade e no machismo. Eu mesma já me senti um pouco assim, hoje penso que se tenho convicção da pessoa que sou, não há porque manter a insegurança. Um abraço!

      Excluir
  32. Bia querida! Não apenas concordo, mas assino embaixo! Você soube expor o problema de uma maneira gentil, objetiva e verdadeira! Parabéns! Adorei! Um início de semana iluminado!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elaine, ser gentil é uma característica a ser treinada pela sociedade. Um abraço!

      Excluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Integração Histórica9 de setembro de 2012 16:39

    Bia ! A Patrícia é a minha primeira dama , isto é , minha namorada rs . Ela que está acompanhando os meus passos ...


    Passo a passo nos caminhos das letras nascentes da alma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sim, já me expliquei, desculpe a gafe! Um abraço!

      Excluir
    2. Boa tarde, Bia. Realmente a diferença não é pouca, mas não tem problema, já passou. É que a maioria das pessoas da blogosfera nos conhecem, ou a mim, que passam a conhecê-lo. Ele pouco comenta, infelizmente e tem um dom que só você conferindo.
      Deixo o link dele pra vc e quem quiser:

      caiovinicius160.blogspot.com

      Agora não posso comentar, o meu filho está pedindo pra entrar, mas eu volto e comento com calma nas duas postagens!
      Fique tranquila.
      Um beijo na alma e fique na paz!

      Excluir
  35. gostei de sua postura... os bochichos existes, mas isso nao me interessa, a pessoa sempre é mais interessante. abraços lamarque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lamarque. Buchichos sempre existirão, mas cada um deve ter consciência em perceber ou não o que é relevante para si. Um abraço!

      Excluir
  36. Oi Bia!
    Texto muito sensato e muito consciente. Acredito que vivemos num mundo de "aparências". Se você faz isso ou aquilo, você é marginal. Se é "bonito", é incompetente. Até onde vai o "pre-conceito"? Gente, isso tem que acabar. Precisamos conhecer, discutir, trocar idéias, não julgar por uma roupa, por um estilo. bjsss, amei o texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Márcia. Os rótulos existem por toda parte, inclusive onde menos se imagina. É complicado entender o que é considerado normal e ideal. O ser humano ainda precisa crescer muito. Um abraço!

      Excluir
  37. Nossa Bia, adorei o Post, realmente esse tipo de preconceito acontece muito mesmo, já sofri esse preconceito "intelectual" até por ser loira (e olha que sou tingida), já estive em reuniões na qual antes de entrar me julgaram inexperiente para debater um assunto tão sério por ser a mais nova dos presentes, no qual no final eles aprovaram minhas pesquisas e acataram a minha opinião prevalecendo aos demais. Até mesmo por ser mulher, eles preferem um conversar com o meu sócio de empresa parceira por achar que homens sempre sabem mais sobre o assunto (contatores), quando na verdade, eu que estou ensinando os procedimentos a ele, o mundo injusto, rsss - Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como eu disse acima, a sociedade ainda é preconceituosa e machista. Acho que homens e mulheres tem suas peculiaridades que devem ser respeitadas, eu não sou a favor da completa igualdade. Porém, em relação ao trabalho, acho que ambos tem condições de desenvolver bem suas funções, não depende de sexo, depende de empenho, criatividade e dedicação.
      Quem sabe um dia isso muda...Um abraço!

      Excluir
  38. Bia,
    Acho que a aparência física de uma pessoa, de um modo geral, gera muitas ideias preconceituosas, ainda que de forma inconsciente.
    Em relação à beleza, esse preconceito é ainda mais marcante, principalmente quando a pessoa bonita é uma mulher. E o que mais magoa é quando vem aliado ao machismo e no ambiente de trabalho.
    É como você disse, seria perfeito se todos aprendessem a olhar o outro pelo que ele é e não pelo que ele aparenta.

    Bia, eu adoro os textos do Eder. Ele é muito criativo em seus escritos e faz comentários muito bonitos e atenciosos em nossos posts. Gostei da homenagem!

    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isa. Infelizmente acho que há um longo caminho pela frente até que a sociedade resolva entender que o interior belo permanece, a aparência, passa. Um abraço!

      Excluir
  39. Oi Bia,
    Adorei a discussão,já vi muitas pessoas bonitas fisicamente e que se tornam arrogantes por isso e pessoas que também possuíam tal beleza e eram humildes,corriam atrás de seus objetivos e sempre deram tudo de si para chegar a algum lugar.
    Pra mim a beleza física claro que à primeira vista pode até nos atrair a causar uma boa impressão,mas o sentido de beleza vai muito além do físico,a beleza vem através de valores,atitudes e de outras coisas que muitas pessoas não entendem.
    Algumas pessoas já me questionaram por eu ter um ponto de vista diferente,acredito que o meu ponto de vista não seja diferente,ele é apenas real e não influencia de um mundo que quer ditar o que devemos ou não achar dos outros.
    Uma ótima semana pra você,abraço,=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen, existe toda sorte de caráter, e isso independe do exterior. Como disse, já conheci pessoas lindas por dentro e por fora, já vivi com uma pessoa feia por dentro e por fora, não há um padrão. É fato que a beleza física atrai (ou não), mas não pode ser o ponto primordial para se tratar bem uma pessoa ou não, quando há muito mais a ser analisado.
      disse muito bem: por pensar desse jeito, ainda somos questionadas...vai entender. Um abraço!

      Excluir
  40. Bia!! Essa mamia de julgar pela forma sem se preocupar com o conteudo é muito comum. Infelizmente vivemos numna sociedade que em termos de poesia parou nas características do parnazianismo.
    Parabéns pela coragem de adotar outras visões e formas de ver, Essa também é uma forma de poesia. Bjo

    ResponderExcluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. Olá Bia, vim retribuir o carinho da tua visita e com mais tempo li a sua crônica ou narrativa. Em relação a qualquer tipo de preconceito sou contra, acho que cada pessoa tem o direito de ser o que quer o que quer ser, viver a vida do seu jeito mesmo que cometa erros e se erga, em fim a sociedade deveria se preocupar com outras situações piores que afetam a todos de modo geral, e não com uma única pessoa que apenas quer ser feliz. Quanto a beleza física, considero um presente de Deus. Mas o que é beleza para mim pode não ser para o outro. Existem pessoas que amam o magro , pessoas que adi miram o negro ou o branco, o alto, o baixinho, o gordinho, etc. Acredito que a beleza maior está no interior das pessoas. Entretanto concordo com o comentário que li que dizia: a beleza física causa inveja. Mas causa inveja justamente aquelas pessoas que não são bem resolvidas, infelizes, rancorosas e preconceituosas. A jovem tem mesmo que se arrumar , exibir sua beleza e o que tem de mais. Estou com 60 anos e ainda me amo, gosto de me arrumar, sou vaidosa e dai!! Imaginem quando eu era jovem!! Do mesmo jeito e ainda continuo. Quanto mais quem é linda, corpo de misse, já chama atenção e aos olhos das invejosas já ficam julgando mau que ela tem um caso. Desculpa, mas esta é minha opinião. Bia o que mais me chama a atenção é que as mulheres invejam as outras, os homens não tem muito isso, curioso não!! Aos poucos a vida vai ensinando que a beleza física passa, por mais plásticas que fizer, mas a beleza interior, tende a aumentar com o passar dos tempos, porque a vida é uma grande escola. Abraços minha querida, dorme com os anjos.
    ( Deletei e fiz correções)

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.