sábado, 6 de outubro de 2012

Músculo involuntário, ação voluntária

Imagem by Freepik

"O meu coração, é um músculo involuntário e ele pulsa, por você..." Adoro essa música da Marisa Monte. Esse ano, em um estágio, uma professora adorável disse algo verdadeiro: "Tratamos todos bem, mas tem alguns alunos que entram em nosso coração de graça, sem que possamos escolher". É isso. O coração é um músculo que bate involuntariamente e o sentimento que dele se origina, também. Podemos ser agradáveis com todos, mas os especiais não são escolhidos, são sentidos.
Porém, o amor que podemos oferecer nem sempre é aquele suficiente ou adequado para as pessoas à nossa volta. Hoje uso um termo que define bem meu coração: ele transborda, a cada dia mais. Quando encontro alguém com um coração assim tento cuidá-lo com carinho, pois como tudo que transborda, se não for realimentado, um dia seca. Acho mais triste um coração que amou, secar, do que um que nunca conheceu o amor, porque significa que aquela pessoa chegou ao ápice da dor e se fechou. Seu sentimento sofreu um infarto. Refiro-me ao amor em todas as esferas.
Há pouco mais de dois anos senti uma necessidade imensa de fazer um serviço voluntário, algo como um chamado mesmo. Procurei em minha região e pasmem, não encontrei nada! Ou os grupos, pastorais  estavam fechados (!!!) ou eu não me enquadrava no perfil do serviço disponível. Na época eu não tinha internet. Fiquei um pouco desanimada, há tantas pessoas carentes de ajuda...
Então, um dia li um post do Chris no Escritos lisérgicos sobre o trabalho do CVV (esse aqui), e gostei da ideia. Adotei o programa e outras pequenas ideias que estarei expondo abaixo. Sei que infelizmente há instituições, ongs, que usam programas como fachadas para desvio de verbas, já fui vítima desse golpe. As iniciativas que listei são aquelas que acompanhei ou acompanho e me parecem confiáveis.
Lembremos que fazer um serviço voluntário não deve servir como moeda de troca, nem santifica ninguém. É consequência de quem está carente de partilhar o amor com o outro, de "fazer o bem sem ver a quem". Não se cobra um retorno, senão perde seu significado. Também não adianta fazer o bem para um desconhecido e ser uma peste para as pessoas de convivência. Ou ainda, amar daquele jeito hipócrita do "eu te amo enquanto você estiver servindo para mim ou fazendo o que eu quero". Aaaaaai!
Uma dica: escolha algo com que se identifique, assim você conseguirá encaixar o serviço como um compromisso e dar continuidade ao processo. Fazer pequenas ações voluntárias foi a maneira que encontrei para realimentar a nascente do meu coração antes que seque tal qual o Rio Jaguari em janeiro desse ano.  
Voluntariado beneficia quem faz e quem recebe.



Serviço para quem tem facilidade para acolher e compreender. Não é um serviço de aconselhamento, não há julgamentos e o sigilo é garantido. Pode ser realizado em casa, via web, ou em centrais de atendimento. Eu fiz tudo via web. Você entra em contato pelo site, quando abrem uma nova turma o curso é feito online (4 meses), e o último mês é de estágios práticos via web. Minha sugestão é que os textos da primeira fase do curso sejam estudados a fundo, pois são extremamente cobrados durante o estágio prático. As tutoras são muito exigentes em relação ao preparo do voluntário, o que me transmitiu maior confiabilidade. Eu me apaixonei pelo serviço e começo a atender nessa semana.

Imagem by Bia

Muito simples. Consiste em confeccionar pequenos corações de feltro, tecido ou papel em dobradura, onde é fixada uma mensagem positiva. Depois, os pingos devem ser deixados em lugares aleatórios (tirando uma foto) para serem resgatados por um desconhecido. É legal se cadastrar no blog acima para partilhar sua experiência.


Participei do Interact entre os 14 e 18 anos, com cerca de 15 jovens. Acompanhados por um supervisor do Rotary, fazíamos festas em creches, arrecadávamos alimentos para distribuir para pessoas carentes, bazar para arrecadação de roupas...O Rotaract é para pessoas entre 18 e 30 anos e o Rotary, acima dos 30. Os três grupos seguem os mesmos preceitos de desenvolver o amor ao próximo, compartilhar, respeitar e valorizar bem-feitorias. No site do Rotary há informações sobre os três grupos.




Para doar sangue é preciso ter entre 18 e 67 anos, acima de 50 kg e boa saúde. O procedimento é seguro, o sangue é processado e dividido em categorias que atendem inúmeros tipos de doenças. Para doar medula óssea, é só ter entre 18 e 55 anos e retirar uma amostra de sangue. Se for encontrado um receptor compatível, serão feitos testes complementares para a retirada através de uma punção. Sua medula estará reconstituída em apenas 15 dias. A medula óssea não atende somente casos de leucemia, como também de algumas doenças degenerativas.

Doação de roupas

Penso que, se temos a bênção de ter dinheiro pra comprar roupas e sapatos, devemos agradecer dando o que não usamos para quem precisa, e não vendendo. Essa foi a única iniciativa que recebeu apoio de uma querida da igreja próxima à minha casa, que sempre veio recolher minhas doações para distribuir para a  comunidade cadastrada.

Essas são sugestões baseadas em experiências pessoais. Se você conhece algum outro tipo de iniciativa, é interessante deixar registrado nos comentário ampliando o leque de opção.

"A verdadeira caridade é impalpável como a luz e invisível como o perfume: dá o calor, dá o aroma, mas não se deixa tocar nem ver."
Coelho Neto

"A caridade é um exercício espiritual... Quem pratica o bem, coloca em movimento as forças da alma."
Chico Xavier

***
A homenageada de hoje é alguém especial, é a Valquíria do blog
Amo Nail Art

A Val é uma menina inteligente com tiradas ótimas em seus posts e comentários, além de ser expert em unhas. Seu blog foi o primeiro que conheci sobre o tema e confesso que depois dele passei a dar um valor especial para o universo dos esmaltes e afins.


75 comentários:

  1. Olá Bia,
    tudo bem ?

    Adorei a forma como este post começou, e ainda mais o desenrolar deste.
    Você abordou um assunto que sempre me faz pensar, afinal, nosso coração parece mesmo ser um tanto quanto independente dos nossos desejos de vez em quando. Eu me pego nessa situação as vezes.
    O coração quando cheio de amor, faz o bem, sem importar quem é o destinatário.
    Eu procuro usar vícios que tenho para de alguma forma ajudar outras pessoas.
    Por exemplo, sou viciada em livros. No começo deste ano, fui a uma escola do meu bairro e me ofereci como voluntária para a reforma de livros da biblioteca, além disso, pedi um dia apenas para contar histórias. Os alunos da escola vestiram a ideia, e fizemos um trabalho lindo !
    E é assim, fazemos o bem e os maiores beneficiados somos nós mesmos !

    Um beijo Bia,
    um lindo domingo.
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jhosy, achei sua iniciativa ótima, penso que é bem por aí. Para abraçar um serviço voluntário é preciso que haja identificação com o que vamos fazer, e se a sua está ligada à literatura, vá em frente. Se cada um doasse um pouco de si em um projeto viveríamos uma outra realidade. Um abraço!

      Excluir
  2. Este pensador, viajeiro entre Sois
    Esta Ave pousada em mil embarcações
    Esbarco que passa sem vela ou remo
    Esta arca repleta de vibrantes emoções

    Esta mestiça flor de açafrão
    Este ramo de espinhos cravados na mão
    Esta alma que não ousa largar opinião
    Este homem vestido de solidão

    Bom fim de semana

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  3. Lindo post apresentando esse trabalho maravilhoso e de ??doação..Satisfação poder ajudar,não é? Importantíssimo trabalho ede doação!Parabéns! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, obrigada pelo incentivo. Um abraço!

      Excluir
  4. Ei minha amiga...

    Tudo bem?
    Meu coração também é um músculo involuntário, e bate mais forte quando encontra outro que pulsa como ele, pois é assim que funciona quando há sentimentos de solidariedade e amor aos que realmente necessitam . Participo de alguns trabalhos voluntários em minha cidade, tenho um prazer enorme e me sinto realizada sempre, achei super interessante o que citou "PINGA AMOR POR AI" , criativo, válido e prático pra quem realmente tem o coração voltado a doar . Eu só nunca consegui doar sangue, infelizmente, já tentei mas fico super nervosa e apavorada com agulhas, mas ainda vou conseguir.:)..

    Sua iniciativa de buscar algo que a tornasse útil voluntariamente e claro transbordar seus sentimentos é admirável..Parabéns

    Abraços e um delicioso domingo pra ti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cecília, gostei de saber que participa de algumas iniciativas em sua cidade. O "Pinga amor" é uma das maneiras mais fáceis de doação, demanda pouquíssimo tempo e às vezes é só do que precisamos, encontrar boas palavras plantadas em algum lugar. Os corações podem ser feitos também de dobradura, o que torna o processo ainda mais rápido.
      Também nunca doei sangue, mas é porque meu peso está sempre beirando os 50 kg, mas para doar medula não há limite de peso. O importante é que você já é uma pessoa engajada.
      Um abraço!

      Excluir
  5. Bela introdução para uma finalidade mais do que nobre. Sim, também já sofri o golpe da falsa instituição, mas não se pode generalizar. Que belo trabalho, Bia. Gostei muito de todo o texto e do projeto! Beijos, parabéns e bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, penso que por existirem pessoas que se privilegiam da boa-fé alheia para ganhar dinheiro é que tantas pessoas acabam se fechando em seu mundinho. Uma pena, né? Um abraço!

      Excluir
  6. Parabéns minha amiga eu já fui voluntaria em um asilo em outra cidade que morava e Deus me deu a graça de poder ajudar muitas pessoas, depois me mudei mas ainda quero fazer o bem, sair dessa redoma ue vivemos e olhau verdadeiramente o proximo, já pensei em fazer o curso para o cvv pois ja usei em muito esse serviço em uma fase da minha adolescencia, posso dizer que o anjo que me atendeu naquele dia me livrou de fazer algo que com certeza iria me arrepender...adorei o texto, a reflexão enfim love iuuuuu..


    Esse trecho marcou:
    Acho mais triste um coração que amou, secar, do que um que nunca conheceu o amor, porque significa que aquela pessoa chegou ao ápice da dor e se fechou. Seu sentimento sofreu um infarto. Refiro-me ao amor em todas as esferas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrícia, asilo são sempre um lugar onde podemos aprender bastante com o conhecimento do outro. Acho que deveria investir em ser voluntária do CVV, seu jeito de escrever e ver a vida me parece bem próximo do perfil adequado. O melhor é que dá para fazer todo o processo em casa mesmo.
      Amiga, temo a cada dia sentir que me fechei de vez para o mundo e para as pessoas, às vezes chego muito pertinho disso. Ainda resisto.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Oi Bia, bom dia,
    a 2 anos faço parte de um trabalho voluntário que consiste em alimentar moradores de rua, aqui em Santos temos centena deles, temos um brechó onde as peças de roupas são vendidas e transformadas em alimentação, desde que comecei a trabalhar com isso mudei muito meu modo de ver a vida, não somente os ajudo, eles me ajudam também, principalmente em como enxergar a vida.
    beijo ótimo domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angela, belo depoimento. Conheço algumas instituições que fazem esse trabalho de distribuição de alimentos, acho belíssimos, e vender roupas é bem válido já que em prol de um bem maior.
      Como você, também acho que o serviço voluntário, onde ganham os dois lados.
      Um abraço!

      Excluir
  8. Eu já participei do Interact, mas só tinha gente tosca no grupo que só pensavam em dar festinhas, tanto que nem durei tanto lá kkkkkkkk
    Eu fico mt nervosa quando vejo essas questões de desvio de verbas em obras sociais, acho importante sua iniciativa em demonstrar projetos de credibilidade e, mais que isso, em incentivá-los. Seu amor é ágape.
    Ah, obrigada pela homenagem, então quer dizer que vc me acha inteligente? Fiquei me sentindo agora kkkkkk
    Pois é, parece que vento tb dá bolinhas no esmalte :/
    Bjos e boa semana!
    http://amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, ri muito com o "gente tosca", hahaha, fiquei imaginando um grupo muito doido! Tive sorte porque além de fazer parte de um grupo muito legal e engajado, tivemos a companhia de uma pessoa mais velha e experiente que nos orientava bastante, talvez seja o que tenha faltado no seu grupo. Mas não desista, gente tosca existe em todo lugar, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  9. Aqui tem Rotary, mas funciona com escola estadual, não sei mais se eles ainda desenvolvem esses projetos. Mas procurarei saber.

    É do jeito que você falou, Bia. Tem que deixar o músculo involuntário no comando e doar com amor, porque se for de outro jeito, soa falso e oportunista.

    Beijo, menina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Milene, sei que o Rotary é uma das instituições mais sólidas nesse sentido, o que não quer dizer que todas as pessoas são sinceras e boas. Mas se você fizer sua parte com o coração sincero, isso é o que importará. Um abraço!

      Excluir
  10. Oi, Bia! Confesso que tenho o não raro defeito de ficar tentando entrar no coração dos outros. Faz tempo que desisti de negar que preciso ser querido para ter conforto na vida ‘º~º’ Adorei seu texto e gostei muito da postagem toda. Abraço! Ah, com tempo, venha comentar algo em meu http://jefhcardoso.blogspot.com, sim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeferson, seja sempre bem vindo! Esse defeito também tenho, mas o coração é como uma porta: podemos bater muitas vezes para tentar entrar, mas se ninguém quiser abrir, o jeito é procurar abrigo onde precisam da gente. Porta arrombada não dá! Um abraço!

      Excluir
  11. Acho o voluntariado um trabalho gratificante, seja com ajuda num trabalho, doando algo ou o que seja... Eu já fiz alguns trabalhos voluntários e isso me deixou plenamente feliz por me sentir útil ao outro. Linda postagem, parabéns! Abraços e lindo domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbie, quem já fez um serviço desse tipo entende sobre o que estou falando. ;) Um abraço!

      Excluir

  12. Olá Bia,

    Concordo que o coração é um músculo involuntário, pois ele escolhe as pessoas, independentemente de nossa vontade. É incrível como algumas pessoas nele vão entrando e se acomodando gratuitamente.

    É muito bom canalizarmos nossa energia para o trabalho voluntário. É algo gratificante e que faz mais feliz àquele que o abraça do que ao próprio beneficiado. Já participei de grupos de voluntariado em centro espírita, auxiliando no sopão e em sua distribuição. Hoje estou parada, mas já pensando em abraçar o serviço novamente. Só que desta vez quero participar de um trabalho com o qual sinta maior afinidade e que possa realizar com mais entusiasmo e amor.

    Ótima tarde de domingo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, vera, tem razão, o coração é um cômodo do nosso organismo bem danadinho...
      eu já soube desse serviço oferecido pelo centro espírita, inclusive, em algumas vezes que não consegui contato com a moça da igreja citada no post. Deixei num centro espírita da minha cidade que eles fazem a distribuição a quem precisa.
      Vera, acho que a identificação é o que nos motiva a seguir em frente. Eu demorei, mas encontrei um serviço com o qual me identifiquei, e isso faz toda a diferença. Espero que encontre um também.
      Um abraço!

      Excluir
  13. Olá!Boa tarde!
    Bia...
    Belo texto em palavras, atitudes e gestos...
    ...o desejo de ser um agente de mudança do mundo está plantado no coração de todo ser humano. Podemos sufocá-lo com o egoísmo, silenciá-lo com a conversa fiada de competitivas exigências ou deixá-lo para trás na rápida trilha que leva à realização pessoal. Mas ele ainda está lá.No coração. Toda vez que ficamos impacientes e insatisfeitos, o desejo sussurra em nossa alma. Toda vez que nos perguntamos como seria uma vida de verdadeiro propósito, o desejo nos chama para algo mais. E esse desejo do coração bate mais forte quando encontra outro que pulsa como ele, principalmente quando há sentimentos de solidariedade e amor aos que realmente necessitam...
    Conheço alguns desses serviços de "voluntariados", que você carinhosamente está divulgando!
    Eu tenho uma ONG que cuida de doentes terminais (#mimimi eu estive numa situação parecida e sei como é precisar somente de amor e carinho...)
    Parabéns pela iniciativa e ao Blog homenageado (da Val).
    Obrigado!Cuide se bem!
    Bom restinho de domingo!Bom início de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis. Lendo seu comentário fiquei imaginando quantas histórias estão guardadas atrás dos rostinhos e posts que encontramos no mundo virtual...Isso faz toda a diferença entre os seres humanos, Felis, você passou por uma situação complicada e, renovado, resolveu contribuir espalhando amor em forma de cuidados. Isso é lindo e o torna especial, pois não se deixou vencer pela amargura do sofrimento. Adorei seu comentário e sua iniciativa, um abraço!

      Excluir


  14. "É bom dar qdo alguém pede, mas é melhor ainda poder entregar tudo a quem nada pediu. E existe alguma coisa que se possa guardar? Tudo que possuímos, um dia será dado. As árvores dão para continuar a viver, pois guardar é colocar um fim em suas existências. E o maior mérito não é daquele que oferece, mas do que recebe sem se sentir devedor. O homem dá pouco quando dispõe apenas dos bens materiais; mas dá muito quando entrega a si mesmo. - Khalil Gibran".

    Bia, bela iniciativa em se doar ao outro. Quem assim age faz um bem a si tb. Bjos e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eder, lindo trecho o que citou. O amor baseado em dívidas se apequena demais. O amor recebido de coração aberto é uma mola propulsora para se tornar ainda mais amor. Um abraço!

      Excluir
  15. Oi Bia
    Realmente tem muitas pessoas precisando somente de uma palavra amiga, eu sei o que é isso, pois já passei por isso, mas nunca liguei para esse tipo de ajuda. Parabéns pela iniciativa. Muito legal o post no geral, e parabéns pela homenageada, não a conheço, mas se vc está falando é porque ela merece mesmo. Obrigada pelo carinho sempre constante no meu blog.
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana, o CVV é um serviço de desabafo, onde a pessoa não é consolada, aconselhada, julgada, estamos ali para entrar em sintonia com o outro e caminhar simplesmente ao seu lado. Eu usei uma vez antes de me tornar voluntária e me senti muito bem depois. Um abraço!

      Excluir
  16. Olá Bia.
    O voluntariado é o conjunto de ações de interesse social e comunitário em que toda a atividade desempenhada reverte a favor do serviço e do trabalho. É feito sem recebimento de qualquer remuneração ou lucro. É uma profissão de prestígio, visto que o voluntário ajuda quem precisa, contribuindo para um mundo mais justo e mais solidário. E você minha querida amiga está nos dando uma bela lição com esta sua iniciativa. O voluntariado requer profissionalismo e infelizmente hoje não disponho de tempo para abraçar uma causa tão nobre e edificante. Parabéns pra ti minha querida. Um doce beijinho recheado de carinho
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracita, gostei muito de um termo que usou no seu comentário, profissionalismo. Tem razão, é um compromisso e é preciso disponibilidade e afinidade com o serviço para abraçá-lo. Mas há outras alternativas, como o Pinga amor, que demandam pouco tempo. Obrigada pelas belas palavras, um abraço!

      Excluir
  17. Sempre fui desconfiada com relação a instituições. Até colaborei com algumas, mas alimentando aquele descrédito quanto à utilização das doações. Isso não acontece com o serviço voluntário. A pessoa vê os resultados e se sente útil. Nem sempre é o bem material que procuram os necessitados, mas o conforto de se saberem queridos.
    Sua postagem ficou esclarecedora e sábia. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene, identificou muito bem a diferença entre colaborar financeiramente com uma instituição e realizar o serviço por suas próprias mãos.
      Fico triste porque algumas pessoas desmerecem serviços como o do CVV, acham frescura, e na verdade não compreendem que às vezes a outra pessoa só precisa de um "ombro" para desabafar.
      Um abraço!

      Excluir
  18. Adorei a forma como é colocado o coração. É isso mesmo, um músculo involuntário, e quando amamos devemos cuidar, alimentar...
    Passando para desejar uma semana de luz! Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Silmara, o coração é sem dúvida o órgão mais sensível do corpo humano em todos os sentidos. Um abraço!

      Excluir
  19. Bom, seu texto me surpreendeu bastante. No começo eu pensei que fosse ressaltar o amor de homem e mulher, pois muitos falam sobre o assunto e dizem que é a pior forma de sofrimento (o que eu não concordo). Mas suas palavras desviaram a minha ideia de tema no início e me levou a um assunto bem tocante e interessante. As pessoas na maioria das vezes, não lembram desse tipo de amor. O amor ao próximo, através de trabalhos voluntários, como você citou. Eu mesma, fiz muito pouco nesse quesito, em minha vida. Contudo, sei o quanto é necessário. Achei super bacana a sua iniciativa e a forma como colocou o 'problema'. Parabéns, de verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, B. Na verdade as pessoas sabem o quanto esse tipo de serviço é necessário porque vivemos em uma sociedade muito precária e carente de condições humanas de vida. E tenho certeza que há mutias pessoas maravilhosas que poderiam participar desse tipo de serviço, falta só dar o primeiro passo. UM abraço!

      Excluir
  20. Belas campanhas, Bia. Tomara que atraia muitos voluntarios. Gostei muito de ter falado tambem da doaçao de medula ossea.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilberto, você sabe que um dos motivos por qual abracei essa bandeira foi para ver se você chega lá, estou torcendo! Um abraço!

      Excluir
  21. Olá Bia,
    ficou muito lindamente sequenciado o teu painel mostrando o Amor em suas infinitas manifestações.O realce das muitas formas de deixar o coração falar abre o leque das possibilidades que essa ação permite.Sou professora aposentada e me identifiquei de imediato com a fala da colega.Aconteceu comigo.
    Desde menina sigo uma prática de solidariedade,campanhas e movimentos na igreja católica.Já ouvi falar muito bem do CVV e te parabenizo pela iniciativa.Felicidades!
    Além de tudo, gostei da ideia dos corações.Mais uma forma de Amor, né?
    Valeu menina.Bjos e boa semana.
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu, seja muito bem vinda! Quando ingressamos em um serviço que gostamos acaba se tornando natural e parte da rotina. Como professora me convidaram para participar da Pastoral da Educação, mas eu não queria trabalhar com educação no contra-turno. Acho fundamental abraçarmos uma causa no qual nos sentimos plenamente entregues. Um abraço!

      Excluir
  22. Acho fantástico o trabalho do CVV. Legal que vais participar. Como disseste, não se espera retorno, todavia, o prazer de servir anonimamente vai retornar pra ti como uma sensação de bem estar e consciência tranquila.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeanne, talvez seja justamente o anonimato que dá a sensação de tranquilidade, porque não esperamos um retorno ou compensação financeira, só o bem estar do outro.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Oooi Bia!!!
    Saudades daqui. Fiquei uns dias sem visitar meus queridos amigos e hoje estou tão sentimental que me emocionei lendo teu post.
    Essa vontade de fazer mais até me toma as vezes, mas o medo de não dar conta me domina e ainda não tomei nenhuma atitude além de doar sangue. Ato que no momento não tenho feito por ter diminuído de peso (bom por um lado, ruim por outro).
    Vi alguma coisa sobre o "Pinga amor por ai" e gostei bastante da ideia. É de se pensar.
    Ah, roupas doa-se sempre por aqui. É... ta aí uma coisa feita pelo menos uma vez por ano.

    Bejus

    ResponderExcluir
  24. Troque-se o "diminuído de peso" #horrível, por "perdido peso", por favor!
    Hehehehe, só eu mesmo para sair com essa ;)

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naty, acontece comigo, às vezes estou muito sensível e choro em cada post que leio, até se estiver falando sobre a previsão do tempo, hahaha. Doando roupas uma vez por ano você já está contribuindo, e espero que possa aderir ao Pinga amor, é simples mas muito legal. Um abraço!

      Excluir
  25. Olá Bia!

    Tudo bem?

    Excelente iniciativa. Quando nós abdicamos do nosso ego e escolhemos ajudar o outro espontaneamente, estamos a ser altruístas. Isto é o amor puro e verdadeiro.
    Fico contente por saber mais de ti e neste post, mostras que o teu ser é exactamente como eu senti que és: uma pessoa com um bom coração e bom íntimo.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, você também me passa uma imagem de uma pessoa boa e alto-astral, gosto de estar com pessoas assim por perto. Um abraço!

      Excluir
  26. Oi Bia,
    Graças a ações de voluntariados, semelhante a sua, que muitas instituições e Ongs se mantém vivas, servindo e ajudando inúmeras pessoas.
    Aplausos!
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seus elogios, Nestor, um abraço!

      Excluir
  27. Um post valioso heim amiga
    quantas dicas e mensagens que
    faz bem ler e saber, parabéns
    Deixo um abraço bem feliz nessa segunda
    Bjuss
    Rita!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) Adoro sua presença carinhosa e constante!

      Excluir
  28. Que maravilha de post! Brigada querida pela visita beijo grande.

    ResponderExcluir
  29. Querida Bia, antes de comentar, eu sempre faço doações. Ontem, por exemplo, minha filha separou muitos brinquedos para dar às crianças carentes. Eu sempre estou distribuindo bons produtos (roupas, sapatos e brinquedos). Como isso faz bem!

    Quanto ao tema, em todos lugares temos pessoas que são gratuitamente mais especiais, o que torna magica a palavra 'afeto'.

    Sobre o amor entre casal, xiiii.... acho que meu coração secou... apesar de escrever muitas belas poesias, desacredito no ser homem. Se não enganam ou mentem de um jeito, fazem de outra maneira. Existe o amor entre 2 "almas gemeas", mas ... onde encontrar neste mundo enorrrrme?!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym, houve um ano em que eu levei uns brinquedos em uma creche, foi bem interessante. O legal é que, fazendo isso com os filhos, eles já vão aprendendo a valorizar o próximo.
      Sobre o amor casal, sinceramente não sei muito o que dizer. Espero que meu coração não entre numa estiagem infinita, e espero que uma tormenta faça o seu coração transbordar e enxergar alguém que lhe mereça. Um abraço!

      Excluir
  30. Maravilha essa postagem se muitos doassem só um pouquinho do tempo, agradeço pela torcida graças a Deus fui eleita 1472 votos, por ser a primeira vez foi ótimo. Estou muito feliz, emocionada e motivada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriela, já comentei no seu blog, fiquei de olho na votação, menina, parabéns, espero que você consiga fazer a diferença! Um abraço!

      Excluir
  31. Bia, o que estou em atraso com os parceiros de blogue, não tá fácil. rs.
    Antes de tudo, agradeço por ter deixado o link de votação para o 11 NOITES INSONES e por achar que merece ser um dos finalistas. Eu nem tinha percebido do ipad ser prêmio para o primeiro lugar, quem me contou foi outro autor que também publicou na editora e tenho no Facebook. Poucos acreditaram, mas pode acreditar! Eu nem me dei conta... ahaha
    Em verdade, eu gostaria mesmo é de estar entre os finalistas, porém, eu sei que é quase impossível por depender quase que totalmente dos parceiros virtuais, visto que em meu cotidiano não sou de dividir meus escritos com muitos.
    Apenas tento carregar o mínimo possível a frase: "Me arrependo por não ter tentado".
    Grato também por citar meu post e saber que, de algum modo ou de outro, este "protesto" inspirou alguém ao voluntariado. Como sabe, acho que o CVV ainda deixa a desejar na disponibilidade de horários online e por não ter um 0800, contanto, acho super válido o trabalho que fazem e nunca subestimei.
    Caraca... Eu fiquei surpreso ao ler sobre pastorais fechados! O.o
    Esta frase diz tudo: "Não adianta fazer o bem para um desconhecido e ser uma peste para as pessoas de convivência".
    Não poderia concordar mais, é uma pena que poucos saibam o real significado da caridade e eu, admito, que só descobri há pouco tempo atrás, em uma gira de umbanda, o real significado desta palavra tão utilizada por religiosos e pessoas em geral e tão pouco utilizada na prática.
    Depois retorno para comentar os demais posts com calma.
    Até!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chris, o tempo anda apertadíssimo, só hoje, de folga, estou conseguindo responder os comentários. Entendo você.
      Acho que só por estar participando de um concurso já vale a pena, independente do prêmio.
      Adorei sua frase sobre arrependimento, também penso assim, o fracasso não é não conseguir, é não tentar.
      Infelizmente muitos começaram o curso do CVV, mas pouquíssimos terminaram, acredito que justamente devido à exigência necessária para a qualidade, o que torna mesmo o número de voluntários bem reduzido, o que é uma pena.
      Tentei participar de algumas pastorais e não obtive sucesso, só seriam abertos grupos sabe-se lá quando e o único disponível, da educação, eu é que não tive interesse. Realmente, lamentável.
      A umbanda, ao contrário do que muitos pensam, tem ensinamentos muito ricos para quem se dispõe a conhecer sua cultura. Já li algumas coisas a respeito.
      Um abraço!

      Excluir
  32. Uma iniciativa valorosa! Excelente post!

    ResponderExcluir
  33. Bia, essa é uma daquelas publicações que contribui e, com toda certeza, para aquilo que chamamos de reflexão humana. Parabéns e um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pc, espero que alguém que por aqui passou tenha se disposto a levar consigo alguma semente. Um abraço!

      Excluir
  34. Oi Bia,

    A solidariedade e a caridade deveriam fazer parte intensamente da educaçao dos pais para com os filhos, inclusive nas escolas, teríamos além de cidadaos, pessoas mais humanas.

    Parabéns pela atitude!

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, bem lembrado. Quando conseguimos fazer os filhos enxergarem o tanto de gente menos favorecida que precisa de ajuda e carinho, estamos contribuindo para criar um ser humano mais grato e generoso. Um abraço!

      Excluir
  35. Bia que coisa mais linda, li este post e fiquei comovida, como é bom ler um texto assim, pura doação. Que maravilhoso este trabalho, muito sucesso. E ainda deixaste uma lição para muitos, fazer o bem para aqueles que estão ao nosso lado também.
    Adorei seu texto e parabéns pela iniciativa. Dias maravilhosos a você. beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Verinha. Embora eu não esteja vivendo em uma situação em que eu me sinta feliz, ainda assim procuro tratar os que estão por perto bem porque não me sinto bem sendo grosseira e mal-educada. Mas um dia me afastarei desse convívio, e quero que ocorra em paz. Um abraço!

      Excluir
  36. Oi Bia,
    O serviço voluntário é algo que sempre admirei e que tenho muita vontade de fazer,inclusive já me inscrevi em algumas instituições por aqui e estou aguardando o contato.
    Para mim não há nada melhor do que fazer o bem e ajudar a quem precisa.
    O coração,engraçado né tem gente que vem e pronto,já sabemos que veio pra ficar e fazemos amizade,sorrimos e sofremos juntos,dividimos um pouco da vida,enfim.
    Um ótimo feriado e final de semana,abraço,=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen, que legal, espero que entrem em contato e que você consiga se integrar a uma delas.
      Há pessoas que entram "de graça" em nosso coração, como se fosse um carinho de longos anos, é mesmo interessante!
      Um abraço!

      Excluir
  37. Acho o serviço voluntário a maior expressão de solidariedade ao próximo. Tenho muita vontade de fazer , mas me falta iniciativa . Adorei a postagem .


    Beijão, Sabrina. (www.spiderwebs.com.br) ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabrina, depois da iniciativa tudo fica mais fácil. Por que será que começar é sempre tão difícil, né? Um abraço!

      Excluir
  38. É importante que existam pessoas com essa sensibilidade e disposição em estender a mão ao próximo. A sensação de poder ajudar alguém é algo indescritível. Quanto ao fato de encontrar dificuldades para ser aceito como voluntário, eu também vivenciei isso aqui na minha cidade e me explicaram que infelizmente, algumas pessoas apresentam-se como voluntárias, e depois de certo tempo, ingressam com ações judiciais contra a instituição querendo comprovar vínculo empregatício e requerer direitos trabalhistas. Então nosso mundo está ficando cada vez mais complicado. Eu ainda tenho preferido ajudar diretamente alguém que precise sem a utilização de intermediários. Parabéns pelo post e pela iniciativa. Bom fim de semana. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulo, seja sempre bem vindo! Eu não sabia sobre as pessoas que entram com um processo, meu Deus, é impressionante como consigo me surpreender negativamente com as pessoas! E aí, quem paga o pato são aqueles que estão realmente dispostos a fazer o bem. Fazer o que...O importante é que, a seu modo, você está contribuindo com sua parte a seu modo. Um abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.