sábado, 23 de fevereiro de 2013

Da liberdade de ser

Imagem by Freepik

"...O fim da vida é o desenvolvimento da personalidade. Realizar sua própria natureza, eis o que procuramos fazer. Os homens, hoje, amedrontam-se deles mesmo. Esqueceram-se do maior de todos os deveres, do dever que cada um deve a si próprio. Naturalmente, são caridosos. Nutrem o pobre e vestem os andrajosos, mas deixam suas almas famintas e andam nus. A coragem nos abandonou; é possível que nunca a possuíssemos! O terror da sociedade, que é a base de toda a moral, o terror de Deus, que é o segredo da religião, eis as duas coisas que nos governam.....se um homem quisesse viver plenamente, quisesse dar uma forma a cada sentimento, uma expressão a cada pensamento, uma realidade a cada sonho, creio que o mundo experimentaria tal impulso de alegria nova que nos esqueceríamos de todos os males medievais..."


Do livro "O retrato de Dorian Gray", de Oscar Wilde.

Dei uma pausa na leitura desse livro, profundo demais para uma mente tomada por estudos, trabalho e conflitos dissolvendo-se lentamente, mas esse trecho ecoou especialmente e quis passar para partilhar com vocês.
Ando farta dos dogmas da sociedade, que cobram e cobram e cobram sem se importar com a integridade emocional de cada um, sem se importar com a liberdade que cada um deveria ter para ser quem deseja sem acusações, culpas ou julgamentos.
Não ajudam a passagem para a construção dos degraus que levam à um estado de paz e felicidade. Buscar ser feliz é tratado como uma busca tola, quando deveria ser natural.
Ainda assim estou quase chegando lá...não me permito curvar à triste decadência social, ainda que lutando para manter a alma íntegra.

E você, como interpretou esse trecho? Será que sob outras condições de vida os pontos de vista são diferentes?

Obs: ainda estudando e visitando na medida do possível. Agradeço o carinho de todos! :)


42 comentários:

  1. O autor fez um reflexo límpido de seu tempo, o antes que permanece no agora;as regras seculares ditadas pela repressão machista embasada no medo agrilhoam a busca e quiçá o encontro do eu-livre, autêntica vivência do Ser em seu amplo caleidoscópio.
    Algumas correntes foram rompidas, outras se mantém aferroadas a velhos e caducos dogmas.

    Vai com fé, Bia.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  2. Todo temor, seja da sociedade, seja da religião não permite o ser conhecer a si e nem ao outro, pois, este ele tb temerá. liberto é todo ser q se desfaz dessas amarras. Se Deus é amor, pq a maioria das religiões O tratada como castigador, isso, nunca entendi. O amor é que salva, é o q nos traz felicidade, é q nos leva adiante, e para isso, para praticar e compartilhar, penso, não há necessidade de uma religião, pois, todos nós temos intrínseco a centelha divina. Então, amiga Bia, se queremos ser feliz, basta amarmos. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Olá!Boa tarde ops boa noite
    Bia
    espero q esteja indo bem...
    pois é...os dogmas de uma sociedade fútil, hedonista,e ainda temos que aprender a lidar com o “dark side” que cada um tem dentro... vai saber...penso que o caminho para a infelicidade começa quando deixamos que algumas coisas se coloquem no caminho da felicidade ... por vezes, perdemos o foco nas nossas necessidade e realizações pessoais e enveredamos por um caminho onde não controlamos e que inevitavelmente acabarão por acontecer, nem sempre como queremos ou gostaríamos...e não dá para deixar passar , fingindo que não viu, fingindo que não é com a gente, desculpando-se com a descrença ou com os julgamentos alheios ... assim, mais que perder uma oportunidade de ser feliz, é deixar um bocado de vida ir embora... não podemos deixar crescer em nós , olhos marejados para enxergar o mundo, pois não devemos perder de vista que a verdade é para aquele momento e que, dado o processo de mudança permanente, quem sabe já no momento seguinte se tenha avançado de tal modo que se estabeleça uma nova verdade que modifique ou suplante o dogma anterior...
    Meu carinho
    fique cansada , mas não fique tristiiii não
    Bom domingo
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. muita coisa cansa e ultimamente acho que reclamar da sociedade e suas "prisões" é uma delas!!!
    mas ok,revolta e romance faz bem rs...
    sou favorável a um exame e exercício mais intenso para o nosso interior,e isto simplesmente significa comandar a sociedade e todas as coisas...sermos uma PRESENÇA VERDADEIRA e DIVINA nesta Terra de "seguidores"....
    namastê!

    ResponderExcluir
  5. O texto é realmwente profundo e concordo que deves gostar mais dele após te desobrigar de tantos compromissos! beijos,lindo domingo!chia

    ResponderExcluir
  6. O ser humano está perdido entre o material e o espiritual. É um animal que empacou no caminho de ser anjo. Há quem coma para viver e há quem viva para comer.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Bia,
    Dorian Gray foi um dos personagens mais marcantes de Oscar Wilde, sempre tão ácido e incisivo em seus posicionamentos. Li o livro e vi o filme ainda adolescente, qdo buscava respostas e tentava quebrar paradigmas. Eu confesso que hj ando meio cansada disso, acho que me acomodei e agora vou com a maré, tocando minha vidinha simples, sem problematizar demais sobre nada.
    Acho que agora sou mais feliz.
    :)
    Um bjo.

    ResponderExcluir
  8. Bia, parceira, primeiramente quero agradecer ao comentário lúcido que deixou em meu último post publicado. Agradeci no G+, contudo, não poderia deixar de deixar meu agradecimento registrado aqui também.
    Como acompanha os Escritos Lisérgicos, deve ter lido em um dos tantos memes que já respondi O Retrato de Dorian Gray como minha obra literária preferida. E pensar que foi o único romance de Oscar Wilde.
    Quem leu a obra é claro que percebe o quanto homoerótica ela é, de acordo com a época em que foi escrita, muito corajosa também. Aliás, assumir certas posturas em uma sociedade machista, homofóbica, fundamentalista ainda (!) é um ato de muita coragem.
    Você escolheu um dos tantos trechos que além de ser claro, é excelente para analisar. O que eu percebo: pessoas deixando a felicidade de lado (e interferindo nas dos demais) por arrogância, por culpa, por medo, este, o pior inimigo do ser humano e melhor arma de manipuladores.
    E o mais deprimente é perceber que até a caridade é incluída no temor.
    Presenciei pessoas praticando a caridade claramente movido por ele. Tanto a doutrina Espírita de Allan Kardec quanto as espiritualistas em alguns centros pregam a caridade como um meio de "evoluir" e de vencer o Mal e, portanto, isto ao meu ver, invalida o sentido de caridade, visto que pessoa o faz em busca de uma recompensa ou por temor à "lei do retorno".
    Também me recuso à esta decadência social que me entristece ao ver pessoas amando mais a dogmas do que aos seus familiares e amigos, rejeitando os seus por terem um tipo de vida que, ao contrário do que alguns fundamentalistas insistem em afirmar, não escolheram ter uma vida de rejeições, perseguições e risco de morte. A culpa e o incentivo ao ódio são armas letais e não é preciso empunhar uma arma para matar alguém. Sim, eu me recuso a compactuar com isto. #TamoJunto.
    Os comentários da Calu, Eder e Felisberto (que foram os moderados até o momento) complementam tudo o que eu poderia dizer e também tento manter a alma íntegra no pouco de esperança que encontro no comentário do parceiro Felisberto. Que as coisas mudem!
    Vou ficar ausente um bom tempo, já senti em uma semana, imagina o quanto sentirei ainda. rs.
    Abraço Bia.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  9. Olá Bia,

    Primeiro, que saudades de seus escritos, ando indo e voltando dessa minha vida corrida e agora consigo trazer um pouco de minhas palavras.
    Um trecho a se pensar, as vezes acho que o ser humano segue uma linha, como se fosse um padrão, vive da mesma maneira, age da forma que convém, o bom empurrando com a barriga e esquece o quanto é bom e necessário ser diferente, correr atrás de suas coisas, mas se impor diante de suas fraquezas saber caminhar nos mesmos passos, mais com mais precisão no significado de seus interesses.

    Um grande beijo, um ótimo domingo.

    ResponderExcluir

  10. Gosto de observar o comportamento humano. Creio que nós enxergamos no homem singular um pólo real, ontológico, de cada processo social, além disso, a alienação é um dos fenômenos sociais mais nitidamente centrados no indivíduo....

    Porém...

    "... somos livres para nos libertar..."

    (ainda bem que existe você ...muitas vezes meu espelho.
    isso reconforta)

    beijao

    ResponderExcluir
  11. Bia,
    vim lhe explicar que não a inclui na oferta do selinho de hoje, por sabê-la ocupada e sem tempo pra web, viu?
    Quando vc estiver mais desafogada,vc é figura certa nestas iniciativas que me caírem em mãos.
    Bom domingo,
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  12. Esse livro é fantástico...não posso ver as mudanças físicas enquanto o social engole meu corpo, devasta meu ser e devora minha alma! abraços

    ResponderExcluir
  13. Oi Bia,

    Odeio dogmas, preconceitos e prisoes.......

    A sociedade é hipócrita, e na verdade ninguém dá a cara pra bater...

    Mas tenho a consciência tranquila pois me despedi perante mim e todos.......mas nao é uma tarefa fácil!

    Nos trouxe um excelente post!

    Abçs

    ResponderExcluir
  14. Olá Bia! Que a caridade e o amor que expressamos não seja esperando algo, mas por querer semear a semente de boas novas. Muito inteligente seu post. Sigo para retornar, claro! adorei conhecer teu blog. Uma linda semana e forte abraço!

    ResponderExcluir
  15. Olá querida, que saudades de tudo e todos por aqui, estou retornando aos poucos e sempre que é possíivel... Sinto isso muito profundamente e sei e me culpo que faço ou deixo de fazer muitas vezes o que não me agrada totalmente por imposição da sociedade ou por "necessidade material", e o tempo corre tão depressa e o que deveria ser analisado vai ficando para tras, uma mistura de medo e culpa, uma liberdade que não se pode usar totalmente, adorei o post... Que vc tenha uma otima semana.
    Patrícia Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Fico triste quando observo como o ser humano está distorcendo os valores morais, se vendo por pouco, passando por cima de qualquer um para alcançar seus objetivos, não dando mais valor a vida e matando a troca de nada. É assustador... Belo texto querida. Grande bju e linda semana pra ti.

    ResponderExcluir
  17. Ainda não tinha visto teu selinho (rsrsrsr) vi só hoje e estou levando para minha página de "Sigo e recomendo". Bjus

    ResponderExcluir
  18. Oi Bia
    Muito profundo mesmo esse autor, acho que antes de tudo temos que amar a nós mesmos. Continue estudando, vc vai longe.
    Bjos. Fique com Deus!
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Passando para agradecer seu comentário que com certeza fez diferença no meu dia. Um grande abraço, obrigada.
    Patrícia Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. não faz muito fiz um post sobre isto. minha caminhada em busca da minha essência começou na juventude, o preço é alto, mas vale a pena. bjs

    http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Concordo em partes. A sociedade cobra mesmo ao extremo e é regida por verdadeiros dogmas, os quais, já são impostos a nós, sem que possamos saber quem os determinou e segundo quais princípios, argumentos, etc. No entanto, se a sociedade não tivesse uma estrutura, hierarquização, acho que os seres humanos chegariam ao caos mais rápido do que estamos chegando a partir das determinações sociais. Defendo sempre a liberdade, mas se o ser humano agisse apenas por seu impulso, sem pensar na moral 'cidadã', por exemplo, muitos ficariam impunes devido aos erros (assassinato, roubo, violência...). Enfim, o importante é nós estarmos bem com o nosso interior. Mesmo estando dentro do sistema, podemos fazer com que os nossos ideais estejam fora dele. Creio que seja por isso que devemos lutar, para sermos mais 'livres'.

    ResponderExcluir
  22. Para sonhar e viver de acordo com os próprios conceitos e valores é preciso coragem e ousadia. Regras buscam a convivência harmônica entre os indivíduos mas não podem tolher as liberdades individuais. Tentar ser feliz é um direito que não se pode atrelar a costumes sociais ou princípios religiosos que, porventura, não se comungue. Bjs.

    ResponderExcluir
  23. O ser humano esta esquecendo o que veio fazer....
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  24. Booom dia!!
    Profundo demais para uma segunda de manhã, hehehehe. Encontro-me com preguiça de pensar. Volto uma outra hora, talvez, para devanear contigo.
    Uma ótima semana pra ti!

    Bejus

    ResponderExcluir
  25. Devido a falta de conhecimento de seus reais potenciais e suas mesquinharias, o ser humano tem enorme medo de se confrontar com sua própria personalidade. Há uma negatividade de si próprio, um não conhecer-se.
    A partir do momento em que nos encontrarmos conosco mesmo, abrirá-se um leque de oportunidades e a vida passará a fluir de maneira natural e não ao modo em que está sendo imposta.
    Cada ser é responsável por suas mudanças de onde advirá um mundo mais justo e solidário para todos.
    Abraço.

    ResponderExcluir

  26. Olá Bia,

    Valeu a partilha do fragmento do livro que você nos trouxe. Já é suficiente para uma boa reflexão.
    Entendo que os dogmas, sejam impostos pela sociedade ou pela religião, não merecem ser seguidos ou respeitados à medida que ferem nossos próprios princípios e aspirações (desde que estes estejam dentro de parâmetros da razoabilidade). Há posturas que o nosso bom senso reconhece como válidas. Nossa sociedade está doente, assim como alguns princípios religiosos estão ultrapassados. Ficar à mercê do que é ditado por eles, com certeza, nos levará a uma insatisfação interior muito grande, nos afastando do ideal da felicidade que todos procuramos e que é nosso dever buscar.
    As pessoas já estão rechaçando dogmas e (pré)conceitos, buscando criar novos padrões e uma nova espiritualidade. Acredito (e espero) que não está longe o tempo em que o homem buscará viver plenamente, independente de julgamento e opiniões alheias.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  27. QUe legal ler.. gosto do que escreve :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Oii Bia, muito bacana o trecho do livro, deve ser uma leitura bem densa, acho que nunca desenvolvemos nossa personalidade, nem qdo velhos, qdo velhos acho que apenas nos aquietamos, somos medíocres até o fim da vida, amadurecemos os pensamentos sem duvida mas continuamos incapazes de promover mudanças, se assim pudéssemos mudaríamos os mais novos e o final do trecho aconteceria! Muito boa reflexão! Bjoosss

    ResponderExcluir
  29. Esse livro é para ser degustado aos poucos... podemos ir contra o pensamento do autor em primeira instância, quando olhamos sob o ponto de vista individual, mas quando pensamos coletivamente, imaginamos que, se as pessoas fossem mais tementes à Deus, teriam condutas melhores em sociedade. Temer a sociedade é quase um retrocesso nos dias atuais, quando vemos a quantas anda o comportamento social.
    Um trecho do mesmo parágrfo que citou, mas um pouco antes:
    " - Porque considero que influir sobre uma pessoa é transmitir-lhe um pouco de sua própria alma; esta pessoa deixa de pensar por si mesma, deixa de sentir as suas paixões naturais. Suas virtude não são mais suas. Seus pecados, se houver qualquer coisa semelhante a pecados, serão emprestados. Ela tornar-se-á eco de uma música estranha, autora de uma peça que não se compôs para ela".
    Boa semana!! Bons estudos!! Beijus,

    ResponderExcluir
  30. Olá Bia.

    Grande partilha. Temos que romper os dogmas e nos auto alforriar dos temores engendrados para nos controlar. Já passou da hora de nos libertarmos de tantos atavismos descabidos e anacrônicos, que nos enclausuram na ignorância e no atraso. Felicidade, paz e amor já! Essa deve ser a postura.

    Um abração e uma bela semana.

    ResponderExcluir
  31. Bia gostei da dica ainda não li este livro e claro escolheste bem demais o trecho para reflexão.
    Estamos vivendo uma época tão dura, são tantas imposições que percebo o quanto as pessoas estão se tornando frias.
    Uma vez li um livro não me recordo agora o nome infelizmente em que o autor dizia que não podemos tomar a cor do lugar em que vivemos, pensei muito mesmo sobre esta frase e não me permito seguir os passos de pessoas alienadas, principalmente as que falam tanto de evolução e que estão aprendendo com a vida e no dia a dia e nas atitudes vemos que é mentira.
    Agradeço demais suas palavras e votos de felicidade no dia do meu aniversario eu que agradeço a Deus por ter tido o privilegio de conhece-la, como já disse em outros posts espero mesmo um dia te ver pessoalmente.....

    ResponderExcluir
  32. Quem cobra esquece que pode ser cobrado e geralmente eles são os que mais cobram... gostei da sua linha de raciocínio, Bia. Parabéns pelas sábias palavras! Abraços e linda semana.

    ResponderExcluir
  33. Muito bom o fragmento que compartilhou. Concordando ou nao, é um ponto de vista forte e denso!
    Otima dica de leitura tb!
    bjo
    http://opinandoemtudo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  34. ✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
    Boa noite!!

    Agradecer aos amigos quando
    precisamos é uma benção
    Além de elogiar pelo belo post
    estou aqui para desejar sempre
    muita alegria na sua vida
    deixo um abraço com carinho
    Rita!!!
    ✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫

    ResponderExcluir
  35. Oi Bia,pelo trecho o livro dever ser muito bom, assisti ao filme, mas não tinha toda essa profundidade, rsss
    É Bia, também acho que falto-nos , enquanto sociedade, essa liberdade aos demais, somos feitos prisioneiros das opiniões e aprisonamos também .

    Curti demais .
    Beijo no ♥!!
    Lilian – Blog:Duas Moças Prendadas!
    casascoisaseoutros.blogspot.com.br/
    Tá rolando sorteios, já participou?

    ResponderExcluir
  36. Muito boa a escolha deste trecho em especial acho que somos libertos na maturidade e mesmo assim não 100%, em certos casos não é permitido.
    Quem dera sermos livres será que todos estariam prontos mesmo?

    ResponderExcluir
  37. Olá Bia. Recebi o selo Programa de incentivo à leitura e o concedo a você. Vá lá no Gilberto Cinema e confira. Abraços.

    ResponderExcluir
  38. Olá Bia,
    Quando li este trecho:"Nutrem o pobre e vestem os andrajosos, mas deixam suas almas famintas e andam nus."
    É a mais pura verdade, penso que vale como alerta as pessoas que querem ser boas para que todos vejam e como anda realmente sua alma?
    Um texto para refletir e tirar muitas mais conclusões, adorei seu texto, muito real.
    Deixando o meu carinho.Beijos

    ResponderExcluir
  39. Esta semana escutei de um doutor: " quer ser feliz? faça sua felicidade,só vc pode fazer" achei meio egoista a afirmação,porém acho que o mundo está fazendo isto com as pessoas,do contrário seremos engolidos ,mas como ser feliz atropelando todo mundo?

    p.s: Bia, tb estou nessa de estudos
    beijão

    ResponderExcluir
  40. Olá querida Bia, como vai? Amei chegar aqui e encontrar uma postagem sobre meu livro e filme favoritos rsrs Já li o livro cerca de 4x e vi o filme (versão nova) umas 20 rsrs é, eu sou meio exagerada quando gosto de algo, mas o que me encanta nesta obra é que por mais que eu leia ou veja, sempre tem algo que me faz refletir e de uma maneira diferente e reveladora.

    O trecho que nos trouxe em especial é algo que martela frequentemente na minha cabeça, talvez por esta mensagem tão contundente do livro é que eu goste tanto dele pois sou contra estas regras da sociedade que tolhem as pessoas de ser quem são. Claro que regras são necessárias, mas falo daquelas baseadas em preconceito que na verdade só servem para criar robôzinhos humanos sem brilho nos olhos e com frustração no coração por deixarem de lado sua essência e desistirem de seus sonhos por causa de imposições vazias e retrógradas...

    Amei, amei, amei!
    Um mega ultra beijoooooooooo e que seu fim de semana seja maravilhoso! :)

    ResponderExcluir
  41. Oi Bia
    Eu tenho um raciocínio:
    A vida é uma eterna briga de foice no escuro.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  42. Olá Bia,venho lhe pedir desculpa pela ausência e agradecer o carinho e atenção com que visita meu espaço sempre.

    Não li o livro,mas histórias de prisões,preconceitos e dogmas existem aos montes,e infelizmente sempre irão existir.
    Crio que o maior "bem" que o ser humano deve ter é a consciência de que nasceu para ser livre,e de que ninguém deve em momento algum lhe por amarras,tampouco a sociedade...A religião que não liberta deve ser abolida!E que devemos ser incansáveis na busca da felicidade...ora,o que viemos fazer aqui?

    Claro que muitas vezes nos sentimos enraizados a outro,mas que seja por amor e por vontade própria,que seja "O estar preso por vontade"...e somente por vontade.

    Um beijo grande!

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.