sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Nas pegadas do apego

Imagens by Freepik

Há alguns dias atrás, recebi uma notícia esperada há cinco anos. Trabalho em uma escola um pouco distante do apartamento onde moro, e para chegar até lá eu precisava pegar um ônibus. A prefeitura local paga a indenização do transporte em dinheiro, portanto, aquele que não precisa gastar com ônibus naturalmente tem um bônus a mais no pagamento.
Então a voz tranquila e grave do outro lado da linha comunicou-me que minha transferência para uma escola mais próxima havia saído. Não é exatamente naquela que eu queria, a que fica do outro lado da rua (literalmente) mas um local onde uma caminhada de 15 minutos basta para chegar. Hesitei por um momento, mas aceitei, lógico. Finalmente eu consegui... e minha primeira reação foi chorar. Compulsivamente e doloridamente.
Nem mesmo eu entendi de imediato minha reação. Talvez por estar desavisada, achando que não iria dar certo de novo, talvez por me lembrar que as férias estão acabando...desculpas vãs. Chorei por apego.
Desde que passei no concurso público trabalho no mesmo lugar como professora, uma profissão nova que aprendi aos 32 anos de idade (minhas profissões estão aqui). A equipe pedagógica do local me ajudou orientando em como proceder na prática, em questões pedagógicas e burocráticas, porque há uma distância grande entre a teoria e o dia a dia. O início foi muito, muito difícil, e só não desisti porque essa não é uma tendência minha, pois quando me comprometo com algo, é pra valer. Consideremos também que a escola é uma espécie de referência em ensino público, o que a torna mais exigente que as demais...costuma-se dizer que, quem aprende ali, dá aula em qualquer outro lugar, mas assumir grandes responsabilidades também nunca foi um problema impossível pra mim. E principalmente os laços que fui criando ao longo do tempo com as colegas de trabalho, algumas elevadas à categoria de amigas. Só não tenho confidentes...essas me fazem falta.
Pois bem, concluí que o choro foi proveniente do medo. Quando entramos em um novo ambiente precisamos aprender e nos adaptar a novas regras e pessoas. Precisamos de tempo e dedicação para mostrar nossos valores e do quanto somos capazes, de tempo para conhecer novas pessoas e compreendermos até que ponto podemos nos mostrar. É preciso delicadeza e jogo de cintura para que a primeira impressão seja a melhor possível, porque em geral os círculos são fechados e há uma resistência natural em aceitar o novo, também por medo, porque as pessoas de alguma forma se sentem ameaçadas...sinceramente, não sei por que, mas pelo que tenho observado é assim. Há o medo de sermos julgados.
Ser professor é uma profissão de desapego. A cada ano uma nova turma, com novas características, novos colegas de trabalho, nova equipe pedagógica...nada é igual o tempo todo. O humano tem essa tendência ao apego...nos prendemos a pessoas, objetos, músicas, roupas que já não podem ser usadas, à casa onde moramos, a comportamentos que já não nos agradam mas recusamos em mudar, a pessoas que não nos completam mais...
O apego nos traz a tendência natural a ficar no que conhecemos, porque o conhecido dá essa sensação de conforto. Não precisamos enfrentar o medo...é só seguir as pegadas conhecidas dos caminhos que já trilhamos. Parece perfeito, se o avesso do apego não fosse a sensação de fracasso. Quando evitamos enfrentar o novo repetidamente, ficamos com o sentimento de que poderia ter sido diferente, e cada vez que que algo der errado na escolhida situação confortável, virá a ideia do "eu poderia estar em outro lugar mas estou aqui".
Pessoalmente, posso dizer que na grande maioria das vezes, quando decidi enfrentar o novo minha vida acabou melhorando, principalmente no campo profissional, por mais doloroso que possa ser o começo. E saber disso me deu forças para secar as lágrimas rapidamente e curtir a felicidade de ter conseguido. Essa é uma questão que sempre coloquei nas mãos de Deus: a transferência sairia no momento em que fosse o melhor para mim. Se esse é o momento, vou abraçá-lo, mesmo com um frio da barriga que lembra a época do colegial ou quando conhecemos a família do namorado.
O desapego é como um caminho de areia limpa onde não enxergamos nenhuma pegada. A trilha será feita a partir das suas marcas e descobertas. É uma sensação de pânico e ao mesmo tempo, libertação. Sempre é tempo de mudar a rota se acharmos que o caminho não é o que desejamos. Treinando o desapego teremos a chance de perceber quais eram nossas verdadeiras relações, quando há amor, amizade ou dependência. Amor e amizade verdadeiros ficam...a dependência são como pegadas que ficaram para trás. Em alguns momentos é preciso segurar as mãos do destino e deixar que ele nos guie, com serenidade e passos leves, porém firmes.
Em terras que não foram desbravadas desconhecemos quais são os perigos...mas após o final da trilha em geral estão as mais lindas paisagens.

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia; e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." 
(Autor: Fernando Teixeira de Andrade - 1946-2008 - foi um professor de Literatura)*

*De acordo com o site Recanto das letras, essa citação é erroneamente creditada a Fernando Pessoa. Leia mais aqui.

Como leitura complementar, sugiro um texto maravilhoso que li no blog da Elaine Gasparetto, sobre como . Para ler, clique aqui

****

Uma imagem, 140 caracteres - 2

Na expressão do pai, as palavras não ditas. Orgulho de observar, no pequeno, os reflexos de suas particularidades em amada miniatura.

                                       Conheça o projeto e outras histórias no blog Escritos Lisérgicos.

****
A partir do próximo post, retornam as homenagens a outros blogs, continuando a lista criada no aniversário do blog, ano passado. 

65 comentários:

  1. Bia, depois passo aqui para ler com atenção, como é meu hábito neste espaço. O link falhou, não apareceu, poderia tentar novamente?
    Abraço.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  2. Muitos parabéns Bia. Vai tudo correr bem! A profissão de professora é uma das que admiro muito. Um beijinho

    ResponderExcluir
  3. Vim através do Christian.
    Adorei o teu olhar para a imagem: as palavras não ditas, o orgulho. Ficou muito bom! Parabéns!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Ah, Bia, temos muito em comum! Estou na "minha" escola há quase 9 anos, desde que passei num concurso. Moro há 20km de distância, que, na hora do rush, se transforma em 40, 50 minutos de carro.
    Já pensei mil vezes em pedir remoção, mas kd coragem? Adoro a escola, minhas colegas, a comunidade... e pago o preço.

    Quem sabe um dia?

    Quero te desejar toda sorte do mundo na nova escola, vc vai ganhar muito em qualidade de vida por estar menos horas no trânsito.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Linda tua participação.Bem inspirada! beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  6. Olá Bia!

    Gostei da tua reflexão. O ser humano é um ser complexo, quer tanto ser livre mas, sem se aperceber apega-se a tudo e a todos, ainda que no início não goste muito. Isto chama-se dependência, o contrário de independência!
    Contraditório, não?
    Parabéns, pela tua participação. Quando temos um filho, orgulha-mo-nos dele.

    Também estou a participar deste desafio:

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.pt/2013/02/cantar-de-galo-uma-imagem-140.html

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    ResponderExcluir
  7. Bia, tenho certeza que esse novo só te trará alegrias pois vc é uma pessoa do bem e logo as pessoas irão perceber isso e quebrar as resistências que normalmente existem com novatos no trabalho! Já passei por isso muitas vezes, a gente chega e as armas logo estão apontadas p vc, mas com jogo de cintura como vc disse a gente vai abaixando as armas das pessoas! Vou te contar uma curiosidade, essa mensagem final que vc colocou foi distribuída junto com um presente no dia dos professores na escola que eu trabalhava e com a qual eu não andava satisfeita, o intuito da direção era despertar nos professores uma motivação para buscar novas alternativas em sala de aula, mas em mim o efeito foi outro, lembro como se fosse hoje, eu não conhecia a frase, fui embora lendo ela, fiz a minha interpretação criei coragem e no outro dia voltei a escola e pedi demissão rsrsr foi muito bom! Bjoooosss

    ResponderExcluir
  8. Bia, que texto excelente!
    Sabe, você disse algo que me despertou muito a atenção: "na grande maioria das vezes, quando decidi enfrentar o novo minha vida acabou melhorando".
    E é exatamente assim comigo, é quase um padrão!
    Acho que também preciso me livrar de alguns apegos e dos meus medos. Apenas segurar nas mãos do destino...Gostei disso!

    O seu texto do desafio em 140 caracteres ficou lindo demais! "Amada miniatura"...adorei essa expressão!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. é a tal história de sair da zona de conforto, ficar provisoriamente sem chão, até porque com o tempo a gente fica meio que no automático por mais que ser professora seja tarefa difícil. Mas mudanças são boas e necessárias. entendo tua dor, sou assim tb, bjs

    ResponderExcluir
  10. Boa noite, adorei tua participação.
    O pai é o herói de teu filho,
    mas o filho, é o orgulho de ser Pai!
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Oi Bia,

    Estou passando por algo parecido, depois de 3 anos trabalhando como Corretora em uma imobiliária, tive a proposta de um novo emprego e lá estou, confesso que está sendo difícil ficar longe de pessoas que faziam parte da minha vida, mas por outro lado conheci pessoas que de alguma forma já estao fazendo parte de mim...Tudo que é novo causa um certo medo, mas depois que superamos tudo fica mais leve...

    Adorei sua participaçao no desafio...

    Abçs

    ResponderExcluir
  12. Oh que linda participação Bia!
    Quanto à sua nova empreitada, desejo sucesso e podes crer, vai dar tudo certo.
    um abraço carioca


    ResponderExcluir
  13. Bia, desejo sucesso com essa profissão que tanto admiro que é de ser professor! Seu texto está ótimo... gostei, também, de sua participação. A minha só tuitei, mas devo postar no domingo. Abraços e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  14. Oi Bia
    Mudança sempre trás uma sensação assim, igual a que vc descreveu muito bem, mas tenho certeza que vc irá se sair muito bem! Desejo tudo de bom nessa nova etapa de sua vida!
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  15. Olà, Bia

    Parabéns amiga, finalmente boas novas abrem um novo caminho na sua vida .
    Não tenha medo ou receio, isso é tudo ansiedade o que é normal .
    Além disso, você tem aquela personalidade eficaz de encarar bem as mudanças sejam elas quais forem ;)
    Desejo-lhe as maiores felicidades nesta nova mudança na sua vida ;)
    Bom fim de semana .

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. ¨`*• (¨`•.•´¨) ♡ .•*
    Olá bom sábado a você!

    Nessa minha visita deixo meus elogios
    minha gratidão,por ter amizade tão bonita como a sua....Parabéns pelo post que é muito bom
    Abraços com todo meu carinho
    Bjusss eternos...Texto lindo e frase perfeita!
    Rita!!!!
    ¨`*• (¨`•.•´¨) ♡ .•*

    ResponderExcluir
  17. Olá Bia!
    Lindo o seu espaço Revolta e Romance!
    Adorei sua participação ! O filho é o reflexo dopai!

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Excelente reflexão Bia acerca da mudança, do novo e todo o turbilhão e desconforto que causa.Vc retratou com fidelidade os movimentos inerentes ao campo da escola e seus incessantes movimentos e agora vc irá compor mais um deles e terá novas alegrias para contar.Vc vai ver.
    Ótimas realizações na nova escola!

    A identidade aproxima, mesmo em gerações distantes.Acabamos tendo um olhar bem parecido sobre esta edição.
    Bjos e bom domingo.
    Calu

    ResponderExcluir
  19. Oi Bia, boa noite.
    Toda nova travessia requer confiança, por isso, amiga, caminhe, pois a tua estrada já é de Luz.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  20. Esse bom relacionamento de pai e filho é sempre emocionante.

    http://5n3v35.blogspot.com.br/2013/02/uma-imagem-140-caracteres-2-edicao-de.html

    ResponderExcluir
  21. Eu compreendo perfeitamente essa tua mistura de sentimentos. Passei por isso há dois anos quando tive que escolher entre a escola que eu trabalhava há anos, praticamente a minha casa, e outra aonde eu tinha mil vezes mais dor de cabeça, em contrapartida é pertinho de casa. Optei pelo racional e não me arrependi. As dores de cabeça continuam, mas rapidinho estou em casa, tomo um analgésico e tudo fica bem.

    Boa sorte no seu novo caminho, menina.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  22. Devido o seu carinho de sempre eu te indico um selo super fofo, quem me indicou foi a Tammy.

    http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/2013/02/selo-comentarista-gracioso.html

    ResponderExcluir
  23. Oi Bia
    Ser professor não é fácil, temos que enfrentar o ciúmes dos colegas se você se destaca em alguma coisa, cara feia do diretor, mães que querem mandar na escola.
    Eu trabalhei 32 anos com os pequeninos, só eles eram a razão do meu caminhar.
    Todo final de ano, era aquela choradeira de dar dó.
    É uma profissão dolorida, mas gratificante para o nosso ego.
    Um bom domingo para você
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  24. Vim te desejar um domingo lindo! Que este mês de fevereiro seja abençoado assim como todos os meses que virão adiante! Beijinhos!

    ResponderExcluir
  25. Oi Amada!
    O choro é perfeitamente compreensível. Toda mudança causa apreensão. Mas você é valente e guerreira vai se impor com delicadeza e conquistar o seu merecido lugar neste pódio.
    Ficou belíssima a tua participação no desafio do Christian. Que o seu domingo seja maravilhoso recheado de energias positivas e partículas de felicidade. Beijos de hortelã!!

    ResponderExcluir
  26. Bia, é muito fácil chegar em um post como este e deixar palavras de incentivo do tipo: "Tudo vai dar certo" ou, "Isto é o melhor", contanto, não sabemos. Também é interessante botar banca do "desapegado" quando o ser humano, que prega tanto a liberdade, em verdade é cheio de apego a diversas coisas e quem diz não ter apego a nada, mente.
    O temor que por vezes beira ao pânico do novo, mesmo que este seja positivo, existe e sempre estará presente em cada mudança de nossas vidas, principalmente as grandes mudanças.
    É "fácil" manter-se na zona de conforto, no entanto, o vazio que ela nos causa (percebo isto quando caio na procrastinação) não é agradável. O ser humano precisa evoluir, mudar, persistir, precisa de uma motivação e há coisas que realmente não nos servem mais e então, persistindo, uma hora aperta tanto que dói, você não mais suporta a situação em que se coloca e consequentemente, acaba por não suportar a si mesmo.
    Tudo há prós e contras e eu concordo demais com a conhecida frase que cada escolha é uma renúncia.
    Toda decisão na vida nos leva a uma renúncia, é só parar para analisar.
    Seja a renúncia ao conforto, aos amigos, à total independência (se é que ela existe em toda a sua totalidade), a hábitos, a situações.
    Os contras deste caso vejo que será renunciar à escola referencial, aos colegas que se tornaram amigos.
    Os prós eu vejo a diminuição do percurso (que parece-me tanto desejava) da sua casa ao local de trabalho, mas principalmente, por ter trabalhado em uma escola referencial, o quanto pode doar de aprendizado a este novo local.
    Claro que tudo isto você irá concretizando devagar, pisando no novo território com cuidado e, quando perceber, verá que sua missão na anterior acabou e iniciou uma nova cujos resultados verá com o passar do tempo. E se sentirá satisfeita por isto e nos contará em um post. Isto eu levo fé.
    Quanto a sua participação no desafio, gostei muito. A relação entre pai e filho é ímpar e o modo com que colocou ficou poético.
    Abraço.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  27. Encontrou as suas asas Srta. Lendo seu texto descobre-se que tens um coração raro! parabéns! abração

    ResponderExcluir
  28. Concluindo: Você, mesmo desejando e sabendo o que é melhor pra você,mesmo assim sofre, pois tem um coração lindo e apegado ao que sempre serviu com amor!
    Deixo o meu desejo de que tudo dê muito certo nesta nova escola, que teu novo trabalho seja coroado de alegria e prazer a cada dia.
    Um abraço e grata pela visita.
    Beijos.
    Ivany

    ResponderExcluir
  29. Olá Bia, gostei do seu texto sobre "desapego"... talvez o choro seja medo do novo. Especialmente quando se abraça a profissão de professora, apega-se muito às pessoas que estão próximas (muito próximas) e é difícil desapegarmos de pessoas. Ou talvez o choro seja somente uma forma de desabafo...

    Sobre a imagem, você usou muito bem seus 140 caracteres.
    Parabéns pela participação!

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  30. Olá, Bia! Primeiro, parabéns pela transferência! Acredito que esses sentimentos são bem comuns, de sair do certo para o que seria duvidoso. Quando que mudei de emprego (na época que trabalhava kkkkk, também me senti assim, ficava pensando se as pessoas seriam legais, se iríamos nos dar bem, se iria ser melhor, enfim, uma infinidade de perguntas. Mas a gente se acostuma e acaba se apegando de novo né kkkkkk
    Obrigada por votar em mim :D
    Bjos e boa semana!
    http://amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

  31. Oi Bia,

    Sua reação incial à notícia foi normal, ainda que de acordo com suas pretensões. Foi simplesmente inesperada para aquele momento. Mudanças sempre mexem com a gente, mas o novo costuma chegar para melhorar e acrescentar. Tenho certeza de que você se sairá muito bem, sem contar que perderá menos tempo com locomoção. É mesmo difícil lidar com o apego. Também sofro deste mal-rsrs.
    Desejo-lhe todo sucesso do mundo neste novo caminhar.

    Parabéns por mais uma bela participação. Ficou linda.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  32. Olá!Boa tarde!
    Bia
    ...e a gente vive, o tempo todo, se apegando às coisas, ás pessoas, aos lugares. Ficamos tão presos as rotinas que nem sabemos mais como soltá-las e caminhar em outra direção mesmo quando fica evidente que isto é o que nos convém.Na verdade,é como vc disse, falta-nos coragem para nos desapegar.Temos medo de encarar as nossas próprias falhas, os nossos limites. Precisamos entender que as sombras existem, precisamos apenas reconhecê-las para espantá-las para bem longe. Precisamos também acreditar no nosso potencial e na nossa capacidade de vencer. ..e isso com certeza você conseguirá nessa nova etapa de sua vida.Parabéns pela transferência.
    Parabéns pela participação no desafio das imagens. Engraçado... como quase todos visualizaram essa imagem como pai e filho.
    Meu carinho!
    Belo início de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Olá Bia.

    “Desacomodar” é sempre difícil e o novo costuma assustar. Trilhar caminhos novos, nos furta o conforto de caminhar sobre as já conhecidas pegadas, o script, o roteiro pronto... Mas desapegar é preciso, recriar, reinventar, descobrir, fazer, construir...

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  34. Bia,gostei demais de seu texto e especialmente quando disse que professor é uma profissão de desapego.É isso mesmo,pois a cada ano temos que nos desapegar daquela turminha querida e recomeçar novos desafios mas, no final recompensa demais!Tb achei genial sua participação na BC do Esc.lisergicos!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  35. Bia,
    concordo plenamente contigo, amor e amizades verdadeiras mesmo, permanecem. O novo sempre nos traz um pouco de receio mas absorvê-lo é sempre o melhor caminho e aprendizado. Desejo-te muito sucesso nessa nova empreitada, apenas, continue sendo o que és. Gostei muito de sua participação no 140. Gr. Bj. e uma semana de reconhecimento de área pra ti.. rsr

    ResponderExcluir
  36. Querida parabens. Deus nos dá tudo no Seu tempo, quando ele sabe que estamos realmente preparados .
    Voce ha de fazer um belo trabalho na nova escola tambem.
    bjs
    Lila

    ResponderExcluir
  37. Creio que somos todos um pouco comodistas. Mudanças, só quando impostas pela vida (rss). Atrás desse comportamento está o medo do fracasso que o novo pode trazer, do arrependimento. Quem arrisca, ponderadamente, tem grande chance de descobertas felizes. E estou certa de que você está entre eles. Bjs.

    ResponderExcluir
  38. Bia,
    acredito que o novo sempre desperta mesmo medos. Medos que muitas vezes acreditamos não carregar mais.
    Mas desde criança meu pai sempre me diz: Nunca deixe que o medo paralise suas ações, e vi isso retratado em teu texto.
    Parabéns pela mudança. Penso que choro veio por mais do que uma razão, talvez ainda desconhecida.
    Creio que a profissão de professor deve mesmo ter seus momentos de dor, principalmente com as mudanças que vem todos os anos... Mas, penso que, a gratidão contida que muitos levam no peito ao se lembrarem de pessoas que como você, ensinam lições para a vida toda, é uma recompensa a altura.

    Desejo-lhe o melhor na nova escola, e que mais uma vez a vida lhe traga ensinamentos e conhecimentos a serem transmitidos e cultivados.

    Um beijo para você,
    e uma semana repleta de coisas boas!
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  39. Bia,
    Sei como é esse apego, que a cada ano temos que aprender a liberar, a soltar, a deixar ir, por que professores tem a missão de empurrar pra frente, fazer adiantar, crescer...
    E quando mudamos de escola vem novas expectativas, novas amizades, novos projetos e claro vem a dúvida "de se vou gostar."
    Claro que vai, afinal vai trabalhar mais perto de casa, evitar o trânsito que é o mais cansativo e ter oportunidade de crescer mais ainda como profissional.
    Meus parabéns querida e que Deus te abençoe nesse novo lugar!
    bjks doces.

    ResponderExcluir
  40. Oiee Bia, bom dia!!!

    com certeza Deus tem seus planos e nos direciona sempre para o que vai nos fazer feliz!
    Que ele te dê muita força nesse novo na sua vida ^^

    Uma abençoada semana pra vc linda!

    Bjoos, eli.

    ResponderExcluir
  41. Bia! voltando..as férias foram tranquilas.E pelo que li, vc está entrando numa nova fase ...maravilha ,chegou sua hora ,tudo ao redor se harmoniza,acredite.
    meu beijo

    ResponderExcluir
  42. Quem erra na empreitada
    Aprende a recomeçar;
    Erra mais quem não faz nada
    Só por medo de errar.


    Boa sorte, menina! Beijos.

    ResponderExcluir
  43. Bia nunca tinha pensado assim que ser professor é uma profissão de desapego e é mesmo como disse cada ano uma turma, mas para nós eles ficam para sempre na memoria....desejo toda sorte do mundo nesta nova escola que as novas amizades sejam verdadeiras e os alunos tranquilos rs...concordo sim que as novidades as vezes nos assustam.
    O desafio ficou ótimo.

    ResponderExcluir
  44. Olá minha querida! Sim o medo é o nosso maior vilão, ele nos rouba a espontaneidade, nos rouba o prazer do momento e nos rouba até o sorriso.... Mas ofusque-o com sua luz!! Vá em frente, sorrindo, leve, sem se preocupar com o que os outros vão pensar, porque de repente, quando te conhecerem vão te adorar!! O apego e o medo... affff.... como sofro com eles... é um trabalho diário... E sempre existem os arco íris... temos que procurar vê-los... e é difícil... ser feliz quer saber... é preciso de coragem... afffff.... Vai dar tudo certo!! Muita luz pra vc! Bjsss

    ResponderExcluir
  45. Sempre achei que a citação fosse de Fernando Pessoa. Até mesmo na página da Universidade Lusíada de Lisboa, essa citação estampa a sidebar e sempre quando acesso a página, costumo procurar por ela e ler. Gosto muito!
    Tentar o novo é sempre melhor para nós. Não devemos pensar na possibilidade de erro como uma fatalidade que possa acontecer, mas como um ensaio para vencer as dificuldades - lembre-se da lei da atração. Vai dar tudo certo, confie! Lógico que será analisada, assim como é pelos alunos todo recomeço de ano. Depois conta como foi!! :)
    Quando vi a imagem, pensei em quem preparou o penteado.
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  46. Parabéns Bia, o medo existe mas, não é o maior dos males
    E as mudanças são fundamentais para novas etapa em nossas vida!
    Que Deus te guie para muita sorte!

    Quero agradecer seu carinho em meu blog
    E para você uma maravilha semana grande beijo.

    ResponderExcluir
  47. Bia, boa sorte pra vc nessa nova jornada e nessa nova escola. Vai dar tudo certo. E somos comodistas mesmo, gostamos de rotina, temos medo de mudanças bruscas. É do ser humano. Beijão.

    ResponderExcluir
  48. Como você disse, sair da nossa zona de conforto e abrirmos caminho para o novo, nos traz receios, medos. Mas as vezes, é preciso enfrentar sim, bater de frente. Agarre a sua oportunidade, espero que sejas feliz.

    ResponderExcluir
  49. Bom dia, Bia. Excelente texto. O desapego é uma questão muito séria na nossa vida, muito mesmo. Gera confusão na maioria das vezes quando não entendemos o que acontece conosco e nem o que fazer.
    Medo, é algo natural, que deve ser vencido aos poucos na nossa jornada.
    Penso que o que descobrirmos no caminho, é o que fará de nós pessoas mais determinadas ou não.
    Beijos na alma e excelente semana.
    Tudo de booooooooooooooooooooooooooooooooooom!

    ResponderExcluir
  50. Parabéns pela transferência, Bia. Morar perto do serviço é ótimo. Eu moro há 5 minutos (a pé) do colégio em que trabalho. Tomara que você transferência para o colégio do outro lado da rua. Abraços.

    ResponderExcluir
  51. Um texto excelente! Ser professor é olhar o mundo com outros olhos, enxergando sempre novas possibilidades. Mesmo que ajam dificuldades, maior é a vontade de transferir o conhecimento.

    beijos.

    ResponderExcluir
  52. Oi Bia,
    boa tarde,
    Parei em minhas férias
    para vir visitar-te =)

    todas as despedidas são dolorosas,
    mesmo que quisessemos deixar o lugar onde estávamos, certo?

    Agora vem a parte mais difícil,
    acostumar-se o novo site =(

    Adorei como sempre...
    obrigado por sua visita e suas palavras
    um grande abraço

    por como eu escrevo em Português,
    (eu) deveria ir para essa escola =)

    ResponderExcluir
  53. Posso imaginar essa sua "dor", desapegar é difícil.
    Até o momento não passei por isso. Mas deve ser doloroso, encarar tudo novo.

    Eu vi a lista de coisas que vc já trabalhou, incrivel!

    ResponderExcluir
  54. Puxa, que saudades. Faz um tempo que não consigo parar pra visitar minhas amigas blogueiras. Mas com dois filhos tudo fica mais corridinho. O tempo que era curto simplesmente desaparece. Mas fico contente de ver que seu blog continua interessante como sempre.
    Bexos
    Qjo

    ResponderExcluir
  55. Oi Bia, nossa como gosto de ler seus posts, como vc escreve bem!!
    Primeiro Parabéns pela conquista, sei que vc fará um excelente trabalho, como vc mesmo mencionou, teve uma base numa boa escola, e o mais importante vc faz bem o que é para fazer.
    Com certeza é uma boa professora!
    no comentário anterior que fiz a este, eu queria falar justamente do meu medo de mudar profissionalmente! me identifiquei muito com o texto.

    Bjs

    Gélia

    ResponderExcluir
  56. Oi Bia! Gostei da sua associação de Liberdade e Panico. Nós humanos lutamos até o fim por nossa liberdade mas qdo ela chega ficamos desesperados sem saber o que fazer com ela. Às vezes entramos em novos cárceres, mas que bom que nãoé o seu caso. Vou olhar as suas outras profissões. Beijos!

    ResponderExcluir
  57. Oi Bia, sua participação foi perfeita, ficou lindo seu texto! parabéns!
    Quanto ao "apêgo" sou sincera em dizer que já esperava isso de voce amiga.
    Nos conhecemos tão pouco, somos amigas fazem poucos meses, mas voce me passa uma sensação de responsabilidade, de força e coragem.
    Sua personalidade é apaixonada, voce é uma pessoa realmente linda, que eu já aprendi a admirar.
    Fora o fato de escrever muito bem e saber colocar seus sentimentos com muita facilidade.
    estou orgulhosa em ser sua amiga.
    um beijo e ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  58. Bia! fui ler sobre suas profissões! Se tem uma coisa na vida que voce não teve foi tédio em?
    que coisa mais linda essa sua disposição, essa sua vontade de trabalhar!
    sua mãe tinha razão em? Tem que fazer dinheiro!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  59. Olá,Bia, como vai ?
    Gostei tanto do seu texto,me sinto assim no momento, sabendo que tenho que me lançar a coisas novas,mas ainda com apego,essa transição é dolorida, mas precisamos passar por ela,né?
    Parabéns .
    Bom feriadão!
    Tá rolando sorteios, já participou?
    Beijo no ♥!!
    Lilian – Blog:Duas Moças Prendadas!Visite o blog !
    casascoisaseoutros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  60. Oi Bia,
    Que bom que você conseguiu a transferência,parabéns!Espero que este novo caminho seja leve e feliz.
    Ah o apego,uma coisa que sempre me rende,não sei porquê,mas eu acho que tenho um apego fora do normal,não sei se isso é fruto de carência,ou sei lá o quê,o fato é que me apego(principalmente a pessoas) e sofro tanto quando elas se afastam de mim,estou experimentando um momento desses agora.
    Mas uma coisa interessante é que no final Deus sempre dá um jeito de me mostrar o porque dessas coisas,então eu espero.
    Um ótimo feriado,abraço =)

    ResponderExcluir
  61. Bia, um grande beijo no seu coração e sucesso pra você. Esse texto foi mais uma bela reflexão sua nesse espaço. Parabéns.

    ResponderExcluir
  62. Olá Bia, querida, eu não conhecia esse texto "Nas pegadas do desapego" e ter essa oportunidade só me acrescentou.
    Obrigada pela postagem. Valeu!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  63. Professora, hein?
    Prazer, colega. :)
    (Gostei muito do texto, da forma desinibida como expressou as suas emoções e sentimentos)

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  64. Parabéns pelo transferência! Dá medinho no começo, mas vale a pena depois.
    Eu troquei de setor no início do ano e ainda lembro desse frio na barriga, ansiedade e medo tudo junto. Ainda estou me adaptando, mas o setor atual está melhor do que o outro, hehehe.
    Ótimo domingo pra ti Bia!!

    Bejus

    ResponderExcluir
  65. Ei minha amiga....

    Que saudades.....
    Bom estou retornando..passei uns dias paradinha, urgências necessárias que requer da gente um pouco mais de atenção na trilha rsrs, se não nos perdemos..labirintos da alma né...mas achei a saída rsrsr

    Amiga, o novo nos assusta, por que ele sempre bate em nossa porta com a renuncia do lado que vem exatamente para nos levar o que foi bom em tempo limitado. A princípio encaramos o novo como um ladrão, desprezamos cada ato dele , rejeitamos la no intimo cada passa que ele aparentemente nos obriga a dar , até que nos rendemos, nos permitimos a um envolvimento maior e percebemos que tudo é renovação profissional e interior também. Apesar que falar é fácil , mas convenhamos que o que é já foi, tudo se renovou e você como uma profissional sabe que aos pouco tudo só vem a acrescentar...Adaptar se é difícil, aceitar é difícil, desapegar se ao que ficou la atras também ..mas nada como o tempo e o nosso querer prosseguir para que tudo se organize não é verdade?....Que você consiga fazer teu trabalho com carinho e que tudo venha ser intenso pra ti....vista se de esperanças e caminhe em direção ao que lhe é proposto...

    Abraços e to ki viuuu rsr

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.