sábado, 30 de março de 2013

Chave de portal



Imagem by Freepik

Feriado, sinônimo de organizar a casa (pelo menos para mim), costumo ligar o mp3 no ouvido ou deixar a tv ligada como uma companhia para o serviço de vassouras e rodos afoitos. Lavando o sofá, chamou minha atenção o depoimento do cantor Xande, do grupo Revelação, durante um programa matinal (veja aqui) sobre o quanto uma oportunidade pode efetivamente mudar a vida de alguém. Peguei o bonde da conversa andando, mas pelo que entendi o grupo se apresentava em um bar ainda em início de carreira, ganhando pouco, e havia um morador de rua que sempre estava às voltas auxiliando em algumas coisas (corrijam-me se eu estiver errada). Todas as noites esse morador pedia uma oportunidade para apresentar uma música no palco, mas como é de se esperar, recebendo uma negativa em troca. Quem confiaria no talento de um morador de rua?
Até que um dia, o cantor Xande resolveu ceder ao pedido e deixou que ele tocasse no final da apresentação. Foram quinze minutos de um show espetacular e envolvente. Desde então o cantor não parou mais e hoje faz muito sucesso como Seu Jorge.
Já falei sobre oportunidades aqui no Revolta algumas vezes, mas frequentemente e numa atitude egocêntrica pedimos oportunidades: para mudar, ser feliz, conquistar objetivos e sonhos...mas será que paramos para pensar quantas vezes está nas nossas mãos o poder de dar a oportunidade a alguém?
Tem sido tão frequentes leituras onde as pessoas se queixam da ausência de integração entre os humanos que possivelmente temos a chance de abrir a porta para alguém todos os dias e não o fazemos por desatenção ou por achar que não fará a menor diferença. Em geral, pode até não fazer assim tanta diferença para nós, mas para quem recebe a oportunidade pode ser um gesto transformador e inesquecível. Podemos passar tanto tempo abrindo portas para pessoas que preferem permanecer no mesmo cômodo, no mesmo lugar, que podemos deixar de observar aqueles que só precisam de uma fresta aberta para reencontrar seu caminho. Daí a importância de estar sempre tão atento ao ser humano: para discernir aqueles que precisam de ajuda daqueles que simplesmente sugam nosso esforço e vivem dele sem o menor pudor.
Ouvir, olhar, prestar atenção, não só em quem amamos, mas em todos que estão à nossa volta pode fazer a diferença de forma significativa na sociedade. Oportunizar pode significar: perdoar, ouvir uma explicação, dar a chance de fazer diferente, mostrar um dom ou uma habilidade, fornecer ferramentas para uma realização, a lista é infinita. A relação de ajuda ocorre quando você se disponibiliza ao outro como um meio dele enxergar e adentrar essa porta aberta...porém é preciso sabedoria para perceber quem utiliza essa oportunidade para crescer pessoalmente e quem se prevalece dela para ficar no bem-bom. A relação de ajuda acaba quando se torna pura e simples dependência, e isso é muito fácil de identificar: com o passar do tempo não há reconhecimento, e sim um padrão cada vez mais exigente de atitudes e oportunidades.
No caso do Seu Jorge, um gesto confirmou que ele só precisava de uma brecha: há algum tempo, já famoso, ele reencontrou Xande em um evento, tirou R$ 10,00 do bolso e entregou-lhe. Xande, sem entender do que se tratava, perguntou e recebeu a seguinte resposta: "você me emprestou certa vez do seu cachê, que era pouco, para que eu pudesse pegar uma condução à tal lugar, e eu estou devolvendo". O gesto, que emocionou o cantor, mostra que a oportunidade anda de mãos dadas com a gratidão. Aquele que precisa verdadeiramente de uma chance, seja na carreira, no amor ou na vida, saberá reconhecer e agradecer em momento oportuno ou melhor ainda, multiplicar o gesto entre quem cruzar seu caminho. A atenção também é importante para que saibamos reconhecer quando uma oportunidade se apresenta e possamos agarrá-la com unhas e dentes. Uma estima abalada pode nos levar a acreditar que nunca haverá  uma oportunidade a contento por não sermos merecedores...Seu Jorge venceu porque além de insistir em seu objetivo soube abraçá-lo com afinco.
Apesar das decepções que acumulamos pela vida, há seres humanos e seres humanos. Não se pode generalizar e esquecer que entre as pessoas egoístas há aquelas que tem a capacidade de aprender com seus erros e fazer diferente.
Minha proposta é que não só peçamos, mas sejamos semeadores de oportunidades. Esteja atento para perceber quem precisa de sua ajuda e não deixe de dá-la por medo de achar que será explorado por isso. Nada nos impede de ser a chave do portal...atravessar e seguir pela porta será uma escolha do outro.Você tornou possível a escolha...e pode fazer toda a diferença.
E você, já foi a chave de portal de alguém?


"A capacidade pouco vale sem oportunidade."
Napoleão Bonaparte


****


Feliz Páscoa, meus queridos, não temam morrer para o que for ruim e renascer para o que for bom!!! :D

Imagem www.gifsdahora.com.br. 


111 comentários:

  1. Olá Bia.
    Que texto emocionante, linda maneira de pensar e conduzir as coisas. Verdadeiramente as pessoas estão mais reservadas as vezes penso que nem seja pelo coração duro mais sim o medo, esta tão difícil confiar nas pessoas, procuro sempre ser a chave do portal, ajudar de alguma forma, não pensando no reino dos céus como dizem algumas pessoas, mas por entender que nossa vida é de altos e baixos, quem sabe amanhã precise de um prato de comida e tenho a certeza que não há me faltar alguém que me estenda a mão, como já aconteceu, as vezes de onde se menos espera é de onde a ajuda chega. E quanto a organização da casa também faço isso nos dias de feriado e ainda faço o maridão ajudar,kkkkkk.
    Beijinhos amiga e uma feliz e abençoada pascoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Verinha! tenho convicção de que o medo é um dos fatores que tem tornado o ser humano tão fechado e centrado em si mesmo. Medo de violências físicas e psicológicas, como o abuso. Mas como você, ainda acredito que é possível transpor essa barreira para enxergar e ajudar o ser humano...tem toda a razão, o mundo dá voltas e mais voltas e nunca sabemos quando podemos estar na mesma posição. A ausência de julgamentos e preconceitos em relação ao outro auxilia a deixar o coração mais aberto e disponível. Um abraço!

      Excluir
  2. MUITO bacana teu post, Bia. As vezes só cobramos oportunidades e reclamamos por não tê-las, mas o melhor é dar a oportunidade a alguém, ajudar. É claro que existem os 'sangue-sugas', mas como você disse é possível discernir. Acima de tudo, neste aspecto, a sabedoria precisa ser nossa aliada.
    Suas palavras me proporcionaram muita reflexão.


    Obs: Gostei da relação do titulo com o desenvolvimento do texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, B.! Temos o hábito de reclamar o tempo todo...é lógico que em alguns momentos da vida temos o direito a reclamar sim, assim como temos o direito de buscar um meio de acabar com nossa insatisfação. Mas o retorno interior que obtemos com a satisfação de ajudar alguém é insuperável.
      Obrigada por seu elogio, o título surgiu naturalmente com o desenvolvimento do texto.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Bia, otimo texto. Eu sou uma semeadora de paz, de bem estar, de oportunidades. Sou um ombro amigo, sou uma ouvinte. Eu sou diplomatica. Contudo, nao consigo algumas vezes encontrar o que preciso. Como disse, as pessoas sao egoistas. Eu me resolvo. Seria bom ter com quem compartilhar.

    Oportunidades vem e passam, se não pergarmos, talvez nunca mais teremos novamente.

    Amiga, querida, Bom Domingo de Pascoa.

    Beijos estalados e enchocolatados tambem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sissym, não há dúvidas para mim de que é uma semeadora, e novamente com identificação, digo que entendo o que quer dizer quando nem sempre semeadores são acolhidos por outros semeadores. Quando eu estava escrevendo o texto lembrei-me de seu post do blog A verdade é cruel, sobre o invisível. Estou disposta a ouvi-la, se precisar! :D
      Sobre oportunidades, disse tudo. Algumas retornam, outras se transformam. Mas um dia precisam ser agarradas para não causarem frustração.
      Desejo a ti muitas oportunidades de ser feliz!
      Um abraço, Feliz Páscoa!

      Excluir
  4. Querida Bia, quero acreditar que sim! Pelo menos para alguns alunos meus que andaram "perdidos" na vida, e a quem eu dei uma sugestão ou outra, de encaminhamento...
    Beijinhos grandes e boa Páscoa. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Turista! Daí a grande responsabilidade do professor...temos o poder de incentivar quem está perdido ou colocar sonhos a perder. Um abraço!

      Excluir
  5. Tudo isso que vc escreveu é verdadeiro. Existem pessoas que além de não aproveitar a convivência com pessoas que tem algo para ensinar, para compartilhar elas menosprezam tudo que o outro faz, não valoriza, mas tira proveito de tudo que o outro faz para seu bem-estar. É horrível gente assim. E o outro se sente explorado... Parabéns Bia por sua excelente postagem, serviu para abrir mais os meus já, atentos olhos. feliz páscoa. Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nádia! Um excelente ponto de vista, Nádia. Podemos oferecer conhecimento ou oportunidade mas o outro aproveita se achar que deve, até aí, tranquilo. O problema começa junto com o menosprezo: a desvalorização de quem tenta fazer o melhor manda a estima lá pra baixo, e a pessoa começa mesmo a acreditar que não tem as qualidades que tem, ou sente-se frágil, incapaz. Adorei sua participação, um abraço!

      Excluir
  6. Oi Bia,
    Fiquei emocionada, pois é a primeira vez que vejo sinceridade numas palavras tão verdadeiras e que as pessoas as tomam como bobagens passageiras. No mundo existem poucas pessoas que pensam como você, por isso que para mim, hoje, você está fazendo a diferença, pois nossos ensejos sãos os mesmos e, muitas vezes, somos criticados por determinadas atitudes que fogem ao padrão cultural de vida.
    Parabéns, depois desse texto você ocupou um espaço no meu enorme coração que sempre esteve aberto a renovação e o reconhecimento do valor alheio. Ninguém aprende sozinho.
    Desde que acordamos até o nosso sono, estamos aprendendo coisas maravilhosas de pessoas maravilhosas, assim como você.
    Obrigada por fazer meio dia mais esperançoso.
    Boa Páscoa para você e que continue com toda essa solidariedade, pois tem Alguém que tudo vê.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli! É impressionante, a crítica sempre acompanha quem tem boas iniciativas, como se fôssemos muito pequenos diante da grandiosidade do mundo que geralmente não valoriza o que é bom.
      Fiquei encantada com seu comentário, é mesmo significativo saber que meus pensamentos a tomaram assim, com tanta intensidade. E não, nunca devemos desistir...tenho certeza de que há Alguém vigilante, sempre.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Excelente texto, Bia. Eu mesma não conhecia a história e jamais imaginei algo parecido. Seu Jorge é tão talentoso que é difícil acreditar que já esteve morando na rua.
    Pois bem, eu já trabalhei numa ONG e tive o prazer de encaminhar alguns "talentos" para empregos e depois vê-los crescerem e se desenvolverem sozinhos. Isso é maravilhoso, é gratificante demais.

    Uma Páscoa de paz e alegrias pra vc.
    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty! Eu havia ouvido algo por cima em relação ao Seu Jorge mas nunca fui a fundo na história...há um tempo atrás acrescentei em um post a canção de um morador de rua (americano, eu acho) que também cantava lindamente. Há pessoas que estão na rua porque querem sim, mas há aqueles que se perderam temporariamente da rota e aprenderam com seus erros, assim como há aqueles que estão na rua por azar, mesmo. Sem preconceito olharíamos para essas pessoas com mais justiça social.
      Gostei de saber sobre o trabalho que desenvolveu, imagino a satisfação de ver alguém se desenvolvendo na profissão sabendo que foi você quem abriu a porta.
      Adorei, um abraço!

      Excluir
  8. Oi Bia, gosto muito de te ler (apesar de andar meio sumida), sempre fico a refletir depois.
    Fiquei cá pensando, e te digo que sim, já fui chave de portal para algumas pessoas, mas para uma em especial, e que infelizmente não houve o reconhecimento...
    Por outro lado, penso que já foram chave de portal para mim, e por medo não adentrei e confesso que me arrependi.
    Bem, parando por aqui antes que eu faça uma postagem...rs.

    Querida Bia, desejo para ti e todos os teus, uma Santa e Feliz Páscoa.

    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Majoli! O que eu mais gosto em seus blogs é quando desenvolve uma palavra que desconheço, me divirto lendo!
      Há algo que aprendi a duras penas, o reconhecimento é algo muito pessoal. Há pessoas que simplesmente não conseguem enxergar o quanto são ajudadas e cuidadas e se esperamos por gratidão, minguaremos e nos tornaremos amargos. Então a necessidade de sabedoria. Talvez seja mesmo o caso de se afastar não por vingança ou mesquinharia, mas para abir espaço para ajudar e cuidar de quem realmente merece e precisa.
      E também aprendi, minha amiga, que o medo é uma das piores travas do ser humano...raramente enriquece e impulsiona. Tranque a porta pra o medo e abra a porta para as oportunidades!
      Um abraço!

      Excluir
    2. Obrigada pelo carinho para com o Rabiscos e também pelo carinho da resposta...estou tentando fechar a porta pro medo e me agarrar às oportunidades dadas pela vida.
      Abraço.

      Excluir
  9. Ola Bia .... organizar a casa... e tudo o que eu preciso fazer, mas esse feriado resolvi tirar pra bater perna... e desestressar um pouco...bom passei pra te deseja uma FELIZ PASCOA...que o coelhinho traga ovos cheios de chocolate e muito amor...paz e saude...bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabi! A vontade de descansar era grande, mas o pó estava tomando conta, hahaha, não sei descansar em casa assim, hahaha. Um abraço!

      Excluir
  10. Olá Bia
    Eu preciso fazer essa organização... e a vontade de descansar rsrs. Vou deixar a arrumação pra depois.

    Que a páscoa renasça em seu coração e você comungue sentimentos puros de amor, fraternidade e carinho. Que a páscoa seja uma celebração da vitória pela ressurreição e uma vida realmente nova aconteça a cada novo amanhecer. Que a comunhão do amor e a paz sejam abundantes em teu coração e Cristo permaneça vivo em tua vida. Que Jesus ilumine teus caminhos para que a felicidade seja uma constante nas veredas da tua existência. Uma feliz e abençoada páscoa para você e sua família.
    Beijos de chocolate recheados com carinho e afeto
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas felicitações de Páscoa, Gracita, a renovação dos sentimentos é um processo o interior para o exterior e é preciso que haja coragem e fé para que aconteça.
      Eu gostaria de viajar, mas como não deu, o jeito foi pegar na faxina, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  11. Está certa minha amiga, o que de fato estamos precisando é "discernimento" para ouvir, falar e enxergar as pessoas que necessitam de nós.
    E que as oportunidades sejam oferecidas a quem de fato as buscam!
    Desejo a você e família, uma santa e linda páscoa!
    Obrigada pela visita em meu blog.
    Um abraço com carinho.
    Ivany

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, van, discernimento é algo que deveríamos aprender a ter desde pequenos, como aprendemos a dizer com licença e obrigada! :) Um abraço!

      Excluir
  12. Olá Bia, querida, eu vi a matéria na tv. é emocionante igual ao teu texto!
    Que possamos ser a chave do portal para alguém nessa vida. Eu tento!
    Desejo-lhe Feliz Domingo de Páscoa!
    Que possamos renascer na esperança
    de um novo dia, de um novo amanhã,
    de uma nova vida!!
    Obrigada pelo carinho!
    Beijos, Vilma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vilma! Confesso que hoje não sou muito chegada à tv, mas sempre paro quando pesco algum assunto interessante. E a maneira como a história foi contada é mesmo emocionante, pena que o vídeo que a Globo pôs no ar está sem o início da matéria. Um abraço, obrigada pelo carinho!

      Excluir
  13. Olá!
    Bia
    ....Gostamos de ter a certeza das coisas, de facilitar a sua obtenção, que não nos cause incomodo, que nos poupem tempo e que acima de tudo não tenhamos que pensar muito para tomar decisões em tempo útil.Esse medo do comprometimento, inibe que possamos viver a vida tal qual ela é, cheia de opções e possibilidades, menos egoísta, uma verdadeira porta fechada. Sei , tal como já aconteceu comigo, a maioria das pessoas procura algum tipo de ajuda em algum momento de sua vida. Ninguém é tão infalível a ponto de nunca precisar de auxílio. Uma hora ou outra, precisará de alguma coisa ou de alguém. Nessas horas é preciso ter humildade!Só penso que não dá para assumir o outro, se quero ajudar uma pessoa, apenas faço se sentir que ela tem boa vontade e vice versa.Lembrando sempre que a maioria das vezes a ajuda vem de onde menos esperamos e no momento mais imprevisível!
    Obrigado
    Meu carinho
    Feliz e Santa Páscoa para vc e seus familiares
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis! Tocou num ponto importante: o medo do comprometimento, talvez por esse mundo já ser tão assoberbado de responsabilidades, está tornando as pessoas cada vez mais fechadas e centradas em si mesmo.
      É fato que em alguns momentos da vida precisamos de ajuda, do mais modesto ao orgulhoso, isso acontece...e também que a ajuda vem de onde menos se espera.
      E concordo plenamente contigo: oferecer oportunidades não é carregar o mundo nas costas, isso faz com que o outro se sinta ou incapaz, ou soberbo. Já o incentivo é capaz de despertar no outro a vontade de conquistar seus objetivo por seus próprios méritos, o que pode levar à uma satisfação pessoal, de fato. Às vezes o outro só precisa sentir que alguém confia em sua capacidade.
      Um abraço!

      Excluir

  14. Olá Bia,

    Importante foco de postagem.
    Poder abrir portas ou janelas para o próximo é muito gratificante.
    O medo, em alguns casos, é até compreensível, haja vista a era tumultuada que ora atravessamos, mas precisamos estar atentos às necessidades do próximo, principalmente se dispomos de instrumentos para ajudar.
    Nunca virei o rosto nesta questão, mas já tive o desconforto de ver a maneira abusiva com que alguns recebem as oportunidades e não fazem dela trampolim para mudanças. Claro que isto não me desanima de continuar a trilhar este caminho, mas já me obrigo a reconsiderar algumas atitudes para o próprio bem de determinadas pessoas.

    Feliz e abençoado domingo de Páscoa.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera! Ler seu comentário me fez lembrar de uma passagem...certa vez um conhecido ficou com pena de um pedinte que estava no trilho pedindo esmolas com o filho no colo. Essa pessoa conseguiu um serviço em uma firma para ele, serviço de manutenção, com carteira assinada e tudo. Quinze dias depois, encontrou o homem no mesmo lugar com a criança. Questionado, o rapaz disse que ganhava mais pedindo e que ali fazia o horário que queria.
      Por haverem pessoas assim é que muitas pessoas desistem de ajudar, por acharem que estão fazendo papel de bobas. Histórias como essa são tristes mas não podemos desanimar e generalizar. Penso que o nosso papel é ter a boa iniciativa, é oferecer a escolha...se o outro não quiser fazer dela um trampolim, como disse, já não está nas nossas mãos.
      Um abraço!

      Excluir
  15. Oi Bia,
    boa tarde,
    Ouvir, olhar, prestar atenção,
    essas coisas parecem ser muito difícil de fazer =(

    Um texto maravilhoso
    convida à reflexão
    como sempre.

    Feliz Páscoa a você e sua família
    abraços e beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ariel! Não são difíceis, mas admito que exigem um desgaste um pouco maior, pois além de prestar atenção em si é preciso prestar atenção ao outro...mas sempre compensa.
      Um abraço!

      Excluir
  16. Boa Páscoa querida Bia.
    Que história emocionante essa do Seu Jorge.
    Me lembrou o filme "O Solista".
    É bom não esquecer de dar oportunidades para as pessoas.
    Beijinhos.
    Rute

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rute, não conheço esse filme, valeu pela dica! :D
      Um abraço!

      Excluir
  17. Bia,
    Como sempre, adoro ler os seus textos.
    E gostei imensamente de sua proposta!
    Porque sempre que falamos em oportunidades, a primeira coisa que pensamos envolve o verbo "receber" e não o "dar".
    "que não só peçamos, mas sejamos semeadores de oportunidades"
    É uma boa maneira de morrer para o egoísmo e nascer para a generosidade.

    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa, saudades de você! :D Sabe, passamos tanto tempo priorizando coisas palpáveis que esquecemos quanto poder carregamos nas nossas mãos. Penso que em geral é preciso muito pouco em doação, quero dizer, um pequeno esforço de um gesto pode provocar uma grande e sólida mudança na vida do outro. Pode perceber...geralmente quem exige muito da gente ou bens materiais não está precisando de ajuda realmente, só está querendo satisfazer seu ego.
      Um abraço!

      Excluir
  18. Bia que texto lindo, eu não conhecia a estoria de Seu Jorge.
    Come é importante estar atento às necessidades do outro, ser benção na vida de alguem.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo o que disse, Lila..."ser bênção na vida de alguém"...tem alegria maior que essa? :DDD
      Um abraço!

      Excluir
  19. Linda história, não sabia que Seu Jorge tinha sido morador de rua... eu também gosto de organizar algumas coisas no feriado, Bia. Abraços, Feliz Páscoa e tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbie! Eu gosto de organizar coisas...nem sempre elas permanecem organizadas, hahaha, já fui mais encucada com isso. Mas acho que faz bem limpar, jogar fora o que não serve mais e cuidar do que precisamos no dia a dia. Uma braço!

      Excluir
  20. Olá, querida

    Seremos recompensados pala nossa paciência, bondade, imparcialidade...

    Feliz Páscoa!!!

    Bjs fraternos de paz e bem
    P.S. Senhor, neste dia de uma forma especial, fazei com que eu seja chave par os mais desfavorecidos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Orvalho! Já não penso mais em fazer o bem por recompensa, isso já me entristeceu bastante, mas por tentar fazer o que penso ser o certo. Seu PS trouxe uma linda oração para um dia tão especial. Um abraço!

      Excluir
  21. Bia,

    Se o Xande não tivesse dado uma oportunidade ao Seu Jorge, talvez, nunca teríamos ouvido essa linda voz.
    Eu conheci os meninos do Revelação, alguns moravam perto de mim, quando morava no Brasil. São muito bacanas.
    O egoismo tomou conta do ser humano. Não deveria ser assim. Assim como precisamos das oportunidades, temos que abrir as portas dela pra quem também precisa.

    Amei o texto. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então é isso, Lucinha...uma oportunidade que encanta os ouvidos de muitos.
      Deve ser interessante conhecer pessoas que depois se tornam músicos de sucesso...conheço um rapaz muito gente boa que toca na banda do Tiago Iorc, que está começando a despontar na carreira. Dá orgulho ver que pessoas vencem na música, uma arte tão fundamental.
      Oportunidades são também vias de mão dupla...e o egoísmo, triste.
      Um abraço!

      Excluir
  22. Bia que post maravilhoso, em meio de tanta tragédia maldade e desamor, esses exemplos alimentam nossa alma de esperança. Bom dia, passando para te desejar uma belíssima semana.
    Um abraço carinhoso

    Paty Alves
    Ágape Amor Verdadeiro
    Patyiva
    Vou Conseguir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty! Tem razão...a tv se preocupa tanto em fuçar e divulgar desgraças que uma história dessas parece uma luz em meio a trevas. Espero que a divulgação abra as portas para muitas pessoas. Um abraço!

      Excluir
  23. .



    Muito boa a maneira que você
    encontrou de narrar um fato.
    Gostei muito, principalmente
    de saber que o cara, de quem
    eu gosto tanto, veio tão de
    baixo dando esperanças a quem
    carrega, como ele, a saga do
    vencedor.

    Um beijo e parabéns pelo con-
    to e pelo belo jeito de contar.

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Silvio...esperança é um sentimento que anda em falta num mundo tão opressivo e injusto, e sabe que conservá-la vale a pena é reconfortante. Um abraço!

      Excluir

  24. Amigos, verdadeiros são para sempre, porque
    quando dois corações se unem, formando um só,
    DEUS se manifesta ali, através do amor
    e o amor é mais forte que a morte,
    não importa a distância,
    no coração estarão sempre perto.
    não importam as diferenças.
    Sempre haverá um ombro para recostar,
    mãos para ajudar,olhos para enxergar e chorar de alegria e dor,
    bocas para expressar as verdades e sorrir.
    Os bons amigos são como estrelas
    você nem sempre as vê, mas você sabe que sempre estão lá.
    Esta é a maior responsabilidade de nossa vida
    e a prova evidente de que
    duas almas não se encontram por acaso.
    Por tudo isso e muito mais eu digo
    Deus abençoe nossa linda amizade
    Deus abençoe por estar sempre de mãos estendidas
    nos momentos em
    mais preciso de afago e carinho.
    Linda seja sua semana beijos no seu coração
    caricia na sua alma linda e generosa.
    E 1 de Abril ,mais carinho meu e amizade é para sempre não é mentira..
    Evanir.
    Estou com muitas saudades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evanir, seu carinho e presença constantes me fazem ter certeza de que seus sentimentos são muito verdadeiros. Um abraço!

      Excluir
  25. Mt bacana o texto, acho que o medo de alguém ser melhor do que a gente acaba nos fazendo fechar portas ao invés de abri-las.
    Bjos!
    http://amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, gosto da maneira direta como coloca as coisas...alguns temem ser falhos e perder espaço para quem é melhor, e outros temem que a mão estendida seja sinal verde para o abuso. Sempre o medo como uma trava, em alguns momentos, sensata. Só não pode virar regra. Um abraço!

      Excluir
  26. Oi Bia
    Não conhecia essa história, mas achei muito interessante. Seu post, sem comentários! Sempre lúcido e atual. Gostei muito. Bjos.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana! Obrigada pelo carinho, espero que esteja bem. Um abraço!

      Excluir
  27. Olá Bia.

    Grande reflexão. De fato, muitos perambulam pela vida necessitados de uma oportunidade, uma chance. Subestimar, pré-julgar pode sepultar talentos, abortar possibilidades...

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  28. Olá Bia.

    Grande reflexão. De fato, muitos perambulam pela vida necessitados de uma oportunidade, uma chance. Subestimar, pré-julgar pode sepultar talentos, abortar possibilidades...

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Apon! Seu comentário colocou uma palavra que vive de mãos dadas com a oportunidade: possibilidade. Sem abrir oportunidades, reduzimos demais as possibilidades da vida. Um abraço!

      Excluir
  29. Bia, eu amei seu texto. De fato, permanecemos fechados em nossas buscas e nos esquecemos que podemos ser a solução para muitos. E sem esforço, com pequenas atitudes que demonstram reconhecimento e senso de humanidade. Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene! Às vezes acho que sou uma pessoa nostálgica, daquelas que gostaria de viver em um tempo em que havia mais cordialidade e generosidade, quando um parecia se importar mais com o outro...será que esse tempo existiu mesmo?
      Não é clichê dizer que nunca é tarde para não só buscar, como fazer diferente. Um abraço!

      Excluir
  30. ✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫

    Boa tarde de segunda feira!!!!
    Que história de vida que teve heim
    muito triste,mas tem sempre alguém
    que estende a mão e ajuda, bonita de se ver e elogiar

    Abraços com carinho
    Bjuss
    Rita!!
    ✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita, me parece mesmo que a história de vida dele tem passagens bem tristes, mas todos nessa vida merecem a chance de fazer diferente. Ele soube aproveitar a dele. Um abraço!

      Excluir
  31. Excelente reflexão,Bia.Cada linha enumera com precisão os focos duma ação verdadeiramente renovadora de vida.Eu não sabia desta história sobre o Seu Jorge e fiquei emocionada em conhecê-la.
    Já fui chave sim, pra alguns alunos, pro filho duma ajudante doméstica, pra colegas, enfim, fui chave e muitos deles adentraram portais e mudaram seus rumos positivamente.
    Uma ótima semana.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu! Eu sou bem bobona para esse tipo de história, hahahaha. Não sou afeita a reportagens que exploram o drama para levantar audiência, mas gosto quando conheço as histórias assim, contadas espontaneamente e com um cunho tão generoso. Sempre acabo me emocionando! :')
      É uma sensação maravilhosa ser chave de portal de alguém, traz o sentimento de que não estamos passando por esse mundo em vão. Um abraço!

      Excluir
  32. Querida amiga

    Propostas assim
    acordam sentimentos bons,
    em quem ainda insiste
    em acreditar na esperança...

    Que haja em ti sempre
    um sorriso,
    para enfeitar de beleza a vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Aluísio, despertam um sentimento de quem nem tudo está perdido. Obrigada pelo carinho, sorrir ainda é um meio que tenho de tornar o mundo mais leve. Um abraço!

      Excluir
  33. Oi Bia,

    Mais um belo e tocante texto...

    Abços

    ResponderExcluir
  34. Excelente reflexão, Bia!! São poucas as pessoas generosas e que olham para quem está ao lado com bondade. Na maioria das vezes, pessoas classificam pessoas, colocam-nas enquadradas em categorias e dali não são promovidas. Em geral, essas categorias também são nomeadas com adjetivos negativos. Talvez esse comportamento de ficar na defensiva, seja culpa da educação, afinal, os pais não querem que os filhos saiam perdendo. Por um bom tempo, vi esse tipo de atitude por parte dos pais. Vejo que essa postura tem mudado, talvez pelos baques que a própria vida dá às pessoas.
    Estou tentando carregar o vídeo da entrevista, mas a minha conexão está um caco. Veremos!
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luma! Tem razão...o pré-julgamento ainda é um traço muito peculiar do caráter humano e isso impede que a justiça seja feita e a bondade, disseminada.
      Faz sentido que isso seja reflexo da educação, do medo que os pais tenham do insucesso do filho, ou de que algo de mal lhes aconteça. Porém, acho que com o passar dos anos temos capacidade para nos abrir para o conhecimento e dessa forma, mudar pontos de vista arraigados pela educação.
      Pena que no vídeo cortaram o início, que era a parte mais importante...mesmo assim vale a pena ver.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Oi, Bia!! Voltei para assitir ao vídeo! Gratidão... Algumas pessoas se tornam especiais em nossa vida sem que tomem consciência disso. Devemos sempre agradecer! Boa semana!! Beijus,

      Excluir
  35. Bia eu não conhecia a história do Seu Jorge, que tudooo, amei saber a respeito, não compro os cds mas curto as musicas qdo tocam na rádio! Sucesso merecido! Bjooooosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen! Eu também não compro os cds do Seu Jorge, ouço quando está tocando, mas o talento dele é indiscutível! E bons exemplos sempre merecem ser divulgados e reproduzidos. Um abraço!

      Excluir
  36. O que não se espera acontece
    com mais frequência do que o que se espera...


    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo, Margoh...sensibilidade admirável. Um abraço!

      Excluir
  37. Emocionante seu texto.Assisti ao programa tb "Encontro com Fátima" amoooo os dois e curto demais Seu Jorge.Olha uma mão estendida ,meu Deus é tão simples!!!!
    beijo Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmine! Legal saber que assistiu, o vídeo não mostra a reportagem na íntegra...é impressionante mesmo, um gesto simples demais e ainda assim, tão raro. Um abraço!

      Excluir
  38. Bia, parabéns querida!
    E pensar que esse maravilhoso texto que nos presenteou originou-se de uma faxina, inicialmente... realmente incrível!

    Puxa, você sabe muito bem conciliar emoção com oportunidade!
    Felizes daqueles que tem esse maravilhoso dom de escrever tão bem e emocionar com as palavras! Você é uma dessas pessoas! :)

    Um fato curioso me chamou a atenção: a história de vida de Seu Jorge! Nossa,eu gosto pacas das músicas dele, mais não tinha conhecimento da origem, de como começou! Fiquei ainda mais impressionada com a fortaleza dele! Soube, como ninguém, aproveitar a oportunidade da vida e ainda manteve a dignidade de agradecer a quem a concedeu inicialmente! Que encanto!

    Gostei demais!!
    Beijos grandes e obrigada por me proporcionar isso tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana! Acho que faxinas são uma ótima oportunidade para organizar a casa e a mente, por incrível que pareça!
      Obrigada por seus elogios! :D
      A história é mesmo encantadora não só pelas questões da oportunidade, como também do gesto raro de agradecimento. Não raras vezes a oportunidade vem em momentos em que achamos não ter mais saída.
      Um abraço!

      Excluir
  39. Bia querida! Agradecendo sempre o carinho e comentários gentis! Também me desculpando por muitas vezes demorar para aparecer..... Está cada vez mais difícil visitar a “todos” como gostaria.... Tenho tentado alternar e demora.... Mas eu volto!.... Parabéns pela excelente postagem! Li cada palavrinha! Que cada um de nós possa refletir sobre a mensagem contida em tuas palavras!...
    Uma semana abençoada e feliz!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elaine! Não se preocupe em se justificar, compreendo bem o quanto é difícil conciliar o tempo com os afazeres e a blogagem...o importante é que sempre volta! :)
      Obrigada você pleo carinho, é bom saber que gostou do texto. Um abraço!

      Excluir
  40. Que texto lindo, Bia. Olha, lendo isso me lembrei de uma foto que foi muito compartilhada no Facebook. Não foi bem uma oportunidade, mas um gesto admirável: o garoto deu para um mendigo um chocolate na véspera da Páscoa e o mendigo chorou copiosamente. Ao ver aquilo o rapaz deu o ovo todo para ele.

    Isso cabe muito a esse seu texto, mesmo não sendo uma chave para um portal. Beijos e Feliz Páscoa atrasado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio! Que bela história...na realidade pode sim ter sido uma chave de portal. Talvez o mendigo só precisasse de um gesto desses para voltar a acreditar em sua própria vida. Penso que muitos que caem no mundo o fazem por deixar de acreditar em si próprios, ou no próximo, como uma desistência...mais gestos generosos podem ressuscitar esperanças sepultadas.
      Um abraço!

      Excluir
  41. VocÊs que fazem parte desta massaaa, que passam nos ´projetos, do futurooo, e duro tanto ter que caminhar, e dar, muito mais do que receber...! A poesia, a arte, a canção fazem o coração repensar e doar um espaço ao próximo! Seu texto é assim, a divina proporção da realidade! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives! Bela lembrança dessa letra de música, casa muito bem com a proposta. Quando passamos mais tempo doando do que recebendo a consciência agradece. Um abraço!

      Excluir
  42. Estive tão afastada daqui, e do meu blog, é que minha irmã faleceu, ai fiquei sem chão, mas estou retornando aos poucos.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luzia! Sinto muito mesmo por sua perda, compreensível sua dor e afastamento. Receba meu abraço!

      Excluir
  43. oi Bia!
    Amei o teu blog... muito interessante seu ponto de vista...
    Isso mostra que não devemos ficar com os braços cruzados achando que somos coitadinhos.. É nós que precisamos fazer algo... Dar o primeiro passo...
    Seu Jorge é um belo exemplo...
    Amei
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa, seja bem vinda! Há momentos em que ficamos mesmo tristes, desanimados e cansados, mas uma boa maneira de reverter esses sentimentos é indo em sua contra-mão, fazendo o bem a quem precisa. Um abraço!

      Excluir
  44. Bia,
    Tem uma visão da vida que muito me agrada. Há que espalhar sementes, partilhar...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho...partilhar é uma palavra linda quando praticada. Um abraço!

      Excluir
  45. Olá, Bia! Hoje, meu filho e eu tivemos a oportunidade de auxiliar dois motoqueiros que se acidentaram bem à nossa frente, na avenida em que trafegávamos. Meu filho, bombeiro civil, imediatamente pediu que eu parasse o carro atravessado com o pisca-alerta, para evitar que carros transitassem naquela pista, e correu em direção aos acidentados, já com as luvas cirúrgicas que carrega sempre consigo. Assim que os bombeiros e paramédicos chegaram, saímos do local. No caminho, meu filho dizia que gostaria de ter feito mais pelos motoqueiros, ao que eu disse que a atenção que ele proporcionou era o conforto que eles precisavam naqueles poucos minutos. O resto, a equipe de profissionais faria... Chegamos atrasados ao compromisso, sim. Mas, conscientes da importância de ter sido solidários...
    Beijos
    Yolanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yolanda! Gosto demais quando as pessoas que passam por aqui deixam um pouquinho de si através de testemunhos como o seu...o sentimento que seu filho levou de que gostaria de ter feito mais mostra o grande e generoso coração que tem.
      Concordo contigo, com certeza os minutos que dedicaram aos acidentados fez toda a diferença para que eles se sentissem acolhidos e seguros até o socorro chegar. É o tipo de atraso cujo retorno não tem preço.
      Adorei sua partilha, um abraço!

      Excluir
  46. Bia minha linda caprichou no post, não sabia do Seu Jorge um exemplo sem duvida, gostei da sua proposta:

    "Minha proposta é que não só peçamos, mas sejamos semeadores de oportunidades".

    Isso me leva a refletir se estou mesmo fazendo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia! A reflexão é um meio de mudar aquilo que achamos não estar fazendo como gostaríamos...eu também refleti sobre se estou sendo chave de portal, ou não. Um abraço!

      Excluir
  47. Bia,

    "ser a chave para o portal" de alguém deve ser maravilhoso. Você, nesse momento, foi a minha. Obrigada! Demais teu texto! Gr. Bj.!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris. Felicidade saber que o texto abriu portas para suas realizações. Um abraço!

      Excluir
  48. Oiii Bia,
    muito bancana sua postagem. Eu não conhecia a história de Seu Jorge, curto muito quando passa no rádio ou tv. A mensagem dessa sua postagem é maravilhosa, de ajudarmos ao outro, ouvir, dá oportunidades, nossa amei!
    Sabe, eu gosto muito de ajudar, eu procuro pelo menos, porque muitas vezes no nosso egoismo negamos uma ajuda, mas todos nós deveriamos sempre agir assim, ajudando um ao outro, porque com certeza o mundo seria bem melhor!

    Parabéns pelo o texto, enviei até para o meu marido ler =)

    Doce dia,
    bjoos, eli.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eli! A própria correria do cotidiano nos força a centralizar esforços na resolução dos nossos problemas e de quem está por perto, e acabamos por não perceber quantas pessoas carecem de pequenos gestos para darem grandes saltos.
      Eu não costumo negar ajuda (até peco pelo excesso de sim), porque me sinto muito mal quando percebo que poderia ter feito algo por alguém, e não fiz. O que parece pouco para a gente, pode parecer muito para o outro.
      Obrigada pelo carinho, um abraço!

      Excluir
  49. Bia,
    excelente texto.
    Confesso que eu não sabia dessa história entre Seu Jorge e Xande.
    Mas é uma história linda e repleta de lições importantíssimas.

    Penso que muitas vezes oportunidades grandes nos são dadas diariamente e acabamos deixando de lado, ou, se não , não notamos que alguém perto de nós precisa dessa brecha ou desse empurrãozinho da nossa parte.

    Eu confesso que muitos já me deram oportunidade, e eu sou imensamente grata a essas pessoas.

    Um beijo!

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jhosy! Eu chamaria isso de "cegueira social"...somos tão cobrados o tempo tempo que:
      1- achamos que nunca somos merecedores de oportunidades
      2- não conseguimos enxergá-las porque estamos resolvendo problemas
      3- não nos damos conta do quanto podemos ajudar o outro

      O que me deixou feliz foi saber que soube aproveitar as oportunidades que lhe foram oferecidas, e a gratidão não me impressiona, eu sabia que você carregava o dom de agradecer dentro de si. Merece muitas oportunidades pela frente.
      Um abraço!

      Excluir
  50. OI BIA!
    ESTAMOS VIVENDO UM MOMENTO EM QUE POUCO ESTAMOS NOS DANDO CONTA DO QUE ACONTECE A NOSSA VOLTA, POR MEDO, EGOÍSMO, FALTA DE TEMPO?
    QUESTÕES IMPORTANTES, MAS QUE NÃO DEVERIAM SER AS DESENCADEADORAS DE UMA TOTAL ALIENAÇÃO COM O QUE SE REFERE AO OUTRO, TODOS NÓS, EM ALGUM MOMENTO DA VIDA PRECISAREMOS DE ALGUÉM, ENTÃO, DEVERÍAMOS FAZER A NOSSA PARTE E ABRIR ESTE PORTAL, O DO AMOR PARA COM O OUTRO, SE CADA UM FIZER UM POUCO, MUITA AJUDA RESULTARÁ.
    MUITO BOM TEU TEXTO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zilani! Como numa cadeia, não é mesmo? Um ajudando o outro, dando e recebendo na mesma medida, sem egoísmos ou subserviências exacerbados. Seria perfeito e não considero utópico...basta o desejo da transformação da consciência de cada um. Um abraço!

      Excluir
  51. Bia, certa vez alguém disse o seguinte: "Quem não tem gratidão não tem caráter." Ai está o belo exemplo desse notável talento da nossa música, Seu Jorge, com o cantor Xande. Bia, um grande beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulo! Gratidão é mesmo um belo traço de caráter, e pode ser desenvolvida com boa vontade. É mesmo uma pena que algumas pessoas só saibam pedir e pedir sem parar para reconhecer o que tem, ou só reconhecem quando é do seu interesse, ou seja, quando percebem que "a batata está assando".
      Nesse caso a gratidão é um meio de manipulação.
      Ainda bem que há histórias que nos salvam disso! :)
      Um abraço!

      Excluir
  52. oi Bia querida, faz tempo que não venho, mas estou aqui!
    penso que já fui a chave para alguém, e me orgulho disso.
    serei breve: quando mudei para Valinhos comprei uma casa com inquilino morando.
    Na época da transação ele prometeu que mudaria em breve, não queria incomodar.
    Precisávamos da casa para morar, meu marido transferido pela emprêsa, crianças matriculadas na escola...
    ele demorava.
    alugamos uma casa e nos mudamos para cá, na esperança de que seriam apenas algumas semanas.
    mas ele não mudava, não liberava nossa casa. Decidi ter uma conversa franca com ele, fora da imobiliária. E ele me contou que não havia ninguém na cidade, nem seu pai, para ser avalista do contrato de aluguel para ele. Tudo por conta de uma falência que ele havia sofrido anos antes, acompanhada de um stres, enfim, tudo passado e resolvido.
    Nem um amigo ou parente assinaria como fiador um contrato dele.
    Naquele momento a única coisa que consegui fazer foi olhar firme nos seus olhos e dizer que eu seria fiadora dele. Que aprontasse o contrato, pois eu assinaria tudo.
    Pensei em mim? sim! ele sairia de minha casa. Mas juro que pensei primeiro nele. Não era justo o que estava sofrendo.
    Meu marido ficou muito bravo comigo (era preciso assinar junto) e disse que éramos novos na cidade, que eu estava fazendo uma besteira, e bla bla bla...
    No dia de assinar o contrato ele me abraçou, emocionadíssimo, agradeceu e disse a meu marido que nunca nos arrependeríamos. E foi isso mesmo. Nunca nos deu trabalho algum, era um inquilino exemplar. Quando terminou seu contrato veio me avisar sorrindo, dizendo que estava indo para sua casa prória.
    Fico emocionada até hoje quando penso nele e me lembro de seu olhar cheio de gratidão.
    Nossa, quase uma postagem esse comentário. Isso porque seria breve ...O assunto é muito envolvente.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivani, sinceramente estou arrepiada e meus olhos pipocaram...sei que foi sincera quando disse que não pensou primeiro em vocês, afinal para conseguirem a casa poderiam usar de outros meios mais incisivos.
      Usou de sua sensibilidade para perceber a sinceridade do rapaz, e ler seu depoimento me fez pensar em uma palavra que não usei ainda até aqui. Oferecer uma oportunidade é também um gesto de confiança. É claro que infelizmente há muitas pessoas que não consideram assim, e geram atitudes prudentes como a do seu marido. Porém, é indescritível a sensação de oferecer a oportunidade a alguém e perceber que era só disso que ele (a) precisava para retomar as rédeas de sua vida.
      Querida, obrigada demais por deixar aqui sua partilha. Não importa o tamanho do comentário, sabe que o Revolta é como a varanda que não tenho em meu apartamento...você pode sentar na poltrona e contar suas lindas histórias tomando comigo um chá. :D
      Um abraço!

      Excluir
  53. Nossa, eu tinha essa duvida se Seu Jorge já foi morador de rua.. sei lá..
    Puxa, saber aproveitar as oportunidades pode nos elevar horizontes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, Nathália...não podemos desprezar as oportunidades que nos aparecem, para que não haja o arrependimento pelo não feito. O mesmo vale para o oferecer oportunidades...o momento é ditado pela intuição. Um abraço!

      Excluir
  54. Bia querida!
    Eu não sabia da história do Seu Jorge, mas fiquei encantada.
    Não sei se já pude ser o portal para alguém, mas gostaria bastante seu um dia poder ser. Estamos aqui para nos melhorar e auxiliar no que for possível e às vezes acho que estou emperrada no meio do caminho sem fazer muita coisa. Vou abrir mais os olhos e o coração.
    Espero que o coelhinho tenha sido bem querido contigo e tua família e além de chocolate tenha deixado por ai muito amor e alegrias.

    Bejus

    ResponderExcluir
  55. Oi Bia,
    Muitas vezes tudo o que nós ou o outro precisamos é de uma oportunidade e nunca saberemos disso se não deixarmos de pensar somente no que queremos e passarmos a olhar um pouco mais para a necessidade alheia.
    Claro que tudo na medida certa,porque tem gente que adora se aproveitar da bondade alheia,se fortalece e depois some,ou trata o outro com ingratidão.
    Devemos lembrar sempre que o que vai um dia volta e isso inclui principalmente o pequenos gestos.
    Adoro teus textos,nos trazem ótimas reflexões.
    abraço =)

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.