domingo, 25 de agosto de 2013

Sê pedra, sê estrada

Obs: A querida Patrícia, do blog Café entre amigos, me convidou para fazer uma entrevista e eu aceitei...quem quiser ler um pouco sobre a atual Bia é só clicar aqui.

imagem by freepik

Ontem presenciei uma atitude que me fez pensar na posição de expectadora, onde uma pessoa prejudicou indiretamente outra deixando de abdicar um pouco do seu programa de trabalho para ser gentil. Nada de grandes proporções, mas penso que quando uma pessoa pede algo explicando que aquilo seria importante para ela, e aquilo não prejudicaria sua vida, por que não ajudar?
Há pessoas que não se importam em se comportar como pedras.
Pior ainda quando a atitude vem de alguém que sustenta um discurso de história de vida onde diz ter sofrido muito por ter encontrado pessoas-pedra  em seu caminho. Valorizo bastante o aprendizado pessoal, e esse tipo de postura me parece vir de alguém que não aprendeu apesar do sofrimento vivido na pele. Há ainda aqueles que pensam "a vida me ferrou, vou ferrar com a vida do outro também" - há quem sinta prazer nisso - postura ainda mais lamentável e que só traz amarguras para si e para o entorno.
Em contrapartida, há as pessoas-estrada...aquelas que são gentis, estão atentas às necessidades do todo, se disponibilizam em ajudar, em facilitar, encontrar soluções e caminhar ao lado de quem precisa de um esteio - atitudes válidas quando destituídas de interesse.
Quem é estrada sempre terá à frente um largo horizonte para devastar e pessoas para serem companhia agradável durante a caminhada, pessoas que aliviarão seu fardo, seja de chuva ou de sol...pedras ficarão sempre à beira do caminho observando a alegria passar e sentindo as intempéries no lombo.
Pedras são bonitas nas encostas do mar, na fachada de uma casa de pé de serra, na base de montanhas áridas ou no fundo de um rio...pedras tem sua utilidade e beleza, mas tem um universo restrito, tornando mais cansativa a passagem de quem precisa contornar ou escalar. Causam bolhas nos pés e feridas na alma. Estradas nos levam longe e nos apresentam novas paisagens, soluções e oportunidades.
Sentiu-se pedra? Não tem problema...quebre-se em pedacinhos e vai, que vai quicando junto com a poeira de um carro que passa e em pouco tempo, já será estrada.

imagem do facebook

89 comentários:

  1. Oi Bia!
    Você tem razão.
    O mundo está se tornando pequeno para as pessoas, a maioria está atropelando a outra para galgar algum lugar para sobreviver, a maldade, a crueldade dessas pessoa não ficam impunes, tenha certeza, no final de suas vidas vão querer retroceder para consertar a vida mas o tempo é curto, aí então, vem o castigo do descaso e solidão.
    Nosso coração se alegra quando fazemos o bem sem cobrar resposta..E Deus nos ajuda na hora da nossa partida.
    Amanhã tem surpresa no meu blog
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli! Perceber o coração se alegrar quando sentimos que facilitamos e ajudamos já é uma grande recompensa.
      O descaso gratuito me incomoda, essa coisa de dificultar o lado do outro gratuitamente e ausência de empatia...que o mundo torne-se então grande, física e emocionalmente.
      Vou aguardar a surpresa, eeeeh! :)
      Um abraço!

      Excluir
  2. Bia, a humanidade realmente está precisando de mais doçura, mais gentileza, colocar-se um pouquinho que seja no lugar do outro.
    Um belo texto para refletirmos pois sempre dá para mudar!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, doçura e gentileza, atributos gratuitos que dependem só de boa vontade e coração aberto, capazes de fazer uma diferença enorme.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Como sempre aprendemos muito com tuas colocações e reflexões. Observas bem a vida, as pessoas, comportamentos e sabes te inspirar neles. beijos,lindo dia! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, a cada dia me torno mais observadora...e acho que falta também aprender a silenciar um pouco mais.
      Obrigada pelo carinho, um abraço!

      Excluir
  4. Oi Bia,
    O bom de ser estrada é que dá pra levar muita gente pra frente e precisamos de quem nos ajude a seguir,que não nos abandone em meio a um tombo qualquer.
    Já a pedra pode ser até boa de ver dependendo da paisagem,mas pode nos atrasar ou ferir.

    Uma ótima semana,abraço =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Su! É bom levar gente pra frente, né? Que as pedras só sirvam mesmo como belos enfeites.
      Um abraço!

      Excluir
  5. olá Bia!
    amei seu texto... lindooo
    eu tento ser estrada... porque pedras.. gentem como tem!!! Mas existem pessoas bondosas e são como estradas... ^^
    beijão flor... amei de verdade seu texto lindooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa! Sim, há muitas pessoas que são estradas, e merecem carinho, cuidado e reconhecimento para que não se tornem pedras.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Oi Bia
    E quantas pessoas-pedra encontramos pelo caminho? Mas em nossa caminhada nos deparamos com pessoas de alma elevada e um nobre coração sempre dispostos a estender a mão e nos ajudar a trilhar os caminhos pedregosos que nos circundam. Que na tua caminhada você encontre mais estradas do que pedras pois elas tornam o nosso caminhar mais leve e feliz.
    Que a sua nova semana seja abençoada e repleta de muito amor e harmonia.
    Beijos com meu carinho e ternura
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracita! Pessoas-pedra acabam se revelando um dia, então fica fácil contornar.
      Desejo muitas estradas pra ti também. Um abraço!

      Excluir
  7. Olá, Bia.

    Ser estrada ou pedra é uma questão de opção. E mesmo os que optam por serem pedra, não estão inexoravelmente condenados a inação ou o mal, também possuem escolhas. Podem se transformar, positiva ou negativamente, como nesse meu poema que tem circulado na internet como de "Autor desconhecido, sem autoria, com o nome de famosos ou de plagiadores:

    A pedra - Antonio Pereira (Apon)

    O distraído, nela tropeçou,
    o bruto a usou como projétil,
    o empreendedor, usando-a construiu,
    o campônio, cansado da lida,
    dela fez assento.
    Para os meninos foi brinquedo,
    Drummond a poetizou,
    Davi matou Golias...
    Por fim;
    o artista concebeu a mais bela escultura.
    Em todos os casos,
    a diferença não era a pedra.
    Mas o homem.

    http://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apon, que poema fantástico! Estou acrescentando ao texto como leitura complementar. Lamentável divulgarem sem lhe atribuir a autoria.
      O lado bom foi o que descreveu aqui, ninguém está enfadado a ser pedra a não ser aquela que há na natureza. Essa escolha pode ser feita a qualquer tempo e só depende de um pouco de reflexão interior.
      Um abraço!

      Excluir
  8. Olá!Boa noite
    Bia
    Comigo tudo bem, espero que com vc também!
    Bela reflexão
    ...bem, primeiro, detesto esse "vitimismo", alguém que sustenta um discurso de história de vida onde diz ter sofrido muito por ter encontrado pessoas-pedra em seu caminho,sem que isso incorresse em aprendizados ou "a vida me ferrou, vou ferrar com a vida do outro também"...pura maldade para o alheio.
    .... quando temos algum tipo de contato/relação com as ditas pessoas-pedra, penso que como nem sempre é recomendável estabelecer confronto e medir forças, a solução para casos como esse é fingir que não entendeu a intenção e reforçar a nossa linha de argumentação e conduta...e quando as atitudes são de forma escancarada, tudo se torna mais fácil de se lidar, porém,o que vejo, percebo e sinto, muito, são algumas expressões sutis, inseridas de maneira estratégica ao longo de uma conversa/atitudes querendo boicotar nossa forma de agir, pensar, idéias...tudo isso no intuito de puxar nosso tapete...e para esses, que ainda não acreditam no poder da gentileza, ainda que ache que tudo isso é exagero...algum santo dia irá perceber que se for gentil, estará presenteando a si mesmo, porque tornará a vida bem mais prazerosa. E viver de bem consigo mesmo já é um grande passo para viver de bem com toda a humanidade....
    Obrigado pelo carinho
    Bela semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felis, fico feliz em saber que está bem! Também não compreendo a divulgação do sofrimento para justificar atitudes quando a transformação pessoal, da vitória sobre a dor, seria justamente fazer diferente.
      Com os anos vamos aprendendo a perceber pessoas-pedra justamente nessas sutilezas do avesso...o caso citado não aconteceu comigo, mas veio de alguém com quem já tive divergências de opiniões. Pensei ter sido radical e me abri para observar e ver se havia sido só um problema de momento, mas hoje vejo que estava certa. É o tipo de pessoa com quem é preciso estar "esperto".
      Porém, não perco a esperança de que esse momento de percepção do quanto a gentileza e a humildade fazem bem podem chegar para qualquer um.
      Um abraço, obrigada pelo carinho.

      Excluir
    2. Olá!Bom dia
      Bia
      realmente, tem pessoas com quem precisamos estar muito "esperto".Precisamos prestar atenção nas pessoas que nos cercam.
      Santo de verdade não posa de santo e não faz cara de santo. Não puxa tapete para ocupar espaço que é do outro. Alguns deles não parecem, mas são pessoas santas. E há os que parecem, mas não são! Corremos este risco de nos enganarmos. Mas menos espertos, nós ainda, comprovadamente, não somos!
      Obrigado pelo carinho
      Belo final de semana
      beijos

      Excluir
  9. Bia,

    Tenho encontrado algumas preciosas pessoas-estrada no meu caminho e tem sido um aprendizado contínuo poder conhecê-las. Difícil é quando vc tenta ser estrada pra quem se revela pedra. Gostei muito da reflexão. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser estrada para quem se revela pedra é mesmo um desafio e tanto, que só vale a pena quando sabemos quais circunstâncias a tornaram pedra e percebemos o desejo de auxílio, de mudança. Nesse caso pode ser uma experiência fantástica. E observá-las pode ser mesmo interessante.
      Gostei do seu ponto de vista...um abraço!

      Excluir
  10. Bia querida, que belo texto. Infelizmente a humanidade está carregando no peito, não um coração, mas uma pedra, fria, sem vida e sem sentimento. O que mais tem são pessoas egoístas e oportunistas. Mas, graças a Deus alguns ainda se salvam. Um bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nádia. Poderia mesmo ter feito a analogia entre a pedra e o coração, já que suas atitudes estão ligadas a sentimentos pequenos.
      Existem mesmo pessoas generosas que ficam feliz em fazer parte do "tamo junto".
      Um abraço!

      Excluir

  11. Olá Bia,

    Belo texto.
    Infelizmente, há pessoas egoístas demais, incapazes de atos de gentileza e de solidariedade. É por isso que o nosso mundo anda tão conturbado e o sofrimento se alastra impiedosamente. Ninguém consegue ser feliz e ter paz de espírito se não é capaz de doar-se em prol do bem estar alheio. Colhe-se conforme se planta. O mundo somente será melhor quando entendermos que atos de bondade e de gentileza tendem a se multiplicar e que nos fazem um grande bem. Pessoas que já experimentaram o desconforto de encontrar pessoas-pedra em seu caminho deveriam ser as primeiras a se transformarem em estradas. Se não o fazem pelo coração, acabam aprendendo a fazê-lo através de dores maiores.
    Sejamos estradas floridas para encantar e iluminar o caminho de todos nessa nossa trajetória pela vida.

    Felizes dias para você.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera!
      Seu comentário me fez pensar o quanto uma ação abre caminho para outra (ou fecha portas...). Esse parâmetro é algo que faz bastante diferença, de alguém que sofre e se transforma e outro que sofre e distribui mais sofrimento. Por vezes estive à beira de ser assim, e fico grata que a fé e o amor me salvem.
      Flores pra você também, que sempre enche meu caminho com belas mensagens.
      Um abraço!

      Excluir
  12. uma boa reflexão e que nos carrega de muita elevação!

    ResponderExcluir
  13. uma boa reflexão e que nos carrega de muita elevação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, Ricardo, um abraço!

      Excluir
  14. Oi Bia!!!
    Não sei o outro comentário foi. Então tô escrevendo de novo, pra garantir, hehehehehe.
    Achei muito lindo esse teu texto!!
    Que possamos ser estrada e não pedras no caminho.

    Passei para te desejar uma ótima semana e contar que postei a tag que você me indicou. Passa lá conferir, quando puder, tá?

    Bejão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Naty, só esse estava aqui, hahaha, às vezes dá a louca no blogger. Já conferi sua tag e adorei, obrigada por ter respondido....um abraço!

      Excluir
  15. Vengo del blog de Patricia Galis y me ha encantado tu Rincón; por lo cual, si no te importa, me hago seguidor de tu maravilloso Espacio.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, seja bem vindo! Fico feliz que a entrevista tenha trazido novas pessoas ao meu espaço que se sentiram à vontade e ficaram para um café...um abraço!

      Excluir
  16. Olá!
    Vim visitar o seu cantinho virtual e me deparei com tamanha sensibilidade, carisma, harmonia, paz e anseios de um mundo melhor.
    Estou adorando, estava lendo tudo e lembrei que precisava avisar que estou por aqui agora e que vou estar sempre, pois escreve com os olhos da alma, com o coraçao sensato e verdadeiro.
    Parabens!
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ritinha, seja bem vinda! fico feliz que tenha percebido tais adjetivos por aqui e está convidada a retornar sempre que desejar.
      Um abraço!

      Excluir
  17. Olá Bia, vim lhe visitar, acabei de ler sua entrevista no blog '' Café entre Amigos '' gostei bastante.
    Achei seu blog super interessante, e já estou seguindo.

    Falando sobre o seu texto...
    Nossa que texto inteligente. Sinceramente eu prefiro ser a estrada na vida das pessoas... é tão triste quando observamos que há pessoas que fazem questão de serem pedra de tropeço na vida dos outros. E é como você mesmo citou...
    Quando somos estradas, sempre teremos companhia, e eu diria:
    Sempre teremos ajuda, um abraço...
    Já provei disso, em momentos simples que precisei, tive portas abertas para mim, justamente pelo fato de sempre tentar ser estrada na vida das pessoas.

    Vou te confessar algo, amei mesmo seu texto... Parabéns!

    Beijos em seu coração!

    Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda, seja bem vinda! Ler seu comentário me fez pensar que sempre agradeço a Deus por oportunidades inesperadas, por situações em que soluções me são dadas por pessoas improváveis, e por mais dura que a vida possa ser, tenho certeza que são reflexos dos caminhos que vamos abrindo involuntariamente ao outro.
      Lembrou bem...pedras são ótimas para darmos uma "topada", hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  18. Barbaridade hem.... seus textos estão me deixando sem palavras, já tive tanto desgosto com pessoas que me fizeram sofrer e o que doi mais eram muito próximas sabe aquelas que acha que jamais te farão algo, mas jamais pensei em me voltar contra, confesso que fiquei com raiva, me afastei...mas depois fiquei com pena, são almas que as vezes ainda não aprenderam com os tombos da vida e isso é lamentavel, pois acho que estamos aqui para melhorar sempre.

    Postei sua entrevista hoje, agradeço de coração sua gentileza e to aqui te imaginando fazendo manobras de skate rsrsrsr isso foi uma surpresa para mim mas adorei...
    http://www.cafeentreamigos.com/2013/08/cafe-entre-amigos-entrevista-bia-hain.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia!
      No fundo também tenho pena de quem age assim, mas me pergunto se não é por contar com a pena alheia que continuam agindo assim, enfim... é doloroso quando o tombo é causado por pessoas de perto. Menos tombos de skate, hahaha...
      Mais uma vez agradeço a oportunidade de participar do seu blog, é uma honra pra mim e pensar nas respostas serviu também como autoconhecimento.
      Um abraço!

      Excluir
  19. Reflexivo, fundamentado e belo seu texto. Já existem tantas pedras nos caminhos, porque nos tornarmos mais uma, prejudicando terceiros? Há, de fato, aqueles que, machucados, encontram prazer em ver outros passarem pela mesma situação. Felizmente, porém, muitos outros abrem caminhos para que possamos passar. Tenha uma linda semana. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene. Bom mesmo seria se toda dor fosse transformada positivamente, mas é um caminho que exige fé, autoconhecimento e boa vontade.
      Um abraço!

      Excluir
  20. Bia, absolutamente extraordinária esta sua análise do comportamento do ser humano! Ao longo da nossa vida encontramos muitas pessoas que ferem, apesar de já terem sido feridas, pessoas solidárias, pessoas com coração de pedra e outras com o coração de manteiga, como dizemos aqui! Vamos torcer para que a humanidade deixe seu coração de pedra amolecer no amor e compreensão para com o outro, nesta fabulosa estradada que é a vida. Um beijinho e grata pela sua visita. Excelente semana. Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime!
      Seria bom se houvesse alguma mágica que transformasse pedras em manteigas, ainda que manteigas não façam caminhos. Mas fazem bolos deliciosos, hahaha, adoçar a vida do povo amargo!
      Um abraço!

      Excluir
  21. Oi, Bia!
    Ainda bem que não existem apenas pessoas-pedras no mundo! A generosidade é uma virtude que apenas espíritos avançados possuem. Essas pessoas-pedras ainda terão que quebrar muita pedreira para que seus corações sejam abrandados. A regra universal é "Aqueles que tomam, no final perdem; mas aqueles que dão, ganham eternamente" (Douglas M. Lawson).
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luma! Linda frase, Luma, justifica o comentário por si só. Um abraço!

      Excluir
  22. OI BIA!
    E MAIS AINDA, QUEM É PEDRA, RECEBERÁ AS PEDRAS DA VIDA E NA CERTA AO RECEBÊ-LAS, IRÁ RECLAMAR, SENTIR-SE VÍTIMA, SEM NEM AVALIAR DE COMO AS TEM JOGADO...
    ACHEI TUA POSTAGEM BELÍSSIMA E COMO DISSESTE NO INÍCIO VISTE ALGUMA SITUAÇÃO QUE TE LEVOU A ESCREVER ESTE POST, QUE ELE SIRVA DE ALERTA A TODOS NÓS QUE O ESTAMOS LENDO E JÁ TERÁ VALIDO A PENA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zilani!
      Falooou e disse... a pessoa dificilmente terá a humildade de olhar para si e perceber porquê recebe pedradas. Geralmente quem tem bom coração percebe suas falhas, inclusive em proporções muitas vezes maiores do que realmente são (o que também não é saudável).
      Um abraço!

      Excluir
  23. Bia,
    adorei a imagem trazida em mais uma bela página de tua criação.Ensinei e ensino sobre as pessoas-estrada, só que as nomeei como pessoas-ponte, acessíveis, facilitadoras.
    Como o mundo precisa delas: estradas e pontes generosas e solidárias.
    Que muitos olhos e consciências reflitam por aqui.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calu, pessoas-estrada ou pessoas-ponte, todas levam a outras lugares e paisagens, todas oportunizam a conhecer o novo, a desbravar outro caminho...
      Um abraço!

      Excluir
  24. Oi Bia,

    Excelentes observaçoes sobre pessoas "pedra e estrada", as pessoas sao exatamente assim...

    Sempre fui estrada e continuarei sendo......(Claro que tenho que falar bem de mim né....rsrsr)

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Pode falar de si o quanto quiser, suas partilhas são sempre bem vindas. A estrada que você é, além de longa, é linda enfeitada por seus pensamentos e palavras bem colocadas.
      Um abraço!

      Excluir
  25. olá, Bia,

    Acho que observando o comportamento dos outros, aprendemos muito sobre nós mesmos e se formos atentos, autocríticos e conscientes, poderemos nos ver neles e quem sabe revermos nossa postura. Porque é triste ver alguém amargo e cheio de ressentimentos.

    superabraço pra ti e obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosa!
      Tem razão... não basta observar as atitudes do outro que nos incomodam se não soubermos fazer o exercício de olhar para dentro e perceber se aquela atitude não é nossa também...refletir para transformar.
      Um abraço!

      Excluir
  26. Oi Bia

    Achei a frase final genial!

    Texto digno desta sua personalidade sensível, sensata, que sabe se exprimir e tem um olhar de pura generosidade para tudo.

    Você concluiu muito bem, pessoas pedra fazem mais mal à própria vida do que à vida do outro que elas tanto ignoram.

    Agora vou lá ler sua entrevista.

    Beijo

    ResponderExcluir
  27. Voltei para comentar a sua entrevista, Bia

    Não consegui comentar no Blog Café Entre Amigos, pede login.

    Adorei!! As perguntas da Patrícia foram ótimas e você como sempre cheia de sensatez, inteligência e simplicidade nas respostas.

    Parabéns!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Van!
      Sabe que às vezes ainda acho que sou egoísta, mas penso ser necessária essa vigilância para não cair no erro de virar arrogante.
      Que bom ter gostado da entrevista, me fez refletir um bocado. E obrigada pela gentileza dos elogios, não me canso de dizer que aprendi bastante contigo.
      Um abraço!

      Excluir
  28. Bia,
    Nesse mundo temos muitos discursos seguidos de poucas ações. Acho realmente que o mundo precisa de mais gentilezas e menos rasteiras.
    Bjkas doces e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marly. E o interessante é que dá muito menos trabalho fazer gentilezas do que dar rasteiras, não é mesmo?
      Um abraço!

      Excluir
  29. Oi Bia,
    Primeiramente quero agradecer os cumprimento pelo meu aniversário.
    Esse seu assunto é tão bom que lhe digo que muitos vestem a pele de cordeiro, fala com tanta gentileza que nos enganam.
    Eu prefiro as pessoas curtas e grossas mais sinceras, nada de inho.Eu sei quando estou sendo enganada e vou levando a pessoa em banho maria para ver até onde ela vai chegar. Eu sou uma de poucas amizades pelo meu jeito de ser, pois não puxo o saco de ninguém para tirar proveitos e ficar aquela troca de favores.
    A duras penas eu consegui viver 66 anos sem precisar implorar, pois quem inteligente, temente a Deus não precisa se rastejar para viver e ter uma família digna.
    Eu tenho um grave defeito: eu perdoo, mas não esqueço, pois esquecer não depende do meu querer.
    Mas tenho uma qualidade, quando saio ou vou a hidro, faço todo mundo rir, sou uma palhaça, pois sorrir envelhece menos do que chorar e ser bravo.
    Se deixar eu fico até amanhã escrevendo...
    Um beijo
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli, espero que os festejos estejam ótimos!
      Adorei seu comentário... também prefiro pessoas diretas àquelas que fingem gentileza para se prevalecerem.
      Fazer rir é uma qualidade rara e além das gentilezas o riso também faz muito bem para abrir caminhos.
      Um abraço!

      Excluir
  30. Olá!Boa noite
    Bia
    Parabéns pela entrevista lá no "Café..." da Patricia.É assim, que vamos conhecendo e interagindo, né não?
    Agradeço elo carinho da visita
    Obrigado
    Bela semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliiis, obrigada pelo carinho constante, um abraço!

      Excluir
  31. Bia, texto mais do que pertinente. É lamentável que a cada dia que passa o egoísmo vem se sobressaindo. E adorei essas suas 'classificações', porque são perfeitas e condizentes. Pessoas-estradas devem ser valorizadas e muito.

    ps: li sua entrevista e adorei. bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio...com essa questão da valorização da produtividade acho que o ser humano está sendo cada vez mais exigido e menos reconhecido, o que é bem desgastante, principalmente para quem tenta fazer o bem.
      que bom ter gostado da entrevista! :) Um abraço!

      Excluir
  32. Infelizmente há pessoas que escolheram ser pedras. Como diria o poeta: No meio do caminho tinha uma pedra (aliás, muitas pedras). Mas também há muitos que são estrada. Vamos procurá-los. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gilberto, lembro-me desse poema...Vamos procurar estradas, seguir estrada e ser estrada, bem larga, para trazer conosco quem quiser vir.
      Um abraço!

      Excluir
  33. Estamos próximos de um mundo com pessoas suaves, longe de pedras! Seremos exemplos e luzes, e força, e ajuda! abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives!
      Sua visão poética e otimista da vida sempre me encanta. Um abraço!

      Excluir
  34. Bia,

    Acho que ser-se pedra, ou ser-se estrada, depende da evolução espiritual de cada um. Um ser estrada, é ser que se dispõe na prática do Bem. Está a caminho de tornar-se um espirito de hierarquia superior, nessa vida alcançará bons momentos de felicidade.
    Enquanto que se for um ser pedra, talvez esteja no início do seu caminho ainda, com a lição do Amor para aprender. É, portanto, na hierarquia dos espíritos, um espirito inferior.
    Contundo, todos temos oportunidades de nos melhorarmos. O nosso livre arbítrio, permite que escolhamos. É com ele que aprendemos a discernir entre o Bem e Mal.
    Gostei muito de ler o teu post e da associação que fazes, entre pessoas pedras e estradas.
    Daqui a pouco, passo no blog da Pati para ler a tua entrevista.
    Obrigada pelos comentários em todos os blogs.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspt.com

    http://jakeemary.blogspot.com

    http://espacoconscienciapura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris!
      Embora seja católica, acho interessante essa visão sobre a evolução espiritual, porque no fundo, todos somos espíritos divididos entre o bem e o mal e temos escolhas. Esse é o lado bonito da vida, saber que a qualquer momento podemos escolher diferente.
      Um abraço!

      Excluir
  35. Oi Bia!Que texto mais lindo e inteligente!Pessoas que são pedra e outras que são estradas...adorei e vou me esforçar pra ser sempre estrada!Quero te parabenizar tb pela entrevista lá na Patricia,ficou dez!bjs e boa semana,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Anne! Obrigada pelo comentário e pelo carinho, que bom ter gostado da entrevista! :)
      Um abraço!

      Excluir

  36. Olá Bia,

    Ao passar por aqui para agradecer o carinho de sua visita vi, pela fala do Felis, que você estava sendo entrevistada na Patrícia. Fui lá conferir.
    Parabéns pelas respostas inteligentes, que também demonstram discernimento e maturidade. Adorei conhecer mais um pouquinho de você e de sua personalidade.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera!
      Obrigada por seus elogios e pelo carinho...um abraço!

      Excluir
  37. Oi Bia,
    boa tarde,
    uma postagem maravilhosa,
    a reflexão acompanha a mensagem de hoje.

    Eu não consigo entender como algumas pessoas gostam de ferir ou prejudicar os outros =(

    Eu quer ser estrada =D

    Desejo-lhe uma linda terça-feira
    um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ariel!
      Eu também não consigo entender...mas acho que você faz uma ótima escolha sendo estrada! =D
      Um abraço!

      Excluir
  38. Estimada amiga filósofa!

    É por isso mesmo que tenho dificuldades de acreditar e de esperar algo realmente bom vindo dos outros, especialmente dos parentes. A pessoa que deveria ser mais importante para mim, na verdade, eu para ela tambem, me trata muitíssimo mal porque o lema dela deve ser este: "a vida me ferrou, vou ferrar com a vida do outro também". Então, por causa desta constancia de tratamento, sinto-me muito só. Fui cuspida no mundo.

    Ahhhh, deixa pra lá.

    Deixa meu lado Fada escrever aqui, porque preciso seguir a estrada, acho que lá adiante tem um jardim florido.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amada!!!
      Acho mesmo que você deveria ser cercada só por pessoas do bem, só por pessoas que valorizassem essa mulher inteligente, sensível e amorosa que você é, ainda mais pessoas tão próximas, mas não liga não...como disse uma vez Cássia Kiss, "logo seu céu ficará cheio de estrelas".
      E não se sinta só...tem a mim! :D
      Digo mais...já estou sentindo o perfume das flores desse seu jardim.
      Um abraço!

      Excluir
  39. Oi Bia
    Muito sensível e reflexivo seu texto. Adorei! Temos que sair da teoria e partir para a atitude! Não que eu pense que vc seja uma pessoa ignorante, ou do tipo que escreve e não faz, não é nada disso, é que muitas vezes nós lemos um texto como esse e nos identificamos com a bondade que existe nele, mas quando menos esperamos, nos pegamos fechando alguém no trânsito, ou fazendo outra pequena travessura. Será que sou só eu?! Outro dia uma amiga minha disse que não tinha facebook porque lá todos eram lindos e maravilhosos, e na verdade no mundo virtual podemos ser quem quisermos ser, ninguém conhece "nossos podres" kkkkkkk, eu gosto muito do mundo virtual, e procuro ser a mais sincera possível, mas não pude deixar de meditar no que a minha amiga disse.
    Você mandou muito bem na entrevista com a Patrícia, sempre ponderada e centrada nas respostas, não esperava nada diferente de vc. Parabéns!
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana!
      Falou uma grande verdade, Lu...assim como você, também me pego em pensamentos do tipo "será que estou fazendo o que escrevo?" Acho que manter essa consciência sobre si mesmo é primordial, o duro é que geralmente quem precisa aguçar seu bom senso, não o faz. :(
      Já me decepcionei no facebook, já me decepcionei na blogosfera, e hoje sou mais antenada. Mas não sou paranoica, acho que nas redes sociais há tantos enganos quanto na vida real.
      Obrigada pelos elogios, fico feliz por ter gostado da entrevista.
      Um abraço!

      Excluir
  40. Olá Bia
    Infelizmente esta bem assim por todos os cantos, percebo bem isso, em qualquer lugar que se vá tem pessoas com pressa e nesta pressa vão atropelando pessoas com seu mal humor, como se todos fossem culpados por um dia ruim. Claro que nem todos os dias estamos bem, as vezes é difícil rir o tempo todo, mas ninguém tem culpa disso, lembro bem do quanto as vezes estava chateada, chegava no trabalho triste, mas sempre terminava meu dia bem, porque conversava bastante, ria, ajudava esquecer dos problemas sendo legal para alguém, era funcionaria publica e trabalhava por amor mesmo. Às vezes chegava um contribuinte furioso por causa de seu IPTU ou qualquer outra coisa, já lhe servia um cafezinho, conversava e ajudava a resolver o problema e no fim ele saia sorrindo e isso ganhava o dia. As pessoas na verdade estão com preguiça de ser melhor em sua humanidade.
    Espero não ter escrito bobagens. Até mais. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Verinha!
      Sabe, aqui em minha cidade dá até medo de atravessar nas faixas, porque um carro para mas sempre vem outro pela lateral que não respeita a sinalização... pra que tanta pressa?
      Como você, também sempre busquei manter um humor a nível de boa convivência... passei por momentos difíceis e pouquíssimas pessoas perceberam no trabalho, até porque, como disse, a gente acaba se distraindo, e tal.
      E essa sua postura, de acolher e acalmar quem tinha algum problema, ajudar a resolver, nossa, é bem rara hoje em dia, as pessoas tanto chegam de mau humor como atendem de mau humor...lamentável.
      Seu escritos nada tiveram de bobagem, foram contundentes e apropriados.
      Um abraço!

      Excluir
  41. Boa noite!!!
    Bia adorei sua entrevista la no Café gostei demais
    sobre o texto tbém já me decepcionei com pessoas
    a gente sofre muito com certas coisas, mas valeu ler e refletir
    vc é maravilhosa parabéns por tudo
    Bjuss com carinho
    └──●► ¸.·*´¨) ¸.·*Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita, muito obrigada pelo carinho, você é 10! Um abraço!

      Excluir
  42. Era pra ser o contrário, pois se a pessoa sofreu tanto, porquê não ajudar o próximo? Bia, infelizmente as pessoas são egoístas, mas elas precisam falar menos e fazer mais. Gostei de sua reflexão. Vou lá ver sua entrevista. Abraços e tudo de bom sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Barbie, também penso assim... acho que o conhecimento do sofrimento é o primeiro passo para querermos fazer diferente.
      Atitudes, é disso que precisamos. Um abraço!

      Excluir
  43. Boa tarde, Bia. Antes de qualquer coisa, quero dizer que deixei o meu comentário na entrevista que a Patrícia Galis fez com você.
    Amei o seu texto, me chamou a atenção o fato das pessoas serem estrada, desde que não exista nelas o interesse em ganhar alguma coisa com a ajuda que dão.
    Prejudicar o outro, porque não tivemos da vida o que gostaríamos, julgando merecer, jamais será a solução, é pura mesquinhez da alma.
    Mas temos em nós o poder da mudança, caso realmente queiramos.
    Não precisamos ser tal qual as pedras, essas foram feitas para não darmos valor ou atenção, e sim retirarmos do nosso caminho.
    Se temos de mudar, que seja para melhor, para a nossa humanização e ajuda ao próximo, e não o contrário.
    Evidentemente que possuímos os erros, sempre os teremos, mas é diferente de alimentá-los prejudicando alguém por pura inveja e crueldade.
    Beijos e parabéns!
    Fique na paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia!
      Vou já, já espiar sua resposta na entrevista, desde já agradeço.
      De tudo o que escreveu perfeitamente, acho que o principal é que é possível essa mudança a qualquer tempo, o problema é que muitas dessas pessoas nunca se dão conta de que suas atitudes, que podem ser até pequenas, podem estar prejudicando outras pessoas.
      Torcer para que mais estradas sejam abertas por aí.
      Um abraço!

      Excluir
  44. Parabéns pelo texto Bia!!!!
    tantas verdades...muito bem escritas...e muito bem sentidas por quem as lê...

    é isso!!!

    um grd abraço pessoa linda!!!

    Zil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zil!
      Saudades de você...obrigada pelo carinho, um abraço!

      Excluir
  45. Fui ler suas respostas na entrevista. Gostei de sua sensibilidade e forma de encarar a vida. Você está sempre buscando o equilíbrio e é consciente de nossa realidade. Conduz com sabedoria a educação de sua filha. Parabéns, Bia!! Bjs.

    ResponderExcluir
  46. Bela crônica! As pedras são
    criaturas fechadas sobre si
    e necessitam ajuda. Amemos!

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...