domingo, 13 de outubro de 2013

"Hay que endurecerse...

...pero sin perder la ternura jamás".
Hernesto Che Guevara


Ternura é uma palavra advinda do latim tener, que significa delicado, suave... Ah, o latim e seus caprichos! Aliás, eu acrescentaria ao significado a palavra capricho. A ternura traz capricho aos gestos e sentimentos.
Creio que a nostalgia com que alguns falam sobre tempos idos traz em seu bojo a saudade da ternura cultivada outrora. Não somos mais educados para apurar relacionamentos com doçura...

O endurecer: 

Criou-se uma ideia de que frieza é sinônimo de inteligência, poder, supremacia. Melhor é aquele que consegue se sobressair em detrimento do outro, que trata o dia a dia como se fosse uma eterna disputa de poder para ver quem consegue conservar a soberania. Bom é aquele que manda mais, ganha mais batalhas (ainda que seja no campo amoroso), tem mais desejos atendidos e vantagens para contar. Conserva-se no patamar superior aquele que consegue se utilizar melhor da fraqueza alheia. A vida e mais além, o convívio com a realidade dura do caráter das pessoas nos encaminha para a amargura e o egoísmo.

Em alguns momentos da vida, geralmente sob domínio da insegurança, fui rude e essa postura nunca me trouxe benefícios. Também fui vítima de atitudes rudes de pessoas próximas e isso me causou efeitos devastadores. Meu coração não foi construído para amortecer grosserias e hoje sinto-me disposta a refrear os impulsos que as dificuldade nos impõe sem deixar que a parte terna adormeça... é muito mais leve para as partes tentar resolver conflitos de maneira amorosa. Salvo alguns casos em que se usa a ternura como meio de manipulação, mesmo para esses não é preciso frieza. A firmeza é suficiente para deixar claro que os limites chegaram e não serão mais ultrapassados.

A ternura:


O grande desafio é desenvolver um olhar doce sobre atitudes decepcionantes para buscar reverter essa onda gelada que tem se instaurado sobre nossos relacionamentos e sociedade.
Companheirismo, cumplicidade, gentileza, generosidade, todos são espécimes da ternura. Cative-se à atitudes ternas... A simplicidade instiga ao seu desenvolvimento e à recuperação de gestos doces perdidos no tempo em que um olhar naturalmente terno era capaz de derrubar muros de hipocrisia e solidão.

Vejo ainda grande necessidade humana de cuidado e pouca disposição para cuidar. Aprenda a cuidar. Compreendi que o cuidado, aquele que envolve a demorada e constante observação sobre as necessidades do outro e a colocação de carinho nos gestos cotidianos é das formas mais ternas de tornar o sentimento amoroso duradouro e sublime.

Trecho do livro Maktub - Paulo Coelho

"Nada é pequeno no amor. Quem espera as grandes ocasiões para provar a sua ternura não sabe amar".
Laure Conan

Leitura complementar que me inspirou - clique aqui.


*Imagens by freepik

57 comentários:

  1. Oi Bia

    Se eu tivesse que citar um exemplo de ternura, citaria você, com esta pureza com que lida com tudo e todos.

    É certo que há momentos endurecidos na vida até dos ternos, mas isto não importa, o importante é a média, é na média ser mais doce que azedo, mais brando do que hostil.

    Sempre que encontro alguém como você descreveu em seu texto, que busca o poder e a supremacia através da frieza, das atitudes rudes, da imposição e da arrogância, vejo na pessoa uma enorme fragilidade, um medo de si mesmo e das suas incapacidades, que a fazem buscar nestas atitudes uma blindagem do seu interior frágil e inseguro.

    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Van! Obrigada por seu elogio, sabendo que conservar a ternura não seja tarefa fácil.
      Aprendi que a vida é dura, sim, mas essa média depende de como escolhemos enxergá-la.
      Concordo que a rudez e a necessidade de se sentir no controle são características de pessoas frágeis, o que me entristece é saber que usam essa fragilidade para fragilizar o outro também, não se importam com felicidade alheia. Escolher a ternura não é fácil, ficamos mais suscetíveis e é preciso arcar com isso, porém temos a possibilidade de enxergar com mais clareza a beleza que existe em viver.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Lindo teu post e palavras. Temos que fazer o possível pra nos mostrar firmes, conscientes do que buscamos e queremos, sem esquecer a ternura e delicadeza! beijos,lindo domingo! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, obrigada pelo carinho! É isso, ternura e doçura não significa que se vive num mundo irreal, os planos e objetivos estão ali, os meios para conquistá-los é que escolhem ser mais suaves. Um abraço!

      Excluir
  3. Oi Bia!
    Extremamente bom seu texto:
    Meu "coração" já está calejado pela peripécias da vida. Resolvi entrar dentro do meu casulo onde está minha família, pois o homem está muito ganancioso e não mede palavras para nos desonrar.
    Gosto mais do meu blog infantil. Conhece? Tem banner no Lua Singular: hoje coloquei- Vira lata. Vá conhecê-lo, é uma gracinha, não é preciso comentar e ali pode copiar o que quiser.
    Obrigada
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli! Compreendo sua reclusão ao casulo, mas não se isolou do mundo, isolou-se entre os que ama e para estarmos bem e felizes isso é o bastante.
      Conservar essa ligação com a infância é um meio eficaz de manter e resgatar a ternura... ainda hoje, caminhando no parque, vi um menino de uns dois anos dando uma risada tão gostosa que até me fez rir também. :) Vou conhecer seu outro espaço, obrigada pelo convite... Um abraço!

      Excluir
  4. Bia querida gostei mas a Ternura supera tudo
    como é bonita essa palavras, as outras ficam escuras diante dela
    ler e refletir.....deixo um abraço de bom final de tarde bjuss


    “Ninguém pode tirar de você a graça de se sentir querido.”

    ____________Rita!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita! Há palavras que tem vida e brilho próprio, que emitir seus som já torna o que está em volta daquele jeitinho.
      Lindo presente sua frase, um estímulo para conservar a ternura.
      Um abraço!

      Excluir
  5. Querida Bia
    Me emocionei com a verdade implícita neste teu brilhante artigo. Ternura, bondade, compreensão, amor, amizade são sentimentos raros nos dias atuais. Cometer um deslize então é motivo de massacre emocional. “A amizade é a página mais linda da vida e meu carinho por você é o capítulo mais importante”. A melhor coisa que me aconteceu no mundo virtual foi conhecer uma pessoa especial como você. Obrigada pelo carinho que sempre demonstrou ter comigo. Deus te abençoe poderosamente minha doce amiga. Um domingo feliz pleno de amor e harmonia
    Beijos com ternura e afeto
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracita!
      Tocou num ponto importante... percebo uma certa incompreensão com deslizes advindo de pessoas ternas, como se um rompante natural de ser humano fosse imperdoável, ao passo de que as pessoas acostumadas a tratarem com frieza, egoísmo ou grosseria fazem coisas do 'arco da velha' que parecem facilmente superáveis.
      Fica o meu apelo final pelo cuidado com as pessoas ternas e doces, que são humanas e que também tem seus maus dias, hahaha. A tolerância torna-las-ão ainda mais macias, tenho certeza disso.
      Um abraço, e obrigada pelo carinho!

      Excluir
  6. Olá! A Srta escreve divinamente! A ternura esta presente nas rede sociais, acredito, por que aqui afinamos as nossas relações, mesmo que isso não garanta ser ofendido as vezes né! Mas manter o foco e seguir adiante é necessário e para isso não precisamos perder a ternura! abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives, obrigada pleo elogio!
      Percebo mesmo entre os membros da blogosfera um cuidado maior com os sentimentos, não sei se pelo exercício da escrita (que acaba tendo influência sentimental) ou por nos sentirmos mais à vontade para despir a alma, enfim, é bom saber que há um lugar confortável para mostrar o que na verdade deveria ser natural no mundo, não?
      As ofensas são abrandadas quando observadas como informações desnecessárias, há quem confunda crítica construtiva com sincericídio.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Olá!Boa noite
    Bia
    sim, já tinha lido a postagem , na amiga Vera, que te deu essa bela inspiração...
    "Não somos mais educados para apurar relacionamentos com doçura..."
    - Vivemos num inflar de egos, com grandes fogueiras de vaidade, que não nos aquecem, apenas nos ofuscam. Vivemos sem perceber o paradoxo do nosso tempo e a contradição na qual nós mesmos deixamos afundar.Podem alguns não tem consciência disso, mas agem instintivamente assim...
    "Criou-se uma ideia de que frieza é sinônimo de inteligência, poder, supremacia..A firmeza é suficiente para deixar claro que os limites chegaram....O grande desafio é desenvolver um olhar doce sobre atitudes decepcionantes..."
    -pois se ninguém pode evitar ser sacudido e provocado , temos que manter-se capaz de mergulhar e tocar nossa própria força, adquirindo tal segurança ... viver efetivamente a serenidade, pois os fatos podem até mesmo exigir uma resposta dura e corajosa, mas, o interior tem que permanecer iluminado , sereno e lúcido...que é uma verdadeira proeza num momento em que temos que fazer poucas escolhas entre opções que nos pressionam... pois são muitas as provações que a vida nos apresenta como a nos testar constantemente... até nos indignamos, nos inquietamos, mas mantermos os olhos ternos e determinados e nossos gestos firmes e suaves pelo maior tempo possível é o grande desafio das pessoas que buscam o caminho do autoconhecimento verdadeiro.
    "Vejo ainda grande necessidade humana de cuidado e pouca disposição para cuidar."
    -Podemos adotar a fuga e a alienação ou assumir com consciência e ação:
    “Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás!”
    Agradecido pelo carinho, sempre!
    Bela semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      Não há mais tempo nem interesse para o olhar demorado sobre si... penso que muitos se esquivam de fazer essa busca por seu melhor, que geralmente não é fácil porque para encontrar o nosso melhor, a nossa essência, precisamos lembrar das nossas fraquezas e isso parece uma derrota, quando na verdade é o ciclo natural do aprendizado. Quando conseguimos nos perdoar, perdoar o passado e nos resgatar, conseguimos encontrar essa serenidade tão confortável e importante para seguirmos com coragem e firmeza, sim, mas sem perder a capacidade de sentir e transbordar sentimentos.
      É mesmo um grande e diário desafio quando seria mais fácil render-se aos instintos e passar a agir através de disputas. Mas essa é uma vida que reduz muito nossas possibilidade de expandir laços sinceros de amor e carinho. A amargura envelhece e rouba anos que poderiam estar recheados de possibilidades.
      Sobre o cuidado, arrasou com a frase: "Podemos adotar a fuga e a alienação ou assumir com consciência e ação".
      Adorei! Obrigada pelo carinho, um abraço!

      Excluir
    2. hehehe,vim ler a sua resposta,mas vim copiar a minha fase inicial, "Vivemos num inflar de egos...", puxa, não estava conseguindo escrever, e ela serve direitinho para uma nova postagem, minha!
      ...sim, e acho até que se o investimento emocional "amoroso" é retirado da situação ou da pessoa que nos magoou, não há mais possibilidade de ternura, e isso é sempre seguido de uma necessidade incontrolável de “atacar” o objeto que causou a decepção, por isso esse paradoxo de ter que “endurecer” para não ficar fusionado com uma situação agressiva e ser literalmente sugado para dentro dela, perdendo a autonomia emocional e anos que poderiam estar recheados de outras possibilidades...
      Beijos témais

      Excluir
    3. Olá!Tardeee
      Bia
      Agradecendo, obrigado...bom final de semana!
      Beijos témais!

      Excluir
  8. Todo ser que pratica o amor, a ternura, a gentileza é uma pessoa feliz e sabe o seu papel transformador no mundo. Bjos, boa semana, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eder! Às vezes a vida parece tão incerta que questionamos se deveríamos ter mesmo esse papel transformador ou se deveríamos simplesmente viver se importar, mas o que sei é que meu coração fica mais tranquilo quando sei que estou tratando as pessoas que amo bem - porque convenhamos, alguns não colaboram nem um pouquinho para nos despertar para o melhor.
      Um abraço!

      Excluir
  9. Olá Bia, achei muito interessante a forma como abordou este tema tão atual e que me toca muito! A sociedade está tal como diz e sem abdicarmos de sermos nós próprios, se colocarmos ternura e amor nas nossas atitudes tanto a nível familiar como profissional e outros geraremos à nossa volta um retorno bem mais pacífico e benévolo. Por vezes é necessário esperar uma vida inteira, mas mesmo assim vale a pena perseverar. Um beijinho e uma semana bem tranquila. Ailime (Muito obrigada pelas suas palavras no meu cantinho)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime! De todo o comentário que escreveu, uma palavra se destacou: perseverar. Minha tia sempre dizia isso, que deveríamos perseverar. Ela perdeu a batalha para o câncer o que às vezes me faz pensar até que ponto o perseverar pode ser a melhor escolha. Mas é certo que foi uma mulher que deixou um rastro de amor por onde passou.
      As palavras que deixei lá são reflexo do carinho refletido no cuidado com suas plantas, portanto, merecido. Um abraço!

      Excluir
  10. Bia, parece até que vc falava de mim... Tbm tive esse momento rancoroso e péssimo, influenciada por pessoas assim. Mas nunca fui assim e tendo essa atitude somente me prejudicou. Tive então que me afastar dessas pessoas, não me importar mais, pra me reencontrar e aí sim, saber lidar com a amargura alheia. Não é fácil.
    Com amor e com educação cabemos em qualquer lugar, sempre.

    Linda semana, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clara! Há pessoas que acabam nos despertando esse lado meio primitivo que temos da rudez e em alguns casos isso até pode ser eficiente para delimitar o nosso espaço, cada caso é um caso.
      Sua última frase me fez lembrar um comentário de uma amiga hoje que disse me admirar e que eu merecia ser muito feliz. Ouvir isso de vez em quando é um estímulo para continuar agindo com amor mesmo quando bate a vontade de virar do avesso. Mais uma frase que vou guardar pra mim: "Com amor e com educação cabemos em qualquer lugar, sempre."
      Um abraço!

      Excluir
  11. Há que cultivar a ternura, sem dúvida um meio caminho andado para sermos mais felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luisa!
      Não consigo imaginar uma pessoa feliz que não tenha a capacidade de ser terna de vez em quando. Um abraço!

      Excluir
  12. Olá Bia,

    A sua abordagem ficou excelente.
    Falar e ler sobre ternura já adocica nossa alma.
    A verdade é que a maioria de nós deixou a ternura adormecer e precisamos despertá-la com urgência. A ternura amacia a rudeza, faz bem à alma e encanta a vida.
    Quase todo ser humano é rude em determinado momento da vida. Isto é normal, pois somos imperfeitos. Mas ser rude o tempo todo é reflexo de uma essência que precisa ser lapidada.
    Nenhum coração é feito para amortecer grosserias. O coração abatido por grosserias constantes costuma amargurar-se e também tornar-se rude, como reflexo da rudeza que recebe. Tudo isto é incompatível com a lei de amor, pregada por Cristo.
    Ternura é amor. O mundo de harmonia e amor que tanto sonhamos e buscamos só será construído a partir de pequenos gestos, entre eles a doçura e a ternura.
    Vale ressaltar as palavras de Tagore, na página que você trouxe: "Onde a dureza só faz destruir, a suavidade consegue esculpir".
    Deixo aqui uma das frases da minha postagem, de Pde. Adriano Zandoná:
    "Não tenhamos medo de ser ternos. Isso não nos diminuirá, ao contrário, nos enobrecerá e tornará nossa vida mais feliz e sinceramente acompanhada (quem é terno atrai ternura)".

    Adorei as suas bem postas colocações.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera! É verdade, um coração tratado à base de doses de rudez acaba tornando-se rude também, como um calo que se forma quando as feridas são iguais e sucessivas. Mas calos podem ser amaciados e revertidos quando tratados com carinho. O importante é querer abandonar esse círculo vicioso, do multiplicar grosserias.
      Companhias sinceras são tudo o que uma alma terna deseja pra si, uma morada confortável para sua doçura.
      Obrigada pelo carinho, um abraço!

      Excluir
  13. Adorei, Bia! Não dá pra confundir ser rígido com ser estúpido ou ser frio. E também está claro que falta muita ternura ultimamente. Eu também já tive sensações devastadoras justamente por causa de atitudes frias e assustadoras. E também já tive meus momentos, aliás, quem nunca teve. Sua postagem aborda mt bem esse conjunto. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio! Há várias faces em torno da ternura e da firmeza e ocasiões que nos tornam ternos ou firmes, o problema é quando começamos a nos deixar dominar pela frieza. Uma alma gelada não é capaz de produzir frutos doces e carnudos.
      Um abraço!

      Excluir
  14. Bom dia Bia, minha doce amiga
    Parabéns a você MESTRE que não poupa esforços para ensinar e orientar com sabedoria, o meu carinho, a minha admiração e o meu respeito. Feliz dia do PROFESSOR! Tem uma homenagem singela e um mimo para você na postagem de hoje. Felicidades pelo teu dia!
    Beijos com carinho da amiga
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracita! Obrigada pela lembrança e pelo carinho, estarei buscando meu mimo assim que for possível. Um abraço!

      Excluir
  15. Bom dia, Bia!

    Primeiramente parabéns por sua nobre profissão de professora. Certamente, educar é um grande gesto de ternura.

    A falta de ternura, creio eu, dá-se pelo fato do ser humano querer ser sempre o centro das atrações. Devo ter o melhor carro, a melhor roupa, a melhor casa, a melhor mulher, o melhor homem, ganhar de todo o mundo... Há uma busca desenfreada pelo que não é essencial e definitivo. Opiniões externas fazem do ser humano uma marionete que age de acordo com seus interesses.
    A ternura está ao alcance de todos e sempre existirá. Para consegui-la precisamos sentir um pouco mais.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor! Obrigada pelo carinho, a educação com ternura é bem mais eficiente, não tenho dúvidas.
      Seu comentário me fez pensar na palavra egocentrismo... o ser humano tem mesmo essa necessidade de se sobressair em meio a outros e acaba perdendo a medida dos verdadeiros sentidos do que significa viver, sua alegria é efêmera e vazia.
      Muitos se eximem de sentir com medo de sofrer, e assim acabam por fazer sofrer quem não merece.
      Ainda bem que o resgate da ternura sempre é possível para quem se dispuser a buscá-la e valorizá-la. Um abraço!

      Excluir
  16. Ser terno não é ser fraco.Ternura é sabedoria , é para os que sabem viver em paz.Procura-se ternura...
    meu beijo Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmine!
      As pessoas estão tão absortas pela cultura do 'ter" que esquecem o que significa verdadeiramente a palavra "paz"... confundem satisfação momentânea com felicidade.
      Um abraço!

      Excluir
  17. Respostas
    1. Lu, adoro quando vem aqui! Quando escrevi esse post lembrei de você! :) Um abraço!

      Excluir
  18. As vezes quando me deparo com pessoas rudes fico com pena, quem não sabe ser gentil, educado, tolerar e etc..vai ter uma vida solitária.Há tempos que decidi que não quero isso para mim, claro que as vezes temos que ser firmes mas sempre com educação.
    Aliás não tenho muito que comentar o texto foi brilhante como sempre, se um dia tiver uma revista vou te chamar para ter uma coluna rsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patricia!
      Eu vou adorar ter uma coluna na sua revista, hahahaha... esses dias ouvi uma frase fantástica na tv: "a vida só faz sentido quando interferimos positivamente todos os dias na vida de alguém". E não é?
      Um abração!

      Excluir
  19. Bia, muitas vezes fui rude, sem atentar para as colocações de terceiros. Impunha-me para esconder a insegurança. Talvez não tenha aprendido a ser terna, pois a vida nos leva à luta e à vitória de inúmeros desafios. Escondia-me para não demonstrar sentimentos e me ferir com eles. Mas fui aprendendo que é mais fácil caminhar com leveza. E a ternura só facilita as relações. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene!
      A imposição é mesmo um meio de proteger frágeis argumentos, e a rudez é uma característica da imaturidade, quando ainda precisamos evoluir na questão do se colocar no lugar do outro.
      Penso que a ausência da construção da ternura tem essa relação direta com a competitividade e cobrança tão valorizados nos dias de hoje. Nem sempre a vida é leve e levá-la dessa forma exige uma firme escolha pelo caminho da ternura, quando é tão mais fácil "soltar o verbo" sem digeri-lo.
      Um abraço!

      Excluir
  20. Percebi isso, Bia... que grande parte das pessoas, pensam que ser frio é ser inteligente e esperto e ser gentil é sinônimo de ser bobo e burro, mas nem sempre as pessoas que "se acham" inteligentes, são... vejo tanta gente posando de inteligente cometendo gafes piores do que os mais humildes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbie!
      Há inclusive situações em que quanto mais inteligente a pessoa é, mais calada fica. Quem conta muita vantagem acerca dos seus conhecimentos reduz um pouco seu valor.
      O seu comentário me fez pensar que educação é uma das características das pessoas realmente inteligentes (não necessariamente estudadas), pois seus argumentos não carecem de alterações infundadas de comportamento e voz.
      Um abraço!

      Excluir
  21. Esta necessária atenção sobre o exercício livre da ternura, sem pudores ou engodos revela uma das nossas mais puras manifestações: a generosidade espontânea, aquela que exprime nossa permanente disposição em não deixar que" adormeça" uma das lindas maneiras de expressarmos nossa humanidade.

    Gloriosa inspiração, esta que vc nos presenteia aqui, Bia.Fez-nos navegar em límpidas palavras bem postas.
    Um abraço especial, menina, no dia de hoje. Muitas alegrias pra vc!
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu!
      Primeiro, obrigada por suas felicitações de Dia dos Professores, é sempre bom receber carinho inclusive dos colegas de profissões. Nas escolas onde trabalho foram pouquíssimos os alunos que lembraram da data (isso com todos os professores). Mostra o quanto os pais desvalorizam esses profissionais.
      Mas ainda assim, conservemos a ternura... ela não agrada só a quem está em volta, mas mantém viva essa expressão da nossa melhor parte.
      Um abraço, felicidades pra você!

      Excluir
  22. Havia esquecido desta virtude humana,a ternura...!

    Não há mal sobre a terra que não sejam sécteis à ela
    Na inocência de um sorriso de uma criança ou no simples ato de uma mãe entregar seus seios a sucção e alimento para seu rebento,estes para mim,os dois maiores exemplos de proteção, entrega,poder,amor e paz . Sinto-me em transe, arrebatado e resgatado dos fétidos pântanos de minhas concupiscências ,observando estes gestos sagrados de doações espontâneas

    Mesmo para um asno chucro e bem ferrado como eu,encontrei caminhos plácidos e consegui subjugar as trevas dominantes em mim e prendê-las em linhas de nylon(claro,não sou besta de me livrar delas),mantendo-me em perfeito equilibrio
    A rábia adormecida sempre se desperta ao encontrar estes mamíferos falantes que pela simples diversão,destroem o verbo em ofensas gratuitas,prepotências patológicas ou pressões psicólogicas ,pelos simples prazer da humilhação
    Estes,como bem descrevestes sinhá Bia,podem ser convertidos ou facilmente eliminados,mas o mal perpetrado no coração do mundo,principalmente nestas últimas três décadas ,não!!!
    Todos,por mais cruéis que se transformaram,todos,sempre haverá uma segunda chance para remissão ...
    Indubitavelmente, temos que ter tenacidade e coragem para fugir destes seres ignóbeis e por ser testemunha de tantas coisas ruins, que prefiro tampar os ouvidos e fechar os olhos para impedir que estes incutam em minha mente suas pobrezas de estado,recrudescendo ainda mais as minhas decepções com a humanidade,tornando o meu espírito langaroso,dando oportunidades as trevas que ainda me manipulam,martelarem em minha mente a depressiva fome de vingança,não nasci para ser dominado e nem escravo. A esmagadora maioria humana,são caroáveis.

    Mesmo que possas parecer um tolo aos olhos do homem por não exercer poder sobre os meus semelhantes,por rejeitar a cobiça e o orgulho,me desnudar das vaidades e permanecer com a visão terna(exercícios constantes que trazem muitos sacríficios e... recompensas),consigo enxergar que para estes a vida se faz madrasta e seu filho bastardo ,o tempo sádico,no terrível carrasco!!!!!

    Não me importo com o mundo e nem possuo vocação para transformar ninguém,busco apenas melhorar o meu próprio mundo
    Se alguém bem me querer ,sou eternamente grato e devedor de favores impagáveis,mas se mal me quererem ,são dois favores que me fazem..amém!!!!.
    Hehehehehehehe!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    abraços fortes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tutankamon! Sabiamente lembrou que podemos falar sobre bons sentimentos, cativá-los, mas não podemos mudá-los no outro, cada um é responsável por operar mudanças em si mesmo, se assim desejar e escolher. Querer mudar o outro, ainda que para melhor, seria de uma arrogância extrema.
      Outro destaque em sua fala: "ao encontrar estes mamíferos falantes que pela simples diversão,destroem o verbo em ofensas gratuitas,prepotências patológicas ou pressões psicológicas ,pelos simples prazer da humilhação"... esses recursos que visam humilhar o outro ou mantê-lo sob seu domínio são atitudes que realmente me entristecem, e ainda lembremos que palavras macias também podem esconder segundas intenções manipuladoras. Busquemos a essência... é na essência que habita a verdade.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Oi Bia! Acho que é uma predisposição essa de endurecer, é que nós estamos nos fechando para os outros, o simples fato de se ver em meio a pessoas já causa pânico. A falta de contato endurece, já que limita nossa capacidade de nos por no lugar dos outros. E isso é um exercício constante para ampliar nossas visões de mundo.
    Vc é mesmo um exemplo de ternura.
    Bjos!
    http://amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Val!
      Ler seu comentário me fez pensar que quanto mais nos rendemos à ternura, mais expostos estamos. Talvez seja preciso aliar, na dose certa, ternura e prudência, porque prudência em excesso retrai... mais uma daquelas medidas complicadas de achar, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  24. Olá, querida Bia
    Há uns 20 anos, mais ou menos, esta frase me tocou profundamente...
    Chorei muito pelas amarguras mas não perdia a ternura... então entendi e compreendi, ao mesmo tempo o que se passava em minh'alma: era forte... uma Fortaleza que vinha do Alto me envolvia... e os meus 'gritos' eram ouvidos por Ele... que me fazia cada vez mais terna 'apesar de'...
    Lindo post onde o tema me possibilita total empatia...
    Sejamos fortes e tenhamos toda ternura do mundo que comportar em nosso coração (entranha da alma)!!!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia!
      Saber ouvir e sentir a presença Dele em momentos de grande dor é sem dúvida um meio de fazer com que a ternura prevaleça "apesar de". Pessoas de bom coração e boa vontade, conseguem essa conexão e merecem viver uma vida de doçuras.
      Que sua vida seja repleta de boas surpresas.
      Um abraço!

      Excluir
  25. Amiga Bia,

    Quando se trata de sentimentos, sou suspeita para falar nesse assunto. Principalmente sentimentos que degeneram do amor, como a ternura. Quando somos ternurentos somo-lo porque amamos aquele ser, de alguma forma.
    Gostei muito da tua reflexão. Acredito que todas as acções têm uma causa, que originam um efeito mais tarde. Recebemos o que damos.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris!
      Acho encantadora a maneira como você se exprime, com sabedoria e leveza ao mesmo tempo. Temo que o peso da sabedoria pese um dia em meus escritos.
      Concordo que a mola propulsora da ternura é o amor. Quando sentimos a ausência dele (em relação ao outro ou do outro em relação à nós) o primeiro sinal de que a ternura enfraqueceu são olhos tristes, o que me faz pensar que antes da ternura, é de amor que o mundo está carente.
      Que o amor sempre nos salve da frieza.
      Um abraço!

      Excluir
  26. Bia, vejo o exemplo por mim, por tudo de ruim e triste que ainda passo, e mesmo assim, consigo reagir sem ser uma pessoa negativa, pessimista e sempre atenciosa com até quem não merece.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym! Admiro demais essa sua essência guerreira de se sobrepor à dor e à decepção para continuar dando o melhor de si. Tanto que uma das palavras que mais usa é resiliência... não é fácil ser resiliente. Mas você consegue. Um abraço!

      Excluir
  27. Oiii Bia, nos dias atuais manter a ternura está cada vez mais difícil! As vezes me assusto com o rumo que o mundo está tomando e com as posturas que ele está nos obrigando a tomar! Me surpreendo comigo mesma em algumas situações, a desconfiança está tomando conta! Bjinhosss e bom final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen! Tem razão, também me pego pensando em atitudes... ainda consigo me conter a tempo de grosserias, embora muitas vezes tudo nos leve a buscar nos defender dessa maneira. A ternura é uma escolha acertada, mas não é uma escolha fácil de seguir.
      Um abraço!

      Excluir
  28. Oi Bia!
    Amanhã está liberado os comentários no Lua Singular
    Obrigada pelo Infantil
    Beijos
    Mundo dos Inocentes

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.