sábado, 11 de janeiro de 2014

Mapas para pensar "fora da caixa"

OBS: Para ver os mapas em tamanho original, clique nas imagens.

Começo de ano e todo mundo querendo fazer uma série de coisas de formas diferentes... que tal aprender a pensar e planejar de um novo jeito? Vamos parar para analisar... quando você estuda ou deseja memorizar algo, como faz suas anotações?

by freepik

Nossa cultura ensina-nos a pensar e registrar pensamentos de maneira linear, ou seja, em frases, listas ou tópicos. Mas se observarmos uma imagem do cérebro mostrando as conexões neuro-sensoriais, estas lembram linhas retas ou inúmeras ramificações que parecem uma grande e infinita árvore?

Comprei o livro "O uso de mente" de Tony Buzan com a intenção de fortalecer o racional e me deparei com um convite para um novo pensar. O livro embasa cientificamente e com exercícios práticos a teoria de que utilizar cores, símbolos e palavras-chave interligadas em forma de árvore são muito mais eficientes para ajudar a memorização e estimular a criatividade.

Seguindo as orientações do livro montei meu planejamento do ano em forma de Mapa Mental. Não, eu não uso mais maria-chiquinha hahaha mas usei muito quando criança hahaha.

Mapa Mental
by bia  (clique na imagem)

Observem que é bem diferente de uma agenda convencional. Fiz hoje pela manhã e adorei, o começo é um pouco inseguro, fiquei sem saber o que fazer, mas o formato propicia a fluidez da criatividade, as ideias e palavras surgem naturalmente, portanto são indicados também para a resolução de problemas. Nesse caso, o problema fica no centro e as ramificações representam suas vertentes, soluções e consequências. É interessante a flexibilidade de poder acrescentar tópicos à medida que surgem.

Ano passado também fiz um curso através da plataforma "Eureka" sobre Mapas Conceituais, que seguem a mesma linha dos Mapas Mentais. Diferentes da simplicidade do organograma, os Mapas Conceituais sugerem conexões entre as palavras-chave. Fiz uma atividade escolar com alunos do terceiro ano utilizando fichas para recontar uma história infantil e o resultado foi surpreendente e positivo!

Estou lendo o livro "A culpa é das estrelas" e estou fazendo Mapas Conceituais para resumir os capítulos do livro, vejam só os dez primeiros:

Mapa Conceitual
by bia

Talvez não faça muito sentido para o leitor, penso que os Mapas são registros pessoais e reflexo das vivências de quem os fez. Sugiro àqueles que gostaram de ideia para se aprofundarem no assunto, um meio mais direto e leve de estudar, registrar, resolver problemas, planejar e memorizar.

O livro "O uso da mente" sugere ainda exercícios para estimular a criatividade e dicas para realizar Leitura Dinâmica. Os Mapas Mentais podem sem feitos em um aplicativo chamado iMindMap, porém seu acesso é pago e, a não ser que a intenção seja  utilizar em grandes instituições, papel sulfite e canetinha saem bem mais em conta. ;) Já para os Mapas Conceituais há softwares gratuitos... usei o CmapTools para elaborar o meu, ainda estou pesquisando suas funcionalidades mas há a versatilidade de realizar modificações a qualquer tempo e interligar profundamente os conceitos, vale a pena testar.

De qualquer forma, penso ser válido ampliar o repertório de ferramentas para facilitar a organização do pensamento, em geral tão congestionado pela enxurrada de informações que recebemos todos os dias. Aprender a pensar diferente é mais que um passatempo, é uma necessidade para que na administração da vida possamos encontrar meios de melhorar sua qualidade e adequar suas prioridades. Restringir nossa maneira de pensar ao conhecido é também restringir nossa gama de possibilidades, que são vastas demais para caberem em uma caixa.


E você, usa algum método diferente para ajudar a se organizar e pensar?


Na fanpage do blog há um pequeno trecho do livro "A culpa é das estrelas".


62 comentários:

  1. Bia,
    Eis a diversão que sempre gostei: fazer raciocínio lógico. Acho que vem de família, meu pai foi o homem mais inteligente que já conheci. Veja seu mapa; Fez 13 filhos e os ramificou um para cada família, só uma coisa eu o louvo fez 13 filhos inteligentes.
    Eu nunca fiz mapa pra nada, só que gosto de ler de tudo, isso sempre abriu meus caminhos profissionais, não sou organizada, sempre precisando dos outros para achar as minhas coisas. Pode? Também sou mineira: é devagar, devagarinho....kkkk
    Jamais faria o que você fez...nunquinha. Organizada demais pra mim...Parabéns.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!
      Adorei ver a admiração que mostrou por seu pai. O meu sempre tinha resposta para qualquer pergunta sobre conhecimentos gerais. Hoje, com uma certa idade, continua inteligente, mas um pouco mas devagar para pensar.
      É interessante essas características que herdamos, não é?
      Seu pai foi um vitorioso... criar um filho já não é fácil, quem dirá 13!
      A leitura antecede a necessidade de organização ou mapas... com certeza isso só fez com que se sobressaísse em sua carreira.
      Ah, não vejo os mapas como um meio de organização... mas como um meio de observar melhor os pensamentos de longe. ;)
      Um abraço!

      Excluir
    2. Oi Bia, você não entendeu, dele só herdei a inteligência( que já acho quase tudo) ele doou todos os filhos como cãezinhos de estimação, mamãe era doente.kkk. Mas não ligo, fui bem criada e ainda deu para ajudar alguns irmãos que se perderam por aí.
      Amanhã vou escrever sobre depressão. Venha conhecer um pouquinho da minha linda vida. Sou feliz demais.
      Beijos
      Lua Singular

      Excluir
    3. Oi, Dorli, desculpe os erros de interpretação! Isso me fez pensar o quanto podemos deduzir errado a partir de uma escrita, não?
      Herdou o mais importante, a inteligência, e nasceu com um coração enorme... isso é o que importa! Um abraço!

      Excluir
  2. sim, para nomes uso o sistema de associação, na hora faço uma associação com um artista, uma rima, um nr, o que for mais fácil e eficiente. funciona. minha memória melhorou com o joguinho do face, o citty ville.

    http://umanjotriste.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeanne! Joguei City Ville por um bom tempo, adorava! Até perceber que eu estava me preocupando de perder a hora de colher as cenouras, hahaha, aí achei melhor "dar um tempo"!
      No livro ensinam também um método para memorizar através de associações, bem interessante, mas nada como o método pessoal de cada um.
      Um abraço!

      Excluir
    2. nossa, o citty ville é mesmo viciante, mas me domino,kkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Sorte sua... eu nem tanto, hahaha!

      Excluir
  3. Concordo com você ! Foi ensinado a pensar de uma forma natural , relacionando e inter-relacionando conceitos e idéias !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Leovi, quando fazemos essas relações nossas conexões se formam em modelo de ramificações... daí a criação dos mapas ao invés de escritos convencionais. Um abraço!

      Excluir
  4. Gostei da dica. Hoje uso o método tradicional tanto para memorização como para organização. Mas, como gosto de desafios novos... Vou dar uma olhada neste método.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante para aprender a enxergar as coias por um outro prisma, mais prático, natural e criativo. Há alguns sites e vídeos que falam sobre o assunto, vale a pensa dar uma olhada, Um abraço!

      Excluir
  5. Bia, que interessante o que eu senti ao ver seus mapas, a descrição científica das conexões neurais - um receio de sair da zona de conforto das listas verticais tão facilmente checadas.
    Ótimo essa sacudida, essa possibilidade de fazer diferente. Gostei muito!
    Minha filha está lendo este livro e eu já estou na fila do empréstimo!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! Sabe, decidi fazê-lo porque o livro mandava, hahaha, e porque queria falar sobre isso no blog, mostrando. O interessante é a sensação de ir fazendo e observando o resultado. Inicialmente pensei em fazer quatro ramificações no Mapa Mental, e acabei com oito! E estou cheia de palavras para acrescentar à ele. Isso mostra bem o quanto o processo criativo é despertado naturalmente na confecção.
      Imagino que deve ser muito útil na visualização da resolução de um problema pessoal, por exemplo.
      E o resultado final, como bem lembrou, lembra muito as conexões neurais... penso ser esse o grande bônus do método.
      Espero que goste do livro!
      Um abraço!

      Excluir
  6. Seu mapa mental é uma delicada obra de arte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que seja então um reflexo da vida, André. Agradeço, um abraço!

      Excluir
  7. Olá!Boa noite,Bia!
    Comigo, tudo na paz!
    não conhecia o livro "O uso de mente" de Tony Buzan , depois vou dar uma "visu"
    ....sim,é verdade, com o surgimento de tecnologias e por vezes, sem uma necessária transição e adequação, recebemos tantas informações que muito se perde. Algo tem que ser feito para nos auxiliar..inclusive na memorização...muito interessante, o uso de associações, palavras chaves.
    Eu, para organizar e pensar melhor, só consigo, quebrando a rotina... para deixar a mente o mais livre possível...
    Bem..só lendo e tentando fazer um , para ver se funciona comigo...precisando muito!
    por ora, agradeço pelo carinho,muito obrigado,belo domingo,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      Comprei o livro por acaso (pra variar) num catálogo de produtos e curiosamente, essas aquisições ocasionais tem sido as melhores!
      Pelo que o conheço, acredito que você gostaria muito da liberdade criativa que há na confecção dos mapas e da possibilidade de acrescentar tópicos, sem se amarrar a um modelo acabado.
      São tantas obrigações, atribuições e cobranças que se não houver clareza nas metas perdemos o que há de mais precioso: nossos sonhos e os sentimentos que nos trazem realizações. E essa coisa de usar o maior número de cores e símbolos possíveis torna o Mapa algo leve de se olhar... o meu já está pendurado na geladeira, hahaha!
      Se fizer, depois me conta! :D
      Um abraço!

      Excluir
  8. Nossa, amei! Já estou bolando aqui uma forma de exercitar mais a minha mente! abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives! Espero que goste e lhe ajude. Um abraço!

      Excluir
  9. Oi Bia!
    Muito interessante esse método. Já li "A culpa é das estrelas" e o teu mapa me fez lembrar de algumas partes da história. Muito tri!
    Já li muitos livros, mas com o tempo acabo esquecendo alguns detalhes e acredito que assim fique mais fácil de recordar.
    Adorei teu desenho de maria-chiquinha, hehehehe!

    Um ótimo domingo pra ti!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Naty!
      Esse livro ganhei de Natal, não queria ler uma história sobre câncer, mas a abordagem da personagem é mais leve, menos dramática, e o enredo acaba sendo gostoso de ler.
      O livro sobre a mente recomenda a confecção de mapas para livros e filmes, assim fica fácil relembrar o enredo dando uma rápida olhada. Acho que dá para "enxugar" melhor o mapa usando palavras-chave mais precisas, uma habilidade, que, creio eu , vamos desenvolvendo com a prática.
      hahaha, Me desenhei de maria-chiquinha, porque não sabia desenhar meu cabelo certinho, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  10. Oi Bia que interessante estas orientações para fazermos o mapa mental. Adorei e fiquei curiosa para ler o livro que não conheço. Grata pela visita, volte sempre, aquele cantinho é nosso.
    feliz final de tarde!
    Paz e Harmonia e que Jesus ilumine seus passos, hoje e sempre.
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lourdes!
      As orientação que passei são bem superficiais, acho que vale a pena dar uma olha em outros artigos, se achou interessante.
      Obrigada pelo convite, um abraço!

      Excluir
  11. Percebi que preciso me organizar.
    Minha mãe sempre insistiu para q eu comprasse uma agenda pra marcar minhas aulas, quem disse q eu uso?
    Acredito piamente q esse "mapa mental" me ajudaria em vários aspectos.
    Organização interna reflete lá fora rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nathália!
      Eu sou um fiasco para usar agendas, hahaha, começo usando e depois, acabam esquecidas. Mas num ano de estudos difícil para minha filha anotar os trabalhos a salvou das dependências e a ajudou a se disciplinar...
      Eu acho que para quem gosta de criatividade esses mapas podem ajudar muito, talvez valha a pena você tentar... pena que só conheci agora, que não pretendo mais estudar para concursos. Mas para a pós serão válidos, com certeza.
      Um abraço!

      Excluir
  12. Menina do céu, como você é centrada. Acho bonito demais isso, mas eu preciso me reinventar, porque na fila da dispersão eu passei umas quatro vezes... Ou melhor, nem passei, dispersei logo, né?
    E estou lá na sua fanpage, alguma das meninas (a Naty, eu acho) havia me convidado.

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milene, não havia pensado por esse ponto de vista! O mapa dá mesmo a ideia de centrar... e centrar está intimamente ligado à organizar, não é mesmo?
      Sou centrada e ao mesmo tempo, flexível, e isso aos olhos das pessoas às vezes parece confuso, mas não sou.
      Usou mais uma das suas palavras bonitas... "se reinventar"... sim, os mapas convidam à reinvenção, de como se enxergar e de como se localizar no próprio pensamento.
      Obrigada por me acompanhar por lá também!
      Um abraço!

      Excluir
  13. Muito interessante! Acredito que é bom encontrar novas formas de sistematizar o nosso pensamento, o qual é tão complexo. E gosto quando você nos traz essas ideias inovadoras Bia, é muito legal você compartilhar conosco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ter gostado... são tantas as informações que precisamos absorver e tão variadas que quanto mais opções tivermos para lidar com tudo isso, tanto mais possibilitamos facilitar nossa vida.
      Um abraço!

      Excluir
  14. Bia,começou o ano com a corda toda,fazendo todos esses planejamentos,parabéns! Eu achei bem legal essa ideia de mapas mentais. É bom pra visualizar e não esquecer.bjs e boa semana pra vc,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anne!
      Os mapas são mesmo eficientes nesse sentido, você olha e é como se um "gatilho" disparasse no cérebro aquilo que você quer.
      Agora, revendo o mapa, vejo que há mais planos emocionais, aqueles que alimentam a alma e a qualidade de vida. ;)
      Um abraço!

      Excluir
  15. Oi Bia,

    Coincidentemente, comprei esse livro em dezembro e ainda está sobre a estante, no momento estou mergulhada na biografia de Alan Kardec, mas pelo que postou parece ser bem interessante, que bom!

    Depois comento o que achei...

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Também tenho uma fileira de livros na estante à espera de uma chance, hahaha. Não li nenhum livro de Alan Kardec mas já ouvi falar que são reconfortantes em momentos difíceis.
      Vou esperar seu comentário...
      Um abraço!

      Excluir
  16. Oi Bia,
    Interessante,já tinha ouvido falar dos mapas mentais e adorei saber um pouco mais.
    Acabei de ler A culpa é das Estrelas e resolvi falar um pouco dele lá no blog,penso em falar um pouco dos livros que vou ler ao longo do ano,na verdade a ideia já está na minha cabeça a algum tempo,espero que as pessoas gostem.Espero você lá pra me dizer o que acha.
    Abraço =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Su!
      Já dei uma conferida no seu post, só não li todos os trechos porque estou na metade do livro ainda, hahaha. Prometi que iria ler um capítulo por dia para acabar antes do final das férias, mas tem dias que o tempo corre, menina!
      De qualquer forma, eu gostei, é um livro diferente.
      Um abraço!

      Excluir
  17. Esse livro é lindo... não costumo usar técnicas, Bia, mas para estudar, faço "resenhas", uma espécie de resumo com observações... a escrita sempre funciona comigo na hora de estudar. abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbie!
      Eu também faço resumos quando estudo, vou fazendo anotações ao meu modo e tenho facilidade para compilar as informações.Não testei, mas acho que os mapas são eficientes quando há muito conteúdo, ou para resolução de problemas pessoais, roteiro de reuniões, planejamentos do dia e semana... só incorporando ao dia a dia para avaliar melhor, né?
      Um abraço!

      Excluir
  18. Não uso nenhum método, Bia. Mas isso de mapa é muito interessante e cada mapa é pessoal mesmo. Só quem fez irá entender, não tem jeito. E é o que importa, né? rs Bjss e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio! Sério que achou difícil entender? hahaha
      Não porque eu fiz, mas achei o mapa mental até fácil de entender, é só ir seguindo as ramificações, as palavras estão ligadas ao campo da vida desejada.
      Já o mapa conceitual é mais complicadinho, mesmo, acho que só quem já leu o livro pode entender alguma coisa... inclusive quanto mais inter-ligações houver no mapa conceitual, mais bem elaborado ele é considerado. Ou seja, reflete uma visão bem particular, mesmo.
      O importante é cada um se achar no seu...
      Um abraço!

      Excluir
  19. Bia gostei da dica do livro, achei o mapa bem interessante.
    Devido ao toc a organização é obrigatória, mesmo nos mínimos detalhes da vida.
    imagina qdo acontece algo que não estou esperando? afff sofrimento e tortura pq muitas coisas não dependem de nós, agora a do dia a dia é bem tranquila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia!
      Desenhar o Mapa Mental me deu uma sensação muito relaxante, talvez pelo uso das cores, pelos desenhos ou pela liberdade de expressão criativa... talvez seja interessante testar.
      Eu não imaginai que o inesperado provocasse esse turbilhão, Patrícia, justamente pelo que disse, por mais que a gente se organize, se planeje e faça tudo certo, sempre corre o risco do inesperado... e então é preciso muito autocontrole para não desanimar ou se estressar.
      Mas acompanho sua história e sei o quanto busca se ajudar, sempre! E isso me causa admiração.
      Um abraço!

      Excluir
  20. Olá, querida Bia
    Confesso que só depois de fazer um curso chamado Eneagrama é que fui liberta da "caixa"... vivia emoldurada de dar dó...
    Fiz muitas interações neste sentido e vi que nossa linha de vida não é rígida e se nos aferramos à mesmice (por medo, como era o meu caso), desperdiçamos o doce do bem viver...
    Gostei de repensar com vc e estou, nestes dias de Janeiro, a me libertar ainda mais de análises e programas internos...
    A gente que tem um 'QI dentro dos padrões' é dado a esse tipo de coisa para demonstrar ser 'normal' (até pra gente mesmo)... rs...
    Estou nisso, justamente: entregando-me a novos traços ainda que não, geometricamente falando, exatos...
    Não é fácil mas a própria vida se encarrega de mostrar possibilidades de libertação de parâmetros invasivos à espontaneidade...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia!
      O medo pode mesmo nos prender ao conhecido e em alguns casos perdemos grandes chances de satisfação.
      Querer descobrir novos parâmetros, quebrar padrões, exige grande disposição e coragem... nem sempre é fácil reconhecer nossas limitações e querer transpô-las. Somos criados e induzidos a procurar sempre o seguro, e contraditoriamente, às vezes o seguro de fato está além do seguro ilusório, aquele no qual nos prendemos.
      Buscar novos meios de entendimento é uma ajuda que damos aos caminhos que se abrem, para enxergá-los com clareza. E concordo que a vida vai nos guiando quando buscamos com a sinceridade do coração.
      Um abraço!

      Excluir
  21. Oi Bia,

    Interessante demais.
    Gostei foi de ver o seu planejamento do ano através do mapa mental que você idealizou . Já o mapa conceitual deu nó na minha cabeça. Talvez porque ela esteja doendo.
    Achei a dica bacana e parece bem funcional. Vou me inteirar mais a respeito lendo o livro, que não conhecia. Critérios para um novo pensar e para planejar de um jeito mais eficiente serão sempre bem vindos, pois o computador da nossa mente parece ter um limite de aproveitamento, já que o deixamos lotado com arquivos inúteis, ao invés de deletá-los-rs.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera!
      Hum, também sou vítima das dores de cabeça desde a adolescência, embora elas estejam bem menos frequentes nas férias... por que será? hahaha
      O mapa conceitual parece mesmo mais confuso,principalmente para quem não leu o livro das estrelas.
      Tenho certeza que irá gostar do livro sobre a mente, é muito dinâmico e interativo, o mapa é muito gostoso de fazer e uma das teses do liro é justamente essa, a de que temos muuuito espaço no cérebro não utilizado e esperando para ser aproveitado.
      Como guardamos coisas inúteis, não? Precisamos aprender a deletar arquivos que nos auto-criticam e cansam.
      Um abraço!

      Excluir
  22. Olá Bia, como vai amiga? Bem interessante esta nova forma de registar na memória toda a informação de que necessitamos no nosso dia a dia! E agora que já estou numa fase em que o neurónios, coitados,)), estão a diminuir bem preciso de trabalhar bem esta área! Vou tentar fazer uma árvore semelhante à que fez adaptando-a às minhas necessidades. Lá vai o tempo em que mais ou menos não precisava de agenda, nunca fui muito de grandes apontamentos nem mesmo em jovem, por vezes usava apenas alguns tópicos. Muito obrigada por esta preciosa ajuda. Beijinhos e óptima semana. Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime! Como vou?... Buscando estar bem. :)
      Senti essa decaída dos neurônios de uns anos pra cá... agora mesmo, relendo a resposta acima, da Vera, que escrevi ontem, percebi que a última frase havia ficado sem sentido, faltando uma parte do escrito! Culpa desse déficit mental... agora já arrumei. Mas há coisas que passam sem que possamos arrumar, essas me preocupam caírem na irresponsabilidade de um momento desses de ausência, que tem sido frequentes em minha mente. Tenho medo de perder a vida por um detalhe.
      Faça sim a árvore, Ailime, pendurei a minha na geladeira e sempre me provoca um sorriso quando estou na cozinha, como se renovasse a sensação de sonho, objetivo, confiança no amanhã!
      Também não sou muita amiga de agendas mas pretendo adotar os mapas como companheiros fieis.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Menina,
    conversei com meu filho sobre isso hoje à tarde( incrível) na volta para casa, chamando sua atenção sobre a necessidade dum organograma mensal onde ele visualizasse os objetivos e metas no trabalho. Vou indicar-lhe os sites que vc citou.Achei super interessante esta abordagem.Ela abrange todas as áreas da vida estabelecendo as conexões de forma destacada.Isto deve ajudar muuuuito, tanto a aprendizagem pontual quanto as perspectivas que a envolvem ;)
    Anotei as dicas e vou atrás.Valeu, Bia!
    Bjos e boa noite aí.
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu!
      Que interessante!:D Eu adoro situações assim, onde o destino nos mostra assuntos correlacionados sem esperarmos!
      Aprendi como passar do tempo que uma certa organização é uma ferramenta de apoio que nos permite coordenar as responsabilidades com as coisas que gostamos de fazer.
      Sua visão além sobre o mapa mostra o conhecimento de anos de quem sempre abraçou a profissão. Em alguns países até escolas adota o mapa mental como forma de avaliação!
      O mapa clareia de fato as ideias e espero que ajudem seu filho a agilizar o cotidiano.
      Um abraço!

      Excluir
  24. Que loucura, Bia!! (hehehehehe). Eu não teria paciência para elaborar um mapa. Olhei o seu e a parabenizo pela harmonia da distribuição que fez. Costumo memorizar por associações e anoto o que é prioritário, deixando de lado as informações que não merecem ser guardadas ou que poderão ser verificadas, posteriormente, com facilidade. Quando ainda estudava, comparava as anotações feitas durantes as aulas com as contidas nos códigos e as complementava. Para as provas, bastava me fixar nelas. Há muitas informações inúteis e o que mais precisamos é saber distingui-las, para deletá-las da mente. Não conheço a obra, mas vejo que você fará bom uso dela.
    Estamos sempre diante de novos desafios e não podemos abraçar todos. Se canalizarmos as energias para o que é, verdadeiramente, importante e viável, facilitaremos as opções. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene!
      O Mapa mental é muito rápido para ser feito, chega a ser surpreendente! O outro é de fato um pouco mais elaborado.
      Memorização por associação também é tema do livro, deve ser feito um exercício que chega a ser surpreendente pelos resultados!
      Saber organizar prioridades é importante, bem como manter o foco sobre elas ou ajustá-las.
      Também sempre tive o costume de fazer pequenas anotações com minhas palavras sobre a matéria, é um meio meu de estudar que funciona, mas hoje vejo que o cérebro parece congestionado e senti essa necessidade de buscar alternativas;
      Canalizar a energia para o que nos importa e completa é outro meio eficaz de facilitar, dinamizar e evoluir... bem lembrado.
      Um abraço!

      Excluir
  25. Muito interessante o mapa e o livro vou ler, sou super desorganizada rsrs
    Acho que será bom testar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria!
      Por ser uma maneira alternativa de se organizar penso que pode funcionar contigo... o livro é interativo, traz embasamento científico e exercícios práticos para mostrar sua eficiência, espero que goste e use.
      Um abraço!

      Excluir
  26. Olá Bia! Boa tarde.
    Achei super interessante esta dica de livro, anotada já.
    Eu como sou desorganizado até mentalmente, com certeza se conseguir fazer um destes mapas poderá quem sabe me auxiliar em alguns aspectos da vida, inclusive no momento de organizar capítulos de livros que estou escrevendo.
    Acho que tenho um problema de egocentrismo, um excesso de confiança que por vezes é saudável e por outro não, confio demais em meu cérebro, não curto fazer anotações. rs.
    Abraço e bom 2014!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chris, que bom vê-lo de volta!! Fez falta na blogosfera, menino!
      Penso que esses mapas mentais são o seu estilo, algo original e prático, não se leva mais que dez minutos para fazer um e o passo a passo do livro não tem erro!
      Interessante funcionalidade utilizar para anotar ideias para organizar o livro! :)
      Já confiei muito em meu cérebro mas tenho consciência de que é preciso "jogar a toalha" numa certa idade, ahaha... o jeito é ir buscando alternativas para "ativar" o cérebro.
      Um abraço!

      Excluir
  27. Oi, Bia!
    Gostei da árvore para visualizar seu plano mental. Mexer com as mãos sempre causa "alívio mental" e colocar no papel as ações em forma de desenho, traz conforto psicológico. Em geral não faço força para memorizar nada - anoto praticamente todas as minhas tarefas prioritárias e as que estão indiretamente relacionadas, vou resolvendo conforme a necessidade. Prestando atenção em sua árvore, percebo que ela serve muito bem para mim. Ah, eu também usava maria-chiquinha quando era criança... rs.
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luma!
      Isssso, a questão de aliar palavras-chave com desenhos e cores traz um conforto incrível para o cérebro, quebra a formalidade das listas e tópicos... bem definido!
      Legal saber que minha árvore serviria pra você... hoje, quando passo os olhos sobre ela, me dou conta de que anotei muito mais objetivos em relação ao que desejo sentir, não necessariamente materializar... enfim o mapa é a minha (nossa) cara. Até na maria-chiquinha, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  28. Bia,
    aprendi a usar os mapas conceituais qdo fiz uma pós na área de TIC em 2010. Usávamos o Mind Meister, que, salvo engano, é gratuito.
    Mas não cheguei a elaborar mapas mentais para organizar minha rotina e meus planejamentos, talvez seja uma boa essa sua ideia!

    Vou deixar contigo o link de uma postagem que fiz sobre o tema.

    http://patymichele.blogspot.com.br/2010/08/aviso-aos-navegantes.html

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty!
      Uma colega da escola comentou que usava mapas conceituais na pós... vou dar uma olhada no programa que indicou e já estou abrindo o link indicado.
      Tenta o mapa mental, Paty, acho que vai gostar! :)
      Um abraço!

      Excluir
  29. OI BIA!
    GOSTEI MUITO DE TEU POST.
    SEMPRE GOSTEI DE ESTUDOS QUE NOS MOSTRAM O QUANTO PODEMOS MENTALMENTE E O TÃO POUCO QUE FAZEMOS DESTE USO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  30. Um texto para refletir e muito bem estruturado.

    Beijo

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.