domingo, 19 de janeiro de 2014

Uma questão de escolha

Precisando de assinaturas em um documento fui à universidade com minha filha solicitá-las. As duas atendentes em questão, que em época de férias escolares - trabalhando sentadas num local fresco - estavam sem fazer praticamente nada, foram extremamente indisponíveis e antipáticas.
Na saída minha filha comentou que os professores, quando fazem referência à essas duas profissionais, classificam-nas como "as feiosas da secretaria". Leia-se aqui feiura no sentido da ausência de gentileza e educação. Já a secretária da noite está sempre disposta a auxiliar quem precisa. Salário médio da função em universidade federal: R$ 3000,00.

by freepik

No retorno para a casa, entramos no ônibus, pedimos uma informação à cobradora e nos sentamos. Observando sua atitude percebemos que a moça era muito bem humorada e solícita, informando os turistas sobre os balneários e trocando ideias com os moradores locais, sempre de forma respeitosa. Trabalha sentada, porém metade do percurso num sol de lascar. Salário médio: R$ 1000,00

No ônibus de ida encontrei um senhor que conheço desde a infância, de cabelos cacheados, que vende picolés num carrinho ambulante. Hoje tem 56 anos, a pele e a aparência extremamente castigadas pelos anos de sol, mas conserva o mesmo sorriso aberto de antes. Conversava o tempo todo com os conhecidos e ria, ria muito. Salário médio: em torno de R$ 600,00, trabalhando de sol a sol.

Já contei aqui do carrinheiro que todos os dias arruma o lixo do condomínio e leva os reciclados. Vem duas vezes ao dia, separa o reciclado do orgânico, limpa e desinfeta o interior do depósito para evitar pragas. Em dias de calor, o cheiro é bem complicado, consequência do chorume desprendido pelo lixo. Sempre é muito educado e caprichoso. Salário: R$ 420,00 pago pelo condomínio + a venda dos reciclados.

Há dias venho pensando em profissões castigantes sobretudo no verão: soldador, reparador de telhados, pedreiros, capineiros, carrinheiros, lixeiros, carteiros, agricultores, chapeiros, vendedores ambulantes, a lista é imensa... Não se trata de vitimizar essas pessoas ou achar que todas elas são felizes, mas é claro o que podemos perceber em nosso entorno: o que uma pessoa ganha ou faz não é proporcional ao tamanho de sua felicidade, o determinante é a visão que escolhe ter sobre a vida.

Também me questiono porque há pessoas que trabalham sempre como se estivessem fazendo um grande favor ou sacrifício pelo outro, não há bom senso ou vontade de resolver, facilitar, viabilizar... Trabalho traz subentendida a noção de troca, de prestar algo para receber um  ganho, ou seja, não é um favor, mas uma atribuição. E se cada um tem sua atribuição, penso ser uma atitude inteligente, generosa e muito mais fácil pra si e para o outro exercê-la - salvo em dias de mau humor que precisam ser exceção e merecem um desconto - no mínimo, com cordialidade. Não é preciso alegria constante ou mimimi, mas disponibilidade e educação, sobretudo quem trabalha com o público.
Ou escolher mudar de profissão... virar caçador (a) e morar numa caverna.

Para rir um pouco, exemplo de um funcionário "bem humorado", hahaha....

66 comentários:

  1. Nossa, eu sempre levo isso muito em consideração quando preciso fazer um atendimento no meu trabalho (o que não é sempre). Mesmo quando não estou em um bom dia, quando as coisas não vão lá essas coisas... aprendi com a vida e experiências que já tive, que o outro não tem culpa de nada, ele está ali porque precisa de um atendimento e, como vc bem disse, aquele é o meu trabalho. Trabalho aliás que sonhei tanto em conseguir! Agora, a forma como posso agradecer a oportunidade que recebi é fazendo meu trabalho com excelência, ainda nos momentos em que preciso fazer atendimento ao público.
    Ótimo texto, cheio de propriedade, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Valquiria!
      O caminho é bem esse mesmo. Tive um chefe que sempre dizia que os problemas da vida pessoal precisam ficar para fora da porta do estabelecimento, que ali a partir do momento em que entra passa a ser funcionária.
      Sabemos que não é tão fácil assim, às vezes estamos tristes, deprimidos ou doentes, mas não são motivos para querer estragar o dia do outro também. Ainda que esteja difícil dar um sorriso, boa educação e boa vontade precisam estar sempre presentes.
      Que bom que você valoriza a conquista do seu sonho e transforma como agradecimento suas atitudes... é possivelmente o que falta por esse mundo.
      Obrigada, um abraço!

      Excluir
  2. Concordo com o texto viu...sentadas ,as vezes são gordas, feias
    as vezes bonitas, mas a educação não sei onde está.....
    quanta diferença entre as pessoas.......
    Bom para refletir sobre o caso........

    Abraços de sempre, com bom final de semana!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rita!
      A beleza nas atitudes, na minha opinião, torna qualquer pessoa bonita, de verdade. Não há coisa para enfeiar uma pessoa como mau humor e grosseria.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Bia, esse olhar para as coisas e o mundo nos faz ver detalhes que pra tantos nem são notados.Também percebo essas pessoas que agem tão diferentemente e passam em nossos caminhos.Escolhas delas? Poderiam optar, no mínimo, pela gentileza...beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,Chica!
      É verdade, como é importante manter esse olhar apurado para os pequenos detalhes do dia a dia, certamente uma atitude que alivia o peso das responsabilidades que nos endurecem.
      A gentileza independe de cargo, salário ou condição pessoal.
      Um abraço, aproveite bem esse marzão!

      Excluir
  4. Bia,
    São os tempos de agora, a corrida para o sucesso aflora até os íntimos instintos malignos que todos temos e, temos que educá-los para termos satisfação pra viver em sociedade.
    Eu por muito tempo quando criança não tive identidade.
    Alguém perguntava: quem é você? Sou Dorli. Filha de quem? Do lixeiro e todos respeitavam aquele homem que sem nenhuma leitura chegou a subir de cargo e, apesar de morto, jamais o esquecerei.
    Sempre procurou ajudar a todos e sempre foi o meu esteio e meu porto seguro.
    Hoje a ganância e a falta de humanidade voltou com força total para acabar com a solidariedade, mas um dia mais tarde irão se arrepender, aí já será tarde...
    Adorei
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!
      Infelizmente essa é a realidade, a disputa em alguns setores faz aflorar o que há de pior em algumas pessoas. Minha filha começou a trabalhar e infelizmente tive que alertá-la para o fato de que trabalho não é escola, é um local onde fazemos muito mais colegas do que amigos justamente porque pela disputa muitos seguem o famoso ditado "farinha pouca, meu pirão primeiro".
      Eu admiro todas as profissões porque cada uma tem sua importância, mas ainda mais aqueles que trabalham em condições difíceis ou castigantes e ainda assim, conseguem dar o melhor de si.
      E admiro também sua história, que pouco a pouco vai se desenhando pra mim.
      Um abraço!

      Excluir
  5. Tem uma secretária na minha faculdade que é bonitinha, mas é meio grossa e nunca sabe atender agente. mas tb já fui maltratada pela trocadora de onibus. A mulher disse assim mesmo "se eu lembrar de te lembrar eu aviso" total descaso....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alê! Com certeza, também já peguei cobradoras de ônibus muito mal educadas e secretárias bem dispostas. A questão não é a profissão, mas a capacidade que a pessoa tem de se disponibilizar, de ceder uns momentos do seu dia para ajudar o outro.
      Acredito que isso se deva em grande parte à educação recebida em casa, que independe de condição econômica.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Bia,nem me fale de funcionarios mal humorados! Esse video é bem divertido,mas tem gente que é assim mesmo...rss...excelente seu texto! bjs e boa semana,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anne!
      Minha filha me mostrou esse vídeo e dei muitas risadas... tudo bem que é desnecessário pessoas que "forçam" a barra da alegria , mas chegar no serviço e encontrar gente de mau humor, é dose!
      Um abraço!

      Excluir
  7. É amiga. Há gente que nasce vive e morre sempre de cara amarrada, como se todo o mundo lhe devesse e ninguém lhe pagasse. Como o Carlos do video...
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elvira!
      Há momentos em que fico revoltada com essas atitudes, mas há momentos em que tenho pena... o que será que leva uma pessoa a viver assim, tão amargurada? Penso que a vida fica muito mais pesada assim...
      Um abraço!

      Excluir
  8. Bia, creio que alguns estão dispostos a ser felizes em qualquer trabalho e qualquer lugar. Esquecem os tormentos e valorizam cada pequeno detalhe que lhes dá prazer. Por isso, relacionam-se com facilidade e não perdem a oportunidade de prestar uma informação, de ser gentil. Outros, por mais que tenham salários elevados, carregam uma insatisfação incurável. E exercem suas atividades como se, de fato, prestassem um favor a todos nós, quando deles necessitamos. O vídeo é ótimo (heheheh). Tenha uma linda semana. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene!
      É isso! Quem está disposto e aberto à felicidade o faz em qualquer lugar! :D
      Penso ser uma questão de autodisciplina também, perceber as próprias atitudes e começar a prestar atenção e aproveitar oportunidades para ser gentil. Ambos ganham assim, quem presta o serviço e quem recebe.
      Infelizmente aqueles que agem com solicitude em geral acabam sobrecarregados, o que é desestimulante.
      Há momentos de insatisfação na vida de todos, mas há de fato pessoas que nunca estão felizes com o que tem e espalham poeiras de insatisfação por onde passam.
      Um abraço!

      Excluir
  9. Eu sempre gostei de fazer do meu trabalho meu segundo lar, e tinha que ser assim, já que passava o dia todo nele. Sempre gostei de fazer bem minha tarefas e ser prestativa. Na maioria dos meus empregos sempre tive contato com o publico e com a maioria dos funcionários e fazia questão de ser alegre, simpática e prestativa e nunca me arrependi, sempre fui muito querida e o retorno sempre era gratificante. Sigo uma regra básica e simples: o que não quero pra mim, não dou nem faço com o outro. Sempre temos 2 escolhas e eu sempre escolho aquela que me deixa feliz e de bem comigo mesma. Adorei sua postagem querida, show! Bjão pra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nádia! Passamos de fato tempo demais no serviço e tornar o ambiente o mais agradável possível é uma forma de preservar a própria qualidade de vida também.
      Assim como você sempre busquei ser prestativa e agradável com os clientes e colegas e realmente, há pessoas que se lembram de mim com simpatia, isso é legal. E mesmo que esse não seja o objetivo (porque aí perde o sentido real) sempre tive portas abertas pois é frequente ver pessoas que fizeram parte da vida reaparecerem em outro lugar. Já imaginou se no passado fosse mal educada?
      O lema que carrega consigo é simples e muito, muito prático. Penso ser a premissa básica do respeito com o ser humano.
      Obrigada pelo carinho, um abraço!

      Excluir
  10. Olá, Bia...
    Comigo, tudo na paz!
    adoro o Fábio Porchat,mas nessa ele se ...
    sim...sempre ouço dizer que as nossas escolhas atestam o nosso caráter e também a direção para onde nos movemos e , também, demonstra o tipo de pessoas que somos.
    Por isso, penso eu, as escolhas são, sempre, importantes...independente do que for. Só que (cruzes, junção feia) simplesmente começamos à escolher aquilo que aparentemente é bom, aquilo que não se vê nada contra, com inúmeros pontos a favor , inclusive salário bom, e, portanto, parece ser o certo...mas creio que temos que escolher não o que é bom, mas aquilo que é o melhor...para nós...por isso, seja qual for a opção de escolha, que, por vezes , nem é possível...presto muita atenção à ação e reação das pessoas: Se estiver feliz e interessado é um sinal de que a escolha foi a melhor, dentro de suas possibilidades... Se estiver desanimado, sem gentileza e com rendimento baixo...
    "Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.Confúcio"
    Obrigado, belo finalzinho de domingo, boa semana, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      Nesse vídeo o Fabio pega pesado, hahaha...
      Puxa, gostei demais da sua linha de pensamento e creio que resume muito bem o que eu quis dizer até aqui.
      Não é errado querer ganhar um bom salário ou evoluir, claro que não. O que eu quis dizer foi justamente que o salário não é o determinante único para a felicidade. Tanto que no exemplo há secretárias ganhando o mesmo, no mesmo lugar, com atitudes diferentes.
      Concordo contigo, escolhas acertadas são aquelas que motivam e alegram, mesmo que sejam trabalhosas. Escolhas erradas são aquelas que parecem trazer consigo um fardo, embora em algumas situações precisamos passar pelo fardo para depois obter um certo conforto...
      Enfim, o importante é tentar manter uma certa satisfação no trabalho que se reflita em nossa prática e no trato com as pessoas à volta. Não cheguei ao ponto de Confúcio, hahaha, mas tento fazer bem meu serviço.
      Um abraço!

      Excluir
  11. Bia, nesses estabelecimentos públicos geralmente tem um placa dizendo que é crime, e cita a lei, desrespeitar um funcionário público. E será que existe uma lei onde é crime o funcionário público não atender bem ou desrespeitar o cidadão? Tem uns que não dá pra engolir de jeito nenhum e é bem assim como vc falou, acham que estão fazendo um favor ao Universo por gastarem seu tempo atendendo o povo.
    Gentileza não tem cargo e nem salário e está ao alcance de todos. Basta usá-la!
    Ótimo post, como sempre!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clara!
      Sou funcionária pública e realmente há essa lei do desacato, mas não acho que isso deva servir para que os servidores se prevaleçam de sua estabilidade para agir com corpo mole.
      Até os próprios colegas que trabalham no RH nos atendem mal... sinceramente não entendo no que isso pode tornar o dia de uma pessoa melhor.
      Mas não se pode generalizar, há pessoas que mesmo tendo estabilidade no emprego e ganhando um bom salário trabalham duro e dão o melhor de si... só que geralmente acabam sobrecarregadas pelo serviço que poderia ser dividido com os outros folgados.
      Tem razão, gentileza é de graça!!!
      Um abraço!

      Excluir
  12. Boa noite Bia.. lendo aqui.. deixo o que vi na frente de minha casa poucas horas atrás.. um casal novo de namorados parou tomaram uma caixa de suco.. com a lixeira ao lado jogou a caixa na grama a frente de si... sem falar que o que disse é uma grande verdade.. meu pai já foi humilhado por uma pessoa do inss que ganha lá seus 5 mil para esquentar a bunda 3 vezes por semana nos negocios da previdencia.. o salário alto só torna as pessoas mesquinhas.. acham que podem mais.. mas dentro de si não brota um sorriso sequer.. suas vidas na maioria das vezes são vazias.. o lixeiro que muito prezo sempre dá bom dia e nós a ele.. e ainda sofre com o descaso de pessoas que acham que eles são lixo como o lixo que recolhe.. e mal sabem elas que eles ganham certamente bem mais que um salario minimo que elas a quererem aparecer.. e para terminar.. li num livro oculto.. que uma vez ficaram zombando de um andarilho e o professor na questão com visão espiritual disse que aquele andarilho era um ser disfarçado de alta hierarquia espiritual quee stava na sociedade assim para ver como as coisas estavam andando.. as aparencias enganam né.. temos que ser nós mesmos e mesmo que o outro não nos diga o bom dia dentro do elevador ou em qualquer outro lugar.. o não bom dia dele não vai estragar o nosso dia né.. estraga o dele que não diz isso nem a si mesmo.. as pessoas só se fazem de alegres em épocas de festas.. passam elas tudo volta como era antes.. abração e uma linda noite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel!
      Em breve falarei sobre isso num post, não me conformo como ainda há pessoas que simplesmente jogam o lixo no chão!!!
      Penso que o dinheiro não estraga ninguém, apenas revela traços que estavam ocultos. Pessoas generosas sempre o serão mesmo ganhando mais, já os mesquinhos e egoístas, quando de posse de um pouco mais de poder aquisitivo, tornam-se arrogantes. Assim como há pessoas que não tem nem um trabalho, um teto, e são arrogantes... é da personalidade e da educação de cada um, independente do dinheiro.
      O lixeiro que citou é um exemplo, uma profissão importante e extremamente desrespeitada.
      Minha mãe contou que estava na praia e um senhor que vendia milho em um carrinho, caminhando o dia todo no sol, foi chamado por um grupo, teve o maior trabalho para voltar e quando chegou o grupo só queria tirar sarro de sua profissão, o que deixou o senhor muito chateado. Infelizmente as pessoas não levam a educação como resolução de final de ano a seguir.
      Um abraço!

      Excluir
  13. Oi Bia,

    Tive que rir com o vídeo. Que cara mais de mal com a vida-rsrsrs.
    Tenho observado que as pessoas que têm menos motivos para demonstrarem amabilidade são as mais atenciosas e gentis. Hoje mesmo fui à padaria e a caixa estava toda sorridente, apesar de estar trabalhando em pleno domingo e ganhar, como dizem por aí, uma 'meleca'. Acredito que na maioria das vezes falta amor ao trabalho, gostar do que faz e uma boa dose de respeito ao próximo. Aposto que as atendentes citadas colocariam a 'boca no trombone' se fossem mal atendidas em algum lugar, não reconhecendo que seria o espelho de suas atitudes. Não é o valor do salário que torna uma pessoa gentil e generosa. Estas qualidades estão na índole das pessoas de bem e que sabem como é difícil obter atendimento satisfatório nas repartições públicas. Nas particulares, há o receio de reclamação e perda do emprego. Já no serviço público, dispensar um funcionário é quase impossível, pois exige casos extremos. Os que não sabem ser gentis e atenciosos deveriam, pelo menos, cumprir condignamente com as suas atribuições.

    Ótima abordagem.

    Tenha uma noite serena e uma maravilhosa semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera! Ele perdeu totalmente a paciência com a alegria da menina, hahaha!
      Bem lembrado, na escola, observando os alunos e suas histórias, vejo que o que carregam em suas vidas não determina sua educação. Há crianças com histórias difíceis que são uns doces e outras que tem tuuudo e são ingratas e mal educadas, e vice-versa. A história não é parâmetro para boa educação. Minha filha não conheceu o pai e não tornou-se revoltada nem mal educada.
      Geralmente as pessoas que agem assim, com soberba, não se dão conta de sua própria grosseria. Em treinamentos geralmente aquele que precisa aprender a atender melhor não está disposto a ouvir nem a mudar.
      Há mesmo essa dificuldade em demitir no âmbito público mas penso ser um mínimo de dignidade abraçar suas atribuições com propriedade. Trabalho no setor público e tento fazer meu serviço tão bem como quando trabalhava no setor privado. Atender bem é uma questão pessoal.
      Um abraço!

      Excluir
  14. Oi Bia!!!
    Interessante o assunto do teu post. Na semana que passou isso também me chamou a atenção pois me deparei, às 7:30 da manhã, com uma cobradora de ônibus muito simpática e sorridente. Dando "bom dia" para todos que passavam na roleta com um sorriso largo. Foi tão gostoso receber aquele cumprimento que fiquei triste no outro dia quando não peguei o ônibus no mesmo horário e não a vi.

    Uma ótima semana, querida!!

    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Naty, gostei da sua experiência! Acredito ser uma questão até de inteligência agir como a cobradora, é tão mais fácil começar o dia assim, com suavidade... há dias em que estamos cansados, tristes e não temos a obrigação de estar feliz e sorrindo o tempo todo, mas ser pelo menos agradável acho que torna os problemas interiores mais leves, para nós e para os outros.
      Um abraço!

      Excluir
  15. Eu já trabalhei de pedreiro Srta, e posso te garantir, nesses tempos de sol escaldante é desumano! ahh e como tem pessoas secas , não é? a melhor resposta é a edicação que vc tem, e que talvez vá afetar o coração do sem vida! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives!
      Interessante conhecer esse seu outro ofício... imagino mesmo que não deve ser nada fácil!
      Essa mudança de perspectiva precisa acontecer individualmente, nós somente plantamos uma semente. :)
      Um abraço!

      Excluir
  16. Entrando neste contexto, há tantas profissões desvalorizadas por aí, mas como você mesma ressaltou, depende da maneira como vemos o mundo que nos rodeia. Aliás, acredito que tudo depende da nossa visão de mundo, bem como perspectiva de vida.
    O fato é que se você trabalhar em algo que te agrade e te traga felicidade, o dinheiro será consequência.
    Agora sobre a questão da educação, acho que estas pessoas deviam se colocar no lugar das outras, aí sim aprenderiam a lição, porque ao mesmo tempo que eu quero ser tratada com educação, eu preciso tratar os outros da mesma maneira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, não só em relação à profissionais e a profissões, mas à tudo, a perspectiva é o que faz toda a diferença. Aprendi a me policiar bastante nesse sentido. Quando começo a ter uma visão negativa sobre algo, como se viesse uma nuvenzinha cinza na minha cabeça, trato logo de buscar o sol, hahaha.
      Essa questão da educação é como eu disse acima, uma questão pessoal, individual... a educação, mesmo se não veio de infância, pode ser lapidada, há tantos meios de se fazer isso. Pena que as pessoas mal educadas geralmente são arrogantes e se acham perfeitas.
      Um abraço!

      Excluir
  17. Bia, canso de encontrar gente assim, que está insatisfeita com o trabalho e talvez até com a própria vida. Mas sabe de uma coisa? Tem pessoas que não conseguem ser cordiais, alegres ou no mínimo educadas e para essas pessoas talvez uma boa dose de trabalho debaixo de um sol escaldante como o de hoje, as fizessem ser um pouco mais humanas.
    Boa semana. Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Solange!
      Penso que todos temos momentos de insatisfação pessoal, profissional, intelectual, e são esses momentos de insatisfação que nos impulsionam e buscar mudanças que em geral, nos tornam melhor.
      O que não se pode é permitir que essa insatisfação se reflita no trabalho onde em geral lidamos com pessoas que não tem nada a ver com isso. E pior, há aqueles que estão insatisfeitos e não buscam meios de mudar isso, se limitando em tornar a vida do outro pior. Isso acho muito triste.
      Tem razão, quem sabe se estivessem em condições bem distantes da que estão acostumados pudessem enxergar as coisas por outro ponto de vista?
      Um abraço!

      Excluir
  18. "Se posso complicar, para que vou facilitar?" Esse infelizmente é o lema de muitos.
    E tudo seria tão mais simples. Nem precisa de mimimi, presteza já basta.
    Mais essas são virtudes que estão se tornando raridade.
    Gostei muito dessa matemática dos salários, ficou divertido.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaai, Ana, até me doeu ler a frase entre aspas que escreveu... acho que a vida transcorre de maneira tão mais fácil quando buscamos facilitar para todos, a coisa flui... faço o possível para ampliar todos os leques de opção não só pensando em mim mas também nos que estão à minha volta... não consigo compreender por que alguns simplesmente tem o prazer de dificultar a vida alheia ou se abster de ajudar.
      Só não coloquei no final do post "educação e gentileza: não tem preço" porque ficaria muito "Mastercard", hahaha!!
      Um abraço!

      Excluir
  19. Engraçado essa coisas né?
    Eu sou simpática ao maximo. Tem um cobrar de onbus que eu sempr pego de noite, ele faz questão de dar boa noite pra todos que passam pela catraca. Essas coisas nos chamam atenção.
    Tem uma "tiazinha" que trabalha no clichê da rodoviária onde eu pego bus toda semana. Ela é um nojo de pessoa. sabe aquelas pessoas que falam num tom de deboche? Ela é uma dessas. Ainda esse ano eu jogo agua nela kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nathália!
      São duas vertentes que chamam igualmente a atenção, um gentil e outra presunçosa, trabalhando com o mesmo ramo... e olhando assim, vem logo a pergunta na cabeça: não é mais fácil viver agindo da primeira forma?
      Agora fiquei realmente tentando imaginar qual é sua estratégia para jogar água na moça, hahaha!
      Um abraço!

      Excluir
  20. É fato, esse troço acontece o tempo todo. Mas, olha, talvez eu seja uma dessas "sentadas, gordas e feias" como alguém comentou lá em cima, mas tento sempre usar de empatia, que é tratar o outro como gosto de ser tratada. E mesmo nos dias dos meus humores não lá muito felizes, faço o possível para não fazer a pessoa perder a viagem dela. O que puder ser resolvido, porque não fazê-lo?
    Eu quero o salário dessas duas moças.
    Ri muito com o vídeo. Também não entendo essa alegria toda justo numa manhã de segunda feira, mas o cara pegou pesadão.
    Beijo, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene!
      Toda e qualquer pessoa que seja empática torna-se bonita, não tenho nenhuma dúvida disso, Milene. A pessoa pode ser uma "miss", egoísmo e arrogância acabam com qualquer "reinado".
      Vou fazer campanha para passar o salário das duas pra você Milene... sim, porque uma pessoas num mau dia vá lá, mas duas ao mesmo tempo, é beeem estranho.
      hahaha, É verdade, tanta animação numa segunda não é mesmo muito comum, Se tiver uma "ressaquinha" de domingo é até chatinho, hahaha, mas ele foi fundo na intolerância!
      Um abraço!

      Excluir
  21. Oi, querida Bia
    Eis o link da minha participação no blog retrê:

    http://www.idade-espiritual.com.br/2014/01/blog-retro-2013-e-uma-denuncia.html

    Quanto ao mau humor, por coincidência, acabo de receber um telefonema de uma tia que está ficando surda e confesso que foi duro ficar falando e ela não me ouvindo...
    O mau humor pode vir de repente na vida da gente... mas concordo que seja exceção como vc bem disse... hoje foi um momento desse ainda há pouco... rs...
    Noutro dia, fui tão mau atendida por uma menina que me prejudicou bastante... e ela nem tinha mau humor mas era completamente desinformada no que fazia...
    Mas que o bom humor nos ajuda e MUITO... lá isso sim... vale pena valorizá-lo...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia!
      Já dei uma espiada em seu link e retorno com calma assim que for possível!!!
      Pois é, acho até um pouco estranha uma pessoa que nunca está de mau humor, é um sentimento normal e pode surgir de uma hora para outra, como aconteceu com você, principalmente quando estamos cansados, suscetíveis... mas não pode ser um hábito, a regra, e sim, a exceção...
      Então, falta de informação também leva ao nosso mau humor, hahaha... no mínimo é preciso interesse do atendente para buscá-la, não?
      No mais... que possamos nos alegrar em todas as ocasiões possíveis.
      Um abraço!

      Excluir
  22. Proponho enfaticamente que este teu oportuno e relevante texto seja afixado em todas as salas de repartições públicas e privadas do país que atendam diretamente ao público, Bia.
    Sem sombra de dúvida, é uma questão de escolha, não só a função, como também o exercício dela.Enquanto revoltados sem causa esparramados em escritórios refrigerados desmerecem a quem devem solicitude, outros trabalhadores sob condições injustas exercem suas funções com dedicação e esmero.
    Fiz, tempo atrás um post semelhante a este, sobre as agruras dos trabalhadores de áreas livres ao sol do verão.É caso de saúde pública.Acho que vou reeditá-lo para fazer coro contigo.
    Um abração,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu!
      Pois é, o problema citado no texto perdura e ainda não foi resolvido pela instituição... falta de boa vontade é algo que me desanima. Mas não podemos nos render, jamais...
      Vou adorar ler seu texto, tenho certeza que embasa muito bem suas conclusões. Hoje precisei sair na hora do almoço, estava um calor "de rachar", e mais uma vez me veio a imagem desses trabalhadores na cabeça.
      Mas responsabilidades no serviço todos tem, estando ou não no ar condicionado, cada um tem suas agruras que não podem ser ignoradas devido às condições de trabalho, e o mínimo que acabamos por esperar é educação sempre, é de graça e não engorda! :D
      Um abraço!

      Excluir
  23. Oi Bia, vim ver se já havia publicado. E é sempre um prazer reler seus textos. Tenha uma linda semana. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene, a recíproca é verdadeira, sabe disso! :)
      Um abraço!

      Excluir
  24. Vim desejar uma boa noite e mais uma
    vez elogiar seus posts, e agradecer sua amizade!

    As pessoas não se precisam, elas se completam...
    Não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

    ___________Mário Quintana

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita, que delícia de presente de Quintana passou e deixou aqui pra mim! Acredito muito nisso, quando nos sentimos metade nos enfraquecemos, bom é se sentir inteiro e se sentir à vontade para compartilhar essa completude com o outro, caminhando lado a lado, aprendendo e curtindo juntos... isso sim nos torna felizes, completos e multiplicados.
      Um abraço!

      Excluir
  25. [putz...mal humor é o ó!

    nessas horas desejo de que o vento me leve]


    beij0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, poderíamos ser nessa hora uma espécie de Mary Poppins, hahaha. Adoro sua leveza, Margoh. Um abraço!

      Excluir
  26. Oi Bia,
    boa tarde,
    as pessoas humildes e de sacrifício têm problemas como todos os outros,
    mas eles os deixam de fora no momento de trabalhar,
    por isso sempre têm um sorriso.

    a pessoa que ganha muito dinheiro é mais arrogante e rude
    não todas, "quase todas" eu acho

    Tudo na vida é resultado das escolhas que fazemos
    vc não acha?

    Desejo-lhe uma bela tarde de quarta-feira
    um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ariel!
      Essa habilidade, de dimensionar o problema de acordo com o humor, é uma habilidade que independe de condição financeira e social.
      Só não compreendo porque é mais frequente pessoas humildes parecerem mais felizes e dispostas a ajudar, mas não se pode generalizar, há pessoas legais e insuportáveis em qualquer ramo e condição social, hahaha.
      Escolher estar bem ou não é individual e faz uma diferença enorme.
      Um abraço!

      Excluir
  27. Ótimo seu texto,.Verdade que aquele que trabalha com o que ama é mais feliz,tem uma maturidade de enfrentar e tratar as pessoas e situações.Drummond escreveu uma crônica que dizia " o vendedor de picolé ,levando aquele carinho tão pesado e ainda gritava
    -kibom,kibom!!!" rs
    abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmine!
      Trabalhar com o que ama ou amar o que faz... eu nunca quis ser professora mas já que foi a profissão que praticamente entrou em meu caminho, procuro amá-la e dar o melhor de mim. E com a consciência de que se um dia estiver farta da função é melhor procurar outra coisa.
      Adorei o trecho que citou de Drummond, não conhecia, hahaha! Coube perfeitamente no post.
      Um abraço!

      Excluir
  28. sim! parabéns pelo layout novo está lindo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!! Acho que o layout é um reflexo do nosso estado de espírito no momento, não acha? ;)

      Excluir
  29. Oi Bia,

    Tem gente que é rude por natureza, tem gente que nunca sorri e tem gente que se faz de vítima o tempo todo. O comportamento humano realmente é uma interrogaçao, uns sao tao agradáveis, outros parecem zumbis...

    Adorei o post!

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Citou três categorias distintas e ao mesmo tempo relacionadas ao que me parece ser insatisfação pessoal. O estranho é que em estados de infelicidade às vezes é difícil para o ser humano enxergar que a mudança está em suas mãos e é possível.
      Já tive fases assim e precisava fazer um esforço sobre-humano para não deixar que isso se refletisse no outro.
      É bom estar perto de gente agradável, né?
      Um abraço!

      Excluir
  30. Infelizmente essas pessoas existem em todo canto, Bia... só não consigo entender o motivo delas serem antipáticas e descontarem suas raivas nos outros... Penso que negatividade atrai negatividade, o mesmo ao contrário. A vida é muito curta pra se preocupar com infelicidades, o mais interessante é buscar a felicidade. abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbie!
      Pior que é mesmo, quanto mais pensamos "pra baixo", parece que mais "pra baixo" nossa vida fica. E conviver com pessoas insatisfeitas que só criticam ou acham que nada dará certo também não faz nada bem. Xô, negatividade!
      Um abraço!

      Excluir
  31. Oi, Bia!
    Em algumas profissões, as pessoas se sentem como robozinhos e estar de cara feia até que não é nada, se comparado a falta de competência. Se fazem o que peço direito, não me importo com as "caras", ainda dou um sorriso e despeço-me: "Espero que o seu dia melhore" :D
    A questão do salário é injusta, pois calculam pelo quanto foi gasto nos anos de estudo e responsabilidade do cargo.
    As pessoas mais bem humoradas que conheço, trabalham ao ar livre ou que possuem um ambiente de trabalho legal! Você viu o vídeo dos lixeiros dançando lek lek lek no caminhão de lixo? Fez muito sucesso na internet na semana que passou, só que eles levaram advertência do chefe e não poderão mais dançar em serviço. A felicidade do outro incomoda! :) Quem sabe a cara feia das atendentes seja um escudo? :D
    Beijus,

    ResponderExcluir
  32. Olá Bia
    É verdade, como algumas pessoas são amargas, quando vejo alguém amargurado desta forma eu pergunto: " você não esta bem?" A pessoa fica um pouco desconcertada e diz que não e dá uma monte de desculpas. Enfim quanto mais se precisa mais ficamos felizes, entendeu? Parece que quanto mais a pessoa luta para conseguir seu ganha pão, ela fica feliz com as vitoria e sabe que não pode desanimar porque tem outros que dependem dela. A infelicidade esta por ai batendo de porta em porta, já a felicidade tem que ser conquistada. Nossa espero não ter escrito bobagens...rsrsrs
    Minha cabeça ainda esta nas nuvens, acho que devido a este resfriado que não quer me largar.
    Só para você saber, já faz dois dias que a Luna não cava buracos, acho que aquela técnica de enterrar as fezes dela estão dando certo.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  33. Muito bem elaborado Bia, tudo é questão de escolha e educação. Tem médicos que nem nos olham na cara e um catadora de coleta seletiva as vezes nos oferece um enorme sorriso.
    Gostei do vídeo kkkkkk e do que disseste se não esta feliz vai viver nas cavernas.

    ResponderExcluir
  34. Adorei o seu post! Isso é algo que vemos com frequência, infelizmente. É claro que nem todos os dias estaremos de bom humor, mas a educação tem que estar presente diariamente. Os exemplos que você citou deixam claro que estudo e posição social nem sempre estão ligados à educação, o que é uma pena.
    Beijos

    ResponderExcluir
  35. Bia, seu post é daqueles que eu gosto, pois é da observação das posturas sociais que podemos desenvolver melhorias em nossas relações pessoais. Pena que as pessoas leem pouco, não procuram aprender com textos e comentários como estes aqui postados.
    Bem como disse a Calu, seu texto deveria ser afixado em todas as salas públicas, consultórios, postos de saúde deste nosso país.
    Tem um programa na tv a cabo que é bem interessante e mostra justamente como um chefe pode enxergar melhor o que seus funcionários fazem, quando ele se coloca de maneira disfarçada no meio deles, como um simples funcionário subalterno e vê e ouve coisas do dia a dia entre eles, muitas vezes aquele funcionário que está numa posição mais privilegiada, faz coisas vergonhosas com os outros à sua volta.
    Também não me importo tanto se a pessoa que me atender não tiver uma cara sorridente, mas o que me interessa, de verdade, é a competência e profissionalismo.
    E por falar em pessoas que trabalham em condições castigantes nestes dias de verão tropical, encho-me de compaixão por dezenas de homens que trabalham numa obra gigantesca de um prédio atrás do meu edifcício. Hoje mesmo, sábado, estão lá, com capacetes vermelhos e macacões, erguendo estruturas metálicas quentes, neste calorão de Rio perto dos 40 graus. Pelo almoço, deitam-se debaixo de algumas árvores, no chão mesmo, quente. Dá muita pena mesmo.
    um grande abraço carioca


    ResponderExcluir
  36. Olá amiga, estou me antecipando com o convite para o aniversário do meu blog, dia primeiro de fevereiro. Neste dia estarei lançando o troféu CULTURAl, te espero, será um prazer te ver lá na festinha que estou organizando com carinho.
    Motivo da minha antecipação, desejo convidar visitando, a grande maioria dos seguidores e como é festa do padroeiro da minha cidade, com visitas e dia primeiro início do ano letivo, volto ao trabalho, ficará difícil as visitas, como gostaria.
    Uma abençoada tarde, abraços
    Prof Lourdes Duarte
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...