domingo, 16 de fevereiro de 2014

Aqui: o presente


Você tem alguma tatuagem? Ainda não fiz, mas gosto daquelas bem pequenas e delicadas em lugares estratégicos do corpo: no pulso, nuca, virilha ou tornozelo... Os mais conservadores tem um certo preconceito porque antigamente eram usadas para marcar mulheres "da vida" ou marginais.

Em uma entrevista a cantora Luíza Possi mostrou uma das suas no pulso com o escrito: "aqui". A palavra estava tatuada "para me lembrar que é preciso estar sempre aqui, no agora". Um artifício interessante para recordar o quanto é importante perceber que a vida passa num instante, e que esse instante é o agora.


"... É preciso sair do tempo. Sair de nosso tempo. Aliás, jamais estamos 'aí'; estamos sempre alhures. No passado, nossas lembranças. No futuro, nossos projetos. Estamos sempre antes e depois. E no 'agora', jamais. Por este encontro, é preciso sair de nosso tempo que corre furiosamente. Como sair do tempo, essa torrente furiosa? Muito simplesmente. É preciso estar aí. Estar aí como se já não houvesse futuro - nenhum depois. É preciso estar aí como no fim dos tempos. E é o fim dos tempos. Já que é seu começo. Uma vez mais, tudo é muito simples. E aparentemente impossível.
Como conciliar o inconciliável? Por uma atenção apaixonada."
Frédéric Leboyer

Atenção apaixonada... lindo, né?

Leboyer foi um médico francês que defendeu técnicas de parto mais suaves e trouxe da Índia a massagem para bebês chamada Shantala, nome da mãe que estava aplicando a técnica em seu filho. Esses movimentos suaves auxiliam o desenvolvimento do bebê, diminui cólicas, aumenta a imunidade e tranquiliza a criança. Apliquei a massagem em minha filha diariamente até cerca de um ano de idade e posso afirmar que é um momento relaxante de contato entre mãe e filho. Saiba como fazer aqui. Aliás, quem não gosta de uma boa massagem?

Tatuagens, memórias, o carinho do toque, paixão... marcas impressas que permanecem no tempo, como permanece o constante desafio de encontrar em cada instante o/um presente, motivos para se entregar, mesmo que o hoje esteja embalado em um papel amarrotado e sem graça. Há dias de papel pardo... para esses a lembrança de que as melhores surpresas nem sempre estão nas embalagens mais bonitas.


70 comentários:

  1. Tatuagens são marcas que podem nos fazer lembrar... Respeito quem as tenha ou faça, mas não gosto delas...Acredito que há outras formas de "marcar",rs Mas ,gostei de tuas colocações todas! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!
      Ah, sim, com certeza há outras formas de marcar, inclusive bem mais gostosas... é preciso pensar bastante antes de fazer uma tatuagem. É o que disse, pensar no que aquela marca pode nos fazer lembrar. Sempre achei que demanda uma boa dose de responsabilidade e não concordo que sejam feitas quando a pessoa inda é muito jovem e não tem noção de que aquelas marcas são pra sempre.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Tenho uma pequenina no tornozelo(eu mesma desenhei),
    que significa muito para mim. Toda vez que a vejo, tenho uma sensção boa,
    relaxante, de amor, saudade ............
    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jô!
      Se a lembrança é boa, então a marca valeu a pena. :) Fiquei curiosa sobre o desenho que fez e que lhe desperta boas recordações!
      Um abraço!

      Excluir
  3. Não fiz tatuagem, mas como você fiz massagem Shantala por um ano inteiro em meus filhos. Era mesmo um estar presente, e você colocou em palavras tão bonitas e carregadas de sentimentos - marcas impressas.
    Muitas vezes, estou deitada e levo um susto quando mãos "geladas" por estarem cheias de creme me pegam de surpresa para uma massagem nos pés e pernas. Minha filha, oito anos. Acho que agora é ela quem faz Shantala em mim!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana!
      Que legal saber que fez a massagem em seus filhos! É um momento bom demais, né? Lembro-me que a minha ficava quietinha e sempre soltava uns sorrisinhos. Teria o maior prazer em fazer de novo se tivesse outro bebê.
      E que gostoso receber agora a retribuição da sua filha! O impacto do creme gelado passa rapidinho com o calor das mãozinhas! A Shantala tem esse poder de desenvolver laços de carinho com os filhos.
      Adorei seu depoimento!
      Um abraço!

      Excluir
  4. estou querendo fazer uma, mas morro de medo.

    BeijO :*
    Blog Luanna Ravanelli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vixi, é verdade, Luana! Tenho medo da dor e é preciso escolher um lugar bem confiável devido à importância da higienização! Um abraço!

      Excluir
  5. Por vezes nos refugiamos nas boas lembranças, por outras nos agarramos nos rabos dos cometas desejados como portais de escape dum presente indesejado.Reconfortam, mas não redimem as horas presentes que clamam serem vistas, serem ouvidas, pois caso contrário elas permanecerão como ecos no coração.
    Descobri com as crianças a transformar o feio em bonito e isto faz uma enorme diferença.Se o papel pardo estiver amassado vamos alisá-lo com lápis cera em movimentos amplos; ele vira um presente lindo.

    Ainda iremos conversar bastante frente a frente, Bia.Eu creio nisso.
    Bela semana.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu!
      Suas palavras me tocaram profundamente... ;)
      Acho importante o refúgio das lembranças nas doçuras do passado (como disse esses dias o Felis) e viajar no brilho do rabo do cometa do futuro. Mas não se pode viver somente essas duas realidades efêmeras. É no presente que estamos e nossa entrega nele naturalmente impacta naquilo que desejamos e naquilo que virá. Essa consciência traz importância ao presente mesmo quando ele parece o tal papel amarrotado.
      Com certeza estar com as crianças traz esse colorido para a alma... elas são os próprios giz de cera. E me ensinam muito, sempre.
      Vou gostar demais de conversar frente a frente contigo, Calu. É no Rio de Janeiro que mora? Já tenho duas para visitar, você e Sissym, quando for até aí! Obrigada por tocar meu coração de uma forma tão bonita.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Neste caso, querida Bia, sou eu que te quero conhecer... vou pegar casquinha com a Calu... rs... Deixe uma vaguinha pra mim na fila, hein?
      Tem pessoas que a gente admira sem conhecer e acho isso incrível!!!
      Bjm

      Excluir
    3. Oi, Rosélia!
      Obrigada demais pelo carinho, terei o maior prazer em conhecê-la também!!! Abraço!

      Excluir
  6. Oi Bia!
    Quando comecei a ler o post achei que você tivesse feito uma tatuagem.
    Eu desejo uma faz tempo, mas o medo e a indecisão do que fazer me dominam. Enquanto não for algo realmente significativo acho que não criarei coragem.
    Interessante perceber realmente que raramente estamos no presente. Ou pensamos no que fazer no futuro ou ficamos remoendo o que passou. Pelo menos eu me identifiquei bem com isso e acendeu uma luzinha de orientação aqui dentro.
    Viver mais o agora que é uma dádiva e por isso se chama presente. Acho que é mais ou menos assim a frase que ouvi um dia.

    Uma ótima semana pra ti!!!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Naty!
      Tem razão, precisa ter um significado... já tive a ideia de fazer estrelinhas ou o nome como chamo quem amo com sua letra... ficaria incrível! É o tipo de tatuagem que só se faz com muita certeza no coração. :D
      Tem períodos em que consigo viver o presente quase plenamente, em outros dá vontade de fugir correndo para o bom do passado ou o desejo do futuro.
      Mas essa fuga não nos permite chegar a lugar nenhum, porque o amanhã depende do hoje.
      Atualmente, mesmo em dias que não estou feliz, procuro estar bem. ;)
      Já ouvi uma frase parecida com a que citou e foi o que me fez associar o post a um presente.
      Luzes que se acendem em nossos corações costumam ser valiosas.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Olá, querida Bia
    Eu não tenho tatuagens nem meus filhos mas a filha fez o nome do filho primeiro e vai ter que fazer o do segundo...rs...
    No pescoço debaixo do cabelão... como foi o nomezinho dele, achei o máximo...
    Confesso que tinha ojeriza, não pelo conceito de se ser vulgar mas porque não gosto mesmo...
    Mesmo com a modernidade, não aprecio...
    Agora toques suaves e massagens, terapia das pedras quentes...é comigo mesmo!!!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  8. Voltei, pois me prendi à tatuagem e não comentei o AQUI da moça...
    Tive uma grande dificuldade de viver o presente mas estou melhorando muito... falta-me um montão mas vou me vencendo... com a ajuda divina... e autoconhecimento...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosélia, acho que a tatuagem é uma marca muito pessoal. Quando bem escolhida traz personalidade, mal escolhida traz vulgaridade... tatuar o nome dos filhos é interessante, pelo vínculo implícito. A nuca é um lugar interessante porque não fica totalmente à mostra.
      Essa dificuldade de viver o aqui me parece normal e com essa busca por nos vencermos constantemente conseguimos, ao pouco, nos entregar ao que fazemos e sentimos em cada instante.
      Um abraço!

      Excluir
  9. Oi Bia,
    Hoje o comentário é em dose dupla,haha
    Engraçado que essa tatuagem da Luiza Possi.Eu sou assim,quando não estou sofrendo por antecipação,estou lá no passado,fazendo não sei o quê.É complicado viver o agora e isso não é legal,trás ainda mais coisa pra essa minha cabecinha que já vive mil e uma novelas,daquelas bem longas sabe?kkk
    Bacana essa técnica com os bebês.
    Carinho,olhar,palavra,pequenos gestos fazem toda a diferença.
    Uma boooooa semana,abração =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Su!
      Sei... também me vejo vivendo uma novela de vez em quando. Mas lembre-se que as novelas trazem sempre surpresas felizes no final. ;)
      Já vivi mais dias transitando entre o passado e o futuro, hoje tenho ótimas lembranças, vislumbro um futuro de amor e alegria, mas procuro não perder a serenidade e o foco enquanto a vida passa agora.
      Amo pequenos gestos... sou daquelas que os valoriza demais.
      Um abraço!

      Excluir
  10. OI BIA!
    GOSTEI DESTE ESTAR "AQUI", POIS EU SEMPRE TENHO ESTA SENSAÇÃO DE QUE NA MAIORIA DO TEMPO, DEIXAMOS A VIDA NOS LEVAR PARA ONDE LHE APROUVER E NEM SEQUER NOS DAMOS CONTA, POIS, OU ESTAMOS NO PASSADO OU ARQUITETANDO O FUTURO, NUNCA NO MAIS IMPORTANTE QUE É O MOMENTO "AGORA" E NO ESPAÇO, "AQUI".
    GOSTEI IMENSAMENTE DE TEU POST.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zilani!
      É, a vida tem esse capricho de ir nos levando por caminhos que nem sempre imaginamos. Quando aprendemos a manter o foco no que queremos, podemos não compreender os caminhos, mas o que almejamos, chega. E encarar o presente como um presente ajuda bastante, quer dizer, com o pensamento de que o que estou vivendo hoje está colaborando, de alguma forma, para que o que desejo, se realize.
      Um abraço!

      Excluir
  11. Olá, Bia
    essa massagem, não conhecia,Shantala...que cute cute! Sou um ótimo massagista, ops...
    ...nunca fiz tatuagem, apesar de ser uma bela maneira de representar a individualidade, ou melhor, o desenho escolhido tem muito à ver com o íntimo de cada um... e não é por falta de coragem, é mais porque entendo que tatuar não pode ser visto como um modismo, e sim uma decisão para toda a vida.
    Não sabia dessa tatoo da L.Possi,mas posso te confessar , que se eu era apaixonado pela Demi Lovato ( e olha que não gosto muito das músicas dela,hehehe) fiquei mais ainda, quando "vi", duas tattoos,uma palavra em cada pulso, "Stay Strong" (permaneça forte) quando ela se tratava de problemas emocionais e psicológicos ...tattoos que serviram como fonte de inspiração para ela e para seus fãs.Essa sim, uma "marca" que tem que ser lembrada sempre!
    Na verdade, na maioria das vezes, restam sempre marcas. Algumas superficiais e outras profundas. Respiramos fundo, olhamos aquela marca, reconhecemos, respiramos mais fundo e seguimos a vida, de forma que não nos incomodem mais e que, com o tempo, até somem. É cuidar deles e quanto mais bem cuidados mais rápido ficam bons e menos vão nos incomodar ou até nos limitar no futuro. Por isso, penso eu, devemos viver a vida, o agora, deixando as coisas acontecerem, adaptando ao novo e superando as dificuldades, dias de papel pardo, seguindo, de fato, em frente...ou seja, viva, seja feliz no Presente, pois assim ganhará um presente todos os dias...
    Belo dia, Obrigado pelo carinho,bela semana, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      hahaha, Felis revelando seus "dotes", hahaha...
      Essa visão, de que uma tatuagem é para sempre, muitos não tem. Fico imaginando as pessoas que fazem grandes e marcantes tatuagens em lugares bem visíveis... nossas posturas mudam tanto durante a vida, será que um dia não bate o arrependimento? Por isso que, se vier a fazer algum dia, será uma beeem pequenininha!
      Pesquisando para ver se achava a tatuagem da Luíza vi essa do "Stay Strong" e achei bem interessante... é o uso da fama de um modo positivo.
      Tenho boa memória para fatos e já tive muitas marcas castigando meu íntimo, mas sempre procurei focar nas marcas do bem, aquelas que fui colecionando e que fazem a vida valer a pena de verdade. Penso que sem esse desprendimento do passado, sobretudo do que foi ruim, é imprescindível para construir o futuro que merecemos e desejamos.
      E vivendo o presente com entrega temos a capacidade de embrulhar as dificuldades no papel pardo, enfeitar com um laço de fita e transformá-las em um presente de autoconhecimento sobre o que foi transposto. O mesmo autoconhecimento que nos permite construir o que virá. Na realidade, tudo está interligado, daí a necessidade de entrega constante.
      Um abraço!

      Excluir
  12. Olá, gostei da ideia do "Aqui", pq estou sempre divagando em outros tempos! abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ives, acho o divagar saudável como fonte de inspiração, eu adoro divagar, nas lembranças e nos sonhos ganho vida... só não se pode esquecer o instante que passa. Um abraço!

      Excluir
  13. Não gosto de tatuagens. Elas sempre me lembram os anos sessenta quando a juventude portuguesa partia para a guerra e sempre tatuava num braço um coração com o nome da mãe, da mulher, ou de um filho. Muitos nunca mais voltavam. Mas respeito quem as faz.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elvira!
      Essas histórias acerca da tatuagem embasam porque muitos não a veem com bons olhos. É compreensível, partir com uma tatuagem pressupõe um retorno e quando a pessoa não retornava, deveria ser muito doloroso. Interessante saber disso. Um abraço!

      Excluir
  14. Bom dia querida Bia.. já foi dificil deixar o cabelo comprido.. imagina tatuagem.. mas um dia pretendo fazer uma bem modesta.. acho muito bonito as pequenas .. uma amiga de curso tinha uma flor de lótus no ombro... então imagina a beleza que era.. abração e um excelente dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel!
      O ombro é um local interessante para tatuagens em mulheres, acho charmoso... mas o meu é muito ossudo, kkk, acho que não ficaria bom... a flor de lótus é dotada de vários significados, uma escolha interessante, embora eu prefira adornos bem pequenininhos. Um abraço!

      Excluir
  15. Bia,

    Algumas tatuagens são lindas, obras de artes. Mas gosto nos outros, não em mim. Não gosto nada fixo, posso me cansar, assim como usar as mesmas roupas e mesmo corte de cabelos.

    Quanto a Shantala, usei na minha filha. É uma maravilha. Recomendo.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym!!! Seu comentário não se perdeu, é que eu vou liberando à medida em que tenho tempo para ir respondendo, em geral no dia seguinte à publicação.
      Por essa possibilidade do cansar é que acho perigoso apostar em tatuagens grandes ou em lugares muito visíveis. Ou usar símbolos da moda, em vez de algo significativo.
      Gostei demais de ler aqui quantas mamães já fizeram a Shantala... momentos únicos, né?
      Adorei ter falado contigo, Sissym, e mais uma vez, obrigada por tudo! :DDD
      Um abração!

      Excluir
  16. Nada tenho contra tatuagens ou pessoas tatuadas, Bia.
    Acho mesmo que em outros tempos, eu teria feito uma delicada borboleta no tornozelo...
    Só acho desnecessária uma tatuagem para lembrar que o tempo presente é O PRESENTE...

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jan!
      hahaha, É verdade... não deve fazer sentido para alguém que vive o presente, como imagino que seja seu caso. Talvez a cantora viaje muito entre os tempos e precise de um lembrete para fincar os pés no chão, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  17. Oi Bia,

    Pra ser sincera nao gosto muito de tatuagens, nao tenho nenhuma...

    As marcas que carrego comigo sao invisíveis, mas reais...



    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Essas são as marcas mais relevantes, sem dúvida. Principalmente as boas. Um abraço!

      Excluir
  18. Oi Bia!
    Que saudades de aparecer por aqui!
    Confesso que não sou muito fã das tatuagens, mas respeito como forma de arte.
    Acredito que viver um momento especial intensamente é a melhor maneira de deixá-lo marcado, pois a marca fica eternizada na alma e no coração!
    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria! Também estou com saudades de você e do seu espaço!
      Interessante o que disse... quando estou vivendo algo muito significativo sempre procuro me entregar completamente à ele para que fique bem guardado na memória da cabeça e do coração. Então de vez em quando dou um pulinho nessas lembranças para reviver o que foi bom. ;)
      São, sem dúvidas, nossas melhores marcas, porque dão sentido à essa loucura que é a vida.
      Um abraço!

      Excluir
  19. posso ter muitos defeitos, mas deixar de viver o presente nunca! vc coloca de forma magistral algo bastante esquecido, viver o dia, carpe diem!!!!!!!! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeanne!!!
      "Carpe diem"... simples e contundente.
      Um abraço!

      Excluir
  20. Olá Bia, sempre tão interessante lê-la! Antes de falar nas tatuagens vou falar das massagens com que aliviava as dores que meus filhos bem pequeninos sofriam derivado aquelas cólicas que segundo tenho lido ainda hoje, para algumas delas, a medicina não tem explicação. Não sei o nome das massagens que aplicava, mas era o médico que dizia para fazer e instintivamente fazia do modo que ele me dizia.
    E estes e outros toques me deixaram marcas indeléveis para todo o sempre!
    Já as marcas das tatuagens admiro quem tem a coragem de as colocar, mas sinceramente não aprecio embora respeite!
    Deus me agraciou com tatuagens naturais;)), pois a partir dos seis de idade começaram a aparecer sardas no meu rosto;rsrsrrs! Embora uma questão genética durante algum tempo não gostava nada. Depois me habituei e nem reparo. No verão ficam mais evidenciadas por causa do sol. Será este o motivo de não gostar de ver a pele manchada?
    Beijinhos com os meus votos de uma semana feliz. Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime!
      Minha filha teve poucos problemas com cólicas... dizem que é preciso cuidado com os alimentos que ingerimos pois podem desencadear crises, e sempre fui bem cuidadosa... mas lembro-me que uma vez comi uva itália, que diziam que não fazia bem pro nenê, e foi dito e feito... dor e mais dor. Tadinha!
      Pra cólicas o do-in recomenda massagem em forma de uma espiral quadrada na altura do abdômen, começando do umbigo e ampliando para toda a barriga... outro passo que funciona é encolher e esticar delicadamente as pernas do bebê algumas vezes. Mas penso que nada funciona melhor do que o instinto e o carinho.
      E depois de todo o cuidado, preocupação e dedicação, ficam essas marcas da maternidade que valem a pena!
      Eu tenho algumas sardas e tendência a manchas, vivo a quilos de filtro solar! O interessante é que observando as respostas poucos gostam de tatuagem... achei que haviam mais pessoas que as tinham, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  21. Linda sua msg,Bia! Lembrar que o momento presente é que é a vida. Passado e futuro, na verdade,não existem. Adorei tb ver a Shantala por aqui. Fiz muito na minha filha quando bebê! Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anne! Passado temos na memória, futuro temos no pensamento... penso que um grande desafio é fazer do presente um reflexo do passado e uma ponte para o futuro, e para isso, é preciso pensar, o tempo todo, no que fazemos agora. Mas sem opressão, que a opressão só traz angústia e não ajuda.
      Delícia fazer Shantala, né? Lembro-me que ganhei o folheto com o passo a passo junto com uma linha de produtos para bebê.
      Um abraço!

      Excluir
  22. Não tenho e não pretendo ter tatuagem, Bia, mas não vejo nada demais em quem tem. Só não entendo isso de tatuar nome de namorada e namorado pq sempre dá errado. E que legal essa técnica de massagem! Nunca tinha ouvido falar. bjssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio!
      É verdade, tatuar o nome da paixão pode ser complicado... é preciso um bom tempo para avaliar se aquele relacionamento merece ficar literalmente marcado na pele ou não. Tem o recurso de usar o nome e em cima dele criar um outro desenho, mas nunca fica perfeito, né?
      Um abraço!

      Excluir
  23. Bia, em qual buraco negro foi parar o meu comentario aqui?! vixe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sissym , encontrou ele aliiiii em cima? É porque eu libero e comento conforme o tempo deixa, hahaha. Abração!

      Excluir
  24. É verdade, tatuagem não era para pessoas de respeito, mas atualmente, esse pré-conceito acabou. :) Abraçoos e lindo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbie!
      Ainda bem, né? Que mais preconceitos sejam quebrados! Embora ainda haja alguns lugares onde tatuagens são mal vistas, na contratação para um emprego, por exemplo, dependendo do cargo. Um abraço!

      Excluir
  25. Bom dia, Bia. Realmente a nossa vida é no tempo presente, agora, ação acontecendo!
    Contudo, não podemos negar a existência de pessoas que vivem no passado, arraigadas ao que foram ou às lembranças boas, e outras que tem um medo incrível do futuro por não visualizarem no presente condições boas para um futuro feliz e saudável.
    Se formos analisar bem, essa questão é muito complexa e delicada, uma vez que varia de pessoa para pessoa e nem todas conseguem tomar uma postura imediatista.
    Mesmo os psicólogos afirmando que não existe futuro, o medo do fracasso pode ocorrer sim.
    Confesso que quando vejo tudo "amarrotado" no presente, tenho um medo incrível do que possa acontecer no futuro, como se ele fosse o meu algoz, infelizmente tenho essa facilidade se eu não me propuser a mudar.
    Assim como eu, creio que existam pessoas assim.
    Estou procurando vigiar os meus pensamentos e não alimentá-los negativamente, saber que tenho de construir a minha vida degrau por degrau, ainda que eu não veja nada acontecendo.
    Talvez por eu ser uma pessoa muito sensível, o medo se agigante, mas isso irá mudar, se Deus e eu quisermos.
    Quanto às técnicas de parto, as conheço, são bem interessantes, mas nem todas as mães optam pelas mesmas.
    Como sempre, uma bela postagem sua.
    Desculpe se me excedi falando de mim.
    Tenha um lindo dia de paz!
    Beijos na alma!

    ResponderExcluir


  26. Estou a convite da escritora Rosa Mattos, promovendo o sorteio do romance sobrenatural dela chamado "PAREDES VIVAS", no meu blog "CARINHOS EM SELOS".

    http://carinhosemselosdosamigos.blogspot.com.br/

    Gostaria que lesse a postagem e participasse. É a coisa mais fácil que tem.
    Boa sorte a você e a todos que lerem e participarem deixando o seu comentário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia, obrigada pelo convite do sorteio. Cheguei a espiar, mas as coisas andavam tumultuadas por aqui... penso que essa semana será mais tranquila, então terei a chance de ver com calma como participar. Acho que a Rosa escreve muito bem.
      Penso que esse temor do futuro é normal, principalmente como vivemos em uma sociedade coma cultura da cobrança do acerto. E esse medo parece ainda maior quando o presente parece turvo, conturbado.
      A sensibilidade é uma qualidade linda mas tem esse avesso, das coisas nos atingirem com mais força. Ter conhecimento disso tudo é um caminho seguro para construir o presente de degrau em degrau, como colocou tão bem, mesmo quando não estamos conseguindo vislumbrar o futuro.
      Ler seu comentário me fez lembrar um trecho muito legal que li há dois dias no livro O alquimista:
      "Como consigo adivinhar o futuro? Pelos sinais do presente. No presente é que está o segredo, se você prestar atenção no presente poderá melhorá-lo. E se você melhorar o presente, o que acontecerá depois também será melhor".
      O que faz todo o sentido, porque vivemos o tempo todo plantando e colhendo, ao mesmo tempo. O que queremos para o amanhã começamos a realizar hoje.
      Fique à vontade para falar de você quando quiser, é sempre bem vinda.
      Um abraço"

      Excluir
    2. Boa noite, Bia. É a primeira vez que respondo a um comentário.
      Você me deixou tão emocionada com a sua amabilidade, que eu somente posso te agradecer o carinho e a liberdade que você me dá em seu espaço.
      Sou tão natural, que comento dentro do contexto do que você posta, mas misturo um pouco de mim vez em quando, porque é natural demais.
      Ler você é muito bom, estreitar laços contigo é o que eu quero, se quiser também, é claro.
      Muito obrigada por tudo.
      Seu carinho me deixa feliz!
      Tenha um excelente fim de semana de paz!
      Beijos na alma!

      Excluir
  27. Também não tenho nenhuma tatuagem. Há pouco tempo que descobri a passagem da Bíblia que diz que não se deve fazer marcas no corpo... Mas não vou negar que há algumas bem bonitas.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gilberto!
      Eu tenho marcas naturais, muitas pintas pelo corpo... não conheço essa passagem da Bíblia. Fiquei imaginando qual texto embasa essa passagem.
      Um abraço!

      Excluir
  28. Vi uma reportagem sobre a massagem até comentei com minha cunhada para fazer no meu sobrinho(a) que nascera em agosto.
    Qto a tatuagens tem algumas que acho bonitas não fiz mais nova por achar que minha família iria me matar rsrsr depois minha irmã Gabriela fez 2 kkkk ela quebrou tabu.
    Hoje não faria mais....mas nada contra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia!
      Puxa, como está a Gabriela? Minha família também não é chegada a tatuagens, principalmente o lado materno, mas eu também não tenho interesse em fazer nada ousado ou visível demais, kkkkk.
      Toda família tem alguém para quebrar tabus, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  29. Bom, como o texto começou com a questão da tatuagem, vou aproveitar e falar um pouco da minha opinião sobre, rs. Acho tatuagem bem legal, mas não teria coragem de fazer uma marca pra vida inteira. Acredito que me arrependeria depois. O que quero dizer é que hoje essa questão de tatuagem está muito banalizada e virou "modinha". As pessoas vão marcando seu corpo todo, só por vaidade ou sem motivo/sentido algum.
    Sobre o presente, é um grande desafio do homem. Precisamos parar de relembrar e projetar e apenas viver o momento, porque ele é único.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, as tatuagens estão sendo banalizadas, como tantas outras escolhas que vemos por aí. Marcar o corpo para sempre demanda uma boa dose de responsabilidade e bom senso.
      Ler a palavra "projetar" me fez pensar que há uma diferença entre projetar e projetos. Os projetos nos permitem tomar atitudes no presente projetando o que desejamos realizar com os projetos. Mas quando nos restringimos somente em projetar expectativas deixamos de viver o presente e de tornar possível sua realização.
      Um abraço!

      Excluir
  30. Acho bonito tatuagens. Mas, como tudo na vida, há de se ter bom gosto. Eu nunca fiz porque imagino que o processo deva doer pra caramba e uma coisa escolhida pra doer definitivamente não é comigo.
    Beijo,massageadora de bebês e afetos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene!
      Vixi, sabe que somos duas, também não gosto nada, nada de sentir dor... esse é o lado ruim da tatoo.
      Muito doce sua despedida... "massageadora de bebês e afetos". Os faço com prazer.
      Um abraço!

      Excluir
  31. [Não fiz tatuagem, mas como você fiz massagem Shantala nas crias.
    saudades boas senti agora]

    beij0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Margoh, tem razão... saudades boas de sentir o cheirinho e a pele do bebê nas palmas das mãos. :D
      Um abraço!

      Excluir
  32. Olá, Bia.

    Escrevi um poema que diz:

    Ontem é o hoje que expirou,
    amanhã é o hoje que aspiramos,
    hoje, a realidade.
    Num hoje se nasce, num hoje se morre,
    num hoje a lucidez ou porre.
    Num hoje...

    http://www.aponarte.com.br/2014/02/hoje-sempre-hoje.html

    Um abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo seu poema, Apon. Como eu disse em seu espaço, tudo acaba se fazendo no hoje. Até os planos para o amanhã. Um abraço!

      Excluir
  33. Bia, tenho 7 tatuagens ! Pequena s e grandes, escondidas e expostas....Cada uma com sua história e motivos fortes. Nunca as vi como estigmas ,pelo contrário , acho uma forma de expressão corajosa ,marcante, existem lá os exageros e insanidades,como todo modo de vida.
    adoro. beijo grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yasmine, penso que essa questão da tatuagem tem muito a ver com a personalidade de cada um. Quem tem ideias bem marcadas, como você, tem responsabilidades para fazê-las sem risco de futuros arrependimentos. O perigo é aqueles que as fazem somente por modismo ou para se sentir pertencente a um grupo.
      Fiquei curiosa para conhecer as suas! :)
      Um abraço!

      Excluir
  34. Bia, nunca me senti atraída por tatuagens. Não vejo nelas forma de lembrança, alerta, embelezamento físico, embora muitos lhes atribuam essas qualidades. A vida gira depressa, nossos interesses se alteram, nosso gostar passa por enormes transformações. Ainda creio que do passado guardamos aquilo que nos fez bem, pois fica tatuado na alma. E mesmo as marcas doloridas assim se colocam, inobstante não mereçam ser recordadas, salvo para evitar novas quedas.
    Há algum tempo li uma reportagem sobre as massagens que mencionou. Esse contato leva tanto carinho que seus resultados só poderiam ser benéficos. Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene, bom vê-la de volta!
      Procuro conservar sempre à tona as boas lembranças para servirem como combustível impulsionador... das más procuro me esquivar, embora sejam inevitáveis e importantes nesse sentido, de tentar acertar. Só não podem funcionar como travas, porque como bem lembrou, tudo se transforma e passar de novo por uma mesma situação não é garantia de que os resultados serão os mesmos. É preciso conservar a esperança e a positividade.
      Massagem é tuuuudo de bom, todas, inclusive as feitas na alma!
      Um abraço!

      Excluir
  35. Olá Bia,

    Nunca desejei ou sequer pensei em fazer uma tatuagem, pois tenho certa 'aflição' de uma marca física 'para sempre'. Sei que já existem técnicas para apagá-las, mas a marca local acredito que permaneça. Acho bonitinho tatuagens pequeninas em regiões discretas do corpo, somente não concordo com aqueles horríveis, que praticamente tomam grande parte do corpo de uma pessoa ou com nomes de 'amores', que podem ser trocados pelo tempo.
    Já vi um vídeo de uma massagem shantala e fiquei simplesmente encantada com o relaxamento do bebê, que estava totalmente entregue. Como gosto demais de massagem e sinto o bem que me proporciona, posso imaginar os benefícios que trazem para o bebê.

    Gostei das palavras de Frédéric Leboyer . Se observarmos atentamente, vamos constatar que quase sempre nos encontramos no antes e no depois. Distraímos do que é mais importante e que efetivamente possuímos, que é o momento presente, que merece entrega total.

    Beleza de texto, Bia.
    Já lhe mandei meu endereço por e-mail. Espero que tenha recebido.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...