quarta-feira, 23 de julho de 2014

Mapas

Quando jovem gostava quando a professora mandava reproduzir mapas. Eu e meu irmão garimpamos algumas técnicas para facilitar: copiá-los em papel de seda, decalcar o contorno passando lápis no avesso e depois, imprimindo na folha sulfite, fazendo o contorno com caneta sem carga sobre a folha e depois, reforçando com lápis...

imagem daqui

Apesar disso não sou expert em Geografia, penso que gostava mais do cunho artístico da coisa, das cores, formas, os de antigamente, então, são verdadeiras obras de arte... desde o ano passado ministro aulas da matéria para 3º, 4º e 5º ano e eles sempre se surpreendem quando estendo o mapa. É inevitável a pergunta: "como o Brasil cabe nesse pedacinho de papel?". E as conclusões, então? "Para que serve um mapa?", pergunta X. "Para encontrar um tesouro, oras!" - Responde Y. Simples assim!

Ouvir esse diálogo me fez chegar a uma conclusão: mapas servem para encontrar algo que pode ser um lugar, tesouro, pessoa... pode ser também uma representação desenhada e simbológica de algo que em palavras fica muito complicado explicar. Simplifica, mas há um detalhe: é preciso saber ler o mapa do jeito certo, porque se o acompanhar pelo lado errado, haja paciência e gasolina para o caminho de volta, kkk.

Dizem que mulheres tem mais dificuldades em ler mapas por prestarem atenção a muitos detalhes ao mesmo tempo... os homens tendem a gravar pontos de referência o que torna sua leitura mais eficiente. Não importa. O importante é saber ler cores e trilhas que levam a um único objetivo: clarear caminhos. Nisso acho imbatível o Mapa do Maroto do filme Harry Pother, que além de mostrar passagens secretas, mostra quem está caminhando pelo castelo e se apaga quando alguém intrometido vem bisbilhotar... Não é genial?

Há pessoa que desenha um mapa na gente que não há outra pessoa capaz de decifrar. <3

Eu estava lembrando da minha avó, a mulher mais forte e corajosa que já conheci. É interessante pensar como na vida vamos somando pedacinhos de influências que se juntam aqui e ali, de personalidades e vivências diferentes... acho bonita a construção do ser humano. Vamos nos formando... e viramos um mapa de nós mesmos formados por terras alheias. Desbravadores, sempre.

59 comentários:

  1. E que a gente nunca perca esse encanto, esse espanto das crianças para sermos desbravadores de nós mesmos, afinal nós viramos sim um mapa! Amei esse final do teu texto!

    Estou lendo um livro, "A Bibliotecária de Auschwitz" , uma biblioteca clandestina no pavilhão 31, onde um dos livros é um Atlas com mapas desatualizados, mas que exercem fascínio, que fazem aquelas crianças saírem daquele inferno para viagens longas...
    Gostei de relembrar as técnicas que copiar os mapas! Até hoje não me entendo muito bem com eles, confesso!
    Beijo Bia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ana, que bom ter gostado! Achamos que nos conhecemos o suficiente, achamos que conhecemos o outro, mas no fundo sempre estamos nos redescobrindo. Talvez se não fosse assim, não haveria graça.
      Interessante a leitura que indicou, mas a história é mais para triste ou feliz? Gosto de histórias felizes, hahaha. Vou espiar.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Oi Bia,
    Não li direito, seu blog está com malware.
    Volto quando ele sumir. some sozinho, pois já tive
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!
      Pois é, às vezes aparece para mim também. Exclui vários gadgets para ver se o problema se resolve, vamos ver.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Bia,

    Eu adorava Geografia, ver mapas, copiar mapas.... o meu pai era o responsavel por isso!
    Hoje, percebo que minha filha nem está aí, alias, nem ela nem quase ninguem da idade dela.

    Quanto ao Mapa do Maroto do filme Harry Pother, hahahaha.... eu ia adorarrrrrrrrrrrrrr

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym!
      Tanto eu como meu irmão fazíamos cada um os seus, sempre gostamos. Na faixa de idade com que trabalho eles gostam de copiar, especialmente com papeis de seda. Mas o mais importante é que entendam o mapa.
      Há vários artefatos do Harry Pother que eu acharia o máximo ter!
      Um abraço!

      Excluir
  4. Olá,Boa noite,Bia
    ...que trabalhão que dava, "copiá-los em papel de seda, decalcar o contorno passando lápis no avesso e depois, imprimindo na folha sulfite, fazendo o contorno com caneta sem carga sobre a folha e depois, reforçando com lápis..."..até que gosto de Geografia...
    gostei da simplicidade do diálogo entre x e y ...hehehe
    sim, "mapas servem para encontrar algo que pode ser um lugar, tesouro, pessoa..."e nisso, eu creio, que cada "um" está exatamente onde deve estar.
    sim,genial ,mas ,confesso ,desconhecia o Mapa do Maroto do filme Harry Pother, ...
    sim, e viramos um mapa de nós mesmos formados por terras alheias. Desbravadores, sempre.De toda maneira é um alerta para que aprendamos a confiar em nós mesmos e seguir o caminho que nosso coração mandar, este é o único ‘mapa’ confiável e que tem fundamento...
    ah sim, de nada, ainda bem que gostou do agradecimento,Obrigado
    Pelo carinho,bela semana,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Felis!
      Na verdade as técnicas não eram usadas em conjunto, mas cada uma separadamente. Com certeza, o mapa só localiza aquilo que está no lugar onde deve estar. É uma colocação interessante.
      Bem, eu costumo seguir o que meu coração manda, já confiar em mim mesma é outra história, hahaha. Emprego um grande empenho nesse sentido, mas às vezes a insegurança consegue ser maior que minha boa vontade. Mas aos poucos vou traçando o mapa da autoconfiança também.
      Um abraço!

      Excluir
  5. Ei, Bia, que post mais bonito!
    Você me fez lembrar que eu era assim também, gostava de fazer os mapas, colori-los e enfeitar os trabalhos, mas não era lá grandes coisas em geografia, aliás, não sou até hoje! hehe
    Meu marido faz gozação com a minha cara porque eu não sou capaz de ler um mapa direito, sou péssima co-piloto pra isso e vivo trocando nomes de capitais ou a situação geográfica de algum país. kkkkk Eu mesma rio de mim, fico parecendo aqueles gringos que pensam que a capital do Brasil é Buenos Aires, pois não consigo atinar direito certas capitais por este mundão afora.
    Bem, mas tenho vivido assim por estes 60 anos, portanto, não me fez grandes faltas na vida saber ou não a capital da Bósnia, por exemplo.
    Adorei este final que deu ao post, ficou bonito e mais encorpado, um tanto quanto poético!
    um grande abraço carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beth!
      Li que a feitura do mapa é importante, mas é preciso o trabalho sobre os conceitos de limites, localização, linhas, meridianos... só entendendo o conjunto é possível entender a Geografia.
      Consigo ler bem mapas, mas estou contigo na confusão que faço com nomes de capitais, países e a localização em continentes. Gostei muito do seu ponto de vista, kkk, não faz muita diferença quando não precisamos de uma informação para viajar.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Muito bom dia Bia.. primeiramente uma bela abordagem pq tb passei por isso na escola.. rsrs
    quando enela eu estava visto que a padaria e as empadinhas se faziam sempre presentes rsrs
    sobre o mapa do filme do harry potter.. achei um barato quando vi no filme.. e não se dúvide de que coisas assim existam nos mundos sutis.. se alguém pensou, criou e se criou já existe..
    mas o mapa nosso o que vamos traçando com pensamentos, emoções este não pode falhar e tem de nos levar somente a um lugar.. ao nosso interior, tudo que precisamos já esta em nós.. mas muitos focam para longe.. para outros estados, países.. estou lendo algo maravilhoso da louise hay.. não só li como vi o video no youtube.. energia do pensamento..
    se desejar os livros me peça no email..
    abraços e até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel!
      Interessante... essa teoria do "se alguém pensou, criou e se criou já existe" tem muito a ver com o livro do Segredo. É bem abstrata e portanto, difícil de acreditar concretamente, mas não há de se duvidar que proceda. Quanto mais acreditamos no que é ruim, pior fica, quanto mais sólido é nosso pensamento positivo, melhor fica. Mas parece que demora muito mais para ficar bom do que ruim, kkkk!
      Lendo seu pensamento imaginei que o livro e filme que citou foi "Você pode curar sua vida", acertei? Assisti a série e tenho o livro em PDF, li por indicação do acupunturista. É mesmo muito bom, mas exige grande dose de autocontrole para reprogramar pensamentos que nos fragilizam e podem até causar doenças.
      Inclusive é "batata", sempre que estou doente procuro o sintoma na tabelinha do livro, e sempre dá certo com o momento que estou passando, assim como focar na afirmação que acompanha o sintoma ajuda bastante.
      O interessante é que quanto mais conturbada é a fase, mais as afirmações ajudam, por outro lado como é difícil controlar sentimentos e pensamentos ruins quando estamos fragilizados! Talvez por isso muitos acreditem que não funciona, é preciso muito autodisciplina para as afirmações funcionarem.
      Se tiver outros livros dela gostarei de receber por e-mail, obrigada.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Boa tarde Bia.. grato pela visita e palavras.. pois é minha amiga.. e como é dificil nos reprogramarmos.. eu vi e li o segredo e outros livros mais..
      existe muita verdade.. mas alguns conseguem, outros não né.. e muito disso esta em nós.. crenças e mais crenças.. sempre quebramos o pensamento pq queremos quando a gente quer e não damos tempo do universo mover as forças para nós..
      falei do pensou criou pq ouvi isso em videos que vi e é bem assim.. assim como diz a Louise Hay.. o maior poder que temos esta na nossa palavra.. no que lançamos boca afora.. temos que cuidar e muito o que pensamos e não é fácil né.. eu seguido me pego metendo bronca em mim mesmo as vezes.. sempre me critiquei muito.. e isso é um erro e tanto.. tenho de me amar mais e vou aprender a fazer isso custe o que custar.. se eu der este passo a mais os demais vão se dar tb..
      tb olho a tabelinha do livro dela rsrs
      eu encontrei mais dois livros dela em pdf além do cure seu corpo..
      e quando vi o video futriquei e baixei os 26 audios que achei.. é muito bom..
      mas não tenho teu email.. vou ver se vejo aqui em teu blog e te mandarei logo mais..
      abraços e até sempre querida amiga

      Excluir
    3. Oi, Samuel!
      Essa reprogramação é beeem trabalhosa, sobretudo quando estamos fragilizados, mas vale a pena. A fé é algo que não tem tempo definido.
      Eu também me critico muito, Samuel, e hoje tenho consciência de que isso só atrapalha. E como você, estou em busca do autocontrole sobre o sentimento para deixar que o amor sempre prevaleça, inclusive em relação à mim mesma. Autocríticas excessivas nos causam uma sensação de impotência que parece estagnar os caminhos.
      Obrigada pelos arquivos que garimpou, deixarei o e-mail do blog lá no seu espaço, certo?
      Desde já, agradeço!
      Um abraço, tudo de bom!

      Excluir
  7. Boa tarde Bia, excelente este seu "post"!
    Admiro a forma como as crianças encontram soluções com a maior rapidez para resolver problemas!
    E como deve ser bem gratificante trabalhar com elas!
    Pois os mapas se mal interpretados nos podem levar a caminhos opostos aos que desejaríamos!!
    É só uma questão de nos centramos mesmo no ponto fulcral!
    E esse mapa, esse grandioso legado deixado pelos avós, neste caso pela sua saudosa avó, jamais se apagarão, porque ficam registados no coração para sempre!
    Um beijinho e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime!
      É cansativo, porém enriquecedor e gratificante trabalhar com crianças, principalmente quando nos dispomos a prestar atenção no que dizem.
      Não só mapas, como palavras e atitudes podem nos levar a caminhos opostos de não forem compreendidos como devem. Gosto de ser questionada ou questionar quando algo não está claro pra mim, justamente para não correr o risco de ter ações baseadas em interpretações de um momento, principalmente se a fase em que estou me deixa fragilizada e insegura.
      Desses mapas, de quem passa pela vida da gente e deixa uma parte boa de si, não quero me perder nunca! Um abraço!

      Excluir
  8. Que lindo,Bia!Me fez voltar às lides com os mapas, papel carbono,etc...Te ler é sempre bom! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,Chica!!! Genial, papel carbono, havia me esquecido dele! Mas era um pouco caro na época,nem sempre tinha... lembrei de outra técnica que meu irmão usava, quadriculava o mapa, o papel e transferia pedacinho para pedacinho, técnica muito útil para ampliações... mas não era a minha preferida, hahaha.
      Um abraço!

      Excluir
  9. Esse mapa do Harry Potter é mesmo um sonho! Muito legal o seu texto e tanto a desbravar nesses mapas da vida! bjs,

    ResponderExcluir
  10. Bia, aprendi geografia observando o globo terrestre, que achava fascinante para localizar os lugares. Esses trabalhos com mapas não realizei. Mapas são, de fato, os traçados que nos permitem perseguir caminhos com mais segurança. Isso, tratando-se do palpável. Na vida, só conseguimos desenhá-los para o que já passou, pois o que está à frente fica escondido através de uma grande interrogação. Somos mapeados pelas emoções sentidas e nossas cicatrizes passam a fazer parte das trilhas percorridas. Obrigada pelo carinho. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene! As crianças ainda se encantam com o globo terrestre! Penso que a Geografia seria mais eficiente se cada um tivesse em sua mesa um globo em tamanho reduzido.
      O legal de ensinar Geografia é que cada vez que chego com um desses artefatos (mapa, globo) as crianças olham como se fosse um mágico mostrando a cartola, hahaha. Pena que nem todos podem manusear por ter muitas crianças em sala.
      Essa interrogação do futuro às vezes causa uma angustiazinha lá no fundo, pior ainda se pensar em fatos passados. Melhor é alimentar sempre nosso mapa com fé e amor.
      Um abraço!

      Excluir
  11. BIA,

    e neste mapa de seres humanos que nos tornamos as mulheres teriam mais dificuldades em ler os mapas porque em geral, elas procuram neles as subjetividades do coração dos outros sob a forma de sentimentos e os homens,fixam-se no todo material, explicito, visível...

    Um texto absolutamente singelo,BIA.

    Quer que eu minta?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulo, em geral é mesmo assim, a mulher busca a subjetividade. Penso que mudei bastante nesse sentido, passei a achar perigoso esse exercício de buscar a subjetividade, pois ela depende muito da vivência e interpretação de cada um, com grande risco de se tornar equivocada e base para atitudes injustas. Assim como hoje em dia praticamente não uso a subjetividade quando escrevo ou converso com alguém, procuro ser direta, para evitar equívocos. Um abraço!

      Excluir
  12. "Quando jovem"!? Desculpe, Bia, mas quando foi que você perdeu sua jovialidade? Pessoas guerreiras, são sempre jovens e admiráveis.

    Observações a parte, também gosto de ver a evolução do ser humano. Sem dúvida alguma, carregamos traços de nossos ancestrais, o DNA é imutável. O grande dilema, ao meu ver, é essa frenética correria que o mundo moderno nos impõem, parece que sempre nos falta tempo para ficarmos e transferirmos valores fundamentais às pessoas que amamos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nestor! Procuro conservar minha jovialidade e pretendo que seja assim por muito tempo... pessoas guerreiras? Acho que ando precisando do "repouso do guerreiro", kkkk.
      O tempo é mesmo algo opressor... passamos tempo demais trabalhando, nos preocupando, quando é preciso estar atento para prestar atenção a quem amamos para poder ajudar na busca dos bons sentimentos.
      Um abraço!

      Excluir
  13. Oi Bia,

    Sempre gostei de geografia, os mapas de certa forma me deram asas, sempre me imaginei sobrevoando meus países preferidos....... e a imaginaçao virou realidade, estive neles!

    Vivo sobrevoando o mundo...rs



    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      A imaginação é mesmo poderosa, é mágico quando sonhos se transformam em realidade. Tão bom viajar, né? :)
      Um abraço!

      Excluir
  14. Bia querida,

    Nunca gostei de geografia. Aliás, minhas menores notas no colégio foram em tal disciplina. Também não era atraida pelos mapas, que me deixavam confusa. Acho bacana ver como as crianças de hoje mostram sua curiosidade diante de um mapa.
    Mapas são como bússolas, que nos guiam a caminhos já existentes e pré estabelecidos. Bom mesmo seria criar novos traçados no mapa da nossa vida à busca de caminhos e tesouros inexplorados.
    Gostei muito do seu texto, que traz uma pitada filosófica.

    Grata pelo carinho.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera!
      Hoje, trabalhando com Geografia, consigo compreender certas lógicas como etnias e climas de acordo com a localização geográfico, mas sou um fiasco para decorar, e os nomes dos lugares dependem disso, aí já viu, kkk. Até tirava notas altas mas esquecia a matéria logo em seguida.
      E a vida, caprichosa como ela só, me pôs professora da matéria, kkk... sempre brinco que agora preciso virar professora de história para compreender melhor, visto que é outra matéria onde me sinto falha.
      Sobre caminhos, mesmo os conhecidos nunca são iguais, visto que tudo muda, o tempo todo. O importante é não estacar num acampamento, mas continuar seguindo pelo caminho.
      Um abraço!

      Excluir
  15. Oi Bia que bela analogia, agente é mesmo um mapa, as vezes mal traçados, com linha e caminhos quase apagados, as vezes nem mesmo nós sabemos os caminhos, as vezes estamos perdidos dentro de nós mesmos, por isso é bom estudar, nos conhecer, pois se é dificil para nós imagina quem quer nos decobrir rsrsrs coitado do meu marido rsrs brincadeira ele é um homem de sorte kkkk,

    bjs

    Gélia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gélia!
      Ser humano é bem complexo porque a instabilidade faz parte da vida, momentos bons, outros nem tanto, vão sempre nos reconstruindo, reformando...
      E nesse mapa só não podemos nos perder dos sonhos e das pessoas que amamos, são os que nos garantem morar dentro de nós mesmos.
      Um abraço!

      Excluir
  16. Olá Srta! lembro-me de quando brincávamos de procurar a capital dos países rsrs olha, quando as pessoas tem influencias divinas(avó), os seres criam asas! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives! Minha avó era pessoa com pouco estudo e muita sabedoria, já meu avô paterno dominava muito sobre Geografia, assim como meu pai. Mas ler sobre procurar capitais me faz lembrar de uma brincadeira que joguei muito na infância, "stop", onde precisávamos colocar nomes de países com a inicial apontada, era um desafio! Um abraço!

      Excluir
  17. Oi Bia,
    Agora que li o post me veio o seguinte pensamento:essa vida é mesmo um grande mapa.
    Às vezes seguimos por caminhos já trilhados por outros,outras somos nós quem o fazemos e vez ou outra a gente se perde e tem de recomeçar de onde está.
    Abraço =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Su! Um resumo perfeito!!! Bom mesmo é quando a gente acha o caminho certo e não se perde mais dele! :) Um abraço!

      Excluir
  18. Olá! Boa tarde!
    Bia quando estudava, era na base do decalque, hoje ensino aos meus alunos do normal médio a usar a malha geométrica.
    Amiga, desejo que no seu caminho
    os Anjos estejam sempre ao seu redor
    Que tudo de bom possa lhe acontecer,
    que você lute e vença sempre e seja
    feliz .
    Um abençoado Domingo e um início de semana de muita paz.
    Abraços, Lourdes Duarte.
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com/
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lourdes! A malha geométrica é aquela onde cada pedacinho é transferido manualmente? Eu gostava muito do método do decalque, era o meu preferido!
      Que tudo de bom aconteça em sua vida, sempre! Agradeço o carinho, um abraço!

      Excluir
  19. Um texto muito interessante Bia. Espero ser um mapa tão interessante para a minha neta quanto a minha avó o foi para mim.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elvira! Tive sorte de conviver com pessoas especiais na infância e juventude, tive e tenho uma família abençoada! Tenho certeza que deixará belo territórios cultivados em sua neta! Um abraço!

      Excluir
  20. Eu tbm desenhava mapas assim. E coloria tudo. Adorava! E tbm não gostava nem um pouco de Geografia...
    Tenho uma amiga virtual que a profissão dela é fazer mapas. Achei bárbaro isso, pois não sabia que existia essa profissão. Ela vai no local, marca tudo, e depois desenha no papel. Achei fantástico! Como alguém pode se interessar numa profissão dessa? Nunca pensei no assunto.
    Um assunto muito interessante e que nunca havia lido sobre... amei!!
    Beijos, uma ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clara! Também gostava de colori-los! Lembro-me que o sonho de consumo da época era a caixa de lápis de cor com 36 cores! Depois de algum tempo e bom comportamento, hahaha, eu e meu irmão ganhamos uma caixa com 24 horas, que acredite, durou três anos! Cuidava como e fosse uma joia, hahaha.
      Ela deve ser cartógrafa, já li sobre a profissão e também achei massa! Mas veja só, Clara, nunca é tarde! Se achou a profissão interessante, que tal se especializar??? :)
      Um abraço!

      Excluir
  21. As crianças tem muito para nos ensinar, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre, Lisette, a sabedoria do simples. Um abraço!

      Excluir
  22. Nunca fui boa em Geografia, preferia as Exatas... mas confesso que sempre gostei de mapas.
    Até aquele antigo Guia de Ruas eu passava horas olhando, procurando caminhos... hahaha!
    Agora os mapas dos seres humanos eu ainda não consigo decifrar, e acho que nunca ninguém conseguirá.
    Bjns e uma ótima semana.
    ):

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cici!
      Ah, eu também sempre fui melhor em exatas, e também ficava observando o Guia das Ruas, kkkk, lembro-me que vinha em anexo na lista telefônica, kkkk.
      Talvez o fascínio do ser humano esteja justamente no fato de que são mapas sempre prontos a serem decifrados, porém nunca conseguidos por completo.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Bem que a vida poderia vir com um mapa, às vezes me sinto tão perdida, sem saber para onde ir. Mapas e signos exercem um fascínio em nossas vidas.
    Bjos!
    http://amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Val!
      Todos temos fases em que nos sentimos perdidos, o importante é nunca perder a fé, só ela permite que o farol nos direcione para um caminho sem neblina. Acho que esse é nosso eterno desafio, como diria Dumbledore do filme Harry Potther, "lembrar de acender a luz nas horas mais sombrias". ;)
      Um abraço!

      Excluir
  24. Bia,
    vc me conduziu com leveza por traços, riscos, pontilhados e sombreados tão distintos quanto saudosos.Eu também adorava reproduzir os mapas no caderno grande de desenho ; lembra?
    Acho que isso me fez uma apaixonada por espaços, lugares daqui e d'acolá.Viajava nos mapas e ainda faço isso até hoje.
    Tive a oportunidade de conhecer o salão dos mapas em tapeçaria do museu do Vaticano.Verdadeiras obras de arte conforma vc disse.Impressionantes!
    Mapas do chão, mapas do céu, mapas de nós, absolutamente reveladores e ímpares.
    Adorei tua poética e mapeada postagem.
    Bjinhos,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu! Issooo! Nos cadernos grandes de desenho! Haviam professores que gostavam inclusive que fosse traçada uma borda de 1 cm nas margens para destacar o mapa! :D
      Os mapas nos levam mesmo a viajar, porque as distâncias parecem muito pequenas quando olhamos na reprodução em papel... mas será que as distâncias não são maiores do que deveriam somente em nossos pensamentos? Tudo vale a pena quando chegamos lá.
      Olha, "salão dos mapas em tapeçaria do museu do Vaticano", posso imaginar as preciosidades para os olhos que se encontram por lá!
      Obrigada pelo carinho e pelo olhar sempre apurado sobre os meus escritos.
      Um abraço!

      Excluir
  25. [e que a vida
    nos proporcione sempre motivos
    para florescer pelos olhos]

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margoh, como vai?
      Vi esse escrito no Face e achei fantástico! Eu tenho um motivo para florescer pelos olhos... acho que só o amor é capaz disso! <3
      Um abraço!

      Excluir
  26. Oi Bia, muito boa tarde querida!
    Ah, de forma nenhuma eu poderia perder um texto tão incrível assim, pois me lembra a infância, das aulas da Tia Olga, minha professora de Geografia, lá na tenra 4ª série primária, que não era só professora de Geografia, mas de todas as matérias...hahaha
    Sabe, não sei até hoje como ela dava conta de tudo aquilo!

    E a Geografia? Ah, minha matéria favorita! Eu adorava ver os mapas, mas não tinha o mesmo talento que o seu em copiá-los em papel de seda, decalcar o contorno passando lápis no avesso ... nossa, que trabalhão!!! E ficava lindo não é? Trabalho de mestre!!

    Quanta ternura lembrar-se de sua avó, mulher forte e decidida!
    Com certeza você tem muito dela, pois ser igualmente forte e acelerada querida...rsrs
    As avós se constituem no nosso maior exemplo de vida!
    Minha pequenina Vovó Zilda, do alto dos seus 93 aninhos, é meu porto seguro até hoje e sempre que posso, ela vai comigo aonde for.

    Adorei estar aqui papeando nesta tarde...
    Ah, o tema do seu texto é perfeito para saborear com bolinho de chuva e café, enquanto folheamos nossos antigos trabalhos de escola, sempre buscando na memória, momentos inesquecíveis!!!
    Beijinhos e uma semana maravilhosa Bia!!!! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana! Olha, que legal, até lembra o nome da professora!!! Eu também peguei essa época em que uma só professora ministrava todas as aulas até a 4ª série. Mas já me avisaram que ano que vem voltarei a dar aulas de Português e Matemática para 5º ano. Gostei da leveza que foi trabalhar com Geografia!
      Puxa, que senhora forte sua Vovó Zilda! A minha se foi com 80 anos, mas convivi bastante com ela especialmente quando criança... é triste ver que alguns jovens desdenham da companhia dos mais velhos sem imaginar o quanto podem aprender com isso!
      Também gosto de folhear memórias, em especial as boas. São elas que se tornam combustível para a escrita do amanhã. :)
      Um abraço!

      Excluir
  27. Bia, querida, amei seu comentario! lindo lindo!

    Conspirar é a palavra que rege o Universo e é nisso que acredito diariamente.

    Beijinhos linda amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,Sissym!!! Aprendi que o Universo conspira o tempo todo, o lance é trazer a vibração para o lado positivo! Sei que sabe disso! ;)
      Um abraço!

      Excluir
  28. Olá, querida Bia
    Sabe, tenho me concentrado mais em ler o meu próprio mapa de vida... é uma trajetória incrível e com muito degaste interno aos longo dos meus 6.0... Estou numa fase onde 'outros mapas' estão sendo deixados de lado, amiga... rs... Pouca energia e necessidade de renovação para aguentar descer a montanha em condição, pelo menos, razoável...
    Vc faz excelentes colocações sobre qualquer tema... Vivam os neurônios bem energizados!!!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia!
      Desejo força, fé e coragem nessa fase complicada que está passando... não se deixe vencer pelo cansaço nem pelo receio de caminhar! Merece chegar bem!
      Não são os neurônios que estão bem energizados, é a escrita que me energiza!
      Um abraço!

      Excluir
    2. Voltei, como faço sempre, pra ver a sua inteligente resposta... comigo se passa o mesmo: sou energizada pela escrita e é um dos meus mais fortes estimulantes em todos os níveis... Obrigada pelo carinho... Bjm, amiga

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.