sábado, 16 de agosto de 2014

Sr. Andante e Sr. Volante

Sempre gostei muito dos desenhos matutinos da Disney, Pateta, Mickey, Pato Donald, Tico e Teco, especialmente os mais antigos, com perfume artesanal. Entre os mais marcantes para mim está o episódio do Pateta representando Sr. Andante e Sr. Volante. Quem se lembra? Alguém aí?

imagem daqui

O desenho representa duas faces de uma mesma pessoa: como é enquanto pedestre e como fica quando se torna um motorista. Datado de 1950, o desenho de nome "Motor Mania", inspirado em "O médico e o monstro", representa um senhor pacato e bem educado transformando-se em uma pessoa violenta e agressiva ao se posicionar no banco dianteiro do carro.

Infelizmente, 74 anos depois, o episódio continua ilustrando a realidade das cidades. Em frente a onde moro há uma BR. Instalaram um sinaleiro para pedestres porque, mesmo sendo uma via de alta velocidade, está dentro dos perímetros urbanos (bem próxima ao centro, inclusive). Há alguns dias uma senhora faleceu enquanto atravessava a via com o sinal verde para ela. =/ O mesmo já aconteceu em frente ao parque da cidade onde caminho. Há uma faixa de pedestres onde não se pode confiar... quando para o carro em uma via, na outra não para, e quando param os carros nas duas vias, vem outro carro ou moto e passa pela lateral!!!! :p

Presencio cenas assim quase diariamente. Não há como confiar no sinal ou faixa, são motos que avançam, caminhões que não param e a vida tentando se equilibrar em seu fio de fragilidade. O curioso é que, para os pedestres, o sinal leva cerca de dois minutos para abrir, e fica aberto menos de 30 segundos. Segundo o Sr. Volante, "30 segundos de sinal fechado é o tempo de uma vida". Ou não.

Como pedestre, para chegar ao meu trabalho são 20 minutos a pé. Se eu tiver a má sorte de pegar o sinal imediatamente fechado, levarei 22 minutos para chegar. De carro, o mesmo trajeto leva 7 minutos. Supondo que precisasse parar para aguardar os pedestres, entre freada e aceleração, seriam no máximo 8 minutos para fazer o mesmo caminho.

Fica a pergunta: como as pessoas esquecem o que é ser pedestre? Ou para aqueles que já nasceram dentro de um carro, como, num mundo explodindo de informação e tecnologia, não conseguem se colocar no lugar do outro? Isso sem considerar as intempéries do tempo, como exposição ao calor excessivo ou à chuva - sério, só esse ano já perdi quatro sombrinhas (tudo bem que eram da lojinha ching-ling) entortadas pela velocidade dos caminhões passando!

Gosto de carro, de dirigir, todos apreciamos conforto, mas não nos deixemos levar pelo egoísmo. Tem compromissos marcados? Saia mais cedo! Respeito, paciência, gentileza, não se ensinam em uma sala de aula, não se desenvolvem com leis, se cultivam, e podem representar o preço de um tempo valioso: o de uma vida.


Sem mais, apreciem a obra!


53 comentários:

  1. Muito legal teu post e uma pena que existam esses comportamentos diferentes para uma mesma pessoa à direção e depois ,como pedestre! fazer o que? Falta consciência!! Bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, como vai?
      É estranho imaginar como uma pessoa pode carregar duas em uma sendo que a consciência é uma só... espero que as coisas melhorem nesse sentido. Um abraço!

      Excluir
  2. Bia minha querida tudo bem com vc?
    Lembro muito bem desse desenho, faço como disse se temos um compromisso, saímos mais cedo.
    Araraquara esta cheia de radar e placas de velocidade de 50 km por/h então imagina a lerdeza.
    Mas colocou muito bem os motoristas esquecem que tbm são pedestres e a imprudencia impera demais.
    Uma coisa que me irrita é qdo vejo mães com crianças pequenas atravessando a rua, não esperam nas calçada invadem a via e o pior com as crianças na frente do corpo, se acontecer um acidente quem será alcançado primeiro? Afffff...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia! Radares e placas só são necessários porque as pessoas em geral passam do limite. Concordo que o sistema de trânsito está caótico, em minha cidade ele não cresceu na mesma velocidade da população, o que causa transtornos, lentidão, mas o pedestre, ou até mesmo outro carro ou moto, não podem pagar o preço pela irresponsabilidade alheia. FAz bem em sair um pouco mais cedo e assim, evitar aborrecimentos desnecessários.
      Há pessoas que não compreendem a importância de proteger a criança dos perigos que nos cercam o tempo todo. Uma coisa´é ensinar a se virar, outra é ser irresponsável.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Bia, tudo bem?
    Menina, você disse tudo com esta pequena expressão "fio de fragilidade" que é o que está acontecendo com as vidas em todo o mundo, principalmente em países com leis frouxas como o nosso. Por aqui é o mesmo, dão mais tempo para os carros do que para os pedestres, e se algum sinal demorar um pouco mais, é buzina a qualquer hora do dia ou da noite. Tudo parece que perdeu o limite no que concerne ao trânsito e isso está espalhado por todo território nacional, a falta de educação e ignorância, um misturado de coisas e ações. Sinto-me assim também, completamente desamparada quando estou no trânsito ou a pé, fico sempre na calçada e só confio em atravessar alguma rua se todos os carros estiverem parados realmente no sinal vermelho.
    Também escrevi sobre este incrível desenho que nunca esquecerei na vida. Se quiser conferir, está neste post de 2010, veja:
    http://supremamaegaia.blogspot.com.br/2010/10/se-nao-gosta-da-maneira-como-eu-dirijo.html
    um grande abraço carioca e bom domingo!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beth!
      É triste saber que essa é uma realidade em várias partes do país, Ler o que escreveu me fez pensar que perdemos a capacidade de confiar no outro, no cuidado que um teria de ter de respeitar o limite da segurança que envolve si mesmo e o próximo. Foquei aqui na questão pedestre/carro mas a questão vai muito além, em geral na relação de detrimento tamanho x veocidade.
      Peçamos somente um mundo um pouco mais cuidadoso e paciente.
      Um abraço!

      Excluir
  4. Olá Bia,

    Já tinha visto esse desenho por duas vezes, mas vi de novo. Se o desenho data de 1950, vê-se que pouca coisa mudou desde então em termos de educação, respeito e prudência no trânsito. Por isso tantos desgastes, além de acidentes que poderiam ser evitados. Tanto os condutores de veículos quanto os pedestres têm se mostrado imprudentes, impacientes e intolerantes. Todos sempre apressados. Conforme você bem salientou, sair de casa mais cedo minimizaria o stress. Estou sempre presenciando gente correndo para atravessar ruas e avenidas com o sinal aberto para os veículos, assim como motoristas tresloucados, desrespeitando a sinalização. Creio que ambos (motoristas e pedestres) contribuem para as tristes ocorrências do trânsito, embora a maior parcela ainda caiba a esses condutores tipo Sr. Walker. Educação, respeito e paciência são fundamentais, no caso, para a preservação da vida.
    Ótima abordagem.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera, tem razão. Todos os envolvidos tem sua parcela de responsabilidade, sejam pedestres, ciclistas, motociclistas ou motoristas.
      Compreendo que essa questão do tempo, das pressões do cotidiano, contribuem para esse trânsito impaciente e caótico. Moro em uma cidade onde as distâncias não são muito longas, fico imaginando aquelas pessoas que demoram duas horas para ir ao trabalho mais duas horas para voltar para casa... tem como não ficar estressado?
      Seria necessária uma frente de ações rápidas como reestrutura do trânsito, ações educativas e punições severas (apesar de achar que nem sempre a punição é eficiente em termos de educação) para tentar minimizar o caos.
      Enquanto isso não acontece, quem sabe as pessoas começam a se dar conta do quanto transitar precisa ser uma atitude responsável.
      Um abraço!

      Excluir
  5. Verdade. Na maioria das vezes quem está ao volante mostra pouco respeito por quem vai a pé. Por cá também há imensos acidentes, atropelamentos em passadeiras para peões. Mas por vezes também há situações um tanto caricatas e irritantes para quem vai ao volante. Passo diariamente por uma estrada nacional em que, em determinado local, foi colocada uma passadeira com semáforo. O peão pode, carregando num botão, fazer o semáforo passar a vermelho. Tudo certo, não fosse o tempo que medeia entre o ato do peão e o aparecimento do vermelho ser praticamente nulo, surpreendendo qualquer motorista que se aproxime.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luisa, como vai?
      Então em Portugal também há problemas no trânsito... boa educação deve existir em qualquer lugar do mundo. Antes havia um desses botões no semáforo que citei, sempre estragava porque as pessoas apertavam com muita insistência mas ele tinha um tempo para funcionar (que os pedestres também deveriam ter tido paciência para esperar), então hoje em dia funciona por timer.
      Agora, colocar o botão e não dar tempo para o motorista parar, é pra acabar, né? Incoerências que vemos não só no trânsito, como em toda estrutura funcional, principalmente na esfera pública.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Obrigadão Bia por já estar lá! Adicionei teu link! E já estive aqui ontem.Não entrou o comentário? bjs,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, Sim, Chica, é que publico à medida que consigo ir respondendo... sucesso no novo espaço, um abraço!

      Excluir
  7. A gente vai e volta, vê e revê e sempre retoma o mesmo bordão: falta ao povo Educação em seus diferentes aspectos, aqueles que ultrapassam os conhecimentos técnicos/intelectuais e focam na educação do ser: humano, cidadão,solidário, holístico...Faltas abissais que cada vez mais aprofundam os fossos da dignidade e do respeito á vida, ao semelhante.
    Há muito o que refletir e muito mais a ser feito; a gente sabe, né Bia?
    Por aqui os assuntos importantes ganham espaço.
    Bjkas e boa semana.
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu!
      Se nos anos 50, tradicional por ser uma época de gentilezas para com o outro, o trânsito já havia se tornado uma disputa, quem dirá agora, que as famílias não se preocupam em ensinar regras básicas de convivência.
      Como professora você sabe que essa carga acaba caindo sobre nossos ombros... o trânsito é uma das matérias de 3º e 4º ano do Ensino Fundamental, mas fica difícil incutir regras e Leis quando os alunos trazem depoimentos de pais que não se incomodam em fazer sua própria lei em detrimento do outro.
      Um abraço!

      Excluir
  8. Ai Bia,eu já assisti tantas vezes esse desenho!...rss...é muito engraçado! Infelizmente a realidade não tem graça nenhuma quando as pessoas esquecem o que é ser pedestre e desreipeitam as leis do transito. Excelente tema! bjs e ótimo domingo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anne!
      Quando assisti novamente o desenho fiquei pensando o quanto achava engraçado quando criança, embora não concordasse com a atitude do Sr. Volante.
      Sob um novo olhar o desenho continua sendo primoroso, mas passa a ser lamentável observar o quanto reflete a realidade que não mudou nem em 74 anos.
      Um abraço!

      Excluir
  9. O Bia,
    já morei em metrópole e sei como é, morava numa avenida e se quisesse guardar o carro tinha que quebrar uma esquina, parar o carro, voltar abrir a garagem, voltar pegar o carro contornar o quarteirão e dando sinal desesperadamente para conseguir entrar. Era uma loucura. Quantos acidentes com morte eu vi à frente da minha casa, agora moro no interior, apesar de ter mais carros do que gente, são mais educados.
    Quando pequena não via televisão corria solta pelas campinas com meus amiguinhos.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!
      Que delícia crescer com a liberdade de correr solta pelas campinas... sempre fui muito trancada em casa e minhas oportunidades de correr livremente somente chegavam nas visitas aos primos ou nas idas à praia.
      A realidade que citou ilustra bem a realidade da capital próxima daqui... é uma cidade linda, repleta de opções de lazer, mas haja dinheiro para rodar com o carro e pagar estacionamentos, porque vagas, só na sorte mesmo, hahaha.
      Onde moro o trânsito deu uma boa apertada, mas ainda é transitável.
      Um abraço!

      Excluir
  10. Bia, os anos passam e nada muda. Há atitudes erradas dos dois lados. Costumo, às vezes, como pedestre, pensar sobre isso quando atravesso fora da faixa (rss). A pressa não é boa amiga e tanto motoristas quanto pedestres precisam assumir suas responsabilidades e agir conscientemente. Nem sempre o prejudicado é quem comete a infração, mas os atingidos por ela. Como em tudo na vida, respeito e educação têm lugar garantido e não podemos retirar sua cadeira cativa. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene!
      hahaha, Confesso que às vezes atravesso fora da faixa. O exemplo que dei do parque onde caminho é um, dependendo do horário, prefiro confiar no meu tino e atravesses fora da faixa do que passar na faixa correndo risco.
      Lembrou muito bem, Marilene, nem sempre o que comete a infração é o prejudicado, e isso realmente é lamentável. A pessoa pagar pelo erro de sua imprudência é uma coisa, mas outra pessoa pagar por esse erro é muito triste.
      Um abraço!

      Excluir
  11. Boa noite Bia.. sobre os desenhos são maravilhosos não é.. fiz poesias infantis para os mesmos.. a maioria deles pelo menos..
    a questão do transito é bem complicada né.. minha cidade que é pequena tem disso direto.. sempre inconsequencia e um trago a mais muitas vezes..
    eu sempre tive medo de carro desde pequeno.. e numa regressão vi logo de cara o occorrido... numa vida passada desencarnei num acidente onde meu melhor amigo dirigia.. não vou entrar em detalhes.. mas te digo que nesta vida.. ele ficou numa cadeira de rodas e eu era o melhor amigo dele desde pequeno... ele partiu a alguns anos a outro plano.. fiquei sabendo disso meses atrás na regressão os fatos e tal..
    não dirijo.. sou da viação canela.. sempre a pé srrs
    mas um dia hei de me meter no mesmo..
    esta terrível.. as pessoas não vão na padaria a pé.. que fim né..
    grato pelo comentário.. politica é perda de tempo.. mas meti minha bronca mesmo assim..
    digo tuas palavras não sei quem entra.. só sei que vou lá aperto zero zero e confirmo..
    abração e até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel!
      Gosto de desenhos, especialmente esses, mais antigos, gosto da impressão pessoal que há neles, não tão milimetricamente perfeito como os computadorizados.
      Fiquei curiosa sobre as poesias pra eles, hahaha, estão no seu blog?
      Essa questão de regressão é muito forte, embora não siga a doutrina espírita, fiz uma vez regressão na psicóloga e foi uma experiência forte, marcante. Interessante, agora que li você falando sobre isso, me lembro que na ocasião havia fogo e eu havia me perdido do meu pai... tenho mesmo receio de incêndios, sou muito cuidadosa em relação à isso, mas na sessão, após me perder, eu encontrava meu pai e cuidava dele. Esse ano ele fez uma cirurgia e cuidei dele. Seria uma coincidência ou questões de vida passada? Ninguém tem as certezas...
      "Sou da viação canela... sempre a pé", kkkkkkkk, ri muito da definição, kkkk, vou adotar... eu gosto muito de dirigir, embora não tenha carro. Mas mesmo quando tive, nunca me tornei escrava dele, ou fiz pessoas minhas escravas por uma carona, não há porquê sobrecarregar alguém se você pode opcionalmente ir de carro ou ônibus, não é mesmo? Esses dias presenciei uma situação dessas na escola onde trabalho e foi lamentável... assunto para outro post.
      Acho importante a manifestação das opiniões sobre política, quem sabe aos poucos o povo abre a mente. Eu não voto zero só para não dar voto a quem não desejo que ganhe, mas que não dá nem vontade de votar, isso não dá.
      Um abraço!

      Excluir
  12. Falta a consciência de comunidade! A sociedade será realmente educada quando entender que o corpo social é que deve reger o estado! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ives, tem razão... penso que pouquíssimas pessoas tem consciência do significado prático da palavra "social". Um abraço!

      Excluir
  13. BIA,

    uma das coisas que não podem faltar na minha vida é viajar.

    Não gosto de dirigir,apesar de ter carro.

    É um impasse,já que motorista também não está nos planos.

    Enfim...

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo! Também gosto muito de viajar! :D
      Agora, posto o impasse, fiquei curiosa para saber como o resolve, hahaha!
      Um abraço!

      Excluir
  14. Oi Bia querida,
    eu lembro desse desenho. Que triste realidade, vemos diariamente esse tipo no transito.O que mais me choca é ver a violencia do motorista, qualquer coisinha e já descem pra briga.
    Bia obrigada por sua visita.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lila, como vai?
      Tem razão, Lila, e o vídeo ilustra bem isso, motoristas nervosos e agindo como se o trânsito fosse uma competição. A vida a cada dia parece valer menos.
      Um abraço!

      Excluir
  15. Bia,

    Voce me fez lembrar deste desenho, nossa, faz tempo que o assisti! rsss....

    Tente este link, se der certo vai ver a avenida perto de minha casa:

    https://www.google.com.br/maps/@-22.9998,-43.304836,3a,75y,175.03h,92.96t/data=!3m4!1e1!3m2!1sG1hOyxq7_QSO5yYkXCiVnA!2e0

    Repare uma placa que diz "Asfalto Liso"!
    Não há sinal, nem quebra-molas, somente motoristas loucos para matar um atropelado!
    É neste lugar que todo dia, especialmente no escuro, que eu atravesso; eu, minha filha, muita gente de todas as idades, carregando desde nada a compras de mercado.

    Eu e minha irmã tentamos alguma medida de segurança com a Prefeitura, mas a Prefeitura só aprova pedidos feitos por gente de alto escalão. Exemplo, o Colégio Mopi conseguiu, além do sinal, um retorno e ele chegou depois da nossa solicitação junto a Prefeitura do Rio de Janeiro.

    O que nos resta é ter muito cuidado e fé.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sissym, demorei mas cheguei! Vi que o link não é de um vídeo, mas de uma imagem do Google Maps! O asfalto parece um tapete e não é à toa que os motoristas deslizam à toda!
      Claro que o ideal seria que não houvesse necessidade de quebra-molas, e afins, mas sabemos que a educação do povo pede barreiras anti-velocidade. Imagine à noite, que perigo!!!
      Infelizmente, além da falta de educação do povo, ainda se é barrado pelo descaso com o povo que não tem vez nem voz. Espero que a situação se resolva em breve, o contexto é perfeito para situações desastrosas!
      Abraços, ótima semana!

      Excluir
  16. Não existe sucesso ou felicidade sem o exercício pleno da cidadania e da ética global.
    Carlos Roberto Sabbi

    beij0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Margoh, suas partilhas, sempre muito bem garimpadas! Um abraço!

      Excluir
  17. Nossa, Bia, via tudo isso aí. Tô ficando velho. E concordo plenamente, a imprudência dos motoristas está cada vez maior e eu lembro direitinho desse desenho aí. Mas é importante tb destacar que há mt pedestre irresponsável tb, que atravessa no meio dos carros, fora da faixa, avançando sinal, etc. E pior, se nesse caso forem atropelado a culpa continua sendo do motorista. Fora os ciclistas que tb não sabem o que é sinal vermelho e vivem na contramão, mas enchem a boca que dizer que o veículo deles não polui. Ok, mas podiam ser prudentes tb. Enfim, bjão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio! "Tô ficando velho", kkk... com orgulho, visto que esses desenhos são ótimos, kkk.
      Sim, concordo contigo, inclusive comentei acima sobre isso, foquei na questão do pedestre, mas o caos no trânsito vai muito além. Todos tem sua parcela de responsabilidade. Aqui temos muitos problemas com ciclistas e que transitam fora da faixa ou da mão apropriada. Sem falar nas novas bicicletas motorizadas, tem ciclistas correndo como se estivessem de moto na ciclovia, um absurdo!
      A questão é ampla e merece um novo olhar de todos os lados.
      Um abraço!

      Excluir
  18. Às vezes quem vai ao volante diverte-se em fazer mal a quem vai a pé. Como por exemplo de Inverno, quando há uma poça de água junto ao passeio, a estrada toda livre e eles vêm passar dentro da poça e deixam quem vai no passeio, encharcado da cabeça aos pés.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elvira. Isso já aconteceu comigo, noooossa, é de lascar!!! Agir com intolerância no trânsito já é um grande deslize, agora agir por maldade.. ninguém merece! Um abraço!

      Excluir
  19. Oi Bia,

    Me lembro bem desse desenho, e o tempo só faz piorar as coisas, tenho a impressao que o ser humano desaprende um pouco mais a cada dia, gentileza, respeito e educaçao estao fora de moda.......infelizmente!

    Gostei da originalidade do post......

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      É verdade... na época do desenho ainda havia gentileza e já haviam motoristas grosseiros, imagine! Pior que aquele que usa de educação muitas vezes é motivo de piada! Uma pena!
      Um abraço!

      Excluir
  20. Olá, querida Bia
    Morando numa cidade relativamente pequena, posso andar tranquila ainda nas calçadas... se bem que, noutro dia, eu e uma senhora quase fomos pisoteadas por um carro que resolveu andar um pouco pela calçada também... ainda bem que estava em baixa velocidade ... é as coisas mudam...
    Fui motorista de Av. Brasil e Rodovia Presidente Dutra rotineiramente... no passado... agora, curto andar de alternativos quando necessário ou ônibus intermunicipais (bem confortáveis)... Para longas distâncias o meu preferido é o avião e tem havido tanto acidente que não tenho pra onde correr mais... rs...
    Enfim, o trânsito caótico não me anima mais a estar na condição contrária...
    Só mesmo na roça eu dirijo... rs...
    Vejo quando estou no carona com filhos o quanto devemos dirigir pensando nos demais e podemos a qualquer momento ser vítimas... sem sermos infratores...
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia! Por aqui as coisas estão bem agitadas, mas ainda dá para andar pelas rus com relativa facilidade, em comparação aos grandes centros.
      que susto você levou, hein?
      Acredito que os aviões continuam sendo seguros, Rosélia, porém o tráfego aumentou, o que naturalmente aumenta os dados estatístico de quedas... nunca viajei em um, mas sei esperar por uma oportunidade.
      Os ônibus da capital são muito bons e rápidos... já os daqui, demoram bastante e quando vem, vem cheio, kkk!
      A direção é um exercício de responsabilidade não só em relação à si, mas também em relação ao outro.
      Um abraço!

      Excluir
  21. Com meu carinho de sempre venho agradecer
    as palavras reconfortantes deixadas no meu blog.
    Tudo isso me leva pra frente dizendo
    continue ainda existe quem te quer bem do outro lado da telinha.
    Ando protelando meu afastamento por
    conta de pessoas tão importantes para mim como você é ,
    a um longo tempo caminhando comigo.
    Eu sou humilde demais , eu amo demais ,
    eu me envolvo demais , eu luto demais ,
    talvez seja essa garra que deixa
    gente brava outras feliz e tão contente.
    Hoje venho te pedir uma gentileza.
    Apesar dos meu quase 10 anos de blog
    por algumas vezes termino entrando
    em alguma coisa , que me deixa feliz em participar
    a mais de 5 anos deixei de participar de tudo nos blogs
    por perder o encanto por muita coisa.
    Veio o convite eu fui tentar ser poeta por um dia
    hoje peço seu voto
    se achar que meu poema vale seu voto.
    Nome do meu poema?
    "Você é minha Poesia"..
    Endereço para votar.
    http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/
    È complicado pra mim pedir voto,
    pois sempre achei que merece ganhar sempre
    todos os pemas.
    È lindo mesmo que seja um único pensamento.
    Caso for votar é votar e confirmar seu voto
    é complicado ,
    mais acredito no seu potencial de
    votar e de escolher.
    Um abraço cheio de carinho.
    Evanir.
    PS.Quando terminar farei uma
    postagem como o nome de todos amigos
    que confiaram em mim seu voto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Evanir, obrigada pela visita, quando for possível dou uma passadinha lá. Boa sorte, um abraço!

      Excluir
  22. Oi, Bia!
    Os motoristas sofrem mais com as neuroses, mas o mundo está todo neurótico. Até caminhando as pessoas não apreciam mais o trajeto ou olham a paisagem com bons olhos. A paisagem é apenas um cenário... A falta de sensibilidade por conta do estresse está esvaziando as pessoas. Muito triste!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luma! Achei interessante o que disse, observar o que nos cerca, como a paisagem, é uma habilidade que nos dispomos a desenvolver - deveria ser natural.
      A vida joga tantas cobranças nos ombros que a tendência é nos fecharmos até cegar os olhos para a beleza de vida que existe.
      Interessante seu ponto de vista... hoje tirei uma foto pela manhã de uma praça onde passo todos os dias pela manhã, com neblina, e muitos me perguntaram no Face se a paisagem era daqui. Estranho, visto que é um parque conhecido... as pessoas não percebem mais o que as cerca.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Passando para agradecimento!

    Agradecer

    Elogiar, pelo belo que faz

    E parabenizar é uma virtude que

    nos temos para com os bons amigos

    E com carinho de sempre recebo sua

    visita com muito amor

    Sua presença é marcante no meu

    Cantinho


    Bjusss

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rita, sempre simpática e carinhosa... um abraço, tudo de bom!

      Excluir
  24. Infelizmente, falta consciência nos 2 lados, em alguns casos!
    E aqui, além dos motoristas x pedestres, ainda tem os motoristas x motoqueiros. Um inferno! Um querendo levar vantagem em cima do outro.
    Só atenção, hj em dia, é pouco. Precisamos de sorte. Aff!
    Bjns
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cici, é verdade, muito bem colocado, além de atenção, sorte e proteção divina. o bom senso precisa prevalecer entre todos os atores sociais que fazem parte do trânsito. Um abraço!!

      Excluir
  25. Oi Bia,
    Desenhos... muitas verdades podemos aprender com eles. Eu era fã do professor pardal.

    As pessoas esquecem o que é ser pedestre porque a vida vale menos do que ficar esperando alguns minutos no sinal vermelho, porque vale menos do que a entrega que tenho a fazer, porque tenho um carro e me sinto superior a quem está a pé, porque atropelar alguém e for réu primário, só responde a processo e não vai preso, porque a legislação brasileira não funciona e por fim, falta educação mesmo.

    Sinto muito por suas sobrinha, vou lhe mandar uma de Natal.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nestor! Professor Pardal, fantástico!!!! Até hoje eu queria ter um daquele "chapéu pensador" com um ninho de corvos, sabe qual? hahahaha, Muito bom!
      De todos os motivos que citou, Nestor, acho que o mais lamentável é o pouco valor que se dá à vida hoje em dia. Talvez o trânsito reflita ausências interiores e descaso consigo mesmo.
      Ah, eu adoro minha sobrinha, hahaha, mas vou adorar ganhar uma sombrinha. A única decente que tenho ganhei da minha mãe, mas é daquelas enormes que para carregar é um sufoco, kkk, eu sempre escolho as pequenas, portanto, mais frágeis.
      Abraços!!!

      Excluir
  26. Meu pai é desses que se transformam quando fica na volante.. Ele quem faz a lei.
    Ele xinga se uma pessoa demora pra atravessar na faixa de pedestre.
    A gente vive discutindo por conta disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nathália!
      O que contou me fez lembrar um tio meu que no trânsito tem pouca paciência e quando alguém demora em sua frente ele já solta um "sai daí, sua vaca (ou bode) velha". Pena que a intolerância gere perdas impagáveis.
      Quem sabe observando sua postura, ele não revê as próprias... :)
      Um abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.