sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

A cristaleira e o Natal

O sonho da minha mãe era ter uma cristaleira colonial. Uma vez chegou uma dessas peças na loja de móveis usados da minha tia e ela comprou em quatro pagamentos, pois o preço era bem salgado. Era uma peça de imbuia, torneada, com espelho ao fundo e prateleiras de vidro, com cerca de 2 m de comprimento, 1,80 m de altura, e bem funda.


parecida com essa daqui


O objetivo da cristaleira era guardar os inúmeros cristais e baixelas que haviam sido presentes de casamento. Como era caprichosa e perfeccionista, era minha função limpar periodicamente cada peça, secar e reenfileirar perfeitamente cada coleção. Quebrar uma então... #Deusolivre #mortesubita #asmaepira

Confesso que apesar do cuidado, não via muito sentido naquilo, pois não se podia usar nenhuma peça, a não ser em ocasiões especiais, e como nas ocasiões poucos bebiam em casa, a maioria das taças ficava lá, só acumulando pó, para que eu limpasse. :p De vez em quando, escondida, eu que sempre gostei de um teco de vinho pegava uma das taças para saborear a bebida de um jeito chique, kkkkk.

Após anos, por questões financeiras, a cristaleira acabou sendo vendida, para meu alívio, kkkkk! As coleções continuam guardadas, e isso me faz pensar duas coisas. Primeiro, presentes são para serem usados. Por maior que seja o valor sentimental, se alguém deu, é porque quer que use. Um presente que se ganha não pode ser como ir à Meca para o mercador do livro O alquimista, de Paulo Coelho, que passa uma vida sonhando em ir à cidade sagrada e mesmo quando tem condições não vai... porque teme perder o sonho. (livro ---> aqui) De um sonho realizado sempre brota outro. se permitimos.

Segundo, acho genial e moderna a ideia de misturar louças que vão sobrando quando outras vão quebrando (leia abaixo). Atualmente na decoração não existe mais isso de que todas as louças tem que ficar "combinandinho"... criando uma combinação harmoniosa, é o que importa.


Sugestões garimpadas no Google e Pinterest

clique na imagem para ampliar


"...Copos não se quebram de propósito. Quando entramos em restaurantes ou em nossas casas, tomamos cuidado para que os copos não fiquem na beira da mesa. Nosso universo exige que tomemos cuidado para que os copos não caiam no chão.

Entretanto, continuei pensando, quando os quebramos sem querer, vemos que não era tão grave assim. O garçom diz “não tem importância”, e nunca na vida vi um copo quebrado ser incluído na conta de um restaurante. Quebrar copos faz parte da vida e não causamos qualquer dano a nós, ao restaurante, ou ao próximo."
leia esse trecho na íntegra ---> aqui


Abra e use o presente. Vá à Meca. Quebre o copo. E ame. 


Estou entrando em férias e terei tempo para iniciar minhas visitas de Natal aos blogs. Meu agradecimento, abraço, e desejo de que seja de paz, alegria e harmonia.





51 comentários:

  1. rssssss... Tive que rir aqui.; Minha mãe(agora numa clínica e a casa fechada como um mausoléu), tinha mania de coleções e todas TINHAM que ser alemãs... ( Talvez por isso, pra ser BEEEEEEEEEm diferente, eu sou tão sem frescuras ) e na hora das tundas que ela nos dava quando era contrariada, eu descobri o melhor lugar pra parar. Ficada fiante da criastaleira com as coleções"tão importantes"... E ficava na torcida pra que ela atirando uma chinelada., batesse ali e quebrasse. Bem "boazinha" eu era...

    E hoje, o exemplo é que aquilo tudo, nada vale, nem valor sentimental pois as recordações são péssimas.

    or isso, não tenho nada duplo. Uma coisa entra, outra sai e não deixo nada sem uso!

    Adorei te ler e as tuas reflexões! beijos,tudo de bom e desde já, desejo um Feliz Natal e tudo de bom em 2015 ,que possamos estar sempre ,com alegria, saúde, por aqui nos encontrando! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!
      Coleções alemãs? hahaha, Realmente excêntrica! Minha mãe sempre gostou de uma decoração mais tradicional, sofisticada, e tal qual você, também enveredei pelo caminho da simplicidade. Penso que pessoas que precisam de rebusques em vestuário, marcas, artefatos e decorações ocultam algo que falta por dentro.
      Achei espertíssima sua tática, kkkkkk! Como não pensei nisso antes???
      Ainda que as recordações não sejam boas, pelo menos conseguimos contá-las com bom humor, não?
      Interessante que eu era apegadíssima às minhas coisas... hoje, como você, uso tudo o que posso e eo que não uso, doo para ser usado. O que levaremos daqui?
      Obrigada pelas fecilitações de final de ano, Chica, já estou visitando os blogs e em breve chego nos teus! Abraços, obrigada pelo carinho!

      Excluir
  2. Bia, o vídeo é um amor.
    Também já tivemos uma cristaleira em casa. Não havia cristais ou objetos caros para serem guardados nela, apenas algumas peças, presentes preciosos que muito representavam para minha mãe. Aliás, quero pegar para mim as taças de champanhe, daquelas que não se compra mais e que sempre me encantaram. São os objetos de minha mãe que desejo manter.
    Antigamente, não se valorizava esses móveis e ela acabou sendo doada, acredita? Era considerada fora de moda (kkk). Nossa, só mais tarde acordei para o fato de como era linda!
    Você está certa, não se deve deixar objetos para ocasiões especiais. E hoje tudo é descartável. Tenho cuidado com os meus porque batalhei muito para adquiri-los (rss). E prefiro eu mesma lavá-los, já que, se quebrar algum, a distração foi minha. Confesso que ainda prefiro pratos iguais, copos iguais ..., mesmo reconhecendo que a mistura fica bela.
    Bia, também já estou ausente dos meus espaços, mas não poderia deixar de vir agradecer o livro e desejar-lhe um maravilhoso Natal, ao lado dos que lhe são queridos. Um Natal muito abençoado. Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marilene, como vai?
      Minha filha me mostrou o vídeo, é fã dos Minion, e eu,que havia escrito esse post na terça, só estava precisando de uma mensagem de Natal para finalizar! Eu achei muito fofo!
      Eu ganhei um jogo de xícaras rosa quando minha avó se foi, era o meu preferido. Mas usei-o todos os dias no café - talvez na intenção de senti-la pertinho - e hoje tenho somente dois pires da coleção, que uso com carinho.
      A cristaleira da minha mãe também era linda, essas peças coloniais tem a beleza do entalhe em madeira pura que não se vê hoje em dia - Bisteca rói os pés da cadeira da sala como se fosse isopor, kkkk! Mas era opulenta demais para o tamanho da sala. Eu gostaria de ter uma daquelas pequenas, delicadas, com uma porta só. No quarto tenho dois criados-mudos coloniais que pintei de branco e assim, trazem a beleza leve que gosto.
      Eu concordo que um jogo todo combinado ainda é mais bonito... mas não polpemos as louças das comemorações com medo de quebrá-las... :)
      Que bom ter gostado do livro! Obrigada pelas felicitações e em breve estarei em seu espaço para deixar meu abraço!

      Excluir
  3. Ai que delícia de post!
    Realmente, né, porque ficar guardando coisas e só olhando!
    Eu uso tudo, tenho o maior prazer em abrir minha cristaleira e tirar as coisas para uso quando necessário, claro que não uso num almocinho simples de dia a dia, mas um final de semana, uma visita querida que nos fazem, é tão bom pegar aquela xicrinha antiga e servir e impressionar os amigos com o tempo dela.
    Eu tenho duas cristaleiras, uma no apartamento e outra lá na serra, curto muito as coisinhas antigas que ganhei e que comprei colecionando. Sou chegada às louças antigas, porque são mais bonitas e românticas, a de hoje em dia, só se forem muito bonitas, mas são caras, às vezes até mais dos que certas antigas.
    E vamos lá, vamos usar, quebrar copos ou xícaras e amar, que é muito bom tudo isso!
    Boas Festas, linda Bia!
    um beijo e abraço cariocas


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beth, como vai?
      Concordo que visitas ou comemorações especiais merecem o capricho da louça bem posta... embora o que valha mesmo seja a boa companhia de quem gostamos.
      Se gosta de louças antigas e românticas iria gostar de um jogo que minha mãe ganhou num bingo e me deu, são peças de porcelana, com filete dourado e acabamento com flores pastel... muito bonito. Mas só uso mesmo quando vem alguém aqui em casa, porque as peças são super pesadas, kkk!
      Usar o que ganhamos, quebrar copos ou xícaras e amar, são bons porque são sinais de que estamos vivos!
      Um abraço, obrigada pelas felicitações! Passarei em seu blog!

      Excluir
  4. Boa noite, Bia.
    Bem verdade a sua mensagem, querida.
    Adorei o final.

    "Abra e use o presente. Vá à Meca. Quebre o copo. E ame."


    Muitas vezes fazemos o oposto a isso e acabamos por sermos pessoas em muitos momentos infelizes.
    Obrigada pelo seu carinho comigo em 2014.
    Que Deus abençoe a sua vida o ano todo e que Jesus sempre faça morada em nossos corações, independentemente da data!
    Seja sempre feliz, é o meu desejo para você!
    Tudo de bom, muita paz e beijos na alma.
     

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia!
      Tem razão... o sentido oposto traz infelicidade. Que todos se permitam a liberdade da ação.
      Obrigada pelo carinho, Jesus é a quem mais abro espaço quando vejo que estou me perdendo da força da fé.
      Passarei em seu espaço em breve para retribuir... Um abraço!

      Excluir
  5. Lembrei-me de uma cristaleirinha, modesta, na casa dos meus pais quando moravam numa fazenda (alheia). Então minha irmã achou que seria uma boa ideia se pendurar nela pra pegar algo que tava láaa longe. Já viu, né? Caiu cristaleira sobre Cristiane e a menina quase desmaiou, mas foi de susto ao escutar a voz brava do nosso pai. Rimos até hoje dessa história.
    Eu sempre viajo, visualizo, fico leve, quando leio essas suas memórias e reflexões.
    Beijo, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene!
      Interessante, cristaleiras parecem ter feito parte das memórias de infâncias de vários blogueiros... gosto quando alguém comenta que o escrito traz leveza! :)
      Menina arteira essa sua irmã... imagino a bronca do seu pai, kkk, sai de perto!
      Agradeço o carinho comigo o ano todo, as palavras que deixa de presente quando passa por aqui, em breve chego no Inquietudes para deixar meu abraço. Linda semana!

      Excluir
  6. Querida amiga, sei que a sua árvore já está montada, mas, para acrescentar algo mais na sua, trouxe uma parte da minha . Estou me antecipando nas visitas, festas, visitas e na chegada do ano novo, estarei mais ausente. Meu marido fará uma cirurgia, concluindo os exames e provavelmente nessas férias ele será cirurgiado. Cuidar da saúde dele é importante. Estou organizando as postagens para facilitar, quanto as visitas farei quando for possível.
    Pedirei a Deus que tudo de certo e que o ano novo seja abençoado para todos nós.
    Desejo-te neste natal e no ano vindouro:
    Paz
    União
    Alegrias
    Esperanças
    Amor. Sucesso
    Realizações Luz
    Respeito Harmonia
    Saúde Solidariedade
    Felicidade Humildade
    Confraternização Pureza
    Amizade Sabedoria Perdão
    Igualdade Liberdade. Boa - Sorte
    Sinceridade Estima.Fraternidade
    Equilíbrio Dignidade Benevolência
    Fé Bondade. Paciência. Gratidão Força
    Tenacidade Prosperidade Reconhecimento
    Um Natal iluminado
    pela luz do menino
    Jesus
    E que esta Luz se estenda iluminando a sua vida e da sua família
    Em 2015, para que a felicidade reine em seu lar.obrigada por ter estado comigo neste mundo virtual, alegrando o meu viver e que possamos continuar a nossa missão no ANO NOVO!
    FELIZ NATAL ! E UM ANO NOVO ABENÇOADO.
    São os votos da amiga Lourdes Duarte.
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
    Prof Lourdes Duarte http://pensador.uol.com.br/colecao/lourdesduarte/
    https://www.youtube.com/channel/UCaYuH232flzuEJPUlAD2HvQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdes, agradeço a visita, desejo que tudo corra em paz em relação à saúde do seu marido. Eu concordo que cuidar bem das pessoas que amamos precisa ser sempre a prioridade.
      Em breve passo em seu espaço para as felicitações natalinas. Um abraço!

      Excluir
  7. Sabe que eu era meio assim, de guardar as coisas que eu gostava muito.
    De uns anos pra cá tenho mudado esse meu jeito sem sentido algum... hahaha! Amanhã eu morro e as coisas ficam aí, sem eu ter usufruído de nada.
    Gostei muito de seu post. Como sempre, com temas e assuntos interessantíssimos.
    Boas férias, aproveite muito!
    E aproveito pra te desejar um Feliz Natal e um 2015 cheio de alegrias e de muita saúde.
    Bjns
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cici! O tempo vai passando e vamos percebendo o quanto tudo passa rápido, inclusive a vida, hahaha, para que guardar o que deve ser usado?
      Penso que esse guardar anterior - que também já tive - tem a ver com segurança, um reflexo do apego, o conforto que sentimos com os objetos conhecidos. Mudar isso nada mais é do que mudar um hábito... parece que quando usamos o que temos e passamos para frente o que não usamos mais a vida ganha movimento. Ou seja, uma sensação muito melhor, basta praticar. :)
      Agradeço suas felicitações, em breve apareço em seu espaço para retribuir. Um abraço!

      Excluir
  8. Bia, conheci uma cristaleira assim como a da tua mãe que guardava uma coleção de dedais de costura. Acho que não era uma cristaleira mas sim um verdadeiro museu!

    Conheço pessoas que por tanto tempo guardam perfumes e sabonetes que eles perdem o cheiro...
    Um brinde numa taça bem bonita para que seu novo ano seja pleno! Beijo

    no instagram: @retrateria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana, como vai?
      Sabe, visito um blog de uma coleção de dedais, e tenho vontade de ter uma, por ser uma peça pequena, fácil de colecionar. Assim como acho interessante cristaleiras que abrigam pequenos objetos colecionáveis... contraditório, eu sei, kkk!
      Já tive o tempo de guardar perfumes e sabonetes, hoje em dia uso sem dó. Conheço também pessoas que usam os sabonetes que ganham no meio da roupa para perfumar - acabei de lembrar dos "Alma de flores" no meio da roupa da minha avó. :)
      Obrigada pelo carinho, o brinde está feito e retribuído! Um abraço!

      ok, já encontrei seu Instagram!

      Excluir
  9. Bia,
    havia uma destas nas casas de minha mãe e de minha avó. Reflexos antigos e caros.

    Desejo que este Natal seja inaugural de muitas e sucessivas alegrias que se estendam por cada dia do novo ano.
    FELIZ NATAL!
    BOAS FESTAS!

    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu! O charme da cristaleira hoje em dia parece-me estar justamente nesse perfume vintage, que traz à tona as memórias, as histórias que suscita...
      Obrigada pelas felicitações natalinas! Estou quase chegando no Fractais para deixar meu carinho. Um abraço!

      Excluir
  10. Feliz Natal, Bia, e que possamos usar e abusar de nossas coisas sem medo de sermos felizes! E daí que quebrou? É hora de renovar então, não é?
    Qdo eu era pequena e quebrava algo já olhava direto pra cara de meu pai e já tremia de medo. Ele não falava nada, mas aquele olhar me matava por dentro. Minha mãe que ficava brigando o tempo todo, o dia todo e até a semana toda qdo algo quebrava.
    E com meus filhos nunca fui assim. É claro que ninguém quebra porque quer, então nunca sequer mencionei uma braveza qdo quebravam algo. Só pedia pra tomar cuidado na hora de catar os cacos. Aí eu até ajudava. Fim. Simples assim.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clara, como vai?
      O comentário que fez sobre seu pai me fez lembrar que, embora minha mãe fosse mais braba, o olhar de reprovação do meu pai doía mais que as cintadas que levei na infância... e mesmo assim voltávamos a aprontar, não é? kkkk
      Estou contigo em relação às peças quebradas... eu era a lavadora de louças oficial da casa e claro, sempre quebrava algo... e dá-lhe ouvir sermão.. aqui em casa quando quebravam coisas também nunca briguei assim, somente por preocupação que não se machucassem, como você faz. É bom quando há evolução...
      "Simples assim". :)
      Um abraço!

      Excluir
  11. Bacana o vídeo, Bia. Fiquei rindo aqui dos animados Minions.
    Lá vem você me lembrar da cristaleira da minha mãe. Lembra que eu quebrei o vidro dela? #deusdoceu- rsrs A história da cristaleira da sua mãe é parecidíssima com a da minha, com a vantagem de que ela não deixava ninguém mexer para não quebrar nada (e eu vou logo quebrando o vidro da porta da bendita-rs).
    Fui lá ler a íntegra do trecho do livro do Paulo Coelho. Ainda não tive oportunidade de ler o livro citado ( “Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei”), mas pareceu-me que oferece um boa leitura.
    Apesar de moderna a ideia de misturar louças diferentes quando forem quebrando ainda não me é atraente-rs.

    Desejo a você e familiares um Natal pleno de luz, alegria e bençãos.
    Que 2015 lhe sorria muuuuuuuuuuuuuito, realizando os seus mais desejados sonhos. Sucesso, saúde e paz!

    Grata pelo carinho da sua amizade e companhia no decurso do ano.

    Hoje você ocupou os meus pensamentos, pois ao embalar o livro para mandar para você fiquei procurando um papel de cartinha antigo para escrever algumas linhas-rs. Vou colocar no correio amanhã.

    Felizes festas.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vera!
      Ainda bem que não quebrei nada da cristaleira... esses dias vi alguém com um prato de bolo alto e lembrei que há uns anos quebrei um da minha mãe... estou devendo, kkk!
      Esse é o meu livro preferido do Paulo Coelho, um dos poucos romances que fazem parte da minha lista de lidos e preferidos... história linda, linda.... vale a pena.
      Vamos sair dessa zona de conforto e usr louças diferentes, kkkk!
      "Realizando os seus mais desejados sonhos"... poucos, simples e importantes, sempre envolvendo quem amo. Ai, ai...
      Obrigada pelo carinho o ano todo, estou curiosíssima para ver o livro e mais ainda, o papel de carta antigo! :D
      Abraços, tudo de bom!

      Excluir
  12. Boa noite Bia, que artigo tão interessante e so mesmo tempo tão engraçado. Sabe, olhei ali quase em frente e vi algumas das minhas louças enfeitando o movel.E tantas vezes me pergunto, porque comprei aquilo se agora não uso. Agora até não se usam mais e alem de frageis sao bem pequenos.Enfim! So um aspeto. Jamais pedi a alguem para limpar e eu propria tambem raramente limpo, porque o pó não entra lá! Era um pouco moda, fui eu que comprei quando casei e so por isso guardo. Meus conceitos mudaram e no dia a dia tudo muito pratico.
    Imagino o que sofreu. Isso não.
    Bia desejo-lhe um santo e feliz Natal e um Novo Ano cheio de alegria, amor e muita paz. Beijinhos Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime!
      O dia a dia privilegia a praticidade e talvez por isso as cristaleiras e biscuits tenha caído em desuso... e porque conserva, afinal? Certamente porque apesar de antiga é uma peça cheia de charme!
      Eu gostaria de ter uma pequena cristaleira, em cor clara e de uma porta só, num cantinho de casa de praia... com louças bem simples dentro. É.
      "Imagino o que sofreu"... interessante ponto de vista... não diria que sofri, mas trabalhei sempre muito, desde muito nova, o que suprimiu um pouco da vida... e trabalho demais até hoje (o estava fazendo até à pouco)... mas há o lado bom, de me tornar uma pessoa valorosa, trabalhadeira, cuidadora. Pensemos no lado bom.
      Abraços, agradeço muito seu carinho, estarei em seu espaço antes do Natal.

      Excluir
    2. É isso Bia, pensar nos aspectos positivos das situações e o que vamos aprendendo com elas! Obrigada pelo seu carinho. Hoje estou preparando o jantar de Natal, Amanhã estarei com mais Família, mas um pouco nostálgica pois tenho meu filho mais velho longe;)) -América do Norte.! Renovo meus votos. feliz natal e um Ano Novo repleto de coisas muito boas para si e sua Família. Obrigada pelo seu carinho. Ailime

      Excluir
    3. Ailime, estava à pouco preparando a sobremesa de hoje, também a meu cargo a maionese e o arroz... acredite, sei o que é ter alguém que a gente ama, longe nesse dia. <3
      Amanhã haverá o almoço, strogonoff a meu cargo, hahaha - sou uma das donas das "panelas", hahaha.
      Que a paz esteja conosco e que o nosso amor alcance quem está longe. Abraços!

      Excluir
  13. Bom dia Bia.. temos uma cristaleira muito antiga, a única recordação da nona.. meu pai não vende ela nem nos sonhos rsrs
    teve colecionador que já quis comprar.. tinha o jogo completo, mesa tb, minha mãe sempre achou incomodo,. eu até acho legal, pq era trabalhoso e quem fazia fazia com amor, os detalhes sempre muito belos.. hj em dia tudo muito simples.. mas os tempos são assim né.. te desejo lindas festas.. abração e até sempre Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samuel! Do meu avô lembro-me de uma estante de livros e de uma chapeleira que ele mesmo construiu - ele era marceneiro. Puxa, eu gostaria de ter ficado com essas peças, mas se foram junto com sua partida, uma pena.
      Acho os móveis coloniais muito bonitos, tem razão... o entalhe único da madeira é algo que não se vê mais. Porém gosto dessas peças cercadas de clores claras, para contrapôr a austeridade com a leveza.
      Agradeço o carinho, abraços, tudo de bom!

      Excluir
  14. Oi Bia,

    A melhor vida é aquela vivida sem "frescuras". Há gente que se apega a tantas coisas, enquanto que muitos não tem a quem se apegar. Dou valor a tudo o que tenho e não tenho nada do que não uso ou precise. Aprendi a viver assim, quanto menos complicação melhor e estou feliz assim.

    Boas férias e Feliz Natal.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nestor!
      Interessante... o ponto de vista da simplicidade talvez nasça justamente da questão "a quem se apegar"... ao "que" se apegar é conquistável com bastante trabalho e faz com que as pessoas queiram estar perto, mas o ao "quem" se apegar é conquistável através de sentimentos sinceros que independem de condições financeiras.
      Se eu precisasse escolher dois "irmãos" de blogosfera, seriam você e Sissym... hábitos e escolhas próximos e paralelos. Temo a ausência de reconhecimento de simplicidade nas pessoas próximas a mim por produzir uma sensação de distância que não me é confortável. Simplicidade independe de condição econômica... conheço pessoas de posse muito simples e outras que mal tem o que comer e parecem carregar um rei na barriga, kkk.
      O melhor do seu comentário? "Estou feliz assim". Chegamos ao que importa.
      Com ou sem chinelos.
      Abraço, tudo de bom!

      Excluir
  15. Tem muita razão. Que sentido tem um presente que não é usado?

    Aproveito para lhe desejar um Santo e feliz Natal, com muita saúde alegria e amor, junto daqueles que ama.
    Um abraço amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elvira! Saibamos receber nossos presentes dsejados de coração aberto!
      Obrigada pelo carinho, abraços, tudo de bom!

      Excluir
  16. Olá, Bia.

    Sonhos ou coisas demoradamente guardados perdem o sentido, aguardam momentos que podem não existir. O tempo presente é o grande e real presente que a vida nos dá.

    Desejo a você, seus amigos e família, um maravilhoso natal e um renovador ano novo; repleto de todo bem possível, transbordante de felicidade, saúde, paz e toda luminosidade do Divino Mestre Jesus.

    Um abração cheio de boas vibrações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Apon!
      Tem razão... realizar sonhos é algo importante, quanto maior o sonho, maior o receio de realizá-lo, maior a alegria de realizá-lo. Desejo ardentemente que não se percam no tempo, quando isso acontece a gente acaba se perdendo também.
      Agradeço o carinho e as felicitações. Boas vibrações para você também! :D
      Um abraço, tudo de bom!

      Excluir
  17. Oi Bia,

    Minha avó ainda tem uma cristaleira com presentes que ganhou do casamento há mais de sessenta anos atrás.
    Ela também nunca permitiu que os jogos de xícaras de porcelana fossem usados. Mas é engraçado, quando nos reunimos cada um diz que vai ficar com uma peça quando ela morrer, ( Sim é mórbido) brincamos com isso, mas é a mais pura verdade rs

    ( Numa dessas brincadeiras fiz minha avó assinar num papel em branco que um dos jogos seria meu...... ( Guardo a assinatura dela a sete chaves) kkkkkk

    Boas festas

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      É mórbido aquilo que não é pensado/falado em tom de brincadeira... não me parece o caso. Essa tradição de guardar as louças é algo muito presente especialmente nos mais antigos. Hoje em dia o costume de presentear com louças finas se perdeu, a vida tornou-se mais prática... é curiosa ver na passagem do tempo o transformar de tradições. Aliás, apesar de toda a modernidade, gosto de tradições.
      Fiquei imaginando sua avó sendo persuadida a assinar o papel, kkkk!
      Abraços, tudo de bom!

      Excluir
  18. Oi Bia, boa tarde,
    desculpa pela minha ausência,
    já não tenho o tempo que eu costumava ter =(

    Desejo-te um Natal bonito na companhia dos entes queridos
    deixo um beijo e um abraço de Natal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ariel!
      Tempo é artigo raro, kkk, o meu também andou curtinho...
      Tudo de bom, obrigada pela visita! Que seu Natal seja mágico!

      Excluir
  19. B-i-a..... rsss... eu já sonhei ter uma cristaleira do tipo antiga com vidros bisotês. Em museus e casas que tem estes modelos, costumo admirar. Contudo, nunca parti para a ação de comprar por não querer justamente ter que limpar (falta de tempo para pequenas coisinhas). O fato que depois de ter me mudado resolvi me desapegar de tudo que não usava, hoje tenho o essencial para o dia a dia e acho isso perfeito.

    Estimada amiga,

    Desejo a voce e seus familiares um
    FELIZ NATAL e que venha um Novo Ano de paz. saude e realizações.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym! Certamente a peça de minha mãe hoje em dia valeria uma pequena fortuna em um antiquário. É preciso mesmo tempo... a cristaleira perde sua beleza quando empoeirada e com digitais nos vidros. :p
      Estou esperando passar o "fervo" do Natal para iniciar minha limpeza de férias... nessas ocasiões desapego de tudo que está sem uso há alguns meses. Em apartamento não dá para acumular coisas - ou acabaria sem espaço para nós, kkkk.
      Desejo que seu Natal seja encantador, com alegria, paz, harmonia e sentimento de renovação. Abraços, tudo de bom!

      Excluir
  20. Oi Bia

    quebremos o copo então e usemos tudo que há em nossa cristaleira, a vida não foi feita para ser guardada, pois, se perderá sem ser usada!

    Feliz Natal, de amor, paz, alegria e muita saúde para você e os seus!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Van!
      Perfeito! Somos cristaleiras guardando tesouros que precisam ser compartilhados com quem amamos! :D Adorei!
      Agradeço o carinho, abraços!

      Excluir
  21. Bia se der vou tirar hoje uma foto da cristaleira da minha avó com todos os jogos que ela tem guardado, tem um em especial que desde que tinha 3 anos sou louca por ele.
    Meu avô sempre fazia limonada pra mim e qdo minha avó saia ele pegava o copo (sagrado) kkkk e me dava pra beber, ai lavávamos rapidinho e ele colocava no lugar....rsrs
    Eu tinha 2 anos e pouco e lembro disso...ninguém toca nas louças dela a não ser pra limpar affff.....tbm acho que tudo deva ser usado, não guardo nada.
    Minha querida amei o post pois voltei a mais de 39 anos atrás......e desejo a vc e toda sua família um feliz natal e que o ano novo seja de paz e conquistas....e se Deus quiser estejamos juntas novamente.
    Amo te ler sempre!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia! Vanessa contou da cristaleira acima, kkkk, e da possível partilha de xícaras, kkk!
      Vou adorar conferir as fotos - sua história com seu avô é um barato, kkk, aquelas pequenas travessuras que guardamos com amor na memória do coração, não é mesmo? Em geral essas lembranças simples são as que fazem mais sentido na nossa vida.
      Fico feliz por ter despertado boas lembranças e desejo que seu Natal seja de paz... continuaremos por aqui! :)
      Abraço, tudo de bom!!!

      Excluir
    2. Tirei as fotos vou fazer um post e te aviso kkkk amei mesmo recordar isso....vc desperta sempre coisas boas e reflexões agradáveis em seus textos.
      Agora que li o comentario da Vanessa ela praticamente obrigou minha avó assinar kkkk mas aquelas xícaras já tem dono como dizem abafa o caso..kkkkkk

      Excluir
  22. Hoje, passando para desejar que neste Natal e em todos os dias de 2015, possamos fazer de Jesus nosso melhor amigo, pois Ele é o maior motivo do Natal e da nossa existência. Feliz Natal e um Novo Ano cheio de amor, paz, amizade, humildade e sabedoria.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ani!
      Obrigada pelo carinho e lembrança, que seu novo ano seja especial! Um abraço, tudo de bom!

      Excluir
  23. Oi, Bia! Sempre achei essa história de usar determinada louça só quando se tem visitas ou quando é uma ocasião especial. Acho que deve ser usado sempre, o esquecimento acaba por fazer as peças perderem o valor.
    Te desejo um natal farto e abençoado!
    Bjos!!
    http://amonailart.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Val!
      Tem razão... o que escreveu me fez lembrar algo que um ex-patrão sempre repetia: "o que não é visto, não é lembrado".
      Obrigada pelo carinho, vi as fotos do encontro de blogueiras, adorei! :D
      Um abraço, tudo de bom!

      Excluir
  24. Olá! Olha, eu adoro cristaleiras hein, de imbuia? nossa, vale uma nota hoje em dia! abração feliz ano novo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ives, não deu para esperar a valorização, rsrsrs. Um abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.