sexta-feira, 3 de abril de 2015

Fazendo a diferença

OBS: por motivos pessoais passarei uns dias sem postar aqui, mas nas horas vagas continuarei visitando e comentando nos blogs. Pretendo voltar em breve, ainda em abril.


É Páscoa, sinônimo de ressurreição, algo que pode acontecer de diversas maneiras: novas atitudes, novos pensamentos, ideias a serem colocadas em prática... mais do que jejum, chocolate ou bacalhau, a Páscoa é como uma segunda-feira da alma, aquele dia em que prometemos que vamos fazer diferença.

Por esse motivo hoje eu trouxe mais três histórias de boas iniciativas motivadoras para dar aquela ideia a quem deseja fazer o bem:

Empresária do chocolate
imagem daqui




Uma senhora trabalhava como cozinheira em uma casa de família de alguém que tinha posses. Seu patrão percebeu o quanto era dedicada e talentosa, sobretudo na confecção de doces, e pagou-lhe um curso para se aperfeiçoar em chocolates na Suíça. No retorno, percebendo o quanto havia evoluído, oportunizou a abertura de uma chocolateria com fábrica própria para ela (sem ser seu sócio). O negócio deu tão certo que expandiu e está abrindo filiais inclusive fora da cidade.

O patrão perdeu a funcionária, mas ganhou em generosidade.


Mantas de bebê


Uma colega de trabalho contou a curiosa história de sua amiga. É uma senhora casada com alguém em boas condições financeiras, não precisando trabalhar mais, porém é apaixonada por costura. Trabalhou por anos com vestuário infantil. Hoje em dia fabrica mantas de excelente qualidade e acabamento, porém sem fins comerciais, e sempre anda com alguma mantas em uma sacola.

Como gosta de andar de ônibus, assim que vê uma moça grávida dá um jeito de sentar próxima à ela, e após um dedo de prosa, oferece gratuitamente uma de suas mantas para o bebê. Fiquei encantada com sua generosidade e sobretudo, com seu jeito original de distribuir as mantas.

Luta contra o aborto


A cantora Elba Ramalho tornou-se voluntária da ONG Pró-vida há oito anos, em período de reencontro espiritual. Tornou-se ativa militante do programa, sobretudo por ter sofrido uma experiência de aborto e saber o quanto a atitude pode deixar marcas em uma mulher.
Em alguns momentos ela pessoalmente chega a ligar para a mulher em situação de aborto para oferecer ajuda. Mantém uma casa onde podem ficar as meninas que não tem para onde ir e recebem acompanhamento até o nascimento do bebê. Após isso, se desejarem encaminhar a criança para a doação, a própria ONG se encarrega dos trâmites legais.

Por essa iniciativa já sofreu a perseguição de feministas contrárias à sua atitude. Penso que ela não está desrespeitando a escolha de quem deseja realizar um aborto, e sim auxiliando naqueles casos em que a pessoa está optando por essa solução por se sentir sem saída.

Elba também é madrinha da ONG Aconchego, que encaminha legalmente crianças e adolescentes para a adoção.


Feliz Páscoa
A minha será especial, incrível, sobretudo por quem estará comigo! :DDD



32 comentários:

  1. Oi Bia, que histórias lindas!
    Parabéns pelo post!
    Bjssss amiga e uma feliz Páscoa p/vcs

    ResponderExcluir
  2. Ainda há gente generosa.
    Desejos de uma Santa e Feliz Páscoa. Especialmente com saúde e o carinho de todos os que ama.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira! Obrigada pelo carinho, um abraço, tudo de bom!

      Excluir
  3. Que belas mensagens, Bia. E no caso do homem que ajudou a empregada, não teria mal algum se ele fosse sócio. Mas de qualquer forma, é um grande gesto. Tenha uma linda Páscoa, vc e sua família. bjão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio! Coloquei que ele não era sócio porque geralmente as pessoas que participam desse tipo de contexto estão visando lucros, o que não foi o caso, o que torna tudo ainda melhor.
      Abraço, tudo de bom!

      Excluir
  4. Oi, Bia!
    A minha mãe fez um trabalho muito parecido com o da Elba, mas ela não tinha o apoio de uma ong. Tudo vinha de seu próprio bolso. Nem existia ong naquela época... Algumas vezes, no meio da noite, alguém entrava em trabalho de parto e as crianças saiam correndo atrás da parteira enquanto minha mãe dava assistência a pessoa. As crianças não eram enviadas para a adoção, mas enquanto a mulher esperava o filho nascer, era-lhe ensinado o corte e costura, onde as mulheres aprendiam a fazer roupas para os recém nascidos e crianças maiores de um orfanato local. Ah, as aulas era no orfanato onde essas mulheres podiam estar em contato com as crianças que foram colocadas para adoção. Acho que já lhe contei que a minha mãe varava noites pregando botõezinhos manualmente em casaquinhos de flanela. O que aprendi de tudo isso é que se quisermos fazer algo, não devemos pensar muito. É ir e fazer! É bonito achar bonito, mas é mais bonito colocar a mão na massa.
    Linda a história da senhora que fazia mantas para os bebês e bonito gesto do patrão com sua empregada. Não existe felicidade plena que não passe por nvestir na felicidade de outra pessoa. Sentir que as possibilidades foram plantadas e que foram colhidas, satisfaz não somente quem realiza, mas quem também apostou na realização de um sonho.
    Feliz Páscoa!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luma! Que linda a história da sua mãe, e justificável o motivo pelo qual a admira tanto.
      Parece-me que as mulheres da ong de Elba também aprendem ofícios. Penso que conviver com crianças deixadas para a adoção deve ter feito muitas repensarem sua própria decisão, que caminho inteligente para conduzir as coisas!
      Com certeza o pensar demais trava porque aparece aquele velho fantasma que diz que não irá dar certo! E geralmente quando se decide fazer, as coisas parecem que magicamente se encaixam, especialmente se há sinceridade de propósito.
      "Não existe felicidade plena que não passe por investir na felicidade de outra pessoa" - liiiinda frase... sem necessidade de maiores complementos. Penso que a vida só faz sentido se estamos felizes e estamos conseguindo fazer ao outro feliz.
      Abração, muito obrigada pela partilha!

      Excluir
  5. Brilhante post que traz belos e expressivos Contos e culmina com algo extraordinário. Gostei muito!
    Tenhas uma ótima Páscoa.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Viviani, que bom ter gostado, tudo de bom!

      Excluir
  6. Querida Bia,

    Belas mensagens! Eu fiquei imaginando a surpresa de ter uma desconhecida falando docemente e ainda presenteando com uma manta. A Elba dá um otimo exemplo e isso faz a diferença!

    Querida amiga, desejo a voce e sua familia um Domingo de Pascoa tão bonito e especial assim como merecem. Estarei com minha filha e meus gatos.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sissym!
      Eu fiquei imaginando também a cena do ônibus, gostaria de estar observando para ver a reação da pessoa que recebe o presente inesperadamente. Deve ser demais!
      Uma época eu tinha muitos retalhos e comecei a fazer colchas com a intenção de doar, mas colchas assim levam bastante tempo, o plano não vingou... penso na ideia das mantas para um futuro, quando estiver aposentada, por exemplo.
      Agradeço muito seu carinho e estar com as filhas e gatos são excelentes companhias... confesso que minha Páscoa foi muito, muito especial para mim. :D
      Abração!

      Excluir
  7. Oi Bia,

    Grandes histórias e grandes exemplos....fazer a diferença faz a diferença, rs

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vanessa... há pessoas que subestimam sua própria capacidade de fazer a diferença, quando basta apenas começar. Um abraço!

      Excluir
  8. Histórias como estas deveriam ser propagadas todos os dias. Amei a atitude de Elba Ramalho, pois concordo plenamente em não ser a favor do aborto. É crime e isso não se discute.
    É tanta notícia ruim todos os dias que qdo nos deparamos com belíssimas pessoas com corações enormes, me dá um orgulho muito grande.
    Belo post, menina!
    Boa semana, beijos e venha qdo der. A vida é assim mesmo, às vezes aqui, outras ali, acolá, o importante é estar bem e fazer o que dá prazer.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clara!
      Ah, eu também sinto orgulho de ler histórias assim... temos a tendência a focar no que é ruim, quando há tantas coisas e pessoas boas em volta. Talvez se passarmos a enxergar e valorizar mais essas atitudes as coisas mudem aos pouquinho os cenários injustos e trágicos que enxergamos todos os dias. E tem razão, o importante é estar ebm e fazer o que dá prazer. :)
      Abraço!

      Excluir
  9. .

    Eu só vim te dar um
    beijo com gosto de
    chocolate. Gosto de
    festa, de amizade.




    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Silvio! Também gosto de festa e amizade, alimentam a alma. Um abraço!

      Excluir
  10. Oi Bia, como você está?

    Por esses exemplos que você nos trouxe e tantos outros que existem por aí, trabalhando pelo bem, alguns quase que no anonimato, é o que me faz acreditar que o ser humano ainda tem jeito. É o que me faz acreditar que o verdadeiro significado da Páscoa possa acontecer.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nestor, estou bem, e você? O anonimato é interessante sob o ponto de vista de fazer sem o interesse de receber reconhecimento ou algo em troca, por outro lado só quando divulgamos fomentamos essa esperança do bem entre as pessoas.
      A Páscoa, o renascimento de dentro para fora, pode acontecer todos os dias, quando deixamos que boas iniciativas aflorem.
      Abraços!

      Excluir
  11. Boa noite Bia, cheguei atrasada mas a tempo de ficar bem emocionada com a generosidade dessas três pessoas maravilhosas que estão no centro das três histórias!
    Agradeço muito a partilha e desejo que tenha passado dias maravilhosos! Posso adivinhar;))!
    Continuação de felizes festas pascais.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime!
      Passei mesmo dias maravilhosos! ;))) Agora convivendo com a saudade!
      Essas pessoas são especiais por suas iniciativas silenciosas e sempre que conheço histórias assim inevitavelmente abro um sorriso.
      Que suas próximas festas pascais sejam igualmente felizes!
      Um abraço!

      Excluir
  12. Olá, querida Bia
    Como identifico-me com o seu post e, justamente, vivo doando coisinhas pros futuros bebês de mães solteiras... é o mínimo o dos mínimos bem sei...
    É a Pastoral do berço de minha cidade...
    A gente é uma formiga na multidão mas dormir com a consciência reta é o melhor travesseiro...
    Boa vida, bom sono e vida boa para todos a medida do nosso possível...
    Como tem gente boa nesse mundo de Deus!!! Vc nos oferece belos exemplos...
    Bjm pascal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia!
      Sempre que sei que alguém está grávida faço muita questão de festejar, sejam quais forem as condições. Uma criança sempre deveria ser bem vinda ao mundo por ter o poder de transformar uma pessoa positivamente, quando se deixa que seu amor se espalhe.
      Interessante a ideia da Pastoral do berço! :) Em minha cidade tem a Pastoral da Criança, que cuida de crianças em situações de risco ou extrema pobreza, mas do berço não havia ouvido falar. Que legal!
      É bom ler sobre o que é bom, não?
      Um abraço!

      Excluir
  13. Oi Bia, quanto tempo!!!
    Já era pra ter passado aqui há meses, tô envergonhada de ser tão mal agradecida. Recebi seu livro, está na minha mesinha de cabeceira, e sempre que o sono deixa, leio um pouquinho.
    Muito obrigada! Qdo terminar, prometo uma resenha. #Oremos
    Que história liiiiinda dessa senhora que faz mantas e dá de graça. como ainda existe gente boa nesse mundo, né? #Inspiração
    Tbm ainda estou dando um tempo do blog, mas a saudade é enorme.
    Te deixo um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, Paty!
      Que bom que gostou do livro, vida com nenê pequeno muda toda a rotina e sua ausência é plenamente justificável.
      Se postar a resenha, por favor, me avise... não é toda semana que consigo visitar, portanto, pode passar despercebido. Logo escrevo, aliás, já estou morrendo de vontade e com várias ideias de escrita, rsrsrs, mas antes estou precisando retribuir algumas visitas.
      Abraço para você e toda a família!

      Excluir
  14. Olá Bia!
    Hoje venho trazer os meus votos de uma ótima semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Viviani! Ótima semana pra você também! Um abraço!

      Excluir
  15. Bom dia Bia..
    a diferença pode ser feita por cada um de nós..
    ontem mesmo fomos caminhar e havia plastico de salgadinho espalhados pela calçada.. ajuntei e levei a lixeira.. quando voltava da caminhada havia um senhor com uma sacolinha ajuntando garrafas e copos de bebida que baderneiros deixaram pela noite.. tipo num ponto qualquer da cidade, não na frente do seu lar..
    e assim é com tudo.. basta um estalar dentro de nós.. ao invés de julgar melhor é fazer..
    o patrão que dá esta chance tem uma recompensa muito grande..
    não só explorar mas ajudar, fazer a pessoa ir além do que esperava.. abraços e lindo dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel!
      Ainda hoje expliquei isso às crianças na escola da tarde. Sempre ensino meus alunos a não deixar sujeira espalhada quando fazer recortes, mas acontece de voar algum pedaço para a carteira do vizinho, e a criança simplesmente se recusa a juntar porque o lixo não é seu.
      Cooperativismo e boas iniciativas são sempre bem vindos.
      Não só patrões, como qualquer pessoa do nosso convívio, como é bom quando há pessoas que nos ajudam a ir além do que nós mesmos imaginamos ser capaz! Talvez dos maiores presentes que podemos receber.
      Abraços!

      Excluir
  16. Passando para uma rápida visita, Bia, a um espaço que transpira energia positiva.

    Um beijinho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ac! Gerar energia positiva faz bem a quem dá e a quem recebe! :) Um abraço!

      Excluir
  17. Ola, Bia!
    Esses são três exemplos que compravam que nada se compara à felicidade de "dar".
    Bom domingo.
    Beijo da Nina

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.