sábado, 25 de julho de 2015

Paralelas e Perpendiculares

Ontem passei por uma situação inusitada. Preparei uma aula que achei que seria superfácil de explicar para meus alunos de 5º ano, paralelas e perpendiculares. Fiz anotações no caderno, dobraduras, comparações - "postes são paralelas, o cantinho das paredes são retas perpendiculares que se encontram" - fiz uma pipa para mostrar que a estrutura era uma perpendicular, desenhei mapas no quadro para mostrar ruas paralelas e ruas que formam esquinas - perpendiculares...

imagem lívia mascarenhas


Só faltou eu virar cambalhota, hahaha, e mesmo assim, cerca de 30% da sala não entendeu, o que minha auto-exigência considera um número alto demais. Lembrei da fala da profª Emília Ferreiro, com quem tive uma palestra esses dias atrás, mais ou menos assim: "às vezes você acha que está mostrando ou explicando algo com muita clareza e o outro lado está entendendo tudo errado".

Quem nunca passou por isso antes? Sempre acontece. Mas como professora, preciso encontrar meios de fazê-los entender e se alguém tiver uma sugestão, agradeço.

Quem sabe se eu ensinar de uma maneira poética? No Dia dos Namorados escrevi um texto que não publiquei por achar que o assunto amor estava desgastado nessa data, mas achei no rascunho e transcrevo aqui um trecho: "o amor não são pessoas paralelas,  acontece no vértice 0 entre duas perpendiculares distintas que caminham, se encontram e desejam seguir em uma mesma linha, sem competições, projeções ou vencedores, onde o amor, o carinho e o cuidado são um objetivo único e indissolúvel".Como sabem, já achei meu ponto 0, rsrsrs, acho que isso está bem claro!

Sobre a fala da Profª Emília, há semanas um dia perguntei para minha filha, "você não acha que sou uma pessoa muito simples de entender?". Ela me olhou com aquele jeito de quem está pesando se deve falar a verdade, kkkk, e eu entendi tudo. Fiquei assustada e disse, "puxa, mas eu sou uma pessoa tão simples, e tudo o que eu quero é simples"...

Ela disse, "mãe, você é mesmo uma pessoa muito simples, mas tem um pensamento complexo, nem sempre é fácil acompanhar". Percebendo que fiquei pensativa, tratou logo de emendar: "mas pessoas como você são sempre especiais, mãe, porque são diferentes". Ela sabe o quanto ouvir seu complemento foi importante para mim. Outro pontinho 0 na minha vida.

Sempre agradeço por ter essas esquinas habitando aqui dentro. Desejo uma vida com perpendiculares significativas para vocês! :)

31 comentários:

  1. Que lindo,Bia e que amor tua filha!!Adorei e ela falou com tanto carinho,né? bjs praianos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chica, ela é mesmo especial, e me conhece muito, sabe que se não tivesse complementado eu ficaria com grilos na cabeça, rsrsrs. Mas ela tem razão... meu pensamento se expande e acaba deixando pontas soltas que dão margem para interpretações confusas, embora tudo esteja muito claro na minha cabeça, é algo que preciso melhorar. Abraços!

      Excluir
  2. É mesmo assim, Bia, a mensagem, por muito clara que nos pareça, às vezes não passa!
    Adorei o texto de amor geométrico, com retas, perpendiculare, paralelas e o milagroso vértice!
    Bom domingo.
    Beijo da Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nina!
      Em vários cursos que fiz entendi que a mensagem depende de uma série de fatores, conhecimento de mundo, cultura, pontos de vista, que diferem de um para o outro, e portanto, causam interpretações diferenciadas.
      Que bom que gostou da minha comparação poética, é a partir do vértice que a história se constrói. Abraços!

      Excluir
  3. Boa tarde Bia, temos tanto em comum!
    Adorava ter sido professora e acho que ia ser exigente e também ficaria "frustrada" se não me entendessem!
    Sobre a personalidade aqui em casa dizem-me o mesmo e lá fora decerto têm uma opinião distorcida da qual não me importo nada!
    Resumindo. Sabe o que eu acho? Continue sendo assim verdadeira e ensinando desse seu jeito que tenho a certeza é o correcto! Há alunos que parece estarem ausentes, mas por vezes são os que retêm mais e só muito mais tarde se observam os bons resultados!
    Beijinhos e um domingo cheio de alegria).
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Ailime!
      Sou exigente sobretudo comigo mesma, e como a turma é boa, acabo me cobrando encontrar um forma de ensinar. Fiquei pensando depois que para tudo tento dar tantos exemplos, ver as coisas por tantos pontos de vista, mostrando todas as probabilidades, que os conceitos ficam confusos, preciso ser mais objetiva e sucinta na hora de falar/escrever, pois os conceitos são claros: paralelas, linhas lado a lado, perpendiculares,linhas que se encontram em um ponto. Simples. Minha filha deu uma boa dica, levá-los ao pátio para encontrar paralelas e perpendiculares.
      Já me importei muito com os outros, hoje o que me importa mesmo são as pessoas que eu amo, penso assim como você. Minha filha sabia que eu ficaria remoendo minha complexidade e buscando um meio de me fechar e sabiamente apontou que isso não era um defeito, mas uma qualidade, e isso é muito significativo vindo de uma filha, que convive comigo desde que nasceu e que ainda tive que educar, rsrsrs.
      Penso que ser verdadeira é uma qualidade pois as pessoas sempre saberão quem está ao lado, não serão enganadas. Abraços!

      Excluir
  4. A experiência de perguntar aos filhos sobre nós, sem dúvidas, nos dá um certo medo. Acho que são nossos maiores críticos, assim como mães somos com eles, e isso é bom. Não floreiam nem nada e nos corrigem, sem nos desmerecer. Faço isso de vez em quando e me surpreendo. Temos muito bom humor e isso ajuda muito. O importante é a comunicação clara e liberta, sem pensar em desvalorização. Cada um com seu jeito e só.
    Acho que valeria uma unica vez vc fazer esse questionamento aos alunos. Quem sabe?
    Beijos, boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clara! Me identifiquei muito com seu parágrafo falando sobre a relação com seus filhos, é bem isso mesmo. Penso que quando eles tem essa liberdade de falar como nos veem sem floreios é superpositivo, pois significa que se sentem à vontade conosco, isso é muito bom. Temos uma relação de muito respeito uma com a outra e fico muito feliz por ela me achar especial, sempre diz isso, "só eu tenho uma mãe que nem a senhora". Ela e meu amor são as duas pessoas em que confio muito inclusive em relação à mim, pois me conhecem profundamente.
      Já fiz esse questionamento aos alunos, rsrsrs, sempre questiono, até para nortear minhas atitudes... não só eles, como a comunidade escolar me considera uma ótima professora - modéstias à parte, mas acontece, né, um ou outro conteúdo acaba sendo mais difícil por falta de noções básicas. Muitos, por exemplo, não sabiam o que era esquina... aí fica difícil, né? rsrsrs
      Mas agradeço o toque! Acho importante a maneira como essas pessoas mais próximas nos veem para que possamos agir sempre de forma acertiva.
      Abraços!

      Excluir
  5. Oh vida Oh Dor.
    Bia, acho que sua filha ia dizer o mesmo de mim, pq é o que a minha fala.
    Sou simples e complexa ao mesmo tempo.
    Sobre dar cambalhota, nos dias de hoje, perto dos tablets e celulares com internet, as aulas passam a ser menos interessantes. De um lado, os jovens sabem coisas que nos esforçamos a entender, contudo, o conteudo, o aprofundamento.... eu penso que a ultima geração, a atual e talvez a proxima terão menos criatividade, espontaneidade, safeidade (se safar dos apuros do cotidiano), inteligencia emocional e mais.

    Voce já viu a diferença entre um arquiteto de prancheta para um de autocad?! pois é.... é um exemplo. Não sou arquiteta, mas já vi e isso me impressionou.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sissym! Como você sempre diz, fomos separadas na maternidade, hahaha!
      Ser simples e complexa tem o lado bom e ruim, traz uma carga contraditória. Por muito tempo lidei com essa confusão interior e talvez por isso tenha sofrido muito. Hoje pelo menos sei quem sou em meio a tudo isso, uma mulher simples que quer amar, ser e fazer feliz. Com você também é assim?
      Sinto muita falta de recursos tecnológicos eficientes na escola. Penso que o novo modelo de educação deveria oferecer um computador com internet para cada aluno. No decorrer das aulas os alunos participariam com pesquisas, jogos interativos, produção de texto... mas sei que se um dia isso acontecer, infelizmente já será uma tecnologia ultrapassada, rsrsrs, o que é uma pena, pois tenho certeza que os recursos tecnológicos bem usados fariam maravilhas pelas próximas gerações.
      Gosto de tudo ligado à arquitetura e fiquei curiosa sobre o autocad, pesquisarei.
      Abraços, fadinha!

      Excluir
    2. Bia, irma (bem) mais jovem separada na maternidade!

      Eu tenho uma alma tecnologica, sou muito curiosa. Contudo noto que faz com que as pessoas pensem menos. Já viu trabalhos feitos que são ctrlC + ctrlV? pois é.... vendem a $ 5,00 aos preguiçosos de todas as idades! Lastimavel.

      Sobre o Autocad, muito legal, ao inves de usarem calculos e pranchetas, usam este programa que por sinal é muito bom e eficiente. Mas dizem entre eles que os mais modernos não sabem fazer calculos na ponta do lapis. Pode ser... afinal tem alunos que usam calculadoras e não sabem a taboada!

      Bjs

      Excluir
    3. Olá, Sissym! Seu exemplo é um clássico da tecnologia mal utilizada. Veja, por esse motivo defendo o uso da tecnologia desde a tenra idade... uma criança que crescesse aprendendo a pesquisar, tendo esse gosto despertado, sabendo usar as ferramentas disponibilizadas pela tecnologia, não teria vontade de simplesmente copiar um trabalho, pois teria prazer em mostrar suas estratégias e recursos. Compreende? Ou... talvez seja mais uma das visões poéticas e ilusórias que tenho da vida, kkkk! Ainda mais que para isso seria necessária também a mudança de cultura dos pais.
      Por outro lado concordo e estimulo o uso constante do caderno concomitante com a tecnologia. O básico - saber escrever, realizar operações mentalmente, seu processo, saber tabuada - são fundamentais. Como em tudo na vida, com sabedoria e equilíbrio penso que a educação só teria a ganhar.
      Ainda espirarei o Autocad, rsrsrs. Beijos!!!!

      Excluir
    4. Muito interessante, estou me lembrando de vc ao assistir neste momento Navegador da Globo News. Defendendo a utilização da tecnologia em sala de aula, mas um dos impasses é a má qualidade da internet.

      Excluir
  6. Olá, Bia, sim,tudo "riba" comigo!
    -gostei da sua tentativa de explicação , utilizando outros artifícios para seus alunos...
    - "às vezes você acha que está mostrando ou explicando algo com muita clareza e o outro lado está entendendo tudo errado"...ou... cada um entende da forma que querem...
    - lindo o seu texto poético... o amor verdadeiro é (quase) igual uma reta, enquanto essa é uma linha que tem início mas não tem fim, o amor é mesmo assim, começo, meio e não tem fim....e perpendiculares porque se cruzam em forma do
    símbolo ‘♥ ’...
    -e aqui um ponto +- coincidente:..." você é mesmo uma pessoa muito simples, mas tem um pensamento complexo, nem sempre é fácil acompanhar"...a minha , pensa a mesma coisa...
    Agradecido pelo carinho,feliz semana,belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felis!
      Pois é, como professora tenho que oferecer vários recursos para tentar atingir o maior número de diferentes formas de entendimento possíveis que habitam uma sala de aula, procuro ser bem flexível... mas dessa vez acho que ainda estavam sob efeito "férias", kkk!
      "Cada um entende da forma que querem"... bem colocado, cada um interpreta da forma que lhe convém, rsrsrs, também acontece. Um dos mais difíceis e generosos exercícios que existem é a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro e enxergar as coisas pelos seus olhos, e não a partir das minhas verdades e opiniões pré-concebidas, o que evita uma série de julgamentos/interpretações injustas e erradas.
      É, o amor não tem fim... eu amo mais e mais a cada dia e não quero que essa linha tenha fim nunca, rsrsrs.
      Sua filha pensa o mesmo sobre sua personalidade simples/ complexa? Deve ser "mal" de blogueiro, hahaha!
      Abraço!

      Excluir
  7. Olá Bia,

    Sinto que você se esforça ao máximo com os seus alunos e também já percebi que você é uma excelente professora. Nem sempre o que parece fácil ou óbvio para um chega a ser claro para outrem. Em matéria de ensinar, nem sempre se consegue passar uma questão com unanimidade de entendimento, por mais clara que ela pareça ao expositor. Então, o jeito é mesmo buscar maneiras que possam facilitar a assimilação do tema por parte dos alunos que não alcançaram o entendimento necessário.. A interação é fundamental no processo de construção do conhecimento.
    Lindo o fragmento poético do seu texto não publicado.
    Gostei mesmo foi da 'emenda' da sua filha-rsrs.

    Ótima semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vera!
      É verdade, por esse motivo escolhi ficar só em um padrão, me cobro bastante em relação a um aprendizado de qualidade, sei do quanto um professor interfere na vida do aluno. É interessante como há conteúdos que considero difíceis que eles pegam rápido e outros que acho simples que eles demoram a pegar... mostra o quanto o entendimento sobre uma questão é pessoal.
      Como em tudo na vida seria mais fácil se eles simplesmente perguntassem quando tivessem alguma dúvida, isso evitaria muito trabalho e confusão, mas em geral eles tem vergonha, não de mim, que sempre procuro ser acessível, mas dos colegas tirarem sarro. Coisas da idade.
      Esse fragmento é um dos que mais ilustram o que penso sobre um relacionamento, não ter alguém ao lado, e sim ter alguém junto, e aqui só há uma pessoa que cabe <3. Parece a mesma coisa, mas não é... como paralelas e perpendiculares, hahaha!Minha filha é um barato, sempre muito sincera, e sabe cuidar bem dos meus sentimentos.
      Abraços!

      Excluir
  8. Você me fez lembrar meu tempo de professor de desenho, os meninos da quinta série, virados no 220 e o básico do básico da geometria, para alguns parecia indecifrável hieroglifo. Agora, professor com pensamento simples? ...

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon, tem razão... nos dois primeiros anos, quando deveria ocorrer a introdução da geometria, o professor está com o tempo apertado para encaminhar os alunos na alfabetização. Nos 3os e 4os anos, empenhado em ensinar conceitos mais urgentes, como as quatro operações... e a geometria, considerada como 2º plano, chega deficitária no 5º ano. Confesso que sempre tive mais facilidade para Matemática e Desenho, talvez por esse motivo me pareça simples, rsrsrs.
      Agora tem razão... professor com pensamento simples, é para se desconfiar, kkkk!
      Abraços!

      Excluir
  9. Um texto muito bonito. E as crianças sempre percebem quando ficamos apreensivas e têm sempre a palavra certa para nos alegrar.
    Um abraço e uma óptima semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira! Minha criança tem quase 20 anos, hahaha, mas me conhece muito bem, de fato, sabe como me alegrar e sabe quando estou triste. Abraços!

      Excluir
  10. OI BIA!
    A OPINIÃO DE NOSSAS MENINAS, NOS IMPORTA E MUITO.
    ADOREI TEU TEXTO.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Zilani, da filha e das pessoas que amamos. O restante é especulação, rsrsrs.
      Que bom que gostou! Abraços!

      Excluir
  11. Bia, ri de sua conversa com sua filha. Desejamos simplificar as coisas e acreditamos que o fazemos, mas só os demais que podem avaliar se estamos, realmente, conseguindo alcançar nossos objetivos. Sua filha foi ótima. E sincera (rss). Ensinar é tarefa árdua que entendo você desempenha muito bem. Creio que os alunos sabem o que é esquina e assimilam fácil o sentido de paralelas, mas se perdem nas perpendiculares (kkkk). Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marilene!
      É bom quando temos um feedback sobre o entendimento ou não do outro. Duro é quando achamos que o outro lado entendeu e estamos erradas, rsrsrs. Aprendi a sempre esperar um pouco e observar ou perguntar quando penso ter entendido algo errado, muitas vezes descobri que estava mesmo enganada, hahaha.Nos deixamos levar por filtros de julgamentos que vamos acumulando pela vida.
      Seu trocadilho sobre paralelas e perpendiculares foi espirituoso, rsrsrs. Abraços!

      Excluir
    2. Olá, Marilene!
      É bom quando temos um feedback sobre o entendimento ou não do outro. Duro é quando achamos que o outro lado entendeu e estamos erradas, rsrsrs. Aprendi a sempre esperar um pouco e observar ou perguntar quando penso ter entendido algo errado, muitas vezes descobri que estava mesmo enganada, hahaha.Nos deixamos levar por filtros de julgamentos que vamos acumulando pela vida.
      Seu trocadilho sobre paralelas e perpendiculares foi espirituoso, rsrsrs. Abraços!

      Excluir
  12. Bia, jurava que tinha comentado já esse seu texto. Mas repetindo, muito bacana ver essa sua preocupação com seus alunos. E essa conversa com sua filha só mostra o quanto ela te conhece e te ama. rs Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio, que será então que aconteceu?
      Penso que comprometimento precisa haver não só no trabalho, como em todos os campos da vida.
      Minha filha me conhece e quer sempre me ver feliz. :)
      Abraços!

      Excluir
  13. Oi Bia,

    Lendo seu texto, acho que só os inteligentes como "nós", ( sem modéstia, kkk) que filosofam com a própria existência, podem chegar a conclusoes assim, na verdade todos os pensamentos sempre vao além...

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Realmente não consigo dissociar o ato de viver da filosofia, e sempre me vi pensando sobre essas questões, desde muito nova... e sei que esse olhar e meditar sobre si mesmo falta para que as pessoas evoluam. É mais fácil olhar para o que o outro pensa/ faz do que para si mesmo.
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.