sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Uma visita especial

Quando eu era pequena morava em um condomínio. Havia (ainda há) um rapaz de bochechas rosadas, que caminhava para lá e para cá como se estivesse traçando um intenso diálogo consigo mesmo, sem emitir um único som. "Ele é mudinho", diziam as pessoas, de lado, murmurando como se fosse alguém de quem deveríamos ter medo ou ficar distante.

imagem daqui



Na verdade a maior origem da ausência de falas é por surdez - como não conseguem ouvir, os deficientes tem dificuldades para verbalizar o som, mesmo tendo cordas vocais presenvadas. Essa semana em nossa escola recebemos alguns alunos e professores da escola para surdos da cidade. A visita foi uma festa! As professoras ensinaram o alfabeto e a famosa música da Xuxa, meu primeiro contato com Libras. Os alunos acompanhavam atentos enquanto os alunos surdos iam nas carteiras auxiliá-los para fazerem os gestos corretamente.

A proximidade e empolgação dos alunos me fez ficar feliz... sei que há muito a evoluir em termos de discriminação e preconceito, mas aproximar as diferenças com certeza está provocando lenta e gradual evolução, dirimindo imagens deturpadas como as que criavam anos atrás.

Assisti durante o programa "Como Será" essa reportagem ---> aqui mostrando a criação brasileira do aplicativo "Hand Talk" por amigos de Maceió e eleito pela ONU o melhor aplicativo social do mundo!!!! Olha que legal!!! Baixei gratuitamente no meu celular e é muito simples de utilizar: basta clicar em um microfone, aguardar o sinal do Goggle, falar o que desejar e aguardar novamente, ou escrever uma mensagem. O personagem Hugo, um bonequinho muito simpático, traduz a fala em Libras. Achei muito interessante e aproveitei a visita para usar o aplicativo ensinando cada dia algo em Libras para os alunos, oportunizando maior comunicação e menor preconceito.

Você sabia que cada pessoa tem seu nome traduzindo em um sinal pessoal e peculiar? Isso serve para facilitar a comunicação e menção de alguém em sinais. Qual seria o seu? Muitas faculdades já tem Libras como disciplina obrigatória (cursei um módulo na faculdade bem interessante), o que oportuniza ainda mais proximidade.

Meu filme preferido sobre o tema é "Cegos, surdos e loucos", de 1989, com Richard Pryor e Gene Wilder. Recheado de bom humor, fala sobre a amizade de um surdo que lê lábios e de um cego que faz de conta que enxerga! Humor também é imprescindível para aproximar... abaixo um dos meus trechos favoritos! :DDD


Com palavras, com gestos, com as mãos... amor e amizade sempre entendem, quando o coração é grande! :)



33 comentários:

  1. Saber comunicar, mesmo para quem possui todas as ferramentas, às vezes é um verdadeiro drama. Agora imagine-se alguém, por capricho da Natureza, privado de certas faculdades à nascença. Um desafio e tanto, não é?
    Gostei do post, Bia, principalmente da ideia implícita de construir, aproximar, tentar melhorar sempre. E, quando o nosso trabalho revela algum avanço, isso é verdadeira recompensa, não é?

    Um beijinho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ac! É verdade, sempre comento sobre meus receios sobre as falhas de interpretação que acontecem com quem tem as ferramentas, como disse, de fato é um desafio falar em sinais. O curioso é que Libras inclui o ênfase nas expressões faciais e corporais, o que a meu ver, faz muita falta no contato virtual para leituras acertadas, rsrsrs.
      Penso que o professor não pode desperdiçar a chance de usar seu domínio de turma de uma forma positiva e transformadora, para aproximar de fato, nivelar, ajudar a acabar com as diferenças.
      Abraço!

      Excluir
  2. Que interessante e saber lidar, aprender mais sobre isso sempre é bom,. Agora mesmo, Neno estava falando sobre a palestra que terá na escola, com uma moça com problema auditivo e a instrutora de libras. Já leste SEM FÔLEGO de Brian Selznick ? Um dos personagens tem problema auditivo. na escola estão trabalhando com ele! bjs, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica! Achei curioso que no grupo de três professoras, uma era deficiente auditiva, prova de que o campo de trabalho hoje está aberto a todos.
      Tenho certeza que Neno gostará muito da palestra, eles ficam bem ansiosos para aprender os sinais! :)
      Não li esse livro e gostei da indicação! Estou tentando reservar um tempinho diário para as leituras, sugestões serão muito bem vindas!
      Abraço!

      Excluir
  3. A bondade é uma linguagem que o surdo consegue ouvir e o cego consegue ler...
    Por isso o amor nesta hora deve ser algo a se expressar por meio de respeito e atitude a estas pessoas que por uma mera conhecidencia não possuem o dom que temos de our, ou falar...

    Bela postagem.... bj.. Convido-a a me seguir, ao expressar suas sabias palavras em uanderesuascronicas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre acredito que sentimentos sinceros do coração acabam sendo sentidos de alguma forma, independente de limitações. Penso que o grande ganho atual é o ensinamento de que todos merecem respeito, todos possuem características peculiares, pessoais, ainda que não saltem aos olhos.
      Abraço!

      Excluir
  4. Quanto informação do seu texto, Bia. Mas não só isso, compartilhamento de carinho também e compreensão. Essa sua mensagem final é a mais pura verdade. E que aplicativo genial, não conhecia. Mt bom. Bjs e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio! Professores tem a obrigação de saber um pouco sobre tudo, rsrsrs, as crianças tem um pensamento muito mais adiantado e curioso hoje em dia, e se percebem que o professor está alheio ao mundo, perdem o respeito.
      O que me tocou, Sérgio, foi justamente o carinho, tanto na receptividade da turma, quanto dos surdos que arrumavam pacientemente os dedinhos daqueles que estavam fazendo o gesto inadequadamente. Muito bom! O aplicativo é bem, legal para aprender a língua aos poucos.
      Abraços!

      Excluir
  5. Adorei saber pois as vezes não nos damos conta de como proceder, Bj Lisette.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Listte! É verdade, são curiosidades interessantes de saber, pois podemos encontrar pessoas com esse tipo de deficiência em qualquer momento da vida. Abraços!

      Excluir
  6. Legal Bia. Substituir o preconceito pela inclusão. Todo ser humano tem eficiências que superam qualquer deficiência. Na verdade, quem não consegue ou não quer entender isso, é o verdadeiro deficiente.

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon! Concordo plenamente com o que colocou... intolerância em relação à deficiências de fato é uma deficiência muito mais grave que qualquer outra, principalmente porque para mudá-la, basta somente a boa vontade de ajustar o próprio ponto de vista. Sem falar que deficiências todos temos e todos queremos tolerância em relação à elas. Abraços!

      Excluir
  7. Aqui na minha cidade só tem uma professora crac com esses sinais. Quando a gente ia a circos a classe dela era de surdos e mudos ela ficava o tempo todo dando sinais para os alunos. Eles iam em todos os lugares. Eu já aposentei, mas via o sorriso das crianças quando palhaço entrava no palco.
    Beijos
    Dorli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dorli! Em minha cidade já há algumas intérpretes, é impressionante a rapidez com que se comunicam. Fiquei imaginando o rostinho das crianças no circo, entendendo tudo o que a professora contava com seus sinais. É lindo!
      Abraços!

      Excluir
  8. 31 de agosto é o dia do Blog. Estou passando para te parabenizar por esse espaço de compartilhamento e troca de vivências, conhecimentos, ideais, inspirações... Felicidades! Boa blogagem sempre!

    Um abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Apon, olha só, eu não sabia! Que bacana! Agradeço a gentileza da visita e o parabenizo também! Abraço!

      Excluir
  9. Olá, Bia!
    São notáveis os avanços da ciência! Ainda no século XIX, a principal causa de morte entre as mulheres era o parto!
    E os antibióticos surgiram na primeira metade do século passado, transmitindo uma quase ideia de imortalidade!
    Espantoso, mesmo!
    Essa aplicação abre possibilidades impensáveis!
    Gostei de saber.

    Tenha uma feliz semana.
    Beijo da Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nina! Acho muito importante sabermos reconhecer que a tecnologia é a oportunizadora de uma sociedade com melhor qualidade de vida, maior longevidade e menor distanciamento, preconceito. Criticamos muito a nova geração, mas é importante também saber reconhecer tudo aquilo que há de bom.
      Abraço!

      Excluir
  10. OI BIA!
    REALMENTE, INCLUIR É O CAMINHO E O CERTO A SER FEITO, NUNCA É TARDE PARA SE COMEÇAR.
    HAVIA VISTO A REPORTAGEM SOBRE O APLICATIVO E ACHEI GENIAL, POIS ATRAVÉS DELE E DEPOIS DELE, MUITO SE EVOLUIRÁ.
    ÓTIMO POST.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Zilani!
      O aplicativo está à mão de qualquer pessoa que tenha um celular com alguma tecnologia. Concordo contigo, é genial, especialmente pelo fato de ser gratuito, o que oferece o cunho generoso ao projeto. Interessante que nenhum dos três projetistas é surdo, criaram o aplicativo com o intuito de ajudar, mesmo.
      Abraços!

      Excluir
  11. Eu adoro esse filme! Me acabo com ele.
    Que atitude maravilhosa essa de inclusão! Passou da hora de isso acontecer. É só o início, tomara.
    Um texto maravilhoso, como sempre.
    Beijos, boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clara!
      Esse filme é tudo de bom para quem quer rir e esquecer um pouco da vida... a dublagem é fantástica, hahahaha!
      Acredito e apoio a inclusão como meio de aproximar, desde que haja adequação para que a inclusão ofereça todo o suporte que o deficiente necessita para se desenvolver plenamente.
      Abraços!

      Excluir
  12. Bia, durante muito tempo, eu pegava metrô com um grupo de adolescentes surdos e ficava impressionada com a comunicação entre eles. Foi um aprendizado para mim, pois antes de vê-los eu achava que a linguagem dos sinais era uma tradução linear de uma frase e ponto final. Observando-os eu vi que não. Não era uma tradução, era uma conversa como de qual;quer outra pessoa, cheia de emoções, risos, indignação. Fascinante essa linguagem.
    Fiquei curiosa por conhecer o aplicativo. Vou esperai por aqui! Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana!
      O uso da linguagem de sinais é um pouco diferente da nossa... os verbos são no infinitivo, há poucos elementos de ligação, é bem interessante. Há muita ênfase na expressão facial e corporal para ressaltar os sentimentos adequados à fala - algo a se observar e se aprender.
      Desde que entendi que ser surdo não era uma doença, contagiosa - ideias ligadas a estigmas sociais - tenho interesse em aprender também. E "falam" rapidinho, né?
      Abraços!

      Excluir
  13. Quando estive aqui há dias fiquei com a sensação de que o comentário tinha desaparecido. Era para vir no mesmo dia confirmar, mas não pude. Verifico hoje que realmente não ficou. Eu acho que tudo o que seja quebrar o isolamento das pessoas, comunicando com elas é muito bom. Fiquei com uma duvida. O que são Libras? Serão os sinais da linguagem gestual?
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira!
      Já aconteceu comigo de ter comentários desaparecidos também, rsrsrs, vai entender!
      Isso, Libras é o nome oficial brasileiro da Linguagem Gestual.
      Concordo com você, nenhum tipo de isolamento é saudável e o que for feito para aproximar ao invés de distanciar, é válido. Sendo feito com atenção e carinho, melhor ainda.
      Abraços!

      Excluir
  14. Já pensei em fazer o curso de libras muitas vezes mas ainda não tive oportunidade. Tive uma amiga na infância q me ensinou muita coisa qdo saiamos nos comunicavamos por sinais muitos pensavam q eu era surda e brincavamos com isso depois ela se mudou e acabei esquecendo. Mas vejo a dificuldade de alguns irmaos na igreja q precisam ler labios para entender o culto. Acredito ser necessario e até obrigatorio pessoas capacitadas nesse caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patrícia!
      Tenho uma série de seis vídeos muito bem explicados com o curso de libras que fiz no complemento de Pedagogia, se você quiser posso baixar no google drive e enviar o link para você, basta deixar um recadinho em off! :)
      Lembro que quando trabalhei no atendimento de uma instituição de minha cidade iam vários surdos, eu não tinha tanta habilidade mas várias pessoas conversavam com eles, era interessante. Pensando no que falou de fato, seria interessante se vários ramos profissionais aprendessem a língua para se comunicar com quem precisa.
      Abraços!

      Excluir
  15. Oi, Bia.
    Adorei este post!
    O Hand talk é mesmo um ótimo site para quem não conhece Libras e precisa se comunicar com uma pessoa surda.
    Parabéns pela divulgação.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cris, muitas pessoas desconhecem esse aplicativo leve e muito fácil de usar, penso que divulgar boas ideias é sempre válido!
      Abraços!

      Excluir
  16. Interessantíssimo seu texto, Bia e esclarecedor. Lembrei de uma prima, que nasceu preservada de suas faculdades auditivas, mas, palavras dos pais dela, ficou surda e consequentemente, muda, Devido a um antibiótico que tomou nessa tenra idade. Pois bem. Quando ela ainda criança me chamou a atenção que enquanto assistia TV e ria, mesmo sem legenda. Como pode? Perguntei a um irmão. Ele disse, lê os lábios. Incrível, pensei, que habilidade notável! Só achava chato nas festas familiares, ela ficava deslocada. Mas, teve uma que ela deu um show! Festa de 15 anos, subiu no palco, onde outras adolescentes dançavam e mandou muitíssimo bem, mudando sua dança a cada ritmo, fosse ele samba e o que viesse, sempre ali no sapatinho, como se diz, deixando a todo perplexos. Depois me informaram que ela sentia as vibrações que vinham das paredes, solo... Recentemente se casou com um rapaz português, também surdo mudo, como eles estavam alegres, esbanjando bom humor, casamento realizado com o auxilio de uma moça que traduzia o que o padre dizia, acho eu, em libras. Muito legal, isso. Baixarei o filme, para conferir, rs. Abraços!

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.