domingo, 24 de janeiro de 2016

Síndrome de Burnout e Transtorno de Ansiedade

Há algumas semanas, assistindo a um programa de tv (link aqui), ouvi falar sobre a Síndrome de Burnout. Como nunca havia ouvido falar sobre o assunto e me identifiquei com os sintomas, resolvi trazer um pouco sobre para conhecimento.

Síndrome de Burnout (vídeo 3)

Andréa Mota era uma executiva bem sucedida que sempre trabalhou no limite, além dos cuidados com casa e família. Percebendo que não estava bem, resolveu tirar férias na Bahia e no primeiro dia assustou-se com sintomas como dor de cabeça e cansaço extremos, dificuldades para mexer os braços e indisposição. Dois dias depois precisou buscar ajuda médica.

Essa síndrome é identificada em quem tem extrema dedicação à tudo e é como se o corpo, viciado em stress, entrasse em curto-circuito. Sou uma pessoa muito ativa (por característica pessoal e por necessidade) e várias vezes durante a vida percebi(o) chegar a esse limite e não imaginava ser uma doença. Por exemplo, quando escolho um dia para parar e não fazer nada, é frequente me sentir tão mal (cansaço e dores) que quero voltar a trabalhar de novo!!! O quadro abaixo mostra alguns dos sintomas.


Clique para ampliar

imagem daqui


Transtorno de ansiedade

O vídeo 23 mostra a história de Marcela Motta, que tinha problemas como gastrite, hérnia de disco, insônia e dificuldades de concentração. A ansiedade é uma sensação natural do ser humano quando há medo, dúvida ou expectativa, porém no transtorno torna proporções significativas que interferem negativamente em sua vida.

O ansioso sente muito medo do futuro ou queria viver no passado, tem medo do que as pessoas vão pensar e evitam enfrentar situações importantes e decisivas por não conseguir superar a angústia. Em doses normais a ansiedade pode impulsionar a resolver questões para se libertar do sentimento incômodo. No transtorno o ansioso prefere conviver com a angústia da não solução a enfrentar a situação que provoca ansiedade por acabar travado por sensações ruins.

É contraditório porque a melhor maneira de acabar com a ansiedade é enfrentar a situação que a está causando, por outro lado a consciência do enfrentamento aumenta a ansiedade. O transtorno torna a resolução desse dilema mais difícil e o indivíduo se fecha.

O que fazer

O Dr. Rodrigo Affonseca Bressan - neurocientista explica que a grande dificuldade está no fato de que as doenças psicológicas não são aceitas, são vistas como frescura e o não tratamento limita a qualidade de vida. Muitos sentem culpa ou vergonha quando apoio, carinho e compreensão ajudariam muito.

Tranquilizantes, ansiolíticos e antidepressivos (sempre com prescrição médica) em ambos os casos   podem ajudar como paliativos, mas a única forma eficaz de resolver transtornos é repensar a vida, fazer atividades relaxantes e prazerosas, se colocar em prioridade, aprender a estar centrado no presente, a respirar, a conhecer seus limites e a respeitar-se, ou seja, reaprender a viver.

A reportagem mostra um grupo chamado Arte de Viver que usa a respiração como um meio de auxiliar a controlar a ansiedade e a depressão. No vídeo 24 há uma técnica mostrada em 2 minutos que ajuda a relaxar a trazer o indivíduo para o que há de mais importante: ele mesmo.


Textos complementares:

Burnout: alto índice de estresse ---> clique aqui
11 sinais que você pode ter Transtorno de Ansiedade ---> clique aqui


29 comentários:

  1. Interessante esse tema.Sou ansiosa, não muiiiito, mas sou! Gostei de ver e ler! bjs, ótimo domingo,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chica, como vai? Ansiedade faz parte, ainda mais em pessoas ativas, como nós, nos faz pulsar! Tem coisa melhor que esperar por quem amamos, por uma viagem, por algo muito desejado?
      Penso que os transtornos nascem quando entramos num campo de autocobrança constante e excessiva. Abraços!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigada, Gigi, ótima semana! Abraços!

      Excluir
  3. Bia,

    Já havia lido a respeito e pensei se fazia parte deste grupo, visto que em parte tem a ver comigo, embora eu sempre encaro os desafios. Eu sou uma acumuladora de responsabilidades, mas prezo profundamente ter horas de descanso que tem que ser para esta finalidade: zerar o estresse.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym!
      Assim como você, por maior que seja a tensão, procuro sempre encarar os desafios o quanto antes. A ansiedade quando perdura vai sufocando e paralisando... eu sempre pedia para apresentar os trabalhos escolares por primeiro para me livrar logo da angústia, quando a maioria queria ficar para o final por medo (e o medo cresce, né!), rsrsrs!
      Faz muito bem em preservar seu descanso. Ainda mais depois de ter lido a reportagem, passei a me policiar nesse sentido, mas confesso que ainda estou distante do ideal. Sou também centralizadora e com essa ânsia de viver cada instante da vida acabo alargando mais meu limite do que deveria, srsrs. Mas estou melhorando, rsrsrs.
      Abraços!

      Excluir
  4. Bia, como vai?
    Acho que eu tenho isso daí...
    Eu tbm sou muito ativa, principalmente mentalmente, e qdo não tenho nada pra fazer ou então me dou um tempo de folga, o corpo todo dói... É esquisito, sempre acho que estou desperdiçando tempo descansando.
    Uma coisa que tem me ajudado muito ultimamente é o exercício físico que faço 5 vezes por semana. Mas é bem pesado mesmo, quase me esgotando todas as energias físicas. Muay thai. Foi nesse esgotamento físico que controlei a ansiedade e a insônia. Ainda tenho insônia, mas é bem menos do que antes. Às vezes durmo pouco, mas acho que isso é um costume que se enraizou em mim. Também trabalho muito por necessidade e gosto disso. Menos tempo pra ficar pensando no que fazer ou deixar de fazer.
    Enfim, bem-vindas ao século XXI com todo o pique do mundo!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clara!
      Também carrego comigo essa sensação de que descansar é desperdiçar tempo, que coisa! rsrsrs Sempre falo isso para minha filha.
      Exercício físico de fato é ótimo por liberar endorfinas. Há uns meses comprei um suporte para poder pedalar minha bicicleta tanto fora como dentro de casa, é bem interessante. O legal do exercício é que por um lado relaxa, faz dormir melhor, e por outro, melhora o fôlego, a disposição, diminui dores... muito bom! Os de luta tem um plus que é modelar o corpo, rsrsrs, embora não seja meu campo, rsrsrs.
      Sabe, uma das minhas frases "lemas de vida" é "mãos ocupadas, mente ocupada" que complementa a outra "mente vazia é oficina do capeta", rsrsrs... já tive experiências de "neuras" ruins que surgiram do excesso de pensar em vão, melhor estar criando, estudando, trabalhando, sonhando... rsrsrs.
      E vamos com tudo!
      (Mas não esqueçamos que descanso é necessário, rsrsrs)
      Abraços!

      Excluir
  5. esclarecedor pra esses tempos fora de compasso !


    abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Margoh! Informações que direcionem para bem estar são sempre bem vindas, não é? Abraços!

      Excluir
  6. Olá amiga Bia, não tinha ouvido falar ainda, achei bem parecido com a Fibromialgia que eu tenho, (dores cronicas no corpo, fadiga, e esgotamento, provocadas por ansiedade, estress etc), vou saber mais a respeito! Bjoss e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kellen. Sobre Síndrome não há muitos artigos por ter sido descoberto recentemente, mas vale a pena pesquisar . Já ouvi falar da Fibromialgia, dizem que é bem dolorido, não é? Ouvi falar também que praticar alongamento diariamente ajuda a melhorar os sintomas.
      Pelo que entendi a Síndrome desperta dores em estado de relaxamento. É como se o corpo nunca pudesse parar de funcionar. Sempre digo que preciso ter ao lado pessoas que me ajudem a parar de vez em quando, rsrsrs, se não acabarei pifando, rsrrs.
      Abraços!

      Excluir
  7. Oi Bia!
    Que assunto interessante. Nunca escutei falar nessa síndrome!
    Me identifiquei em alguns sintomas.
    Bjsss amiga e uma semana abençoada p/vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dinha!
      Vale a pena dar uma pesquisada, quando há Síndrome pode haver necessidade de ajuda médica.
      Por outro lado todos temos a vida sempre tão corrida, pode ser apenas cansaço, mesmo, rsrsrs. Abraços!

      Excluir
  8. Bia, é difícil vencer a ansiedade. Sempre convivo com ela em situações de espera, nas quais nada podemos fazer para mudar o quadro. Não conseguimos trazer o futuro ao presente e nele ficamos incomodados. Todos esses transtornos são provocados pelo estilo de vida e pelas condições estressantes do mundo atual. Creio que, em casos mais fortes, só com ajuda profissional se consegue a estabilização necessária. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marilene!
      Acredito que essa situação, a de espera quando não se há nada para fazer, é das mais angustiantes. Na verdade, as duas pontas: a angústia da impotência por não poder fazer nada, ou a angústia de saber que está em nossas mãos uma resolução e temos medo dessa responsabilidade. Sob a pressão da angústia esquecemos que nada é pior que a própria angústia.
      Definiu brilhantemente a questão da projeção ou incerteza do futuro, rsrsrs.
      A matéria coloca a grande importância da ajuda de um profissional sério no diagnóstico e prescrição de tratamento, que muitas vezes inclui remédios e acompanhamento psicológico. Infelizmente ainda é muito presente na sociedade o preconceito de que aquele que procura um psicólogo ou um psiquiatra é maluco, o que não é verdade, e com isso tantas pessoas sofrem indefinidamente sem necessidade.
      Abraços!

      Excluir
  9. Oi Bia querida


    Adorei o post...
    Vou me aprofundar nesse assunto, pois nunca tinha escutado falar dessa síndrome e também me identifiquei com alguns dos sintomas.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ani!
      Acho importante levar a conhecimento público questões que podem melhorar a qualidade de vida das pessoas. Vale a pena investigar!
      Abraço!

      Excluir
  10. Nunca tinha ouvido falar dessa doença. Muito interessante. Sempre acordei, entre as 6,30 e as 7. Estou reformada, e não tenho necessidade de me levantar a essa hora, mas se fico um pouco mais na cama, fico todo o dia com dores de cabeça e agoniada.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira!
      Essa questão do sono também é bem pontual para mim. Com o tempo vamos nos observando e aprendendo sobre nós mesmos. Meu ideal é dormir cerca de 8 horas por dia, mas na época de aula dificilmente consigo. Ainda assim resisto bem acordando cedo, mas como você, se durmo demais, danou-se, parece que o corpo levou uma surra, rsrsrs!
      Abraços!

      Excluir
  11. Olá, Bia.

    Equilíbrio sempre, não dá para ficarmos plugados no 220 todo o tempo. Adoece o corpo e a alma. Reeducarmos nossa ansiedade e pressa, é um impositivo para não perdermos qualidade de vida. Senão, só lamentos e uma amarga interrogação: Se? ...

    Um abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon!
      Tem razão... aprendi a educar minha ansiedade e pressa, como bem lembrou. É uma questão de olhar para dentro de si prestar atenção ao que se faz... hoje em dia quando vejo que comecei várias coisas paro e penso: "vou respirar e terminar uma de cada vez". A ansiedade nos deixa fracionados, perdemos energia e produtividade. Quando paramos, respiramos e focamos, as coisas fluem com maior qualidade, mente e organismo também agradecem.
      Abraços!

      Excluir
  12. Boa noite Bia, um excelente artigo.
    Não conhecia esse Sínfrome.
    Também sou ansiosa, mas em casos extremos tenho pânicos.
    Pratico Yoga há cerca de dois anos e tenho-me sentido muito bem. Ajuda-nos a conhecer melhor o nosso corpo, a ter mais confiança e segurança em nós próprios e a respirar. Isto conjugado com certas posturas que ajudam a relaxar tem sido muito benéfico para mim.
    Beijinhos e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime!
      Tive duas ou três crises de pânico há cerca de três anos, quando estava com dificuldades para resolver uma situação. É horrível, uma sensação extrema de pavor... ainda bem que sempre vamos encontrando forças para superação, não é mesmo?
      Por um tempo pratiquei Yoga e Tai Chi Chuan, é maravilhoso! Ótima dica! Também na fase que citei comecei a me ajudar bastante, buscando meios de centrar o pensamento, acalmar o coração e o pensamento, deixar o discernimento vir à tona e agir... hoje sinto-me tranquila, buscando sempre viver bem o presente, amando muito, sorrindo muito, agradecendo muito, e confiando sempre no melhor. Tudo isso ajuda a acalmar a ansiedade.
      Abraços!

      Excluir
  13. Olá Bia,

    Tudo bem com você?

    Muito interessante o artigo, que pode ajudar bastante os leitores a procurarem um diagnóstico em casos de apresentação de sintomas que se assemelham à tal síndrome, cujo tratamento deve ser orientado por um psicólogo ou psiquiatra. Já tinha visto uma reportagem a respeito. Sou ansiosa e estressada por demais, a ponto de ficar com dores na nuca e de cabeça, mas graças a Deus não chego a ser acometida pela Síndrome de Burnout. Relaxo fácil, com coisas que me distraem e me dão prazer e, quando preciso, ainda me valho do recurso de uma massagem.

    Ótimo final de semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vera!
      Sobre o transtorno de ansiedade eu já havia ouvido falar algumas vezes, mas essa síndrome foi nova para mim. Com certeza em casos extremos um profissional sério é a melhor pessoa para orientar sobre tratamento, embora a readequação no modo de vida seja primordial.
      Penso que a ansiedade nasce muito do modo de vida atual, é pressão por todos os lados. Tenho falado sobre isso com minha filha... estamos tendo uma vida mais confortável agora, porém é preciso trabalhar muuuuito mesmo!!!! Uma dicotomia, não? Trabalhar mais, para pagar mais conforto, do qual mais precisamos porque trabalhamos mais... kkkk!
      Fiz acupuntura um tempo e o profissional fazia massagem ao final da sessão, doía muuuuuito especialmente a região da nuca e cabeça, mas depois o relaxamento era uma beleza! Está aí um recurso do qual eu poderia me valer... gostei da dica!
      Lendo o que escreveu pensei que também me distraio com facilidade, tudo é motivo para eu parar, observar e sorrir. Tem coisa melhor? (tem - estar com quem amo, rsrsrs)
      Abraços!

      Excluir
  14. Oi Bia!
    Bjsss, um belo FDS e um Carnaval de muita paz p/vcs

    ResponderExcluir
  15. Bia, eu desconhecia essa síndrome.
    Na verdade, sempre ouvi falar dela, porém sem nenhuma seriedade. Ao contrário, quando se entrevistava alguém com essa dificuldade de relaxar e aproveitar, por exemplo, um perídodo de férias, era feito com um certo ar de deboche, algo inconcebível alguém não conseguir relaxar a ponto de sentir-se mal.
    Muito esclarecedor seu texto. Beijo!

    ResponderExcluir
  16. Olá muito interessante seu artigo, adorei. Valem a pena todos ler.
    Caso queira umas idéias visite http://comocontrolaransiedade.info

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.