sábado, 9 de abril de 2016

Diagnóstico pela internet

Há algumas semanas, por conta de um pelo encravado na virilha, estive na ginecologista e aproveitei para fazer os exames de rotina. Durante o apalpe dos ovários, a médica constatou o que chamou de "massa palpável" no lado direito, encaminhando para uma ecografia, que poderia ser ovário inchado ou inflamação pélvica.


imagem daqui


Só que ela, expressiva, demonstrou tanta preocupação que me deixou assustada (e não sou de me impressionar). "Só ficarei tranquila quando ver seu exame". Cheguei em casa e procurei na internet o que seria ovário inchado e seguiu-se uma série de páginas que diagnosticavam câncer, sendo já avançado quando palpável, e inflamação pélvica seria uma DST grave (como assim???).


Fiquei como muuuuito medo... pelo tratamento mas principalmente, pela possibilidade de morrer, e pensava, "mas como, vou morrer sem fazer as coisas que eu sonho, sem estar com as pessoas que desejo?" Minha filha, a única que conheceu o tamanho da minha angústia - o amor estava viajando e não quis preocupá-lo e minha mãe tem pressão alta - me tranquilizou e disse que só fazendo o exame para saber. O exame ficou marcado para dali a dez dias (isso porque é plano, imagine se fosse SUS). Procurei sossegar meu coração.

Coincidência ou não, a semana seguinte foi pesarosa, senti-me muito mal, indisposta, sem fome, um pouco enjoada, cansada ao extremo, febre baixinha, inchaço nos pés e ainda tive uma infecção dentária. =/ kkkkkkk No final de semana era a viagem para São Paulo com minha filha e quase desisti de ir... só fui porque percebi o quanto era importante para ela. Tentei estar bem, aproveitar ao máximo, mas no retorno cheguei destruída, kkk. Durante esses dias conversas prazerosas com o amor me faziam esquecer o mal estar.

Para encurtar a história, o pelo encravado estava cicatrizando, o exame mostrou que tudo estava em perfeita ordem, rsrsrs, diagnóstico confirmado pelo preventivo, somente há uma diferença de tamanho normal entre os ovários. Suspeito que por coincidência e sintomas devo ter pego Zika na semana subsequente, o que confundiu meu emocional. Por conta dessa experiência tirei algumas lições:


  • Cuidado com o que diz a internet. Em casos assim faça os exames (jamais ignore as instruções), retorne ao médico, não se apavore sem ter um diagnóstico final, e ainda assim, dependendo do caso, procure uma segunda opinião.
  • Cuide do emocional. Sou uma pessoa bem equilibrada e mesmo assim percebi o quanto a sugestão de um problema praticamente criou o próprio problema. Não crie em sua cabeça problemas que não existam comprovadamente para não tomar decisões erradas.
  • Procure ter por perto pessoas que se preocupem com você e que estejam dispostas a dividir não só o que é bom, como também o que não é, isso faz muita falta.
  • Cuide da fé. Percebi o quanto a minha foi frágil (fácil ter fé quando as coisas estão bem) e alimentar o pensamento de que Deus saberia o que era melhor pra mim ajudou-me a tranquilizar.  
  • Cuide do físico e não deixe de fazer os exames de rotina. Se algo aparecer pelo menos saberá que está no começo.
  • Enfrente os exames o quanto antes, isso diminui a angústia e se for um caso de tratamento, aumenta as chances de cura
  • Preste atenção ao que é importante para quem ama e faça o possível para realizar. Estar com minha filha mesmo não estando 100% proporcionou momentos felizes que não voltariam se eu houvesse desistido. Não desista do que (e de quem) é importante.
  • Tome as atitudes que tiver para tomar e viva o que tiver para viver enquanto há saúde, não resolverá se lamentar depois.
  • Viva BEM cada dia e oportunidade. Embora o diagnóstico de uma doença grave traga a ideia de morte, a vida pode acabar em um segundo, mesmo quando estamos saudáveis. Morte é deixar passar momentos em que nos sentimos bem, pessoas que nos fazem bem e oportunidades todo dia.

Sei que muito do que escrevi parece clichê, todo mundo já sabe, blá,blá,blá... mas fala a verdade, você está colocando tudo em prática? Já passou por alguma situação assim?


34 comentários:

  1. Bom dia, querida Bia!
    Que maravilha foi só um susto!
    Pesquiso muito diante de um diagnóstico também e passo pelo menos em dois pareceres médicos... vale a pena!
    Já me esquivei de algumas coisas nesse sentido...
    Muita saúde e paz pra vc!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Roselia!
      Nunca passei por algo grave que merecesse um segundo parecer medico, mas ja estava pensando na possibilidade se o diagnostico fosse outro.
      Que bom que apesar de tudo conseguiu se sair bem!
      Abraços!

      Excluir
  2. Puxa,Bia! Que bom que tudo não passou de um susto apenas e parece mentira que quanto mais encucamos, mais sintomas aparecem... O DR Google é bom de vez em quando, mas não para substituir os médicos reais...E quem não o consulta/ Confissão aqui admitida! bjs,m tudo de bom e continua bem! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chica! É verdade, a mente comanda o corpo quando permitimos, nem sempre posiTivamente. Falou bem do Dr. Google... sempre evitei esse tipo de pesquisa, fui buscar me tranquilizar e no final, sofri por algo que não existia, rsrsrs. Abraços!

      Excluir
  3. Boa tarde Bia.
    Conheci o seu espaço através de uma amiga em comum a querida Ailime. Achei bem legal a postagem, quem bom que ao final só foi mesmo a preocupação. O Google salva vidas, mas também pode criar preocupações, o que tem que contar é o bom senso como você teve , ao procurar fazer todos os exames e levar ao medico. Um feliz domingo. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mirtes, seja bem vinda! A Ailime é uma das figurinhas que mais gosto na blogosfera!
      Penso que colocou muito bem, usar o bom senso acima de tudo nessas horas é fundamental! Nem tudo que há no Google pode se aplicar à nós ou ser considerado verdade absoluta! Abraços!

      Excluir
  4. Olá Bia Hain!

    É... Esses doutores da internet tratam as coisas como uma conta matemática: 1+1=2, mas o no corpo humano os resultados as vezes não seguem lógica alguma, não é verdade?

    Bela postagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, André! Cada corpo traz suas características e sintomas não podem ser generalizados. Mas fiquei impressionada como colocam o que é ruim nas primeiras páginas de busca! Abraços!

      Excluir
  5. Boa tarde, nestas coisas é fácil aconselhar para que mantenha a calma, quando se está no problema é natural que a preocupação seja permanente, após os resultados dos exames ficou aliviada, é neles que se deve acreditar o não na sabedoria duvidosa de muitas e muitas pessoas que escrevem a opinar na Internet que generalizam erradamente.
    Fica bem com a sua saúde de ferro,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ag, tem razão... aconselhar é fácil quando não estamos no problema, rsrsrs, embora palavras de apoio sejam fundamentais para nós acalmar. Gosto muito da internet mas sabemos que a abertura de acesso traz muitas informações erradas e desencontradas. Abraço!

      Excluir
  6. Está tudo bem com você e isso é o que importa!
    A expressão de preocupação da médica te deixou vulnerável e aí, nesses casos, o dr Google é péssimo porque ele "fala" toda sorte e azar sobre qualquer diagnóstico...
    Meu marido já gosta que as pessoas consultem a web; ele acha bom o paciente chegar e questionar, saber um pouco, mas como dia o Andre, nada é exato.
    Já passei por situações assim e foi um baque maravilhoso já que não era nada grave, mas deixou o alerta, a marca que devemos viver com intensidade!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana! Sim, estou feliz por continuar bem e sempre agradecendo a Deus por tudo de bom que tenho na vida. Concordo que o Google é ótima fonte de informação, desde que já se conheça o diagnóstico. Vários sites que consultei eram confiáveis, porém explicitavam somente os piores diagnósticos, sendo que há outros problemas como desequilíbrio hormonal, estresse, sobrecarga física, que poderiam ter as mesmas características.

      Procuro valorizar tanto a vida e as pessoas que amo... acho que dispenso novos baques maravilhosos, kkkkk!
      Abraços!

      Excluir
  7. Olá, Bia..."riba"?...Graças à Deus que foi só um susto, fiquei muito feliz por saber e mais ainda que conseguiu absorver daí muitas lições e alertas, e o importante , que está muito bem..... é bem isso mesmo, pode parecer clichê e bla-bla-bla, mas , o ideal é sempre aproveitá-las - todas as alertas, lições, dicas - de maneira construtiva e verdadeiramente na prática, pois,como disse, numa fração de segundos tudo pode mudar e se a morte é uma certeza e , algum dia, por engano ou não, tivermos que a olhar, que possamos valorizar cada vez mais a vida de forma intensa,sem deixar passar momentos em que nos sentimos bem, pessoas que nos fazem bem e oportunidades todo dia... saiu no Fantástico,dia 13 de março,que 5% das pesquisas na Google são relacionadas a saúde e , justamente, para evitar que pessoas encontrem informações erradas, há um serviço em parceria com o Hospital Albert Einstein, de São Paulo,assim, quem pesquisar por doenças vai encontrar ficha com informações validadas por médicos do hospital, e , é claro, que isso não substitui de modo algum a opinião médica, mas, por outro lado, é ótima fonte de informação quando se sabe o que procurar...Obrigado pelo carinho,feliz semana, belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Feliz, riba!
      Talvez por isso os clichês sejam clichês, porque apesar de serem sabidos, são esquecidos, rsrsrs.
      Gostei muito de saber sobre o site confiável... na verdade nunca fui de pesquisar sobre doenças justamente por saber o perigo de um diagnóstico errado ou precipitado... me deixei levar pelo susto e passei dois dias bem tensa... depois percebi que não adiantaria sofrer por tantos dias até o exame. Se até médicos erram, imagine um diagnóstico virtual, rsrsrs.
      Abraços!

      Excluir
  8. Ainda bem que não foi nada grave, Bia. E sempre vale a pena relembrar esses ensinamentozinhos básicos. Nunca é demais. E mais, ler sobre doença na internet é sempre uma porta para o desespero. É uma informação mais assustadora que a outra. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio, tem razão, não digo que não olharei a internet, mas com certeza não me deixarei levar pelo negativismo. Agradeco todos.os dias minha vida e espero que continue sendo assim, com saúde! Abraços!

      Excluir
  9. Olá, Bia.

    Esse "Dr. Google" dá cada susto! Rs rs rs... O certo é mesmo procurar o médico, fazer exames de rotina e não ter medo. Venha o que vier, aconteça o que acontecer; precisamos estar sempre prontos e lembrar que essa nossa vida é passageira, um dia, mais cedo ou mais tarde, vamos embarcar para o infinito, para viver nossa imortalidade espiritual.

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon!
      Esse exercício do desapego à vida é mais fácil de exercer quando estamos bem, não é mesmo? Rsrsrsrs no Cvv aprendemos que o ser humano tem a tendência positiva de querer viver sempre é nessas horas de sufoco da para perceber o quanto essa tendência é latente.
      Abraços!

      Excluir
    2. Olá, Apon!
      Esse exercício do desapego à vida é mais fácil de exercer quando estamos bem, não é mesmo? Rsrsrsrs no Cvv aprendemos que o ser humano tem a tendência positiva de querer viver sempre é nessas horas de sufoco da para perceber o quanto essa tendência é latente.
      Abraços!

      Excluir
  10. Coisas que todo mundo já sabe, todos esses conselhos, mas que sempre tem tendência a esquecer quando se depara com uma situação médica que poderá, ou não, ser problemática. Passei há pouco tempo por uma biópsia mamária e o que me preocupou verdadeiramente foi o tempo que tive que esperar pelos resultados, uma questão de ansiedade, porque de facto se fica um pouco com o coração nas mãos enquanto a resposta não chega. Que bom que contigo também tudo não passou de um susto, Bia! Mas temos de fazer todos os exames de rotina e estar preparadas para tudo. No caso de má notícia, é lutar com todas as forças.
    Um post muito útil, Bia.
    Boa semana!
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Laura! Fiquei bem angustiada por dois dias, depois as conversas com a filha, com o amor sobre a viagem e alimentar a fé acalmaram meu coração.
      Contudo concordo contigo, fugir dos exames de rotina jamais, isso me tranquilizou, pois faço os enxames anualmente e imaginei que se houvesse algo não estaria tão avançado... e excluía a possibilidade da internet de DST, visto que só tenho meu amor na minha vida.
      Esses clichês nos escapam e podemos sim acabar doentes por falta de viver o que importa de verdade.
      Abraços!

      Excluir
  11. Bia, ainda bem que tudo não passou de um susto, mas sua postagem é bem oportuna. Todos nos apavoramos quando há alguma suspeita e, antes de termos o resultado dos exames, imaginamos mil loucuras, que assim chamo porque são todas negativas. Também tenho o hábito de ficar buscando respostas na internet, o que não é, de modo geral, uma boa opção. As matérias são técnicas e muito abrangentes, nos assustando ainda mais. Um amigo médico sempre me diz que sequer devemos ler bulas de remédios e que só o profissional que nos atende pode fazer um diagnóstico correto, já que muitos outros fatores devem ser adicionados aos resultados dos exames, o que a internet não nos assegura. Realmente, nesses momentos o equilíbrio nos falta. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marilene!
      É impressionante a tendência que o ser humano tem de tornar qualquer coisa que sai de sua rotina usual algo negativo, um grande problema... penso ser reflexo de nossa cultura de responsabilidade e controle por tudo, sendo que na verdade não temos esse controle, então aprendemos a sofrer por coisas que nem sempre estão ao nosso alcance. Por exemplo, numa doença está ao nosso alcance exames, médicos, remédios (nem sempre, rsrsrs), mas a cura (ou não) é algo que nos escapa...
      Muito pertinente a colocação de seu amigo... quando trata-se de saúde cada pessoa é um ser diferente, que responde de um jeito diferente e vive em um contexto diferente. Se até os profissionais erram, imagine nós, rsrsrs. Abraços!

      Excluir
  12. Oi Bia!
    Muito om saber que tudo não passou de um susto. Talvez a sua médica tenha sido "alarmista", mas por outro lado isso foi bom pq vc fez os exames e ficou conhecendo logo o diagnóstico, o que poderia não ter acontecido se o susto não fosse tão grande.
    Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dinha!
      concordo contigo, creio que a postura alarmista foi justamente para que eu me apressasse em esclarecer as coisas. Só não saí mais assustada do consultório porque quando estava colocando a roupa ouvi a assistente perguntas, "É grave, doutora?", e ela disse, "acho que não, mas é bom investigar". E ela tinha razão, né, graças a Deus não era nada, mas se fosse o quanto antes começamos o tratamento, melhor, fugir não adiantaria.
      Abraços!

      Excluir
  13. Bia querida, como eu te compreendo. Já estive preocupadíssima várias vezes por conta do Dr. Google.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nina!
      Pelo que vejo alguns já cometeram o mesmo escorregão que eu, rsrsrs, e quem pagou o preço, nós mesmos, que ficamos sofrendo, rsrsrs.
      Abraços!

      Excluir
  14. Porque a minha saúde não é lá aquela coisa, faço exames regulares, agora no inicio de Maio, vou repetir tudo o que fiz em Novembro, para levar ao médico a 16 de Maio e decidir de vez se vou ou não fazer a cirurgia, que em princípio não vou querer fazer, já que depois que iniciei um novo tratamento em Novembro, não voltei a ter as crises que me iam levar ao bloco operatório. E esse é um lugar que detesto, e penso que com as 8 cirurgias que fiz já devo ter a minha conta.
    Um abraço e saúde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Elvira! O que precisa operar? Faz bem em refazer exames e buscar alternativas, penso que cirurgias devem ser nosso ultimo recurso, por isso mesmo me espanto com colegas que a todo instante recorrem a correçoes esteticas,estar operada nao e nada bom,rsrsr.
      Tomara que de tudo certo e que nao precise fazer mais uma! A unica que fiz ate hoje foi a cesarea da minha filha.
      Abraços!

      Excluir
  15. Ora, Viva! Tudo não passou de assombramento.Normal, diante da postura da médica, mas vale muito anotar tuas dicas para casos semelhantes.
    Graças e tudo de bom pra vc, Bia.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Calu! Viva mesmo, kkkk! Valeu tambem como uma liçao pessoal, me sinto tao equilibrada e consciente, me deixei levar pela fragilidade causada pelo medo e como acontece nesses casos, o medo foi mal conselheiro. Abraços!

      Excluir
  16. Bia, acabou de entrar lá ,onde indiquei esse post! bjs, tudo de bom, lindo fds! chica
    http://lugarescoloridos.blogspot.com.br/2016/04/bc-da-silvana-n-2.html

    ResponderExcluir
  17. Bom dia Bia,
    Oh como não li sobre esta sua experiência.
    Já me aconteceu uma situação semelhante, mas porque a médica me assustou na forma como deixou passar a informação.
    Isso também despoletou em mim reações semelhantes às da Bia.
    Sobre o Google ultimamente não consulto, pois as informações têm uma carga altamente negativa que apavora e o psíquico reage da pior forma.
    Graças a Deus que minha amiga está sã e salva.
    Muito bons seus conselhos.
    Obrigada.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,Ailime,então sua experiênciafoi às avessas,rsrsrs...é verdade,se um médico deixa passar informações importantes pode gerar um diagnóstico tardio e irreversível.
      Sim, está tudo bem com minha saúde, foi um alívio saber!!!
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.