terça-feira, 1 de novembro de 2016

Além do horizonte

Enquanto você dá uma piscada, a luz dá sete voltas e meia em torno do Planeta Terra. Imagina isso? Essa é a velocidade da luz ---> 300 mil quilômetros por segundo!!!


foto que o amor tirou com seu telescópio newtoniano


Fãs de filmes estelares como Star Wars sabem do que estou falando, pois um dos recursos mais usados em naves é esse, e eu só descobri a quanto equivalia depois que assisti, enquanto esperava meu horário na fisioterapia, uma entrevista com Marcelo Gleiser, conhecido e incrivelmente simples físico brasileiro que mora e trabalha há 34 anos nos Estados Unidos. Em um bate papo sobre seu novo livro, Gleiser destaca outras curiosidades universais:


  • Até 2020 o telescópio Hubble, um dos mais avançados que permitiu a abertura de inúmeros horizontes universais, será substituído por um ainda mais moderno chamado James Webb, com potência 100 vezes maior que o outro, resistência ao calor e espelhos maiores, o que permitirá ver estrelas inclusive mais antigas, do tempo do Big Bang.
  • O Universo existe há mais de 13 bilhões de anos, o planeta Terra há cerca da 4 bilhões e o homem há "apenas" 200 mil anos... e ainda achamos que mandamos nisso tudo! kkkkkk
  • No início a Terra era um lugar inabitável, uma espécie de inferno do Universo. Com o tempo o ambiente foi se estabilizando e as bactérias existentes sofreram acidentes genéticos que provocaram o desenvolvimento da fotossíntese, Só a partir daí, e progressivamente, teve origem as plantas e ao sistema de renovação de oxigênio!
  • Ele compara o ser humano como se vivêssemos em um aquário - há muito mais informações ainda ocultas sobre o Universo  do que podemos imaginar!
  • Os cálculos usados para lançar sondas em planetas e cometas são baseados nas Leis de gravidade e movimento desenvolvidas por Isaac Newton em 1686! 

O lançamento desse tipo de instrumento através de cálculos que determinam dia e hora exatos de partida para que cheguem no alvo desejado, que está em movimento (por exemplo, lançar uma sonda em um meteoro), depois de anos com precisão só é possível porque a natureza tem uma certa regularidade o que segundo o físico, é o que há de mais fascinante.

Fiquei pensando sobre isso... sabemos que a vida tem seu curso regular e natural, que se deixar fluir em alguns momentos é o melhor que podemos fazer. Sou fascinada por assuntos astronômicos pois sempre me fazem pensar em flexibilidade e humildade - ser mais água do que pedra.

Marcelo conta que somos feitos de pó de estrelas. Apesar de parecermos tão pequenos, somos tão importantes por sermos únicos (falando das características individuais e inimitáveis)  no Universo, e dentro de cada Universo particular (e infinito) que somos, cabem todas as pessoas para nós importantes e que muitas vez não se dão conta do quanto são especiais simplesmente por existirem dentro de nós. Ninguém será igual a você e há muita beleza nisso, para quem souber enxergar.

Ele ainda conta que não teve apoio do pai quando disse que queria ser físico e ouviu, "ninguém irá pagar para você caçar estrelas". Hoje quando questionado se é possível caçar estrelas, ele responde: "Pescar estrelas? Só com telescópio e imaginação...".

É bonito quando em uma profissão, ou mesmo na vida, se consegue aliar com perfeição a razão (fatos e cálculos) com a emoção (possibilidades e pensamento criativo). Astronomia nos ensina, sobretudo, a ter equilíbrio.


*****

Livros




Marcelo Gleiser durante a entrevista lançou o livro "A simples beleza do inesperado", onde resgata sua memória simples de criança para falar sobre assuntos astronômicos e sobre a importância de preservar nosso planeta.

Aproveito para agradecer os livros que recebi recentemente da Rita (blog Cantinho da Rita), da Rosélia (perfil aqui) e da Milene Lima (blog Inquietudes). Tenho certeza que serão leituras imperdíveis!


Indicação: para quem gosta do tema indico o filme Perdido em Marte, onde o ator Matt Damon desenvolve técnicas muito inteligentes para sobreviver no ambiente hostil do planeta esperando ser resgatado. É genial!


Entrevista ---> aqui (no site há mais três partes da entrevista)

25 comentários:

  1. Um post muito interessante. Gostei de saber.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira, assunto astronômicos são sempre recheados de descobertas e novidades! Pouco conhecemos!
      Abraços!

      Excluir
  2. Bom dia, querida Bia!
    Chegou hoje meu livro novo que vc ajudou-me a colocar no site... ficou lindo demais e emocionei-me ao contemplá-lo... já seguirá um exemplar seu... obrigada, querida amiga...
    A espera do terceiro que vc já tem em mãos, quando vc puder colocar...
    Obrigada por divulgar aqui o primeiro... gesto carinhoso da sua parte...
    Que bom vc estar recebendo livros das amigas! Também divulguei hoje o seu no face e o de outra amiga que recebi no Domingo em SP...
    Fiquemos na gratidão a Deus por gostarmos de escrever e podermos publicar nossos escritos do coração...
    Bjm muito fraternal de gratidão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia!
      Ah, que maravilha! É uma alegria saber que pude ajudar em seu projeto! Já tentei enviar o outro arquivo arrumado duas vezes, não sei o motivo de não estar chegando para você, coisas da internet! Na sexta devo estar mais tranquila aqui, verei novamente para você.
      Como sabe tem sido raro entrar no Face, rsrsrs, mesmo assim agradeço a iniciativa de divulgar meu livro.
      "Fiquemos na gratidão a Deus por gostarmos de escrever e podermos publicar nossos escritos do coração..." essa possibilidade é uma das maravilhas da atualidade, antigamente só se publicava por editoras, o que era bem mais difícil de conseguir.
      Que nossas palavras sejam sempre semente produtiva para quem as lê!
      Abraços!

      Excluir
  3. Olhar ao espaço é navegar com a luz dos olhos! abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ives é verdade... algo que nunca canso de admirar, afinal interiormente somos infinitos também. Abraços!

      Excluir
  4. Gostei das reflexões trazidas pelo físico ,os questionamentos que podemos fazer e sobretudo ver que um físico não perdeu a sensibilidade, mostrando emoções. E sempre, claro, com o desejado equilíbrio! Lindos livros, ótimas leituras.
    Gostei mais uma vez de passar aqui! Agradeço todos os carinhos! Lindo NOVEMBRO! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chica! Pois é, a partir da entrevista dele, me dei conta de que qualquer profissional que lide com assuntos astronômicos tem que ter a sensibilidade preservada para imaginar as possibilidades da natureza e ir além. Quem se torna matemático demais perde o poder de imaginação e confiança no desconhecido, não é mesmo?
      Lindo novembro para você também! Que seja melhor que os últimos meses, rsrssr! Abraços!

      Excluir
  5. Olá,Bia...sim, penso que o principal elemento para conseguir estar pleno e realizado em sua profissão, ou mesmo na vida, é refletir sobre o que te traz satisfação, aliando a razão e a emoção no final do dia. Estamos acostumados a seguir sempre no automático, em cima dos fatos e cálculos ,para se chegar às estrelas e não sabemos observar as inúmeras possibilidades e processos criativos que temos para pescá-las...
    Em cada momento de nossas vidas estamos de um jeito e muitas de nossas escolhas podem ter sido feitas quando éramos muito diferentes do que somos hoje e valorizo muito quem, mesmo com opiniões contrárias -no caso o pai- seguiu com seu sonho. Parabéns pela entrevista com o Marcelo,que se identificou tanto com sua profissão, que fez dela sua identidade e melhor ainda que em um momento em que a tecnologia avança sobre diversas fronteiras que antes eram consideradas inalcançáveis e hoje há sim quem " pague para caçar estrelas".
    Pelas dicas de livros e novos conhecimentos,pelo carinho,feliz semana,belos dias,abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felis. Fiquei pensando sobre seu primeiro parágrafo... quando as emoções estão em desequilíbrio é necessário colocar a razão no comando até as coisas se ajeitarem. Mas quando se ajeitam é a hora em que muitos entram no piloto automático e com isso perdem a possibilidade de ver/aproveitar as possibilidades e a criatividade, rsrsrs. Creio que esse paradoxo é o que trava as iniciativas, quando estamos em desequilíbrio não nos sentimos aptos para promover mudanças, quando estamos bem não as promovemos para aproveitar o bom momento, e assim a vida vai passando. Converso com muitas pessoas que notavelmente estão insatisfeitas, seja com o trabalho, o relacionamento ou mesmo pessoalmente e fico pensando como não conseguem enxergar caminhos muitas vezes, nítidos. Sempre convivemos com a questão, para onde vai nossa capacidade de caçar estrelas como quando éramos crianças, mais leves e alegres?
      "Muitas de nossas escolhas podem ter sido feitas quando éramos muito diferentes do que somos hoje". Muito interessante isso também que escreveu, é verdade... o ser humano procura a segurança como base e como isso se encontra no conhecido, acabamos nos entregando a escolhas que podem já não fazer parte do que somos. Essa mobilidade pessoal e da vida é, na minha opinião, o grande desafio que temos pra sempre, ou seja, viver refletindo sobre o que nos faz feliz e se estamos seguindo os caminhos que fazem parte do que somos de fato. Quem foge disso não cresce interiormente e/ou não vive com satisfação apreciando as estrelas do céu particular que todos temos, mesmo que esteja no escuro.
      Como acabei de assistir Dr. Estranho, acho que eu misturei tudo e viajei no comentário, kkkkkkk!
      Abraços!

      Excluir
  6. Boa noite Bia,
    Um artigo excelente.
    Sabe que até à minha adolescência e início da idade adulta era "vidrada" em astronomia e até era boa aluna a física!
    Tive o privilégio de ver desfilar em Lisboa (a um passo de mim;)) os primeiros três homens que pisaram a Lua e anos mais tarde tive em minhas mãos uma das pedrinhas da Lua que foram oferecidas ao Instituto Superior Técnico de Lisboa que forma os físicos que um dos alunos do Instituto, filho de um colega meu, emprestou para o pai nos mostrar lá no escritório onde trabalhávamos.
    Espero não estar a ser chata. Uma introdução para dizer que pelo maior respeito que tenho por todos os físicos e estudiosos da matéria actualmente sou muito céptica sobre o assunto (serei louca segundo os meus filhos e a Bia vai achar também,))! Não acredito que somos feitos de pó de estrela. Acho que somos perfeitos de mais (com todos os nossos defeitos). O nosso corpo é composto de muitas células, todas elas com vida própria e isto me levanta muitas questões para as quais não encontro resposta. Deus onde entre aqui?
    Oh Bia hoje fugi do assunto principal (peço-lhe desculpa), mas mesmo assim gostaria que me desse a sua opinião sobre o que escrevi.
    Isto não invalida a maior admiração pelo trabalho que os cientistas têm desenvolvido a partir da Teoria de Newton e em especial pelo cientista brasileiro que aqui refere devido principalmente a sua coerência.
    Ah a fotografia tirada pelo seu amor está magnifica!
    (O meu sonho é ter uma câmara boa para fotografar a Lua,)! A propósito dia 14 de Novembro vamos ter uma Super Lua!
    Um beijinho,
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime!
      Fiquei encantada com sua história sobre ver os primeiros três homens que pisaram na lua e ter nas mãos um exemplar desse astro tão interessante! E pensar que hoje em dia os astronautas estão indo muito mais longe, rsrsrs (e há ainda quem não acredite, kkkk).
      Sempre gostei de exatas - física, química e matemática - e de artes. Gosto até hoje, excluindo a matemática, há algo de mágico nas outras três. :)
      Você pode falar o quanto quiser sobre seus pensamentos, é sempre um prazer conhecer a opinião do leitor, rsrsrs! Creio que quando Gleiser fala que somos feito de pó de estrelas refere-se a uma partícula minúscula do ser humano como parte do universo. Ele mesmo ressalta bastante o inexplicável da mágica da vida, que escapa à ciência dos homens. Eu como sou uma romântica incurável creio que a base do ser humano não é palpável: é o amor. Sem ele toda centelha de vida perde o brilho e a razão de ser. :) Até as plantas sentem amor em sua volta quando existe.
      Creio que o que me encanta nas entrevistas de Gleiser que já assisti é que ele me parece conservar uma leveza própria de quem não se tornou uma pessoa meramente técnica e calculista, mas que é apaixonado pelo que faz. Isso é algo que sempre me fascina, independente da profissão. Por exemplo, Renato Sorriso é um gari muito conhecido no Brasil por sempre passar varrendo, sorrindo e sambando após as apresentações das escolas de samba. Tem orgulho do que faz... isso é bonito sempre.
      O amor tirou uma sequência belíssima da lua, mas o fez através do celular acoplado ao telescópio, rsrsrs. Eu também tenho vontade de ter uma máquina mais potente e estável, já consegui alguns cliques, mas não é fácil não, rsrsrs.
      Vou pesquisar sobre essa super Lua para contar pra ele, rsrsrs, obrigada pela dica!
      Abraços!

      Excluir
  7. Uhuhu que lindo minha querida espero que
    goste dessa leitura, vc merece todo meu
    carinho parabéns pelos belos livros bjuss
    e obrigado por postar
    Bom final de semana
    Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rita, eu é que agradeço o carinho! Ando há tempos tentando me organizar para ler mais, rsrsrs, o livro que me enviou está entre os próximos.
      Abraços!

      Excluir
  8. Oi Bia,
    Adorei, amo astronomia. Tenho um projeto grande de Astronomia de coloquei no Lua Singular. Faz bem tempo.
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dorli, que interessante! É um tema que sempre encanta os alunos! Eu gostava de falar sobre o assunto quando dava aulas de Geografia! Fiquei curiosa sobre seu projeto!
      Abraços!

      Excluir
  9. Olá, Bia.

    "Audaciosamente indo aonde nenhum homem jamais esteve", entre o que sabemos e tudo o que falta saber, existe um universo a decifrar do micro ao macro cosmo. Certo estava Sócrates: "Só sei que nada sei".

    "Vida longa e próspera"! Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon!
      Quando conhecemos a astronomia através dos olhos de um cientista, então entendemos perfeitamente o quanto sabemos pouco, rsrsrs!
      Em alguns momentos isso é saudável, instiga a sempre buscar mais.
      Abraços!

      Excluir
  10. Creio que em todos nós existe, em maior ou menor grau, um fascínio pela astronomia em todas as suas belezas e indagações.O tanto de imaginação que nos desperta o assunto se equivale à enorme curiosidade sobre tal.
    O físico, Marcelo,parece trazer uma perfeita aliança entre a razão e a emoção.Que benção!
    Amei teu post, Bia.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Calu, é a sensação que tenho quando assisto ou leio as entrevistas do Marcelo, a de que é uma pessoa que encontrou seu caminho no mundo e vive apaixonado pelo que faz. Isso se traduz em naturalidade, tranquilidade e simplicidade.
      Astronomia é sempre fascinante porque nunca está parada no mesmo lugar, rsrsrs, sem falar que é uma grande lição de humildade nos dispormos a conhecer e reconhecer nosso Universo (inclusive o interior).
      Abraços!

      Excluir
  11. Não sabia que se interessava por astronomia. Lendo seu texto achei uma ideia bonita sermos um pouco de pó de estrelas, mas pensei também se não somos bactérias gigantes que abrigam outras bactérias. kkkk beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alê, achei um barato sua teoria, e acredito que somos feitos das suas coisas (pó de estrelas e bactérias), torcendo par aque uma bactéria maior e/ou mais forte não se apodere de nós, kkkkkk! Abraços!

      Excluir
  12. Somos pó de estrelas... Isso é tão bonito. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luisa... as estrelas (e as pessoas que nos fazem brilhar por dentro) nos tornam bonitos também. Abraços!

      Excluir
  13. Bia, querida. Acredita que só hoje vi seu comentário? Estava sem poder acessar o blog, perdi senha, misturei com senhas do celular, uma confusão bem milenesca... rsrs.
    Que generosa é você, estendeu aqui o meu livrinho azul. Obrigada, minha querida! E que bom que a leitura está te agradando (acabou?).
    A propósito do seu texto, eu fico brava quando os cientistas querem desconstruir a poesia das estrelas. Mas ser delas o pó eu também acho bonito.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.