domingo, 29 de janeiro de 2017

O potinho da reclamação

Assistindo a alguns vídeos que recomendei no post passado, vi sobre um desafio chamado "O pote da reclamação". O objetivo é perceber o quanto reclamamos durante o dia e para isso devemos colocar R$ 2,00 em um pote a cada reclamação realizada.


encontre outros quadrinhos do kiko garcia ---> aqui


Resolvi fazê-lo bem por esporte, pois me considero uma pessoa que reclama pouco, e como não tinha dinheiro trocado fui realizando anotações do meu "saldo devedor" a cada reclamação proferida. Pasmem! Qual não foi a minha surpresa quando cheguei ao final do dia com mais de R$ 20,00 no meu "pote", kkkkkk!


É impressionante como temos o hábito de reclamar sem nem sentir... se está calor, chovendo, se algo cai no chão, se o cachorro empaca no meio do caminho, se a programação de filmes está ruim, se tem muita louça na pia.... vixi!!!! Tanta bobagem!!!!  Por essa experiência pessoal proponho que cada um realize esse auto-desafio,kkkk... é um belo exercício para aprendermos a vigiar nossas palavras e pensamentos.

"Bia, então não posso me aborrecer com mais nada?"... Não é bem assim... todos temos dificuldades e compartilhá-las faz com que os pesos fiquem mais leves e isso é saudável; se indignar com o que está incorreto é bom para provocar uma ação corretora; ter uma visão crítica é o que move uma transformação; a insatisfação pessoal nos direciona para ações que proporcionem alegria e satisfação.

O que não adianta é a reclamação em vão. Por exemplo, não temos como mexer com o clima, por que reclamar do calor? Não temos como fazer um trânsito fluir mais rápido, por que xingar o mundo?

Por outro lado, não se pode substituir a reclamação por vitimização - pensamentos como "é assim mesmo, não vou mudar, eu mereço ser infeliz, eu não consigo" - ou auto-ilusão - enganar a si mesmo convencendo-se de que tudo está bem só para não ter que agir mexendo na zona de conforto. Passar a vida engolindo sapos um dia faz com que o "brejo interior" irremediavelmente comece a cheirar muito mal, rsrsrs.

Os antídotos da reclamação são: gratidão pelo que temos de bom e planos de ação para modificar o que não é. Algumas dicas:

1 - Identifique o que incomoda ou está errado;

2 - Quando o motivo de seu protesto é algo no qual não pode interferir, substitua por um pensamento de gratidão ou tenha uma "carta na manga". Por exemplo, gravar músicas agradáveis ou baixar aplicativos bacanas para filas de espera; usar situações desinteressantes (reuniões, conversas chatas) para divagar, sonhar com o que deseja para sua vida; carregar sempre um sketchbook  para anotar planos ou desenhar; pensar em quem ama (eu uso muito essa, rsrsrs!);

3 - Quando é algo que pode ser mudado, mexa-se! Escolha desenvolver um plano de ação para viabilizar a mudança, coloque em prática e não desista caso as coisas não aconteçam num primeiro momento. O fato do plano não se realizar do jeito ou no momento em que queremos não significa que não dará certo, é só criar adaptações em seu planejamento. Essa dica vale para todos os campos da vida!

Eu estou me policiando e agindo para combater os efeitos nocivos da reclamação... e você, quanto será que acumularia em seu "potinho"? :D


IMPORTANTE: existem os "reclamões" crônicos, aquelas pessoas que reclamam de tudo, o tempo todo, são aborrecidas por natureza, ou nunca nada é o suficiente para contentá-las. Isto é uma doença chamada "distimia" que precisa ser tratada.


Como algumas pessoas me escreveram em off pedindo mais dicas de vídeos, gostei muito desse ---> aqui (Desenvolvendo bons hábitos)  e esse ---> aqui (Comprometimento com seus sonhos).



35 comentários:

  1. Oi Bia, bt!
    No momento não posso nem pensar em começar meu pote, pois só com as reclamações da minha internet meu pote já transbordaria com meus ricos R$. Aproveito p/comunicar que demorei a chegar aqui por conta desse motivo kk
    Brincadeiras à parte, gostei muito dessa sugestão e hei de colocá-la em prática, não agora (só depois que a raivinha da internet passar kk), mas hei!
    Bjsss e uma semana de sucesso e abençoada p/vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dinha!!! Vixi, internet ruim é algo que nos tira mesmo do sério!!! Isso é normal, como não ficar com raiva se um serviço pelo qual pagamos não funciona? O importante é que tendo a ação de exigir o reparo, em breve sua raiva vai passar. Mas que não é fácil manter a calma nessas horas, não é mesmo!
      Abraços!

      Excluir
  2. Também penso que não reclamo muito. Mas será que estou certa? Bom o melhor é fazer a experiência.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira, pois é... acabamos nem nos dando conta, pois é mais natural convivermos com as pessoas reclamando do que agradecendo, então reclamamos sem nem sentir! Eu que o diga, hahha!
      Abraços!

      Excluir
  3. Noooooooooossa, quando começamos a nos policiar, teremos surpresas pois de repente uma reclamaçãozinha daqui e outra dali, esvaziaremos nossos bolsos,rs Adorei! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, chica, é verdade, já imaginou se tivéssemos mesmo que "esvaziar os bolsos"? kkkkkk... Claro que há situações que nos chateiam e colocar para fora é humano e desejável, mas há coisas (e pessoas) incômodas tão pequenas que nem merecem nossa atenção.
      Vamos focar no que é bom, não no que é ruim; nas soluções, e não nos problemas. Tremendo exercício (e nada fácil!). Abraços!

      Excluir
  4. Boa noite, querida Bia!
    Estou cumprindo uma missão onde uma pessoa octogenário só vive reclamando de tudo e de todos... coitada!
    Fico triste demais... tantos motivos temos para louvar e agradecer...
    Sejamos felizes e abençoados todos!
    Bjm muito fraternal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia!
      É compreensível que a essa altura da vida algumas pessoas já estejam com a paciência esgotada... por outro lado, teve uma vida toda para construir a sabedoria para lapidar os pontos de vista, fazer escolhas acertadas e valorizar o que é bom...
      É uma pena, uma pessoa assim, tão ranzinza, torna desagradável o convívio e ela, que é quem mais está precisando de amor, acaba sem tê-lo, pois não dá valor. Acho admirável seu trabalho!
      Uma das coisas que mais almejo é uma velhice tranquila, grata e feliz ao lado das pessoas que amo e esse é um dos sonhos por qual acordo todo dia.
      Abraços!

      Excluir
  5. Provavelmente nem temos noção do quanto reclamamos. Mas o facto é que por vezes precisamos desabafar... No entanto, acho que usar das estratégias indicadas pode ajudar a melhorar muito a disposição. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luisa, trabalhei em um serviço voluntário onde meu papel era acolher, ouvir e compreender, puxa, era emocionante perceber o quanto um simples desabafo pode fazer bem para o outro, gosto de ouvir até hoje. É algo do qual todos precisamos, desabafar e nos sentir ouvidos nas dificuldades. Ano passado quanto estive em uma fase difícil o simples fato de perceber que algumas pessoas importantes para mim me ouviram fez toda a diferença no meu estado de espírito, pois em momentos assim nossa paciência, confiança, alegria e amor próprio ficam por um fio.
      É diferente da reclamação cotidiana e gratuita de quando os momentos difíceis já passaram mas a reclamação virou hábito, rsrsrs.
      Abraços!

      Excluir
  6. Verdade, tem gente que passa mais tempo reclamando do que vivendo.

    Beijinhos ♥
    *Blog Resenhas da Pam*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pamela, seja bem vinda! Que ótima constatação, rsrsrsr, é bem isso... há pessoas que reclamam tanto de tudo que perdem de apreciar e viver as coisas boas da vida!
      Abraços!

      Excluir
  7. Olá, Bia.

    Só a política e o calor já dariam para transbordar o meu potinho. Ou seria um potão? ... Rs rs rs... Na medida certa o "jogo do contente" bem serve para reduzir o reclamar. Mas, sem exagero, senão, vira "complexo de Pollyanna".

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon, é verdade, kkkk! Se bem que onde moro esse ano o calor está ameno, estou bem grata por isso, hahaha!
      Não tenho conhecimento profundo do "complexo de Pollyana", mas creio que compreendi e concordo com o que quis dizer. Quando comecei minhas leituras e estudos, logo percebi que o livro "O Segredo" não funcionava, justamente porque não adianta "fazer de conta". A explicação encontrei depois em um livro mais coerente e voltado à PNL, "Mude sua vida em 7 dias". Não funciona "fazer de conta", primeiro porque a parte consciente pode estar se iludindo muito bem, mas o subconsciente sabe que é uma mentira, então com o tempo gera-se um conflito somado ao fato de que as coisas não acontecem virando uma grande frustração, acabando com a estima e fé. Segundo, porque não adianta imaginar, mascarar a realidade ou querer acreditar no que for, sem ação e constância em nosso propósito. Por exemplo, se você sonha com um bom emprego, precisa sair, distribuir currículos, fazer cursos, contatos, trabalhar duro, estudar para um concurso... se sonha com uma casa, por mais que se convença de que já a tem, não adianta se não trabalhar, reduzir os gastos, se planejar, procurar a casa... e assim por diante.
      Por outro lado conservar uma postura negativa gera um derrotismo que não ajuda a resolver nada, só cria dificuldades.
      Ou seja, buscar manter a confiança, fé, positivismo, paciência só ajuda, mas sem estar se enganando, pois só conhecendo a realidade é possível ir de encontro à solução dos problemas de uma forma efetiva e satisfatória.
      Vixi, quase fiz outro post, kkkkk!
      Abraços!

      Excluir
  8. Bia,

    Um dia cheguei a conclusão que reclamar é como um vicio. Então é preciso se policiar, cortar o mal pela raiz. Quem gosta de ficar ao lado de gente do tipo carga pesada?

    Outra coisa é reclamar do que realmente importa que tem a ver com saude, bem estar, direitos e deveres.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sissym!
      É verdade, vamos somando os pesos diários - problemas, responsabilidades - e quando percebemos estamos reclamando de tudo sem nos darmos conta. Assim como o convívio com pessoas insatisfeitas crônicas também podem nos levar ao mesmo tipo de comportamento sem percebermos, pois a reclamação acaba fazendo parte da rotina como algo natural.
      O bom é que esse mau hábito pode ser revertido com um um pouco de cuidado e atenção.
      Bem colocado, excluímos da fala acima as reclamações necessárias que dizem respeito ao nosso bem estar.
      abraços!

      Excluir
  9. Olá, Bia!
    Até que meu "potinho" não tem me dado muito prejuízo...

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, que bom, Jan! :D Eu também diminui bastante minha "poupança", hahaha, após fazer o desafio e cair na real...
      Abraços!

      Excluir
  10. Olá Bia,

    Desconhecia este tipo de depressão (distimia). Conheço gente assim e pensei que fosse apenas uma forma negativa de se viver. Bom saber que há tratamento. Difícil será a pessoa entender isso e aceitar se tratar-rsrs.
    Se eu tentar o desafio do pote o resultado será decepcionante, com certeza. Ultimamente, tenho procurado me conter, pois, quando vejo, já reclamei (da dor de cabeça, do calor, do pó no meu teclado, da conexão com a internet, etc...etc...etc...). Nunca fui tão reclamona e já estou me policiando a respeito. Engraçado é que sou muito grata por tudo. Já amanheço agradecendo a Deus por ser tão abençoada. Contudo, no decorrer do dia, as reclamações, ainda que apenas mentais, afloram o tempo todo. Credo!!! Ainda bem que percebo que elas são resultantes da habitualidade e que, na verdade, não possuem o condão de me irritar. Não gosto de pessoas reclamonas, que se tornam companhias indesejáveis. Prefiro aquelas que são otimistas e que fazem piadas até com o que não é engraçado. Contudo, somos falhos, e reconhecer nossas fraquezas já é um passo para mudanças importantes.
    Gostei das dicas.
    Ótima postagem!

    Beijo.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vera!
      Seu primeiro parágrafo me fez pensar o que diz respeito a vários problemas de convívio, em geral aquele que está sendo injusto, ingrato, reclamão, desagradável não admite isso, porque para a pessoa agir assim é tão natural! E como procurar o tratamento se não reconhecem o problema?
      Sei porque comentei sobre o desafio com uma pessoa que tem o hábito de reclamar, kkkk, e a pessoa respondeu: "interessante esse desafio... mas eu não preciso fazer, pois não reclamo de nada..." kkkkkkkkkk!!!
      Vera, é muito madura sua postura de reconhecer onde está escorregando e o primeiro passo para melhorar. Também, são tantas as pressões do dia a dia que fica impossível levar a vida numa boa o tempo todo! Ontem mesmo passei o dia resolvendo uma pendenga com o pessoal da tv paga e fiz um esforço para não perder o bom humor!
      E colocou um ponto tão interessante, "ainda que apenas mentais"... sim... porque mudar o hábito não significa se calar e continuar praguejando mentalmente!!! Também faz muito mal!!! A mudança ocorre quando algo pode nos indignar, mas não tirar nossa esperança, bom humor e a alegria de viver. Podemos ser atingidos pelo problema, mas não absorvê-lo a ponto de nos colocar pra baixo.
      Como eu já disse acima não é fácil, sobretudo em fases conturbadas, o importante é não se deixar abater.
      Também colocou bem quando diz que é melhor ficar ao lado de quem é positivo, leve... às vezes estamos nos sentidos pra baixo, pesados, cansados, sem nos darmos conta de que estamos na verdade absorvendo os pontos de vista das pessoas/ambientes que nos cercam. Acabamos refletindo o que vivemos.
      Como você também procuro ser sempre grata, mesmo nos momentos mais difíceis e tenho certeza de que esse é um grande diferencial. Após ler em algum livro rsrsrs há um bom tempo passei a sempre dormir e acordar agradecendo sobretudo pelas pessoas que eu amo, pois é comprovado que os pensamentos dos primeiros cinco minutos do dia são determinantes para o humor do dia todo. Interessante né? Então, já estamos num bom caminho, rsrsrs! E estar ao lado de pessoas positivas sempre nos faz bem, ter e ser boa companhia!!!
      Ler o que escreveu me fez lembrar algo que meu pai disse no final de 2014... eu estava meio triste, ele me olhou pelo retrovisor do carro e disse assim: "por que você está tão triste? A vida é boa... se alegre pelo simples fato de estar viva!"
      Ele não é de dar palpite, rsrsrs, foi algo simples e óbvio, mas tão importante... nos perdemos tão facilmente disso... o que ele disse naquele momento me fez buscar boa parte desse conhecimento que tento compartilhar (e aprender) aqui, que me ajudou a recuperar a alegria e fé e que eu espero que ajude quem por aqui passar. :)
      Obrigada por ter vindo!
      Abraços!

      Excluir
  11. Vou propor essa ideia pra minha vizinha que vive reclamando hahaha
    Acredito que reclamo pouco ou quase nada. kkk
    Hoje reclamei pq molhei meu pé na chuva. Mas eu gosto de chuva. Não tenho problema em me molhar. Mas MOLHAR O PÉ NÃAAAOO! kkk

    besos
    http://minhaformadeexpressao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nathalia, não custa nada dar uma "incerta" para sua vizinha, hahaha! No meu bloco (moro em apartamento) os vizinhos são bem tranquilos, tem uma idosa um pouco ranzinza, kkkk, mas nada demais...
      Que engraçado, antes eu tinha verdadeira neura que derramassem água no meu pé, kkkkkk!!! Hoje em dia nem ligo... aliás que perdi muitas manias e neuras nos últimos anos, rsrsrs... mas vivo passando creme nos pés e nas mãos, kkkk!
      Que bom que seu saldo de reclamações está baixo, sinal de que está com a vida em paz! :)
      Abraços!

      Excluir
  12. Ah, Bia,não tem como mexer no tempo mas eu reclamo do calor sim. E muito. Reclamo tb de quem gosta de calor. Emeu pote ia dar uns 150 reais fácil. rsrsrsrs Muito boa a postagem. Tb encerrou com boas dicas. bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKK, Sérgio, 150 reais? kkkkkk... Daria uma ótima poupança, hahaha!
      Calor é mesmo de lascar... você mora no Rio, né? Bastante calor... aqui no Paraná esse ano está até tranquilo, há dois anos fez tanto calor que o asfalto parecia ferver! Eu também não sou muito amiga do calor, não, rsrsrs, me sinto indisposta, a não ser quando consigo ir para a praia. Mas está aí algo que não podemos mudar, só agir com ar condicionado, água e banho frescos, sorvete...
      Abraços!

      Excluir
  13. Olá, Bia...sim, tudo 'in-riba'comigo e ti?sim, está tudo aí...pode ser sinal de distimia , pouca esperança, sofrimento e queixa demais...também não vejo que é em vão, se estamos indignados com certas coisas e acreditamos que reclamar pode mudar -as coisas-...
    agora, o que mais vejo, neste mundo célere, são reclamações , puro reflexo da irritação causada por estresse e o 'potinho' ,com certeza, estará sempre cheio, no meu,talvez mais de 20... De qualquer maneira, bom este 'potinho' para mensurar a quantidade de reclamações ...e SE em demasia, uma boa terapia é sempre a solução...Pelo carinho de sempre, belos dias,abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felis, tem toda razão... o estresse do dia a dia naturalmente colabora para que o potinho fique bem cheio, rsrsrsr. Como é difícil driblar os reflexos físicos, emocionais e psicológicos das pressões do dia a dia! Em alguns momentos precisamos investir nossa energia na resolução dos problemas, o grande desafio é não permitir que essas fases nos tornem pessoas amargas crônicas, rsrsrs. Eu quase caí nessa, mas aprender com a vida também é saber dar a volta por cima! :)
      Terapia, sim, bem lembrado, ótima solução quando a pessoa não está conseguindo reencontrar o prazer de viver, desde que haja sinceridade e transparência durante o tratamento, caso contrário o profissional não tem como atuar. E nunca vejo terapia como um fracasso, como alguns pensam, e sim como um sinal de maturidade, reconhecer suas limitações e pedir ajuda.
      Abraços!

      Excluir
  14. Gostei da expressão "brejo interior", hahahahahaha.
    Pozolha, acho que meu potinho estaria "meio cheio". Tento me policiar para reclamar menos, pelo menos de algumas coisas que não posso mudar, como a temperatura, por exemplo. Mas sei que ainda tenho muito o que melhorar.
    Essa de elaborar um plano de ação para o que podemos tentar mudar é muito interessante. Nunca tinha pensado nisso. Obrigada pela dica ;).

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nah!
      Você gostou da expressão? Surgiu quando lembrei de uma amiga querida que trabalhou comigo, uma senhora já (Clarinha), que falava tudo o que pensava (e ainda assim é querida por todos) e um dia quando comentei que achava legal sua postura, ela respondeu: "já engoli todos os sapos que tinha para engolir na vida... agora não engulo mais nenhum", kkkkkk.
      "Pozolha", kkkk, também não conhecia... Menina, também tenho muito a melhorar... o desafio do potinho me ajudou bastante a visualizar a medida, agora estou trabalhando constantemente para reduzir o número de reclamações gratuitas e desnecessárias, rsrsrs.
      Plano de ação funciona, já usei algumas vezes com sucesso. É importante traçar metas possíveis, progressivas e determinar prazos, assim, cada vez que alcançar uma meta, se sentirá motivada a manter a disciplina e seguir focada. Se traçar metas muito altas, será difícil de alcançar e se sentirá desmotivada... se não colocar prazos, não haverá disciplina. Há muitas dicas práticas sobre o assunto no livro "Mude sua vida em 7 dias". Não é um livro surreal, recomendo! Importantíssimo também é comemorar internamente cada etapa alcançada, por mais simples que seja. ;)
      É importante ressalvar que nem sempre as coisas saem como o planejado, mas vale a pena fazer adaptações e seguir em frente, se deseja alcançar um objetivo.
      Abraços!

      Excluir
    2. Bah, vou procurar esse livro. Tudo ajuda, né?

      "Pozolha" é uma palavra inventada pelos gaúchos, hahahahaha. Não são todos que utilizam esse jeito de falar, mas de vez em quando se acha um(a) maluco(a) que usa ;).

      Obrigada pelas dicas, sua linda! E uma ótima semana!

      Bjs

      Excluir
  15. Olá Bia! Acabei de conhecer o seu cantinho e dei de cara com esse post!
    Me considero a pessoa mais reclamona do mundo e se eu fizesse um potinho iria a falência. Rsrs
    Preciso melhorar muito nesse quesito.Amei seu blog e as dicas desse post.

    Se quiser conhecer nosso cantinho temos um blog voltado para o empoderamento e universo feminino: bellalua2016.blogspot.com

    Até mais! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jaynne, seja bem vinda!
      Creio que desenvolvemos esse hábito desde a infância, pois somos mais criticados do que elogiados, algo que se estende vida afora. O genial da vida é que adultos e de posse de ferramentas pessoais maduras temos a possibilidade de melhorar bastante isso, evitando refletir o que recebemos. Pelo mesmo motivo é sempre bom estar perto de pessoas que nos inspirem a uma visão positiva e alegre da vida sempre que possível. :)
      Pode deixar que em breve dou um pulinho no seu cantinho!
      Abraços!

      Excluir
  16. Um ótimo tema, creio que nos surpreendemos quando ficamos atentos ao nosso cotidiano. Muitas vezes também percebo que qo observar algo que está acontecendo e me expressar, alguém pode pensar que é reclamação. Mas vou bem ficar atenta para chegar as minhas conclusões. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, ter visão e consciência crítica não significa reclamar o tempo todo. Creio que a diferença entre um e outro está no fato de que quando temos uma visão crítica, vemos algo errado, analisamos e tomamos uma atitude em relação à isso, ou se não estiver em nosso alcance, aprendemos com a situação/atitude para não fazer igual. Já a reclamação não leva a lugar algum, nem na prática, nem no interior. Isso quando não vem em forma de cobrança... pior ainda!
      Abraços!

      Excluir
  17. Boa tarde Bia,
    Bem interessante e engraçado este post!
    Eu posso dizer que reclamo um pouco e o meu pote teria alguns euros, mas estou aprendendo a ficar calada e não reclamar.
    Respiro fundo, dou meia volta e tento não me preocupar com as razões das minhas reclamações. Mas há casos e casos;))!!
    Beijinhos e uma linda semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime!
      Creio que sua fórmula é muito boa, respirar fundo e tentar não se preocupar, especialmente se o "causo" não tem solução.
      Mas se tiver, aja! Nada melhor do que tirar dos ombros pesos que não merece estar carregando, e quando protelamos demais, acabamos enfraquecidos.
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.