domingo, 12 de março de 2017

Concentração, contemplação e silêncio

"A concentração é muito complicada porque você precisa se esforçar, é cansativo. A contemplação é um pouco melhor porque você tem mais espaço para se mover. Você não está se movendo através de um pequeno buraco que irá se tornar cada vez mais estreito, como na concentração.


imagem freepik


A concentração tem a “visão de túnel”. Você já reparou em um túnel? Visto de um lado, de onde você está olhando, ele é grande. Mas se o túnel tiver três quilômetros, o outro lado será apenas uma luz redonda e pequena. Quanto maior o túnel, menor será o outro lado. Quanto mais brilhante for o cientista, maior será o túnel. Ele precisa focar, e focar é sempre algo tenso.

A concentração não é natural para a mente. A mente gosta de vagabundear, de mover-se de uma coisa para outra. Está sempre excitada com novidades. Na concentração, a mente está quase aprisionada. Na contemplação há mais espaço para explorar, para se mover. Ainda assim, é um espaço limitado.

A meditação, a meu ver, possui todo o espaço, a existência inteira à sua disposição.Você é o observador, pode observar toda a cena. Não é preciso esforço para se concentrarem uma coisa, nem para contemplar. Você não está fazendo nada disso, está apenas observando. É um jeito. Não é ciência, não é arte, não é trabalho — é jeito. Você precisa, então, brincar um pouco com a ideia."

Interessante os conceitos explicados por Osho no livro Aprendendo a silenciar a mente. Todos temos momentos em que a concentração faz-se necessária, mas manter-se o tempo todo concentrado em algo, além de cansativo, torna nossas possibilidades muito restritas. Portanto, quem consegue liberar a mente para passar de momentos de concentração para a contemplação já está tendo um ganho enorme, e sim, é uma escolha.

Porém creio que passar da contemplação para a meditação, segundo estudiosos o estado humano ideal  onde o ego está silenciado e o ser humano se entrega ao prazer de observar a vida, não á nada fácil, pelo menos para mim, rsrsrs. Crescemos aprendendo a pensar, a nos preocupar e a resolver o tempo todo e o desprendimento desse hábito é um desafio imenso, ainda que seja o caminho da paz. Você, leitor, consegue meditar? Eu ainda estou brincando com a ideia, como sugere Osho, kkkk!

Nessa linha de estudos de mente, PNL e física quântica encontrei com curiosidade uma tabela desenvolvida por David R. Hawkins que mediu a frequência dos sentimentos em Hertz:




Você acredita que a vibração dos sentimentos podem ser medida? É de se acreditar que sim, pensando que não deixa de ser uma energia... Por exemplo, através da tabela fica muito claro para mim porque  a culpa, sentimento com o qual tenho dificuldades para lidar, já fez rombos em minha vida. De qualquer forma a tabela me pareceu muito coerente comparando com fases em que senti determinadas sensações e independente da linha de estudos, crenças, religiões, a realidade é que quanto melhor nos sentimos, mais leve a vida nos parece, mesmo quando ela não está assim tão boa.

E você, em que frequência está? :)

21 comentários:

  1. Bia, nunca li nada do Osho, apenas encontro citações, frases das quais gosto muito, na internet.
    Medito diariamente. Há várias linhas de prática, muitas definições, enfim, é individual, cada um vai se identificar com um estilo. Para mim o mais difícil foi desenvolver o hábito, o sentar-se. Acho que agora engrenei!
    Há dias em que acho que excelente, outros que foi uma porcaria, mas insisto em sentar e continuar.
    Aproveito para deixar a dica de um aplicativo ( que ainda nem sei usar direito, mas gosto especialmente das músicas! ) o insighttimer.com. Conhece?
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana! Eu também nunca havia lido nada de Osho além de citações, mas resolvi espiar esse livro por indicação. Como disse há muitas linhas de meditação, nunca consegui ir além com nenhuma, rsrsrs, mas gostei bastante da liberdade que ele sugere. O que havia lido sobre o assunto sugeria concentração no vazio, ele sugere não se concentrar em nada, rsrsrs - vagabundear com a mente, gosto disso, rsrsrs. Outra diferença é sobre a postura, ele explica que o ocidental não traz em sua cultura a postura de lótus, daí a dificuldade, e que embora seja a mais adequada, a meditação pode ser feita em qualquer posição. Como gosto de linhas pouco rígidas, gostei de Osho, kkkk!
      Estou tentando notadamente menos do que você, kkkk, mas creio que deva ser assim mesmo, dias de prática bons, outros ruins, mas com o tempo a sensação deve encontrar o equilíbrio.
      Obrigada pela dica do aplicativo, vou investigar, rsrsrs!
      Abraços!

      Excluir
  2. Puxa, Bia, essa tabela fala muito mesmo.Credo e nem nos damos conta! Precisamos de concentração e muito foco e aquietar a mente é preciso! Gosto muito da Dadi Janki( acho que é assim) a mente mais estável do mundo.Uma franzininha, indiana... legal!

    Olha só pra pensar,é dela!

    Para experimentar paz interior, precisamos de poder. Entendimento nos dá poder. Não um entendimento intelectual mas um entendimento que vem da realização de “Quem eu sou”. Para experimentar silêncio, precisamos nos separar de todas as preocupações e pensamentos. Eu tenho que usar o intelecto (razão) e praticar o poder de concentração. Quando o intelecto fica estável, sentimentos profundos e puros podem ser criados. Há o desejo de ficar em silêncio mesmo enquanto fazendo alguma atividade. Silêncio não é sentar em algum lugar e ficar passivo. Silêncio é ser ativo.
    Dadi Janki


    bjs, obrigadão pelos carinhos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chica! Eu achei a tabela bem interessante, segundo o estudo quando nos mantemos no setor contraído tudo é muito difícil (mesmo quando não é), quando nos mantemos no expandido tudo é fácil (mesmo que seja difícil, rsrsrs), e me parece bem coerente. Duro é manter a frequência in riba sempre, rsrsrsrs, mas vamos tentando!
      Eu não conhecia a Dadi, interessante! Na verdade a meditação sugere justamente o que está na fala dela, não a passividade, e sim observação e ação com sabedoria. O que difere a filosofia de Osho é que ele defende a não-concentração, e cada um pode se adaptar ao tipo de mediração que considerar mais confortável para seu eu.
      Abraços!

      Excluir
  3. Um texto para ler e meditar sobre ele. Pelo menos para mim, que nunca me debrucei sobre esse assunto, e sempre pesei que quanto maior a concentração melhor.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira, é verdade... somos compelidos a manter o foco o tempo todo, produzindo, resolvendo, buscando algo... foco é muito importante sem dúvida, mas como tudo, equilíbrio entre concentração, contemplação e relaxamento é fundamental.
      Abraços!

      Excluir
  4. Sabe que não sei?-rsrsrs.
    Penso que minha frequência está bem variável desde que 2017 começou. Caramba! Quantos problemas e mistura de sentimentos. Cadê a paz? Onde? Dentro de mim? Estou procurando-rsrs. Ainda bem que apesar dos pesares a alegria ocupa um bom espaço em mim.
    Interessante a abordagem.
    Tenho tentado meditar, mas o barulho interior está atrapalhando. Quando eu fazia yoga era bem mais fácil.
    Também acho que a concentração exige muito e cansa bastante. Prefiro a contemplação. Mudar de um estado para o outro já é mais complicado. Acredito que é uma questão de treino.

    Ótima semana, Bia!

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera!
      Embora não tenha profundo conhecimento da tabela, que encontrei por acaso no sábado, tudo que eu li ou ouvi sobre a influência dos sentimentos nos conta que todos passamos por todas as frequências em determinadas fases da vida, o diferencial é o quanto nos permitimos estacionar em cada uma - isso é o determinante no nosso grau de paz e em nossas conquistas. Por exemplo, se alguém bate no seu carro você ficará com raiva, mas ao invés de se permitir ficar dias pensando nisso com raiva, mude a frequência usando perdão, gratidão, amor (na tabela refere-se a compaixão) e alegria. Portanto você está no caminho certo, rsrrs, tenho certeza que conseguindo manter a alegria em cima apesar das dificuldades logo a fase turbulenta será superada. Às vezes tenho me pego pensando o quanto me permiti manter em frequência baixa em alguns momentos da vida por influência das pessoas à minha volta ou por não ter a capacidade de escolher sentimentos mais edificantes.
      Tudo é uma questão de treino, é realmente curioso como somos treinados a levar a mente para o barulho e para o cansaço, com certeza um hábito cultural e por esse motivo, difícil de mudar. Mas não, impossível, rsrrss!
      Desejo muita luz para seu caminho levando os percalços embora!
      abraços!

      Excluir
  5. Olá, Bia.

    Tudo tem seu tempo e lugar, a medida certa de ser. Precisamos encontrar o ponto de equilíbrio. A meditação, que se presta a um remédio para os desatinos da vida, dita, moderna. Em casos extremos, pode levar à alienação, prestar-se a uma simples fuga da realidade, o que é tão nocivo quanto a cobrança por concentração a qual vamos sobrevivendo. Equacionar nossa vida entre o real e o ideal, pode ser o caminho.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon!
      Fantástico seu ponto de vista... sou uma curiosa de vários assuntos e nesse momento tenho gostado do que tenho conhecido sobre PNL e física quântica, ao mesmo tempo procuro ser sempre muito cuidadosa para não ultrapassar a barreira da alienação. Tive uma tia querida que embarcou tão fundo num mundo paralelo que se isolou de tudo para viver em comunidade. Esse exemplo próximo e a falta que ela me fez me fez perceber que investir no conhecimento da alma nos torna especiais, mas manter os pés no chão é primordial para que possamos desfrutar da vida e da companhia das pessoas que amamos. A palavra-chave você já disse: equilíbrio, sempre.
      Abraços!

      Excluir
  6. Boa Tarde, querida Bia!
    Estou numa fase bem expandida de mente... graças ao Bom Deus mas estive na desolação há um tempo atrás... como todo ser humano normal... rs...
    Agora, paz e luz num ângulo total...
    Pura graça divina!
    Lindo post no começo da tarde... refrescou ainda mais minha mente serena...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia!
      Fico muito feliz por estar em um momento iluminado! Como você tive meus problemas recentes, como estou tendo também alguns problemas agora, mas vejo tão claramente o quanto estar alimentando uma postura mais expandida da mente faz toda a diferença e esses estudos tem me ajudado bastante. Se nos entregamos aos sentimentos de baixa frequência, a vida torna-se um peso e não é para ser assim, viver deve ser bom, sempre e acima de tudo. Sei que sente dessa forma, rsrsrs!
      Abraços!

      Excluir
  7. Um belo texto, sim! Eu tenho alguma dificuldade em concentrar-me, penso logo nalguma coisa.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante, Elisabete, deve gostar de ter o pensamento livre... eu mudei bastante ao longo dos anos, hoje sei me concentrar especialmente quando quero aprender algo, mas também sei contemplar. Meditar é um problema, mas na linha de Osho me parece possível.
      Abraços!

      Excluir
  8. Acredito plenamente, Bia. E que postagem interessante. Vale até ler mais de uma vez porque faz refletir mesmo e essa tabela ficou ótima. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio! Esse livro é bem leve e interessante, tem o pdf no link que deixei, e tem apenas 70 páginas, uma boa dica se quiser ler mais sobre o tema. Já sobre a tabela tenho pouco conhecimento, quero saber mais, como você creio ser um ótimo "mapa" para nos ajudar a compreender como estamos e a buscar nossos melhores sentimentos.
      Abraços!

      Excluir
  9. Boa tarde Bia,
    Muito interessante este seu artigo.
    Eu tenho dificuldade de concentração (esforço-me para a conseguir) e sobre meditação tento participar um pouco quando no final da aula de Yoga somos convidadas a uns momentos de meditação. Não pensar em nada. Difícil, não?
    Importante é exercitar a mente no sentido de que se o pensamento vaguear tentar eliminá-lo. Não é fácil. Vou tentando;))!
    Apesar de tudo, a minha frequência está do meio para cima e sobre a medição dos sentimentos acho pouco provável resultados satisfatórios, porque os sentimentos são muito complexos.
    Um beijinho e óptimo fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime!
      A prática de Osho sugere a não resistência ao pensamento, ao contrário da meditação tradicional, que tenta limpar o pensamento... por enquanto tem sido a técnica que mais me ganhou, apesar de ainda manter pouca constância na prática mesmo querendo amansar o ego logo rsrsrs. Eu tenho extrema facilidade em me concentrar especialmente no que chama a atenção do meu interesse, mas há a barreira que sai do saudável, quando passamos o tempo todo pensando demais em preocupações ou em coisas que não podemos resolver. Contemplar alivia a mente, meditar alivia o coração. :)
      Tem razão, os sentimentos são muito complexos, tanto que descobri recentemente que essa tabela se desdobra em outra mais completa. Porém hoje discordo de ti, rsrsrs, complexo é domar os sentimentos para que voltem a uma frequência agradável - somos testados o tempo todo por coisas ou pessoas que não nos fazem bem , rsrsrs - mas por experiência própria sei que quando nos entregamos aos sentimentos de baixa frequência, entramos numa espiral de acontecimentos ruins... ou será só coincidência? rsrsrsrs Pode ser...
      Obrigada por dar sua opinião, gosto que os leitores se sintam à vontade para isso, concordando ou não, rsrsrs!
      Abraços!

      Excluir
  10. Confesso, Bia, que não estou muito preocupado em medir sensações e emoções, limito-me a ser, seja lá o que isso signifique. :)
    Sabe uma coisa? Gosto muito do seu espaço, muito mesmo, mas nem sempre é fácil chegar até ele. É que esta coisa do Google+, em vez de facilitar, só complica.

    Um bom final de semana :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ac! Creio que se você sente-se em harmonia tendo encontrado sua melhor maneira de ser, então é o que importa, rsrsrs!
      Tenho procurado não medir, mas ajustar a frequência sempre que sinto a "peteca cair" e para mim tem sido bem positivo, mas creio que ninguém é mais habilitado a encontrar seu caminho do que si próprio. Acredito que nesse processo toda ferramenta de auxílio é bem vinda desde que vá de acordo com nosso íntimo.
      Adorei saber que gosta de estar aqui, tão bom quando as pessoas verbalizam... eu pouco uso Google + para visitas por esse motivo, procuro visitar pela lista que fiz dos blogs que mais gosto que está na lateral direita, é mais objetiva, rsrsrs.
      Abraços!

      Excluir
  11. Oooi!!!
    Frequência? Ando oscilando bastante, hehehehehe.
    Já pensei diversas vezes em tentar meditar. Até li algumas coisas a respeito, mas não encontrei no dia aquela brecha para parar e tentar. Tenho consciência de que é bastante importante para nossa saúde, em vários aspectos, mas ainda estou estacionada nessa parte.
    Mas o importante é não parar. Seguimos tentando, ajustando uma coisa aqui e outra ali, mas vivendo.

    Bjos

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.