segunda-feira, 8 de maio de 2017

Uma questão de perspectiva

imagem daqui


"Se a única ferramenta que você tem é um martelo, comece a tratar todas as coisas como se elas fossem pregos".

Abraham Maslow



Uma rápida reflexão sobre quebrar paradigmas, ser criativo (a), pensar diferente...  a Neurociência nos diz através da propriedade de neuroplasticidade que o cérebro tem a capacidade de resolver praticamente tudo, não havendo motivo para angústias. É só confiar em si mesmo, libertar as amarras do pensamento e aprender a raciocinar usando as perspectivas a seu favor. :)

25 comentários:

  1. UAU! Desde o cabeçalho ao texto e foto, tudo maravilhoso,Bia!Bela reflexão pra iniciar a semana e sempre! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!
      É sempre agradável saber quando a postagem provoca reflexões positivas! Abraço e obrigada pelo carinho!

      Excluir
  2. Exatamente isso, Bia. Às vezes pode parece difícil, mas vale insistir sempre. bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, tem razão, insistir no que nos traz resultados positivos vale a pena. A mente precisa ser educada a pensar de maneira a beneficiar o indivíduo, não torná-la inimiga de si mesmo. A braços!

      Excluir
  3. Engraçado que ontem a minha terapeuta encerou a sessão usando essas mesmas palavras "seja criativa" pense diferente". mas voce conseguiu definir o mundo de martelos e pregos que talvez o autor se refere: Motivação "...confiar em si mesmo, libertar as amarras do pensamento e aprender a raciocinar usando as perspectivas a seu favor".

    obrigada preciva ler isso hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Liene, belo entendimento, "motivação", sim, precisamos nos automotivar sempre!
      Curioso ter ouvido o mesmo de sua psicóloga. A própria neurociência nos conta que "o mapa não é o território"... a vida e as possibilidades reais (inúmeras) são o território, o mapa é o que nos dão na formação da nossa personalidade e experiências - um mapa baseado em paradigmas, preconceitos e crenças limitantes com o objetivo de tornar o indivíduo um padrão manipulável de acordo com os interesses da sociedade.
      É preciso seguir o impulso interior para descobrir as possibilidades e oportunidades reais do território de forma que cada um construa seu próprio mapa baseado em quem é de verdade. ;)
      Abraços!

      Excluir
  4. Boa tarde Bia,
    Como vai? Também estive uns dias ausente.
    Muito interessante esta reflexão. Pelo que deduzo tudo estará dentro de nós e na nossa capacidade de querer.
    Não desistir e seguir em frente.
    Gostei do novo cabeçalho do Blogue e respectiva descrição.
    Um beijinho e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime! Sim, senti sua falta, espero que esteja tudo bem contigo!
      "Tudo estará dentro de nós e na nossa capacidade de querer.
      Não desistir e seguir em frente." Perfeito, Ailime! Raramente podemos modificar o externo, então cabe a nós realizar um trabalho interno para encontrar perspectivas que nos ajudem a realizar as modificações que precisamos ou a encontrar novas oportunidades.
      Obrigada pelo carinho, abraços!

      Excluir
  5. Sempre gosto de ler, de maneira leiga, essas descobertas da neurociência, principalmente quando são traduzidas para serem aplicadas no nosso dia a dia. A neuroplasticidade é fabulosa!
    Temos só que dar um empurrãozinho para o nosso cérebro!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana, concordo contigo! Tenho feito descobertas fantásticas através das novas ciências, o ser humano tem um potencial incrível a ser utilizado, basta conhecê-lo e ter a disponibilidade para colocar em plástica.
      Vi sobre a neuroplasticidade em um curso, a palestrante explicou muito bem como funciona, o cérebro sempre encontra meios de se adaptar, realizar novos caminhos, novas ligações, desde que estimulado e liberado da maneira correta.
      Abraços!

      Excluir
  6. Bia,

    Quando me vejo meio agitada, páro e respiro fundo, as vezes deixo passar alguns minutos ou um dia, então a resposta vem.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sissym, a mecânica quântica explica bem esse processo que você sabiamente utiliza, colocar muito foco em algo paralisa o processo de resolução, então você faz o que precisa ser feito, e depois relaxa, desfoca, que a resposta vem. ;)
      Abraços!

      Excluir
  7. Oi Bia
    gostei desse coração pulsante de vida !
    amor, generosidade, gentileza, gratidão !
    obrigada !
    sobre o texto, entendi a mensagem mas vou falar na minha simplicidade de pensar.
    Marido me deu um martelinho e com ele estou fazendo brincos.
    São de material reciclado e o lindo martelinho tem feito furinhos Para o martelinho funcionar, preciso de uma peça para perfurar o plástico. Sem isso não seria possível fazer o furo. Um precisa do outro.
    Estou sentindo prazer em fazer esses brincos, mesmo nao tendo o retorno esperado fiquei feliz.
    E assim vou vivendo os momentos, com a certeza do hoje. O amanhã é uma surpresa.
    bjs



    bjs Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zizi, sim, foi o amor que devolveu o pulso ao meu coração e isso me faz querer ser melhor em gratidão.
      Eu realmente adoro visões de mundo dotadas de simplicidade tanto quanto as complexas, que bom que você trouxe a sua! Com o singelo presente do marido e o prazer em realizar sua atividade, lembrou algo fundamental: compreender o que precisamos e saber perceber do que o outro precisa para se completarem positivamente . :)
      Abraços, Obrigada!

      Excluir
  8. Um post encorajador, sem dúvida!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elisabete, tem razão, e todos precisamos de uma forcinha de vez em quando, não? :) Abraços!

      Excluir
  9. Tenho tentado essa prática. E, repare, vejo em mim mudanças, melhoras, passos dados. Não que seja fácil, mas é possível.

    Beijos, Bia, querida.

    P.S: Me diga um pouco daquela leitura do livro de capa azul, seja qual for a sua opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milene! "Não que seja fácil, mas é possível" é exatamente a visão a se adotar diante das mudanças que por vezes precisamos imprimir em nós mesmos, sem nos abandonar à própria sorte (ou falta dela). E como tudo melhora quando percebemos que o esforço pela mudança de paradigma está valendo a pena!
      Querida, seu Pés de Sonho é maravilhoso! Sabe há tempos o quanto aprecio seu modo de escrever tão peculiar, e me surpreendi com o formato dos textos, que diferem em alguns momentos mesmo sendo contos e crônicas. Também muito curioso conhecer alguns trechos da sua experiência pessoal.
      Espero que venham outros livros dotados de peculiaridades e sensibilidade!
      Abraços, muita luz em seu caminho!

      Excluir
    2. Essas suas palavras são tanto quanto um abraço afetuoso e demorado.
      Obrigada, mil vezes.

      Excluir
    3. Obrigada você, pela gentileza sensível tocante e única de sempre! :)

      Excluir
  10. Olá,Bia, sim, tudo 'in-riba' comigo!...(acho que estou desacostumado com a 'blogaria', eu fiquei procurando o 'leia mais' para a continuação da sua postagem)...interessante a reflexão do Abraham Maslow... sim, tinha lido algo sobre a neuroplasticidade - o cérebro tem capacidade de resolver praticamente tudo- tanto que um dos efeitos do hábito - toda vez que repetimos algo, vital,positivo,negativo - é o cérebro armazenar o procedimento , para que diante do mesmo estímulo-bem sucedido- não seja necessário lembrança nem racionalidade para que haja a repetição, então, nada melhor que utilizá-lo à nosso favor, "treinando"-o, educando-o sempre em nosso benefício...
    Obrigado pelo carinho,bom finde, belos dias, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      rsrsrs, Essa postagem foi curta mesmo, será uma tendência por aqui.
      Interessante sua colocação do uso na neuroplasticidade. Ela também é responsável pelo reaprendizado de funções perdidas, quando, por exemplo, alguém sofre uma lesão cerebral.
      Uma vez li que algo feito por 7 dias (seja prático ou emocional) começa a se tornar um hábito, e que se isso se mantiver por 30 dias, a chance de se efetivar o hábito é grande... a não ser que a pessoa o substitua por outro hábito, oposto, kkkkk. Um exemplo típico é a autossabotagem.
      Obrigada pelo carinho! Abraço!

      Excluir
  11. Olá, querida Bia!
    Fico aqui imaginando que muitas vezes sou martelo e outras tantas o prego ...
    Mas, no sentido literal , seria melhor ser martelo ...
    Já no outro, ser o prego dá uma dimensão de utilidade tremenda e de junção do que parecia impossível de ser ligado de uma certa forma. ..
    O prego une ...
    Feliz por quando sou batida... martelada ... Deus tem um propósito em me usar assim. ..
    Gratidão por todas as vezes que me ferram... OPA! Que me pregam...
    Fico mais resistente a dor...
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia!
      Interessante seu ponto de vista, mais para as divagações filosóficas. Me fez lembrar da época em que estudei na faculdade de Ciências Contábeis em que um professor dizia, "prego que se destaca leva martelada", rsrsrsr!
      É um meio generoso pensar sob o ponto de vista de que, se leva martelada, é porque há um propósito de Deus nisso. Sim, eu concordo, sem falar que se passamos por algo assim, é porque temos alguma lição importante a ser aprendida, e quanto antes a compreendemos e re-significamos a vida, tanto antes deixamos de tomar marteladas.
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...