domingo, 20 de agosto de 2017

15 koans para pensar criativamente

Obs: gratidão imensa com o carinho e receptividade no aniversário do blog! <3

Os Koans são paradoxos utilizados especialmente por chineses e japoneses para mostrar a limitação em nossa comunicação verbal, utilizado no zen-budismo para transmissão de conhecimento. São enigmas que exigem a transcendência do pensamento racional e materialista, estimulando o pensamento criativo, o "pensar fora da caixa". Por esse motivo os Koans são citados em vários livros de física quântica, pela exigência da utilização do pensamento abstrato em seu entendimento e aplicação.




Segundo o livro O Tao da Física, de Fritjot Capra,  "os koans são enigmas absurdos, cuidadosamente preparados com o fito de fazer com que o estudante do zen se aperceba, do modo mais dramático, das limitações da lógica e do raciocínio. O palavreado irracional e o conteúdo paradoxal desses enigmas tornam impossível sua resolução através do pensamento. Os koans são elaborados precisamente para parar o processo do pensamento e, dessa forma, preparar o estudante para a experiência não-verbal da realidade." Só aqueles que conseguem encontrar respostas consistentes, porém fora do convencional, são considerados por seus mestres aptos, o que pode levar anos.



Em nossa vida prática, os koan, além de serem um passatempo fácil e inusitado, nos ajudam a pensar de maneira mais criativa, auxiliando na resolução de problemas. Também são um meio de quebrar cadeias de pensamentos excessivos e geralmente  negativos - pare e substitua o pensar por meditar sobre a resolução de um koan. E ainda, nos ajuda a treinar a capacidade de focar, acalmar a ansiedade, expandir a consciência através do pensamento abstrato e estimular a subjetividade.

É importante frisar que o objetivo do koan é encontrar uma solução que transcenda nossos paradigmas. Por exemplo, um dos meus preferidos é, "batendo duas mãos uma na outra temos um som. Qual é o som de uma única mão?" Em um livro li que a resposta de um estudante foi bater uma mão em uma mesa. Pensei, "nossa, que solução genial!" masss... a resposta estava errada, por se tratar de uma resposta materialista. É preciso quebrar o materialismo em sua resolução, e só assim, a resposta estará certa. A resposta pode não fazer sentido para outras pessoas por se tratar de uma perspectiva subjetiva.

Mesmo que não se chegue a um resultado espetacular, rsrsrs, que tal aprender alguns koans para exercitar o pensamento criativo em alguns momentos do dia? Separei quinze que considerei mais fáceis e interessantes, mas há muitos livros e textos na internet que trazem várias sugestões. Quem quiser deixar sua conclusão acerca de um koan nos comentários será ótimo! Vamos lá!

1 - Antes dos teus pais terem nascido, qual era tua natureza original?
2 - Quem pensa que entendeu se questiona; quem pensa que não entendeu questiona os outros; quem entendeu não diz nada; e quem não entendeu não diz nada!
3 - Qual é o som do silêncio?
4 - A própria mente desencaminha a mente; acautela-te contra a mente.
5 - Como se pratica a esgrima sem espada?
6 - Quem é você?
7 - Suba uma escada de 99 degraus até o último degrau. Agora,, suba mais um degrau...
8 - Qual era seu rosto original - aquele que você possuía antes de nascer?
9 - O pensamento lógico não pode ser usado para obter a compreensão; apenas com a sensibilidade da não-mente alcançamos a verdade.
10 - Quando estiver com fome, coma. Quando estiver cansado, durma.
11 - Terminaste a refeição? Então, vá lavar suas tigelas!
12 - Mal comeces a pensar se "tem" ou "não tem", és um homem morto!
13 - Batendo duas mãos uma na outra temos um som. Qual é o som de uma única mão?
14 - Todos os fenômenos são impermanentes. Tudo que nasce deve finalmente morrer. O que nasce e o que morre?
15 - O monge perguntou ao mestre: "como sair do Samsara*?" O mestre respondeu: " quem te colocou nele?"



*Samsara: ciclo de problemas no qual o indivíduo se sente preso até conseguir transcender o pensamento e a si mesmo.

29 comentários:

  1. Muito lindo teu post. Gosto de coisas assim...
    E um dos que fala bem é o n. 12... Adorei ler aqui! bjs, chica, ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, que bom que gostou, também gosto! Alguns escritos parecem simples mas na prática, acabamos distante deles e penso que esse é o grande desafio. O número 12 dá margem a diversas linhas de interpretação, que parecem nos levar distante do que somos e a darmos importância demais ao que não deveríamos. Abraços!

      Excluir
  2. Nunca tinha ouvido falar de koans...

    Parabéns pelos 6 anos de blog. Nem damos por isso, mas o tempo passa a correr, também na blogosfera. :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luisa, também não, pelo menos não com esse nome... se pensarmos bem já ouvimos alguns desses enigmas na cultura popular, só ninguém nos explica seu significado, rsrsrs!
      Obrigada pelo carinho e companhia, de fato, o tempo é algo impalpável! :) Abraços!

      Excluir
  3. Oi Bia

    você está demais com suas postagens; Vamos lá
    1- Era um espermatozoide desesperado
    2- Acho que ninguém sabe nada
    3- O som do silêncio é o nada
    4- equilíbrio
    5- Esgrima se pratica com 2 espadas
    6- Um ser vivo
    7- Cai de costas
    8- O mesmo, não troquei de rosto.
    9- O raciocínio lógico, a mente usa para a concretização da abstração ao entendimento único.
    10-me alimento, se estiver em coma corro o risco de morrer....descanço
    11-Eu não como nas tigelas.opa!!
    12-Se joga no chão
    13-Depende onde bato
    14-Tudo( se são efêmeros)
    15- Só com a morte
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dorli! É bem bacana quando o leitor participa do que é proposto e coloca suas opiniões, achei bem curiosas e em alguns casos, muito bem humoradas suas respostas, rsrsrs! Sem falar que independente do ponto de vista é sempre um proveitoso exercício de criatividade! Obrigada por participar, abraços!

      Excluir
  4. Oi Bia, bn!
    Amei saber sobre os Koans e confesso que nunca tinha ouvido falar. Até me "identifiquei" com algumas preguntas pq eu adoraria saber as respostas, tipo essas:
    1- Qual é o som do silêncio?
    Sou muito fã do silêncio
    2- Quem é vc?
    Eu vivo me perguntando quem sou eu e ainda não encontrei uma resposta convincente
    Gostaria de ter mais algumas respostas p/mais algumas preguntas daqui.
    Amiga, estou sendo breve pq estou no tablet, coisa que eu ODEIO kkk
    Bjsss e que a sua semana seja maravilhosa é o que desejo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dinha, também gostei bastante dos koans, por sua simplicidade e utilidade. Como comentei acima, até já ouvimos essas reflexões, mas nunca nos contaram seu significado. Se você se identificou, quem sabe possa ser um bom exercício tentar encontrar interiormente as respostas (sem pressão interior)? rsrsrs
      Também gosto muito do silêncio, assim como gosto do som, cada qual em seu momento apropriado. Penso que o som do silêncio pode ser o do vento em forma de uma brisa muito,muito suave, mais sentida do que ouvida... ou um eco interior que vibra, sem emitir som.
      Adorei sua resposta 2, kkkkkk... penso que passamos a vida tentando nos compreender, por outro lado hoje vejo que o mais importante é nos aceitar e nos amar como somos, e assim nos conheceremos, naturalmente.
      Adoraria conhecer outras respostas suas, mas entendo, tablet é mesmo beeem desconfortável para escrever, rsrsrs! Abraços, linda semana!

      Excluir
  5. Olá, Vane.

    Lendo e tentando aprender.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  6. Bia,
    Parece que comentei aqui
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, obrigada, é que os comentários aguardam aprovação, rsrsr! Beijos!

      Excluir
  7. Nunca tinha ouvido falar. Aprendi algo novo hoje.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Bia, tudo bem? Ah, como o nome Bia soa tão familiar né querida?
    Acho que prefiro continuar a chamar-la Bia, pois Vanessa é como de estivéssemos desvendando um enigma...rsrs

    E por falar em enigma, hoje aprendi algo novo e estou repleta de felicidade com essa novidade!
    Caramba, ainda não conhecia a arte dos Koans e que eles são perfeitos para a quebra de pensamentos excessivos e geralmente negativos . Isso é um achado Bia!!!
    Imagine poder exercer a arte de substituir pensamentos ruins para pensar sobre a resolução de um koan? Absolutamente perfeito!!

    Confesso que fiquei olhando os itens que dispôs e estou a refletir neles...
    Vou começar pelo que julguei mais fácil :" Qual é o som do silêncio?"
    Bem, creio que seja o início, o despertar. Quando finalmente conseguimos sentir o silêncio é que a nossa alma sossegou e encontrou a paz, acalmando os pensamentos...
    Bem Bia, creio que não seja isso, mas adorei refletir... Vou continuar pensando...rsrs

    Um beijo grande e uma semana muito linda!! :)))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana, sem problemas, kkkkkk, pode me chamar como quiser!
      Quando me atentei ao fato de que os koans podiam ajudar a redirecionar pensamentos excessivos, um dos grandes desafios do cotidiano atual, logo pensei em trazer aqui para o blog, algo acessível e que pode ajudar a despertar nossa criatividade sempre tão sufocada pelas pressões que sofremos e pelos padrões que nos são impostos.
      Sobre o silêncio... "Bem, creio que seja o início, o despertar. Quando finalmente conseguimos sentir o silêncio é que a nossa alma sossegou e encontrou a paz, acalmando os pensamentos..." que liiindo isso!!! Sabe que o primeiro nível do reiki chama-se "despertar" e justamente, traz essa sensação de quietude interior, não aquela do vazio onde nos sentimos perdidos e sozinhos, mas esse silêncio que tão bem explicou, do aconchego, de sentir que as coisas estão tomando seu lugar correto dentro da gente.
      Amei seu ponto de vista! Muito obrigada por sua contribuição! Abraços!

      Excluir
  9. Olá, Vane , boa noite!
    ...as verdades absolutas e crenças adquiridas - durante toda a vida- nos fazem 'tentar' decidir, escolher /responder sempre de maneira lógica;decerto,somos construídos no modelo do auto-engano para nos sentirmos mais seguros; se são enigmas, impossíveis a sua resolução através do pensamento, então, 'mente, porque tu não te calas?' se a solução é aparentemente irresolúvel numa análise lógica ou seja, racionalmente e com uma mente egóica -somente com base em que adquirimos ao longo da vida- , Não iremos e nem conseguiremos responder sempre,-' embora as respostas dos koans sejam espontâneas, intuitivas e muitas vezes parecem tão absurdas quanto o próprio koan'.
    Ter uma consciência mais ampla, do 'todo' , 'através do pensamento abstrato , estimulando a subjetividade' , apontando para simplicidade da vida, para realidade que está diante de nossos olhos, mas que não percebemos, 'transcendendo nossos paradigmas' é o caminho para conclusões sobre os koans - aqui e demais.
    4 -A própria mente desencaminha a mente; acautela-te contra a mente' = A diferença está na constância, na determinação, no auto-esforço de desenvolver vigilância sobre a própria mente e escolher pensar positivo.
    Bela postagem, obrigado pelo carinho, feliz semana,belos dias, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      "As verdades absolutas e crenças adquiridas - durante toda a vida- nos fazem 'tentar' decidir, escolher /responder sempre de maneira lógica;decerto,somos construídos no modelo do auto-engano para nos sentirmos mais seguros".. puxa... eu já não precisaria comentar mais nada, kkkkk! Existe um termo usado para o romper com aquilo que nos fizeram acreditar convenientemente que se chama "rasgar o véu", quando o fazemos, então finalmente conseguimos transgredir as limitações construídas ao longo da existência, e os koans são um meio de conseguir isso. Não é fácil pensar "fora da caixa", colocou tão bem, isso mexe com nossa segurança, tanto exterior (julgamentos) quanto interior (auto estima). Deveríamos aprender desde muito pequenos a valorizar nossa capacidade de construir e quando necessário, modificar nossos próprios padrões, ao invés de sempre estarmos sempre gastando energia tentando colocar o quadrado dentro do círculo, rsrsrs.
      É curioso mesmo como a resposta do koan (e para tantas questões) pode advir de algo muito simples e cotidiano, mas que simplesmente não conseguimos enxergar por estarmos atolados de pensamentos (geralmente, inúteis e equivocados) até a raiz dos cabelos, rsrsrs.
      "A diferença está na constância, na determinação, no auto-esforço de desenvolver vigilância sobre a própria mente e escolher pensar positivo." Fechou, Felis, é isso! Quebrar o mecanismo do pensamento negativo é muito trabalhoso, o pensamos por costume, tendência natural, por autoproteção (pensamos no pior para não nos decepcionar), por influências do meio, e sem perceber, a mente se desencaminha, mas a questão é, tantas influências a desencaminham, mas quem terá o auto-esforço de colocá-la no lugar? Nós mesmos... ninguém estará em nosso corpo sofrendo os desmandos de um cérebro doentio, então nada mais sábio do que aprender a cuidar e direcionar os pensamentos para o melhor, e a cuidar do nosso campo mental e emocional para perceber o que/quem permitimos nos influenciar!
      Muito obrigada por sua contribuição, grande abraço!

      Excluir
  10. Olá, querida amiga Bia!
    Tinha programado mas resolvi soltar logo... você merece meu carinho fraternal...
    Seu blog só me faz crescer e tem temática que me agrada muito...
    Postei aqui algo que sei que vai gostar:

    http://espiritual-amizade.blogspot.com.br/2017/08/transgredindo-paradigmas.html

    Seja feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuuito obrigada pelo carinho, Rosélia, me surpreendi quando vi que respondeu a todas as questões, li as respostas e já compartilhei seu post! Parabéns pelas colocações, de fato, saiu fora da caixa! :D
      Abraços!

      Excluir
  11. Respondendo ao seu comentário: excelente ideia a da coleção de chaveiros ser mostrada num blogue.
    Há muitos dedais no rio e em S. Paulo. Os meus vieram de lá. É natural que na sua região não haja.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elisabete, falei para minha filha e ela está animada para mostrar os chaveiros. Estive no Rio uma vez e fui em uma loja de souveniers, mas não lembrei de procurar por dedais, uma pena! Abraços, e obrigada!

      Excluir
  12. Este texto obriga a pensar, embora -confesso- não me obrigue a crescer, já que existem paredes que me cercam, melhor, me definem, ao longo da vida.
    Por exemplo, antes de nascer eu puramente não era.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina, interessante colocação... eu tenho um lado "menina" muito natural, nada forçado, que sabe brincar, se espantar, "tropeçar" e rir disso... mas hoje procuro conhecimento como um meio de tentar não errar mais e de aprender a ver as coisas como são. Isso implica em crescer mais do que eu já havia crescido, mas creio que não tenho outra escolha, rsrsrs, embora compreenda que esse crescimento precisa acontecer de uma forma suave, e não, sofrida - por esse caminho tenho encontrado meios como os koans.
      "Antes de nascer eu puramente não era". Verdadeiro e filosófico! Abraços!

      Excluir
  13. Bia, nunca ouvi falar e adorei ler isso! Chega a ser divertido.

    1 - Resultado do amor de meus avós.
    2 - E quem entende o que?! rsss
    3 - A paz.
    4 - Então precisa do silencio.
    5 - No faz de contas, ora bolas!
    6 - Feita de sentimentos e ossos.
    7 - Como tenho labirintite, não vou lá não.
    8 - Um esboço.
    9 - A logica muitas vezes confunde mesmo.
    10 - Melhor nesta ordem mesmo.
    11 - Regras.
    12 - Com certeza!
    13 - Se meus ossos não estiverem rangendo, posso bater uma das mãos onde quiser.
    14 - Nasce e morre uma vida. Este é o fenomeno.
    15 - Eu mesma!


    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sissym! Eu também acho bem divertido, exercício criativo, gratuito e que pode ser levado para qualquer lugar! :)
      Adorei suas respostas!Ri muito com a do degrau e sua labirintite, rsrsrs! A última resposta, "eu mesma", me lembra outro koan do qual gosto muito:
      "O discípulo chegou correndo para o mestre e disse:
      - Por favor, estou preso, me ajude a me libertar!
      O mestre, respondeu:
      - Então volte e descubra quem o está prendendo!
      Após um instante de reflexão, o discípulo se libertou."
      Se percebermos bem, todos esses pequenos enigmas começam e acabam em nós mesmos... não à toa se diz que cada um carrega dentro de si todo o universo.
      Abraços, e obrigada por entrar na brincadeira!

      Excluir
  14. Que excelente e informativa postagem, Vane. Confesso que nunca tinha ouvido falar nesses exercício e me interessei bastante. Sempre aprendemos coisas novas, que bom...Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio, que bom que aprendeu algo novo e interessante! Espero que os exercícios sejam úteis e agradáveis quando estiver em reflexão. Isso faz parte do processo da expansão da consciência, tão importante para manter viva a caminhada natural de evolução. Abraços!

      Excluir
  15. Estou cheia de curiosidade sobre essa nova aprendizagem estimuladora.Sequer ouvi falar mas, já a adotei como mais uma boa aquisição/ prática de vida. Vc eh uma grande descobridora, Bia.Aos poucos vou me acostumar com a " Vanessa", rsrsrs

    Excelente exercício de não dar tratos à bola e sim, de fazer rolar. Gostei!
    :) Bjkas, menina-penseira.
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu!
      Pode me chamar como quiser, rsrsrsrs!
      É verdade, sou uma curiosa por natureza... não por acaso aos cinco anos de idade derrubei uma tv enorme em cima de mim porque meu pai havia aberto para consertá-la e eu queria descobrir o que havia dentro, kkkkkk!!!!! Espero que os koans sejam úteis no exercício da criatividade!
      "Excelente exercício de não dar tratos à bola e sim, de fazer rolar", hahhaha, adorei!!!!
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.