quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Ser normal ou ser natural

Você é normal ou é natural? É próspero ou não?

Até pouco tempo eu nunca havia parado para pensar nisso. Mas afinal, o que significa um ou outro?



Normal é o conjunto daquilo que a maior parte das pessoas faz, sente ou parece ser ou ter: conquistas, pensamentos, estilo, escolhas, padrões financeiros e emocionais, relacionamentos. Natural é o que trazemos conosco em essência. Até os seis anos a criança tem a capacidade de ser natural e por esse motivo é preciso ter cuidado com os estímulos e apreensões que oferecemos nessa fase. Mostrar a uma criança que ela não é plenamente amada e aceita, salvo os devidos limites, pode causar rombos enormes na estima e autoconfiança consolidados na sequência, quando a criança/adolescente começa a sofrer as pressões sociais.Não há problema em ter condutas ditas "normais", o problema é quando estas vão contra a natureza pessoal.

Tem-se usado o exemplo do filme Matrix: embora haja algumas interpretações equivocadas sobre o filme, a Matrix não é o lugar ideal, é onde vivemos e nos fazem acreditar ser o ideal, quando na verdade o nosso ideal aparece quando saímos da Matrix e conseguimos perceber que nossa real natureza é muito particular e podendo ser diferente do usual, pode parecer inadequada, embora o padrão de adequação seja individual.  Viver fora do que nos é natural é como viver tentando caber numa roupa que não nos serve - nunca estamos plenamente confortáveis.

Como adultos é difícil sermos fiéis à nossa essência, pois nem sempre ela corresponde ao socialmente aceitável. Não por acaso a fragilidade da estima é um dos nossos tendões-de-Aquiles, estamos sempre com medo da reprovação, de errar, da rejeição, do abandono. Nascemos para experenciar, trazer movimento à vida, contactar, mas somos ensinados a nos reprimir, nos fechar, nos menosprezar, nos desamar.

Todos os meus estudos indicam que o natural do ser humano, pasmem, é viver a vida sem esforço.  Parece impossível, eu sei, mas o natural é viver em paz, com amor, alegria e entusiasmo seja pelo que for, seja fazendo o que for. Ser natural é ser próspero, e prosperidade, por exemplo, não significa ser muito rico, e sim ter em abundância  tudo o que é importante para si, seja material ou imaterial. Quando vivemos de forma natural, a prosperidade vem naturalmente, e como as necessidades são muito particulares, nunca se pode julgar o que é importante para o outro. Por exemplo, para quem não tem água para beber, ter água encanada é ser próspero; para quem tem uma doença grave, estar saudável é ser próspero; para quem carece de amor, sentir-se amado é ser próspero; para quem perdeu milhões e tem natureza milionária, recuperá-los significa prosperidade.

Sofrer não é natural, ter medo não é natural, reprimir-se, culpar-se, sentir vergonha, inveja, vingança ou ódio, frieza ou desânimo, depressão, isolamento, cansaço da vida não são naturais. Qualquer sentimento nesse entorno significa que sua natureza está sendo compelida a fazer algo forçada, o que cedo ou tarde mostra suas consequências.

Viver prioritariamente com alegria, leveza, bom humor, com a capacidade de agradecer, perdoar, amar, ter vontade de viver, clareza de pensamento, sentimento e direção, são naturais. Se estamos distantes disso, é hora de olhar para nós sem julgamentos para percebermos o que pode nos levar de volta ao nosso natural, como estar mais tempo com pessoas que possibilitem tal estado. Quanto mais próximos estivermos de nossa natureza, melhor nos sentiremos com a "roupa" da vida.  Encontrei e pratiquei dois exercícios de PNL muito eficazes que podem ajudar, devem ser praticados com suavidade e decisão:

1) Respire fundo algumas vezes, relaxando. Imagine que à sua frente está uma parede que simboliza o que o está travando: crenças, situações, paradigmas, sentimentos negativos, autossabotagem, zona de conforto, medo, o que for. Imagine que, com uma marreta, você derruba esse muro com força e determinação. Pode ser feito com um sentimento/situação de cada vez. Se houver resistência para derrubar a parede isso pode simbolizar sua maior dificuldade no momento.

2) Sente-se, respire fundo e solte o ar, soltando todos os músculos da face; respire fundo e solte o ar, soltando os músculos das costas. Feche os olhos e imagine que de suas costas (passado) sai um cordão de luz ligado ao seu "eu" que não lhe faz bem. À sua frente (futuro), outro cordão de luz o liga ao seu melhor "eu", ao seu estado mais feliz e relaxado. Agora, abrace o "eu" das costas com amor e carinho, agradeça por tê-lo ajudado a chegar até aqui, e se despeça, percebendo que ele some aos poucos junto com o cordão de luz. Em seguida abrace seu novo "eu" com acolhimento e muita  alegria, fundindo aos poucos sua imagem à essa nova imagem. Se feita com entrega, traz uma sensação de início de transformação imediata. Se quiser potencializar, em seguida, vá ao espelho, se olhe nos olhos e repita: "eu me amo e me aceito completamente, sou digno(a) de amar e ser amado (a)".


19 comentários:

  1. Gostei muito do texto e adorei essa parte que fala e vestir e sentir bem com a roupa da vida...parece simples, mas é bem profundo! Lindos e eficazes exercícios! Valeu! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chica, tem razão. Parece simples porque essa é a nossa orientação natural, no entanto vamos sendo pressionados a "vestir" tantas roupas de cobranças, expectativas, desempenho, que o simples parece estar muito distante, quando na verdade está dentro de nós. Abraços!

      Excluir
  2. Oi Bia,
    Achei linda a sua posição, mas em determinados momentos da vida somos o que os outros querem que somos. Imagina uma pessoa no asilo, onde se encaixa no seu texto? Pois na minha mente é um peso morto amado ou não: apenas sentimos.
    Eu já vi coisas que não da pra acreditar, eu não sei o que será de mim, mas as pessoas que precisei cuidar foi com amor e dedicação.
    Mas sofro de muita dor(é uma dor que às vezes prefiro que a morte venha logo, mas não estou nos meus desejos e sim nos desígnios de Deus).
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dorli, qualquer estado que nos cause sofrimento nos distancia da posição natural do apreço à vida, e em maior idade esse sofrimento acaba sendo justamente o reflexo, a consequência dos momentos em que fomos o que os outros queriam que fôssemos numa relação direta de proporção.
      É preciso um mecanismo trabalhoso de disciplina, determinação e estudo para reverter isso quando as condições, como dor e abandono, não ajudam.
      O intuito é que o texto auxilie para que possamos nos resgatar e nos preservar do sofrimento pelo maior tempo possível, o quanto antes, por esse motivo ensino dessa forma minha filha, que devido à idade ainda não traz marcas profundas e mais difíceis de reverter.
      Sempre penso em você com a intenção de que fique bem!
      Abraços!

      Excluir
  3. Adorei o texto, Bia. E eu nunca vi Matrix. Ou seja, não me enquadro então no "normal",né? rsrs E esses exercícios são bem interessantes. Farei alguns. São simples. Bjs e bom fim e semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio, Matrix é uma série de filmes muito interessante que merece ser assistida com atenção. Na realidade, se levarmos a questão mais a fundo, a Matrix está dentro de nós, representada por todo um modelo interior construído a partir do conjunto de padrões que absorvemos dos outros ou buscamos corresponder. Assunto vai longe, kkkkkkk!
      Esses exercícios são muito bons, por exemplo, se você estiver passando por qualquer sentimento perturbador (medo, raiva, ansiedade) é só imaginar na parede e dá-lhe marretada, kkkkk, o alívio é na hora! Já o segundo é mais profundo... quando o fiz chorei muito e em seguida tive uma sensação de vazio, como se um "eu" tivesse partido mesmo, seguida de alívio e alegria, embora a experiência individual seja muito subjetiva. Vale a pena!
      Abraços!

      Excluir
  4. Dois bons exercícios. Para mim, ser normal era ser natural, mas obviamente há umas diferenças.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elisabete, eu também pensava como você, até compreender as diferenças. Ainda hoje ouvi uma definição bem simples: "normalidade é um caminho de ida, naturalidade é um caminho de volta".
      Abraços!

      Excluir
  5. Muito bom, Bia. Pena, vivermos numa sociedade louca, na qual, conseguimos fazer com que o normal não seja natural e o natural não seja normal. Tudo é relativo, patologicamente fluido... Até quando?

    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Antonio, quando li seu texto sobre as sombras já estava pensando em escrever esse e penso que ambos se complementam.
      Até quando? Até que se tenha o start de que se não sairmos da sombra, da Matrix, estaremos presos a um looping que mostra o normal como sendo natural, percebendo que algo parece estar errado, mas nesse caso acabamos achando que a percepção está errada, e não o contexto, e recuamos - esse é o ponto.
      A vida anda pedindo suavidade, não significa mudar nossas atribuições ou abrir mão de responsabilidades, mas rever o modo como nos posicionamos diante dos desafios que temos que enfrentar sem nos judiar tanto.
      Abraços!

      Excluir
  6. Concordo muito com a ideia de que viver fora do nosso natural é como viver tentando caber numa roupa que não nos serve, desconfortáveis e oprimidos. Não consigo entrar nos padrões de normalidade, posso até dialogar com eles, ceder aqui e ali, mas ou sou o meu eu natural ou não sou nada! Preciso de espaço para respirar senão morro.

    Uma Pandora e sua Caixa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pandora, como vai?!
      A comparação da roupa é simples e muito apropriada.
      Posso me enquadrar no que é normal desde que não roube minha capacidade de ser natural. Creio que a capacidade de expressar a naturalidade vem muito do ambiente no qual vivemos quando criança. Se fomos reprimidos pela diferença, teremos mais dificuldades de autoaceitação, mas se buscarmos nos enquadrar para atender as expectativas, sofreremos.
      O paradoxo é que a maior beleza está justamente na peculiaridade natural de cada um, e se há pessoas que não enxergam isso, não são as pessoas naturais que precisam caber na roupa apertada que as "normais" oferecem.
      Abraços!

      Excluir
  7. Oi Bia,
    Interessante você falar de prosperidade,pois tenho pensado muito nisso,inclusive colocado esse desejo em minhas orações e pensamentos.
    Acho que ser próspero tem uma ligação com a essência,com o que queremos e se isso se liga com quem somos.
    É sempre maravilhoso vir aqui,impossível ler um post só,saudade disso.
    Uma linda semana,obrigada pelas boas reflexões,abraço =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Suelen! Como vai?
      Muito interessante sua colocação sobre prosperidade... de fato, tudo leva a crer que se respeitamos profundamente nossa essência, tanto maior a chance de sermos prósperos solidamente naquilo que nos é importante de fato, e essa é uma necessidade muito particular. Por esse motivo a necessidade de ser natural, é o que abre a porta para o que muitos chamam de "propósito de alma", de encontrar seu sentido real, aquele que levará a pessoa para um caminho de maior satisfação e suavidade.
      Por exemplo, amor par mim é fundamental, de nada adiantaria ter toda a fortuna do mundo se eu perdesse a capacidade de amar. Mas claro que isso não exclui prosperidade financeira ou na saúde.
      Obrigada pelo carinho, espero seus objetivos a alcancem!
      Abraços!

      Excluir
  8. Passando para deixar um abraço como
    sempre ver e gostar do seu post,desejar
    um final de semana cheio de muita paz
    Boas amizades sempre é um privilegio ter
    Bjuss com meu carinho de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita!
      Muito obrigada pela lembrança e carinho! Linda semana!

      Excluir
  9. Olá, querida amiga Bia!
    "Viver prioritariamente com alegria, leveza, bom humor, com a capacidade de agradecer, perdoar, amar, ter vontade de viver, clareza de pensamento, sentimento e direção, são naturais."
    Estou assim, amiga... muito feliz, portanto...
    Seja feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia, que beleza, é sempre inspirador perceber de forma transparente o quanto se está bem com seu momento, como está acontecendo contigo. Grande abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.