sábado, 2 de setembro de 2017

#2-Luz Natural e as experiências de Popp



Encontrei essa foto linda em meus arquivos, tirada um dia quando estava a caminho da escola pela manhã. A intenção era tirar uma sequência para passar algumas dicas de como aproveitar a luz natural nas imagens, porém o dia amanheceu cinza, kkkkkk!


Então, vamos a mais uma curiosidade... de acordo com o livro "O Campo", de Lynne McTaggart, que conta uma série de experimentos científicos, o biofísico Fritz-Albert Popp, em conjunto com alunos pesquisadores nos anos 70, criou uma máquina que comprovou cientificamente a existência de luz em todos os seres, de vegetais a humanos, com padrões definidos de organização. De acordo com a máquina, quanto maior a complexidade do organismo, menor a quantidade de fótons de luz. Outro dado importante coletado nas pesquisas é que o desequilíbrio dos fótons pode ser o responsável pelo desenvolvimento de algumas doenças. Vejam um trecho do livro:

"Até então, Popp havia estudado apenas pessoas saudáveis, encontrando uma refinada coerência no nível quântico. Mas que tipo de luz estaria presente em uma pessoa doente? Ele experimentou a sua máquina em uma série de pacientes com câncer. Em todos os casos, os pacientes tinham perdido os periódicos (padrões de fótons) naturais, assim como a coerência deles. As linhas de comunicação interna estavam embaralhadas. Haviam perdido a conexão com o mundo. Na verdade, a luz delas estava se extinguindo.

Exatamente o oposto ocorria no caso da esclerose múltipla, um estado de ordem excessiva. As pessoas com essa doença estavam assimilando um excesso de luz, o que estava inibindo a capacidade das células desempenharem suas atividades. O excesso de harmonia cooperativa impedia a flexibilidade e a individualidade: é como um número excessivo de soldados marchando em sincronia quando atravessam uma ponte, fazendo com que ela desmorone. A coerência perfeita é um estado ideal entre o caos e a ordem. No caso do excesso de cooperação, era como se cada membro da orquestra não fosse mais capaz de improvisar. Os pacientes com esclerose múltipla estavam submergindo na luz.

Popp também examinou o efeito do estresse. Em situações de estresse, a incidência de emissões de
biofótons aumentava - um mecanismo de defesa destinado a tentar devolver o equilíbrio ao paciente".

Evitar o estresse e a hostilidade contra si mesmo são meios de preservar os níveis de luz do organismo em equilíbrio.

10 comentários:

  1. Muito linda tua foto ,bem captada e gostei de ler sobre as experiências... beijos, lindo domingo! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, obrigada, ainda mais vindo de você, especialista em céu! ;) Abraços!

      Excluir
  2. Olá, Vane.

    Muito interessante. Por aqui, é um aprendizado novo a cada visita...

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Apon, inclusive o pesquisador estava tentando desenvolver um equipamento que reajustasse os níveis de luz, sanando os problemas de saúde na origem. Já pensou? Abraços!

      Excluir
  3. Boa Tarde, querida Bia!
    "As linhas de comunicação interna estavam embaralhadas".
    Que a nossa luz não se apague nunca pois seria morrer em vida...
    Um artigo pra lá de interessante e verdadeiro comprovado cientificamente pelo que estudei e li a respeito...
    Amo este tipo de estudo...
    'Quando a alma cala, o corpo fala'... é fato!
    Seja abençoada e feliz!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia, tem razão! O corpo somente manifesta a materialização da somatização, um meio que nosso sistema de vida tem de dizer, "olha o que você está fazendo contigo!"
      A luz, por ser impalpável, foi motivo de chacota na pesquisa de Popp, que só ganhou credibilidade quando pôde prová-la cientificamente. Cuidarmo-nos bem, com acolhimento, nosso papel mais importante!
      Abraços!

      Excluir
  4. Quantas nuances há no Universo macro e micro( nós) que desconhecemos."Há mesmo mais mistérios entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia".
    Sou curiosa. Gosto de mistérios, gosto de desvendar, gosto de descobrir...Vc tem me oferecido material pra muitas e novas descobertas.
    Valeu, menina-borboleta.
    Bela semana por aí.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Calu, sempre uma satisfação contribuir com sua sede de descobertas! Também sou curiosa por natureza, sempre falo para minha filha que ao meu lado a vida nunca é monótona, rsrsrs!
      Do micro para o macro há inúmeras vertentes e conhecê-las nos auxilia a ter uma vida mais consciente e responsável. Abraços!

      Excluir
  5. Boa tarde Vane,
    Uma foto magnífica repleta de luz!
    Desconhecia este aspecto da luz nos seres vivos.
    Muito interessantes as descobertas de Fritz-Albert Popp.
    Vamos então manter os níveis de luz em equilíbrio.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Ailime, muito interessante e é de se questionar por quê um assunto tão promissor ficou para segundo plano em pesquisas... pense quanto a indústria farmacêutica perderia se com o uso de um sistema que equilibrasse a luz pessoal as pessoas ficassem curadas!
      Por enquanto, vamos nós mesmos nos cuidando bem para ajudar!
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.