domingo, 24 de setembro de 2017

#25UmaCor - "É possível nunca ser magoado?"

Obs: descobri que pulei uma das fotos do desafio, kkkkk, "corredor", amanhã, terça,  volto com o tema "eu", no dia certo. :)




Meu computador hoje está leeento.... quase desisti de postar, rsrsrsr. Quando li que o tema era "uma cor",  lembrei logo dessa aquarela que fiz há algum tempo. Uma cor é muito pouco... tão bom quando temos a percepção de que a vida oferece tantas cores!!!!


Isso me fez lembrar também de um vídeo que assisti há algumas semanas. Cheguei nele por indicação quando ouvia um workshop sobre o que mantém nosso brilho em alta. A mágoa, com certeza, colabora para que nossa luz fique fraquinha e em casos severos, quase se apague.

Krishnamurti era um indiano muito calmo e sábio que dava palestras e escreveu livros sobre a consciência. Muito franco e nada alienado, suas lições me parecem bem sólidas apesar de (ainda) não ter explorado seu material.

No vídeo "é possível nunca ser magoado?", Krishnamurti explora os danos severos e cruéis da (auto) comparação e mostra que quando nos magoamos é porque de alguma forma "vestimos" imagens que as pessoas nos colocam ou que nós nos colocamos e sofremos muitas vezes por sentir ferido um eu que nem faz parte de nós. São dez minutos que valem a reflexão. 



Desde que  assisti por vezes fico pensando sobre seu ponto de vista, lembrando as vezes em que me magoei e vejo que faz muito sentido. A mágoa aconteceu primordialmente, ou porque me senti comparada (ou me comparei) a alguém sob a ótica inferior - não sou tão pouco (ou será que não me sinto assim, já que me atingiu?) -  ou superior (nunca chegarei lá OU tenho que chegar lá OU não atendo a expectativa OU fulano é melhor que eu...). 

Então, lá no fundo, primeiramente somos magoados por nós mesmos. É ruim por ser bem masoquista, mas também bom, porque se temos consciência disso (algo do qual não pudemos escapar na infância, mas agora, sim) podemos então passar a nos vigiar para não nos magoarmos mais sem, no entanto, nos fecharmos para o mundo.

16 comentários:

  1. Adorei essa aquarela e palavras verdadeiras nela! E faz pensar o s dizeres sobre a mágoa...Pra refletir...bjs, linda semana,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, quando li essa frase logo pensei o quanto casava bem com essa técnica de pintura, colorida e meio fora de ordem, rsrsrsr, leve, descompromissada. O vídeo provoca reflexões que devem acontecer sem pressa. Gosto quando alguém convida a ver situações e vivências sob um novo prisma. Abraços!

      Excluir
  2. É bem por aí, Vane. Não devemos nos comparar com ninguém, como naquele poema: "Desiderata", "... sempre haverá alguém superior, e alguém inferior", ou não. Simplesmente, não nos aflijamos.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apon, creio que colocou muito bem a expressão "ou não"... essa questão de inferior ou superior é tão relativa, não precisamos ser os melhores em tudo, o importante é valorizar quem somos. E se houver alguém melhor em algo, qual é o problema ("não nos aflijamos")? Parece ser essa a questão, o contexto nos faz acreditar que essa preocupação é natural, que não sermos os melhores em algo é sinônimo de inferioridade, de falha, de incompetência, quando não é.
      Abraços!

      Excluir
  3. Olá, querida amiga Vane!
    "Construir um muro ao redor de si"... isso me bastou ouvir do vídeo... vivi enclausurada anos a fio... totalmente prisoneira num muro altíssimo onde ninguém se achegava...
    Deus rompeu a alta muralha e, hoje em dia, a casa da minha alma está cerceada muro baixinho com lindos jardins e na confiança total no porvir, sem medo e com serenidade...
    Amo suas postagens e criei algumas em base a esta que vou lhe citar, com carinho...
    Seja feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosélia!
      "Vivi enclausurada anos a fio... totalmente prisoneira num muro altíssimo onde ninguém se achegava." Entendo bem isso, eu também sempre me protegi e muitas vezes, me reclusei, até compreender 1) as causas profundas disso 2) que essa não é a melhor forma de crescimento. Confiar no Todo é um meio de rompimento, mas muitas vezes, enclausurados, não conseguimos nem perceber quanto amor Ele está jorrando em nós o tempo todo para nos ajudar a romper com a defensiva.
      Não é fácil, ainda hoje em diversas ocasiões minha primeira reação é o recolhimento, mas em seguida lembro que essa não é a atitude mais saudável, e procuro me superar, relaxando e sendo acolhedora, a não ser em casos realmente extremos - por exemplo, se houvesse falta de respeito - mas não tem acontecido.
      É uma alegria saber que a inspirei... minha internet está bem lenta essa semana, assim que melhorar chego em seu cantinho para conferir. Abraços, e obrigada pelo carinho!

      Excluir
    2. http://espiritual-amizade.blogspot.com.br/2017/09/cores-e-tons-primaveris-i.html

      Excluir
    3. http://revoltaeromance.blogspot.com.br/2017/09/24umacor-e-possivel-nunca-ser-magoado.html

      Excluir
  4. Perfeita postagem, Vane. Não tinha visto esse vídeo. E esse seu último parágrafo é preciso. Realmente...bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, tem razão.... o conhecimento e o entendimento da origem dos nossos sentimentos oportuniza a mudança para melhor, embora dê trabalho. Abraços!

      Excluir
  5. Muito interessante esta aula de filosofia que nos oferece o J.Krishnamurti.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Francisco, Krishnamurti me surpreendeu pelo ponto de vista coerente e arrojado, nos convidando a olhar para o interior por nova perspectiva. Abraços!

      Excluir
  6. Querida Vane, muito obrigada pela dica. Já pesquisei o "Log cabin" e achei muito interessante. Ficará para um próximo desafio.

    Interessante é também o seu texto e a imensa sabedoria de Krishnamurti.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina! Fiz algumas necessaires e mantas para bebê em log cabin, é uma delícia, o trabalho "cresce" rapidinho, e dá para fazer tanto quadrados quanto retângulos, em tiras na mesma largura ou não. Também dá para costurar direto na manta resinada, depois é só unir os quadros e forrar. :)
      Gosto muito de observar quem tem sabedoria a compartilhar.
      Abraços!

      Excluir
  7. Bonita aquarela ! gostei dessas nuances que se misturam e fazem um quadro.
    Recado dado, a vida deve ser colorida a ponto de esgotar todas as cores. Então começamos de novo !
    Sobre mágoas, achei o vídeo importante e revelador. Não tinha percebido sobre o muro que fazemos para nos proteger, e nem de que nos magoamos primeiramente.
    Eu já senti muita raiva na vida, agora não mais. A qualquer mágoa , trato logo de aprender o que motivou. E penso que vou resolvendo.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zizi, essa aquarela é facinha de fazer, basta pincelar as cores aleatórias em papel úmido e jogar sal grosso em cima para dar o efeito manchado. :)
      Pelo que entendo do vídeo nos magoamos por aceitar vestir a imagem que alguém nos colocou principalmente por comparação, e isso desde a infância, ou seja, quanto mais imagens agregamos durante a vida, maior a chance de nos magoarmos sem que no entanto essas imagens façam parte do nosso eu interior. Costumamos levar tudo para o lado pessoal.... às vezes o outro nem quer nos atingir, mas de acordo com as imagens que carregamos, podemos interpretar de forma equivocada e nos deixarmos atingir sem perceber nossa imagem distorcida. Vamos nos esforçando mais para atender expectativas para evitar isso, o que não adianta pois a causa é interna (da distorção) e não externa, e vira uma bola de neve.
      Você faz bem, encontra a raiz da mágoa e vai resolvendo... receita para a leveza.
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.