quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Sobre o silêncio da vida, um dia antes do dia da morte

Você já parou para ouvir o silêncio ao seu redor?

Há um ou dois anos - desde que passei a percebê-lo - tenho me perguntado como às vezes conseguimos ouvir o silêncio em meio à constante movimentação da cidade com televisões, rádios, carros, pessoas ... mesmo assim, em alguns intervalos, há silêncio quebrado somente pelos sons da natureza. (você consegue?)


imagem freepik


Esse nível de ausência de ruído aumentou em minha vida consideravelmente nos últimos meses devido, eu sei, a todos os caminhos de estudo e prática que venho percorrendo, pelo simples motivo de que praticamente não há mais barulhos na mente (ver aqui). O silêncio externo é regido pelo silêncio interno que de nenhuma forma ilustra vazio, e sim contemplação, apreciação, graciosidade, revelando o sabor simples do que é estar viva.

Hoje uma amiga no trabalho comentou o quanto minha filha, que faz Yoga com ela, é espontânea e verdadeira, ou seja, o quanto é diferente e positivo. Isso confirmou o que busquei como mãe: respeitar sua subjetividade, dar espaço para que ela fosse o que é, mesmo se discordo de alguns pontos, e procurando mostrar o quanto é amada mesmo assim.

O mesmo sempre busquei em relação ao homem que eu amo. Eu lembro que quando o conheci ele disse o quanto era fácil conversar comigo sobre tudo, e a recíproca sempre foi/é verdadeira. Devo ter falhado em alguns momentos, sem intenção, mas tenho certeza de que na parte esmagadora do tempo - o que incluí todos os tempos - procurei dar espaço para que fosse/seja livre para ser o que é, como me fez sentir inúmeras vezes.

Penso que sendo relação pais/filhos ou homem/mulher a maior prova de amor que existe é fazer com que um ser humano se sinta sinceramente amado por sua configuração genuína. Nem sempre quando damos a liberdade para que as pessoas sejam o que são somos compreendidos e valorizados de imediato, mas se você tem essa habilidade rara de fazer com que o outro se sinta amado sem determinar milhares de condições - como os dois, me deram - não desista rapidamente, um dia esse valor vem/virá à tona... há de vir!

Portanto, se você olhar para dentro e perceber que não consegue ouvir seu silêncio com prazer, investigue o que  impede que seu barulho interior vire o silêncio que ilustra a orquestra peculiar do simples sentimento de estar vivo. E se por outro lado, você não permite que o outro se ouça sem barulhos sendo o que é, talvez seja a hora de pensar se esse não é o grande presente que possa ser oferecido àqueles que amamos em vida.



******



Essas divagações frequentes tomaram corpo após a leitura do maravilhoso livro "Vida, Amor e Riso", de Osho - leve, brilhante e perfeito para quem deseja fazer da vida um caminho de prazer e alegria. Por favor, leia se puder.

Quem não quiser ler o livro mas quiser se deleitar com algumas ideias seguem alguns trechos:

"Seja um bêbado, embriagado com a vida, com o vinho da existência. Não permaneça sóbrio. A pessoa sóbria permanece morta. Beba o vinho da vida. Ele tem tanta poesia e tanto amor e tanto néctar. Você pode trazer a primavera a qualquer momento, simplesmente chame a primavera e deixe que o sol e o vento e a chuva penetrem em você."

"Quando seu silêncio cresce, sua afabilidade e seu amor crescem da mesma forma também, sua vida se torna, a cada momento, uma dança, uma alegria, uma celebração. (...) A vida deveria ser uma celebração contínua, um festival de luzes durante todo o ano. Somente então você pode crescer, você pode florescer. Transforme as pequenas coisas em celebrações. (...) Tudo o que você faz deveria estar expressando você, deveria ter sua assinatura. Então a vida se tornaria uma celebração contínua."

"Quando estiver doente chame um médico. Mas, mais importante, chame aqueles que o amam, porque não existe remédio mais importante que o amor. (...) E se um homem viveu toda sua vida fazendo de cada fase algo belo, amoroso e feliz... um amor, uma alegria, naturalmente a sua morte será um ponto culminante de empenho em toda a sua vida. (...) Mas você tem que começar sendo inocente. Então, primeiro jogue fora todo o lixo - e a gente se pergunta pra que? Apenas porque as pessoas tem lhe dito que estas são grandes ideias, grandes princípios... Você não tem sido inteligente consigo mesmo. (...) Eu lhes digo que a vida não é uma prisão, não é uma punição. A vida é uma recompensa (...) Será contra a existência se você não a embelezar, se você não a deixar exatamente tal como a encontrou. Não; deixe-a um pouco mais feliz, um pouco mais bela, um pouco mais perfumada."

"O coração do homem é um instrumento musical, ele contém uma música magnífica. Ela está adormecida, mas existe, está presente, esperando pelo momento certo a ser encontrada, para ser expressa, para ser cantada, dançada. Um homem sem amor jamais saberá que esta música começa a se tornar viva, ativa, desperta e o potencial passa a se tornar realidade. O amor desperta o processo, o amor é o agente catalizador. E se o amor não estiver despertando o processo da música interior, então deve se tratar de outra coisa mascarada de amor, não é amor.(...) O amor é um desejo de nutrição. O amor é enraizar-se em sua existência."

"Sem riso, o homem é como uma árvore sem folhas. Mas a sociedade precisa de pessoas sérias: presidentes, papas, professores, aiatolás, comissários, coletores, governadores... todos tem que ser sérios. Se eles tiverem senso de humor, a sociedade ficará com medo de que a eficiência seja perdida. Se eles tiverem senso de humor, tornar-se-ão humanos. Espera-se que eles sejam exatamente como máquinas. (...) O senso de humor é um dos próprios fundamentos da inteligência. Quando você perde o senso de humor, você perde a inteligência também."

"Existem milhões de pessoas cujas lágrimas secaram; seus olhos perderam o brilho, a profundidade. Porque elas não podem derramar lágrimas, não podem chorar, as lágrimas não podem fluir naturalmente. Se o riso for mutilado, as lágrimas, também serão. Somente uma pessoa que ri bem, pode chorar bem. Se você pode chorar e rir bem, você está vivo. (...) A risada traz força. O riso traz alguma energia da sua fonte interna para a superfície. (...) Quando você ri de verdade, a mente desaparece. E toda metodologia zen é de como entrar na não-mente. O riso é uma das portas mais bonitas para se entrar nela. (...) Se você não puder rir, você perderá muitas coisas na vida; você perderá muitos mistérios. Sua risada faz de você uma pequena criança inocente, sua risada une você com a existência - ao barulho do oceano, às estrelas e ao seu silêncio".



Ps: estou me dedicando a alguns projetos pessoais o que pode fazer com que eu demore um pouco mais para visitar e postar, mas chego lá! :)

30 comentários:

  1. Que maravilha te ler e hoje, em um dos meus blogs o tema foi o silêncio ruidoso do mar...Estamos em sintonia,rs bjs, bom feriado ou feriadão,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, encontrei suas divagações sobre o mar, de fato, estamos sintonizadas! Isso tem a ver com o nível de vibração que estamos emitindo, rsrsrs! O mar sempre me chegou como um dos melhores elementos para ajudar a se desconectar do externo e se reconectar com o interno. Abraços!

      Excluir
  2. Um lindo post que reverencia vida de cada um de nós pode trazer dentro de si no silêncio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, são tantas pressões que acabamos nos perdendo com muita facilidade do sentimento precioso e tão simples de vida. Somos ensinados a complicar demais! Abraços!

      Excluir
  3. Me veio a imagem de um disco de vinil que quando toca a música também se ouve o chiado. O barulho está lá, mas também está a música. O que queremos ouvir? As escolhas que fazemos na vida, repercutem em nossa alma e se vibram de forma harmoniosa, tudo ao redor se alinha. Assim também é o pensar positivo.
    Vou te contar uma coisa: A morte tem cheiro. Eu sempre sinto o cheiro dela um dia antes. Um cheiro que vem das entranhas, não é ruim, mas também não é bom.
    Beijus no coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luma! É uma perfeita analogia! Sim, a música está lá, o chiado também... o que ouvimos? Esqueci de escrever e seu comentário me fez lembrar... hoje penso que a dificuldade de ouvir os intervalos de silêncio externo, mesmo em meio a cotianos barulhentos, está diretamente ligada ao nível de ruído interno. Quanto maior o ruído interior, mais ruidoso nos parece o exterior, e vamos nos isolando para ver se reencontramos a paz do silêncio. Por outro lado, se estamos ruidosos, o silêncio que encontrarmos não será prazeroso, será o silêncio da dor, da solidão. "As escolhas que fazemos na vida, repercutem em nossa alma e se vibram de forma harmoniosa, tudo ao redor se alinha. Assim também é o pensar positivo."
      Pensar e principalmente, sentir positivo, harmoniza. Perfeito!
      Interessante seu sentir o cheiro da morte... eu já tive alguns sinais antes de perder pessoas queridas - não, cheiro.
      Hoje tenho visto a morte de forma mais harmoniosa - mesmo que seja doloroso perder quem amamos, precisamos aprender a deixar a tristeza passar, sem criar raízes de revolta ou amargura.
      Abraços!

      Excluir
  4. Respostas
    1. Olá, Francisco, que bom que gostou! Ótimo mês para você também! Abraços!

      Excluir
  5. Muitas vezes, o silêncio diz tudo.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elisabete!
      Sim, o silêncio pode dizer tudo, o que inclui o positivo ou o negativo. O silêncio pode gerar percepções e conclusões equivocadas, em nós ou no outro, levando a decisões erradas, assim como poder ser enriquecedor pessoalmente como autodescoberta e belo, como quando entre duas pessoas que se percebem somente pelo olhar.
      Abraços!

      Excluir
  6. Boa tarde, o silencio é de enorme utilidade quando se sente necessidade do mesmo, o silencio não é eficaz quando não se sabe desfrutar e tirar o proveito dele, a zona do silencio é terapêutica se procurarmos junto ao mar, a gestão do livro "Vida, Amor e Riso", de Osho, é perfeita certamente.
    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ag! "O silêncio é de enorme utilidade quando se sente necessidade do mesmo, o silêncio não é eficaz quando não se sabe desfrutar e tirar o proveito dele". Muito bem colocado! O silêncio pode ser o nosso melhor amigo/conselheiro ou pior inimigo/conselheiro.
      Eu já procurei muitas vezes refúgio junto ao mar, foi apaziguador.
      Abraços!

      Excluir
  7. Olá,Vane; sim, tudo 'in-riba'comigo ; Boa indicação do livro, Osho e trechos ;
    'não consegue ouvir seu silêncio com prazer', penso que a subjetividade existente em cada um de nós nos habilita a ouvir diferentes sons a partir da mesma partitura e em adição à essa variabilidade,a nossa percepção também é afetada por nossa condição de cada momento,
    ; sendo assim um som pode passar despercebido ou pode nos afetar à mais ou menos; sempre que aceitar profundamente o momento como ele é , você experimenta a calma e fica em paz,e em paz, se consegue 'se ouvir' com uma harmonia sonora em meio aos ruídos do mundo externo, que fará com que possamos cultivar o próprio poder interno, que nada mais é respeitar a vida de tudo o que existe no mundo, inclusive a nossa própria VIDA!
    Obrigado pelo carinho, Belos dias,abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felis!
      Fiquei pensando sobre o que escreveu... é verdade, nossa subjetividade nos habilita a ouvir diferentes sons, e talvez daí nasçam as afinidades - ou não, rsrsr. A percepção sem dúvida é afetada de acordo com nossa condição, então, quanto mais próximos estamos do que somos, mais os sons que ouvimos ou não ilustram nossa essência. Quando estamos distantes do que somos tudo nos incomoda, ou ainda, precisamos de barulho o tempo todo para não "ouvir" o ruído interno clamando por ser ouvido.
      Há mais de ano, por exemplo, não sinto nenhuma falta (e minha filha, também não) de estar com a tv ligada, não raras vezes lembro-me de ligar já no final da tarde, algo que me parecia impossível há alguns anos atrás. Este é um exemplo de que quando o silêncio interior é agradável, o exterior não precisa ser ruidoso.
      Também, já optei por ouvir sons bem desagradáveis quando estava distante da minha subjetividade... quase uma violência, rsrsrs!
      Me fez pensar...
      Aceitar profundamente o momento é primordial para começar uma mudança, se for o caso. Não significa conformismo, nos propicia perceber para onde podemos seguir a partir do que temos em mão, organizando ideias e ações. Nos debater causa desarmonia, como bem lembrou, que não leva a nada. Quando nos respeitamos e respeitamos nossa própria vida, como disse, é o primeiro passo para despertar nosso poder interno.
      Abraços!

      Excluir
  8. Hoje pela manhã, as furadeiras e lixadeiras estavam em pleno vapor nos apartamentos vizinhos do prédio ao lado. Reclamei pra marido, como haver concentração para fazer as bijus se não encontro o silêncio. Então ele me disse, abstrai, faz de conta que ele não existe . Sim, pensei, muito fácil. Só que a manhã passou e eu nem me dei mais conta do barulho. Acho que parou. Não sei. Penso que as escritas de Osho tem mesmo fundamento, pois nesse período de silêncio interior, eu pude rir, dançar com as ideias, sem mesmo perceber se o barulho externo continuou. Substitui pela alegria das horas da manhã, com minhas divagações e trabalho.

    bjs
    amando o manual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Zizi, que ótimo depoimento e que ótimo conselho do seu marido! :D
      Siiiim, tudo é reflexo do interior! Se você faz mergulha em um agradável silêncio interno, seu exterior refletirá isso, mesmo que o barulho continue - fica inaudível. Parece mágica... mas é ciência.
      Melhor remédio? "Substitui pela alegria das horas da manhã"... Isso!!! Alegria!!!
      Eu era muuuito chata com barulhos externos e hoje em dia não me incomodam mais, minha filha até estranha, rsrsrs. Os barulhos sumiram? Não... eu é que mudei a percepção, como você fez.
      Mas ainda gosto de dormir com o ventilador ligado, rsrsrsr!
      Abraços!

      Excluir
  9. Ouvir o silêncio para perceber a vida, esvaziar-se para se bem preencher. A morte não é um fim, é o meio de renovação da vida, o transcender para infindar. Vamos aprendendo... Mais uma preciosa postagem, Vane. Muito silêncio para todos nós.

    Bom seguir de domingo e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Apon!
      "Esvaziar-se para se bem preencher" sim, esvaziar-se de tudo o que implantaram em nossa mente e principalmente, em nossos sentimentos e que não correspondem à nossa natureza. Não é fácil, mas é possível.
      A morte hoje me parece uma passagem de nível - acima para quem cuidou bem de si e do que importa, abaixo para quem descuidou de si e do que importa, no mesmo lugar, se terminar evoluindo ou involuindo pouco. Será assim?
      De qualquer forma encontrar e respeitar o silêncio interior positivo é um grande ganho. Abraços!

      Excluir
  10. Gosto dos teus desabafos, Vane. E confesso que não curto mt meus silêncios...Adorei os trechos desse livro. Deve ser maravilhoso! Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, que bom que gostou! Há silêncios e silêncios, Sérgio... os silêncios que traduzem dor, sofrimento, estagnação, não são agradáveis. Ou, positivamente, há a falta de costume de se perceber em paz...
      Abraços!

      Excluir
  11. Belíssimo texto ou não fosse verdade que o silêncio é de ouro.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina, há silêncios de ouro, ou não, rsrsrs. Sabedoria talvez seja o processo de perceber/percorrer/afastar um ou outro. Abraços!

      Excluir
  12. Boa tarde Bia,
    Que escrito magnífico.
    Eu sou capaz de ouvir o som do silêncio como costumo dizer e necessito de estar em silêncio por alguns períodos de tempo. Também faço Yoga, que me tem ajudado a olhar mais dentro de mim transpondo para o bem estar dos que me rodeiam as vibrações positivas que recebo.
    Um beijinho e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime!
      Sempre tive necessidade de ficar momentos em silêncio, porém hoje já não aquele da reclusão, do se fechar. Sua forma de falar sobre o ouvir o silêncio faz com que pareça muito agradável! :)
      Yoga é excelente para o corpo, a saúde e ajuda a equilibrar a energia chi, gerando o bem estar e a conexão com vibrações mais positivas. Ótima escolha!
      Abraços!

      Excluir
  13. Vane, querida, é grandioso demais o que escreveu...
    De uma simplicidade única, genuína e gritante!! Com uma profundidade infinita...
    Seu coração está estampado aí, de forma nua e crua!! Lindo querida!
    Você tem coragem de expor o seu interior... É muito corajosa!
    Agora que sua face doce foi revelada, está mais imbuída de dispor todo o seu eu, desmembrando tudo o que antes ficava escondido... isso é lindo...

    Infelizmente ainda não atingi essa fase tão serena, mas estou caminhando para tal...
    Também tentando redescobrir como o silêncio grita na vida da gente ( achei incrível que nossos posts desta semana combinaram direitinho - Também falei sobre o silêncio, mas de uma forma assemelhada ao poder da chuva, com mais ênfase em uma canção).

    E fiquei encantada com seus dizeres, com os trechos da bela obra que tanto te fez crescer e também vai me fazer, pois vou lê-la e isso requer uma certa urgência!!
    Puxa, os trechos são fantásticos, evidentes e mostram como a vida deve ser e que jamais devemos deixar de rir de nós mesmas... Lindo demais querida!!

    Digo a você novamente que é extremamente corajosa e que eu ainda estou caminhando para sê-lo também e assim, poder expor sobre os meus verdadeiros sentimentos, os que estão realmente em mim e que não consigo abrir, falar sobre a realidade... Lá no blog não tenho coragem...rsrs Mas quem sabe um dia não é mesmo? Tudo deve ter o seu tempo...

    Agradeço demais por tudo isso!!
    Desejo uma semana maravilhosa querida!!
    Beijos, com carinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana!
      Li seu post sobre o silêncio e sobre a música November Rain, curioso como estivemos em sintonia, rsrsrs!
      Como humana tenho momentos de perda de serenidade, mas tenho estado bem atenta para voltar ao equilíbrio com rapidez!
      Falar é bom, se estiver à vontade para isso. Eu gosto muito de ouvir/ler sobre os sentimentos das pessoas... não se feche! :)
      Abraços!

      Excluir
    2. Obrigada Bia, você sempre atenciosa e tão querida!!
      Ainda estou em fase de crescimento, muito sensível, chorando à toa...rsrs
      Naquela semana do "November Rain"eu parecia um chuveiro de tanto que chorava..kkkkkkkk
      Creio que seja a fase da Pré-Menopausa ...rsrs Misericórdia!!
      Agora vou acompanhar o seu Portal Despertar Luz para ver se encontro um caminho para me manter mais serena sabe?
      Muitos beijinhos e obrigada!! :))

      Excluir
    3. Adriana, todos estamos em fase de crescimento sempre, o que é saudável! Para ou involuir, sim, são problemas!
      Chore quando tiver vontade, sem no entanto se prender ao sentimento... o choro é ótimo como meio de libertação. Curioso, ainda hoje eu lia num livro o quanto seria saudável que os homens chorassem mais também, para que se equilibrasse os hemisférios cerebrais. Segundo o livro as mulheres só não deveriam chorar como meio de convencimento quando estão perdendo nos argumentos, pois assim o choro perde seu sentido e beleza, tornando-se um meio de convencimento meramente político e manipulatório.
      O que, claro, não é o seu caso! rsrsrs
      Chore, com liberdade, e deixe que o sol apareça naturalmente depois!
      Abraços!

      Excluir
  14. Oi Bia (Vane, ainda vou me acostumar, tenha certeza disso kk)
    Eu ainda não cheguei nesse estágio lindo de ouvir o silêncio na cidade super tumultuada onde vivo, mas vou tentar, acho que deve ser um prazer maravilhoso.
    Amei a indicação do livro, vou tentar encontrar por aqui!
    Bjssss amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dinha!
      É mesmo surpreendente, ouvir o silêncio andando na rua, mesmo sabendo que há inúmeras pessoas em atividade. É uma experiência muito particular e para quem já teve a mente barulhenta como eu, realmente incrível.
      Esse livro é lindo, se alguém me pedisse uma indicação de livro para a vida esse estaria na minha lista... há um site no qual você pode baixá-lo gratuitamente em formato PDF.
      Abraços!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.