domingo, 22 de abril de 2018

#Dia 15 - Pesquisar e anotar uma nova receita


Bom, a tarefa era pesquisar e armazenar uma receita que eu gosto muito, mas as receitas que eu gosto muito já sei de cabeça ou já estão anotadas, kkkkkkkkkkk!!! Então, resolvi compartilhar uma "receita pra vida".


Este é um pequeno trecho deste livro-relíquia - vendido somente em sebos - que fala sobre a arte de aprender a seguir o fluxo da vida, o que não significa se abandonar a ela, e sim compreender como funciona, respeitando-a, respeitando-nos.

"O princípio reza que, se tudo crescer seguindo seu próprio caminho, a harmonia do Universo estará estabelecida, pois todo o processo do mundo só pode existir em relação aos outros. A analogia política é a anarquia de Kropotkin - teoria que afirma que, se for dada permissão ao povo para agir como lhe aprouver, segundo sua natureza e descobrindo o que realmente o satisfaz, a ordem social emergirá por si mesma. A individualidade é separada da comunidade. Em outras palavras a ordem da natureza não é uma ordem forçada; não é o resultado de leis e preceitos aos quais os seres são obrigados a obedecer pela violência externa, pois segundo a visão taoísta, na verdade mundo exterior não existe obstinadamente. Meu interior cresce ao mesmo tempo que meu exterior, e conquanto os dois possam diferir, não podem ser separados. 

Assim, o "jeito próprio" de tudo é o "jeito próprio" do Universo, do Tao. Com a interdependência de todos os seres, eles se harmonizarão se forem deixados em paz e não forçados ao conformismo com alguma noção de ordem arbitrária, artificial e abstrata, e esta harmonia energizará tzu-jan, de si mesma, sem compulsão externa. Nenhuma organização, no sentido político e comercial da palavra, é orgânica. As organizações, neste sentido, baseiam-se na obediência a regras e leis lineares, impostas do alto - isto é, a sequência de palavras e a sinais ordenados, em série e um-de-cada-vez, as quais jamais conseguem captar a complexidade da natureza, embora esta seja só "complexa" em relação à tarefa impossível de traduzi-la segundo esses sinais lineares".



5 comentários:

  1. Interessante teu post. Valeu esse olhar para o texto como realmente é: uma linda lição pra vida! Vale muito mesmo quando não temos fome,rs...bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, muito curioso o que disse, de fato, não é o mais comum pensar em lição de vida sem as necessidades básicas satisfeitas. Na escala das necessidades de Maslow o autoconhecimento geralmente só se torna prioritário após as necessidades de fome, sexo e poder. Abraços!

      Excluir
  2. Olá, querida amiga Vane!
    Por incrível que pareça, acabo de conhecer uma nova receita que já apontei para fazer: casulo mineiro... uma delícia me diseram e me pareceu bem assim...
    Mas sua receita para a vida é boa mesmo... vale a pena ter qualidade de vida!
    Faz-me lembrar de que o Menino crescia em Sabedoria e Graça diante de Deus e dos homens.... assim devemos ser!
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia!
      Casulo mineiro? Não conheço, mas já experimentei a culinária mineira, simplesmente maravilhosa! Deve ficar muito bom!
      Crescer em sabedoria e graça... mais uma grande lição a complementar meu post. Vai de encontro a um procedimento alquímico chamado sublimatio, que significa se elevar diante das dificuldades.
      Abraços!

      Excluir
    2. Oi, amiga! É o que aprendi, não foi por livre e espontânea vontade (rs), mas tive que aprender ou morrreria em vida...
      Sublimar sempre... amar e servir indiscriminadamente!
      Beijinho fraterno e obrigada pelo carinho de sempre.

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.