sexta-feira, 27 de julho de 2018

A fórmula da felicidade: é simples, mas não é fácil

---> se você não tiver tempo para ler o texto todo, pode pular direto para as dicas! ;)

Ontem passei por uma situação curiosa de segundos que me fez refletir e escrever este post. Em relação à mesma escolha (a minha), uma pessoa comentou pelo olhos de quem sou - alguém que trabalha e busca meios de se estabelecer por capacidade - e outra, por quem ela é - e possivelmente pelos olhos dos meios pelos quais si própria escolheria mudar sua vida. É por esse motivo que empatia e justiça são tão raras, e as percepções são tão limitadas - cada um olha a vida somente com base em suas experiências e observações (dentro do mapa), sem se dar conta de que há um Universo de infinitas possibilidades (fora do mapa). Vamos então ver a felicidade fora do mapa?



Há meses estudo muuuito, diariamente, mergulhei em conceitos muito complexos e, com a consciência bastante limitada na época, tive imensa dificuldade para decodificar o que todas aquelas informações significariam para a vida prática. Mas como pessoas de extrema capacidade intelectual e emocional diziam que aquele era o caminho, perseverei, rsrrss. E então eu entendi qual é a fórmula da felicidade!
Sucintamente, somos seres formados por partícula (matéria) e onda (energia) ao mesmo tempo. Uma vez que estamos no estado de onda, vibramos e temos uma frequência de vibração. Quando alimentamos sentimentos benéficos, vibramos em alta frequência e ficamos leves, menos densos, menos materiais (no sentido de corpo físico), mais iluminados, alegres e positivos. Quando alimentamos sentimentos que não são benéficos, vibramos em menor velocidades, ficamos literalmente mais pesados, mais materiais, tristes e negativos.

Além disso, a dimensão material (plano da realidade) no qual vivemos é a terceira. Pelos estudos devem existir de 10 a 12 dimensões, coexistindo todas no mesmo espaço-tempo, sobrepostas. A próxima dimensão é aquela no qual o ser, mais iluminado e muito leve, emana luz e consegue realizar tudo com muito mais facilidade, além de viver sem esforço - e para alcançar essa dimensão é preciso cultivar um sentimento específico...

Portanto, tanto estudo para a conclusão de que a fórmula da felicidade é simples: manter o foco em sentimentos de alta frequência como amor, alegria, paz, gratidão, aceitação, apreciação, desapego, benevolência e fé. E sabem qual o sentimento que faz o ser se elevar para a quarta dimensão? A compaixão, que não significa pena (sentimento de baixa frequência), e sim amor e compreensão pelo outro mesmo quando este demonstra sentimentos e atitudes negativas, o que inclui todas as pessoas, do passado ou do presente, mesmo que tenham lhe feito mal - e por esse motivo o perdão é fundamental. Sem perdão, não há como ter compaixão. Compaixão também não significa que precisamos tolerar a convivência ao lado de pessoas com baixa frequência, e sim que estas não lhe despertam mais sentimentos negativos.

Então é simples, mas não é fácil. Para manter os sentimentos neste estado elevado, e numa sociedade ainda extremamente reptiliana - pautada no domínio através do medo - é preciso muita disciplina e empenho constantes. Para ajudar, vou dar algumas dicas de atitudes para tornar possível manter a frequência elevada.

- Cuidar dos sentimentos e pensamentos 100% do tempo: tendemos o tempo todo aos sentimentos e pensamentos negativos, devido a um fenômeno chamado "entropia psíquica", que é a perda natural de energia - ficamos mais densos. Além do mais, somos bombardeados o tempo todo por notícias e informações subliminares negativas e de controle social. Portanto, o trabalho interior começa aqui: trocar pensamentos e sentimentos negativos - no mesmo instante em que identificá-los - por outros positivos precisa ser atividade constante e para sempre, pois se passamos um dia sem agir dessa forma, lá se vai a frequência alta!

- Aprender e utilizar regularmente meios de proteção energética: limpar e proteger o campo energético regularmente é tão importante quanto escovar os dentes ou tomar banho. Quanto mais amoroso e alegre o ser se torna, mais luz emana - podem ver como uma pessoa alegre chama a atenção!  - o que causa incômodo em pessoas com a energia mais densa, pois traz à tona seus próprios medos e limitações, acionando seu sistema de defesa. Lembre-se de quantas vezes, quando estava feliz, alguém fez um comentário destruidor ou usou de chantagem emocional, o que acabou com sua alegria na hora! Este é um exemplo clássico. Com isso, quanto mais leve a pessoa está, mais suscetível a ataques negativos, seja por meio de palavras, atitudes ou recursos energéticos. Portanto, aprender a limpar e proteger a energia diariamente é primordial!

- Limpar crenças e paradigmas: não é possível se elevar e manter este estado de vibração quando a pessoa está presa ao que foi absorvido por seu inconsciente em toda a sua existência, ainda mais que o modelo social no qual a pessoa está inserida reforça esses padrões para manter sua própria zona de conforto. Com estudo e auto-observação é possível limpar essas crenças para implementar novas crenças, mais elevadas e adequadas à sua essência. Este tópico traz os outros dois:

- Trabalhar com a sombra: a sombra é a repressão dos sentimentos, sejam eles positivos ou negativos, porém quanto mais reprimidos, mais força ganham, até que a pessoa pode chegar ao ponto de ser dominada pelo aspecto negativo, ficando "cega" para a própria vida. O trabalho com a sombra precisa ser feito gradativamente e não precisa ser tão doloroso. Seja o objeto do seu próprio estudo: observe quando um sentimento vier à tona, anote se for o caso, e reflita com calma sobre o que o sentimento quer mostrar, sem culpa ou julgamentos. Perdoe o que precisa ser perdoado, mude suas percepções sobre este sentimento/situação, liberte-o e siga para o próximo, buscando não voltar a acumular novas sombras. Se tiver dificuldades, procure auxílio terapêutico.

- Soltar: 9 entre 10 pessoas dizem ser essa a etapa mais difícil do processo, e eu concordo. Soltar não é desistir dos nossos sonhos e objetivos, e sim deixar de se preocupar com o que as pessoas pensam acerca de suas escolhas, deixar para trás o campo "seguro" se for necessário, ir em busca do que ama e lhe faz bem, deixar para trás os medos e memórias dolorosas. Abraçar as escolhas não é tarefa fácil, pois a sociedade tem um esquema muito bem montado para manter a pessoa cativa através dos medos - do julgamento, da rejeição, do abandono, da perda material, da incompetência, do fracasso.

- Encontrar e viver sua missão: é difícil porque isto não é estimulado nem ensinado, a missão nem sempre é glamourosa ou traz status - somos educados e estimulados a produzir sempre mais, mais, mais e mais, independente do custo físico ou emocional que isso possa gerar. Por outro lado, se a pessoa viver sinceramente sua missão, sem se preocupar com o que os outros pensam, tende a viver com maior alegria, paz, amor, ser bem sucedida no que faz, pois resolve todas as angústias fomentadas por estar num ambiente ou trabalho que agride sua essência, bloqueando o fluxo da vida... e portanto, vibra em alta frequência, emanando luz e tornando a vida muito mais fácil!

- Escolher o seu campo de informações: isso inclui o que assiste na TV, lê em noticiários (criados para manter as pessoas sob controle através do medo) e as pessoas com as quais convive. É muito mais difícil manter a vibração elevada se convivemos com informações e pessoas que falam na maior parte do tempo sobre inveja, injustiça, ciúme, vingança, comparações, insatisfação, perseguição, falsidade, o quanto a vida é sofrida e repleta de dificuldades. Lembre-se: ter compaixão não significa obrigação de conviver com essas informações, pois a escolha sobre a qualidade da nossa vida nunca é responsabilidade do outro, e sim, nossa.

Como percebem, é simples mas não é fácil, kkkkkk! A notícia boa? É possível, minha sugestão é que busquem implementar cada dica progressivamente, incorporando a anterior. Leva tempo - no meu caso, há mais de um ano estou treinando e só há alguns meses vi resultados mais sólidos- e demanda dedicação e empenho a todo o instante, mas posso atestar que o prazer de viver que se renova a cada dia não tem preço! Como nossa existência funciona como um banco de débito e crédito, quanto antes pudermos cuidar da qualidade de nossos sentimentos e pensamentos, maior será o crédito acumulado para o futuro!


11 comentários:

  1. Bom dia, querida amiga Vane!
    Que espetáculo de postagem!
    Não me admiro, claro!
    Por aqui, sempre um rastro de sabedoria e discernimento...
    Vou colocar um trecho que foi fenomenal para mim aqui e dar-lhe-ei os devidos créditos.
    Estou tentando, progressivamente, ter mais qualidade de vida.
    Tenha dias felizes e abençoados!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia! Muito obrigada por sua gentileza para comigo, sinto o carinho em cada palavra! Pode levar meus escritos sempre que desejar, e desejo sucesso em sua prática de maior qualidade de vida! De que adianta viver, se não houver alegria e bem-estar nisso?
      Grande abraço, muita luz!

      Excluir
  2. Passei pra te ler e o tema é lindo! Uma bela reflexao a tua e ofereceste belas dicas que cabe a cada um de nós, se ainda não iniciou, fazê-lo sempre! Adorei! Bjs praianos que por aqui estar torna mais agradável ainda a leitura! Chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, tem razão, somos levados a colocar o foco em pontos muitas vezes sem sentido, irrelevantes, sofremos, nos desgastamos e...?
      Fazê-lo sempre, disse muito bem. Qualquer descuido a cabeça começa a produzir lixo mental, rsrsrs!
      Que liiindo o lugar onde esteve (está?), Maceió, não? Fiquei ba-ban-do! Faz bem em aproveitar! Graaaande abraço!

      Excluir
  3. São boas sugestões! Mas que não é fácil, não é! A vida coloca-nos múltiplos desafios. Há que ver sempre o copo meio cheio e não meio vazio.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elisabete, tem razão, os desafios são diários. Minha opinião pessoal, após tudo isso, é a de que o maior desafio é em relação a nós mesmos, o primeiro ponto de reestruturação. Quando estamos "de mal" conosco, é difícil ver o copo meio cheio, não é mesmo? Grande abraço!

      Excluir
  4. Olá, Vane.

    Tudo é muito simples. Mas, temos o "dom" de complicar, aí estragamos a simplicidade e dificultamos as coisas. Até quando?

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon! Creio que o dom para complicação não é uma característica intrínseca ao ser humano, e sim, absorvida e por esse motivo, pode ser modificada. Seria mais fácil se estes caminhos nos fossem ensinados desde a infância, não é mesmo? Mas se fosse assim, como evoluiriamos? Abraços!

      Excluir
  5. Que bela reflexão que tu fizeste :). Ultimamente é isso que tenho tentado fazer focar-me nas energias positivas, mas nem sempre é fácil. Mas quando descobrimos a fórmula da felicidade, quando a deixamos de procurar nos sítios errados, acaba por ser mais fácil do que antes, em que andávamos a procurar a felicidade nos sítios errados.
    Gostei muito do teu cantinho, vou seguir :).
    Beijinhos

    Blog: Life of Cherry

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cherry, seja bem-vinda! Com certeza, não é fácil! Volta e meia também deixo a peteca cair, e fiquei pensando no ponto que destacou muito bem: saber recuperar a felicidade nas fontes certas, talvez esse seja um grande ponto de evolução. Procurar a felicidade no lugar errado é uma ilusão, não um ponto de recuperação, o que acaba enfraquecendo ao invés de fortalecendo. Além do mais um dos lugares certos é o próprio interior. Abraços!

      Excluir
  6. A simplicidade não pode ser suplantada. É através dela que rompemos as barreiras criadas por nós e que são citadas aqui! A simplicidade nos mantém felizes, equilibrados!Sermos nossos autores e não como a sociedade quer nos impor! Abração!

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.