terça-feira, 6 de agosto de 2019

Os filmes do Oscar 2019!

Obs: contém spoillers.

fonte da imagem aqui

Demorei um pouco, mas cumpri minha meta de assistir todos os filmes concorrentes na categoria Melhor filme de 2019. Nos últimos anos tenho tido gratas surpresas com as indicações da academia, gostei de praticamente todos, com temas e conceitos bastante variados, além de ter concordado com a escolha do filme ganhador. Vamos às impressões:


Homem-aranha no Aranhaverso: gosto de animações mas não é meu gênero preferido. De qualquer forma, minha filha disse que eu amaria esse e pelo tema, resolvi conferir. Muito bom, a montagem lembra bem desenho em quadrinhos, com balões com falas aparecendo do nada, sem falar que o tema principal gira em torno de multiverso, dimensões e outras teorias de espaço-tempo - para quem gosta de mecânica quântica como eu, não tem como não gostar! Muito criativo!

A favorita: filme muito elogiado pela crítica, forte candidato à vencer o Oscar. Contando a história real da rainha Ana - merecidíssimo o Oscar de melhor atriz para Olívia Colman - com atuações impecáveis também de Emma Stone e Rachel Weisz - concorrentes ao Oscar de melhor atriz coadjuvante - o filme me chamou a atenção pelo figurino e cenário ricos e pela filmagem peculiar, como se houvesse uma lente mais convexa do que de costume. A história mistura drama com comédia, mas admito que o finalzinho não me agradou, me despertou uma sensação ruim e indescritível. Penso que o final toca estudada e provocativamente em nossa sombra coletiva no qual  impera o poder e o uso do sexo como meio de manipulação e submissão.

Roma: melhor filme estrangeiro e concorrendo a 10 categorias, este filme me fez pensar em nosso preconceito em relação a filmes que fogem do círculo americano/inglês. Foi o último que assisti, e me emocionou demais, especialmente quando ela vai ganhar o bebê (revi minha própria agonia)! Mostra a perspectiva de uma empregada doméstica de uma família rica nos anos 70 - daí, a filmagem em preto e branco, além da analogia que ao que me parece, refere-se à figura da empregada, que passa por um personagem em preto e branco no dia a dia quando na verdade, é tão importante. A atriz Yalitza Aparicio mereceu sua indicação de melhor atriz porque sua expressividade contida com certeza, fez a diferença. O cuidado com a filmagem também fez por merecer o Oscar de melhor diretor a Alfonso Cuarón.

Pantera Negra: assisti no cinema, fantástico! Aliando perfeitamente o antigo, através das tradições culturais, com o moderno, através da tecnologia avançada em artigos de combate, o filme foi impecável do figurino à escolha do elenco, da produção de efeitos especiais ao roteiro, das filmagens à montagem. Wakanda forever!

Bohemian Rhapsody: até agora não decorei o nome desse filme, kkkk. Contando a história do lendário Fred Mercury, Rami Malek também mereceu muito o Oscar de melhor ator, vestindo completamente a vida de Fred de forma realmente espantosa. Contando os altos e baixos da carreira do cantor, a relação de sua instabilidade emocional com drogas e relações distorcidas (sempre faz pensar por quê o sucesso abre um vazio em tanta gente), a força de sua personalidade que fez brilhar o Queen, muito bom. Sem falar da trilha sonora, maravilhosa!

Nasce uma estrela: outro filme que deixei para o final por nunca ter sido grande fã de Lady Gaga, admito que ela me impressionou neste filme e mereceu ganhar alguns prêmios na temporada. Gosto dela sendo ela, com seu visual limpo, natural. Ótima atuação também do ator e diretor Bradley Cooper, além de uma trilha sonora impecável - algumas músicas até já estão nas minhas listas do Spotify. Só que pensei que se tratava da história dela, depois descobri que o filme é um remake e já foi gravado outras duas vezes. A identificação com ela seria em relação aos problemas com a estima, e não com a história em si, que envolve um casamento com final triste (também me tocou muito). De qualquer forma, gostei!

Vice: a história é um pouco arrastada por conta do perfil do personagem principal vivido por Christian Bale representando o vice-presidente Dick Cheney, um homem de poucas palavras, que suspirava, observava e se submetia muito. Aprendeu a jogar o jogo, digamos assim, para não se sentir rejeitado ou criticado.  Esse é o tipo de filme que você tem que parar e assistir porque a montagem é muito bem feita. Em meio aos diálogos, o diretor introduz cenas que parecem não ter muito a ver mas que se mostram perfeitas analogias, inclusive em tempos diferentes ao decorrer do filme. Muito inteligente! O filme também mostra a evolução dos jogos de poder e que correspondem de forma muito próxima à realidade. A expressividade de Bale quando assume o poder maior mostra um ar de vingança, raiva reprimida e o quanto ele engoliu para chegar ali, então fica claro que ele não é feliz. Quando você acredita que ele recuperou sua dignidade, descobre que é uma pegadinha do diretor. O ponto do filme em que eu mais admirei o personagem - quando ele acolhe carinhosamente sua filha quando admite ser homossexual - é destruído no final do filme, quando ele permite sua exposição para permanecer com o poder e com a admiração da esposa. Muito triste, embora ilustre a realidade. De qualquer forma, um filme bastante interessante!

Infiltrado na Klan: tive a honra de assistir absolutamente sozinha no cinema, kkkkkkk! filme maravilhoso, para mim merecia tanto quanto Green Book o primeiro lugar. Os atores foram maravilhosos, mistura drama com comédia, além de contar uma história surpreendentemente real de um policial negro (Ron Stallworth) que junto com um policial branco, conseguiu se infiltrar na Klan, organização racista. Spike Lee arrasou na direção e embora o final seja triste e injusto, o filme é excelente. Ambientação, cenário e figurino perfeitos! Uma dica: para este filme, é melhor optar pela versão legendada, devido aos sotaques realizados ao longo da filmagem.

Green Book: chegamos ao grande vencedor e na minha opinião, também merecido! Conta a história real do pianista de jazz Don Shirley - embora se diga que nem tudo no filme, foi real - e de seu motorista Tony Lip Vallelongs. A questão é que Don era negro, polido e orgulhoso, Tony era branco, racista e tosco - uma mistura que parece que jamais dará certo, e esta é a grande beleza do filme: a forma como um influencia na vida do outro, como um modifica a raiz do outro, é muito emocionante! Mahershala Ali mereceu o prêmio de ator coadjuvante e Viggo Mortensen, a indicação de melhor ator. O interessante é que Viggo é considerado um doce, um homem muito gentil na vida real, deve ter sido um grande desafio montar seu personagem, ele chega a ser "porcão", kkkkk! O final é muito tocante, eu amei! É um filme que faz acender uma luz no coração.

Num panorama geral, percebo que alguns filmes como Green Book, Roma e Infiltrado na Klan não ganharam o interesse merecido da plateia. Quem sabe isso muda? Fico na torcida de que na próxima temporada, a qualidade nas indicações continue!


Obs: este ano não esqueci do aniversário de 8 anos de blog no dia 04/08, mas não encontrei meu motivo para comemorar, então fica a menção. ;)

8 comentários:

  1. Boa noite de paz, querida amiga Vane!
    Por falar em aniversário do blog, devo lhe dizer que você e a próxima homenageada do meu blog na próxima segunda no Cantinho Espiritual do Leitor onde estou comemorando os 10 anos dos amigos do meu blog com um carinho de gratidão.
    Avisarei sobre o link.
    Aproveito para parabeniza-la pelos 8 anos do seu blog.
    Como aprendi aqui, querida.
    Tenha dias abencoados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosélia! Dez anos, já? Que legal! É interessante como vários blogueiros começaram em agosto, rsrsrs. Me sinto muito especial por fazer parte de sua festa, afinal não tenho sido presença em seu espaço. Já agradeço de antemão todo esse carinho, e também aprendi muito com você e com suas blogagens natalinas. Beijos!

      Excluir
  2. A festa do Oscar foi legal...A premiação e tudo mais! Mas tens que ter motivos pra festejar os 8 anos do teu lindo blog! São muitos anos e não podem ser desprezados! Parabéns e ânimo!!! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, você é tão querida e especial, com certeza é uma das melhores pessoas que conheci aqui. Seu jeito de escrever me faz ouvir sua voz bem aqui ao lado, mesmo sem nunca ter te conhecido ao vivo. Estou com ânimo, mas o coração está perdendo a esperança, e esse blog representa uma boa parte do meu coração. Obrigada pelo carinho! Muitos beijos!

      Excluir
  3. A festa do Oscar é um glamour! Mas, confesso que não vejo os filmes, prefiro seriados.
    Gostei de suas resenhas. Gostei de seu jeitinho de escrever.

    Beijinhos.

    Proseando num dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cléo! Ao contrário de você tento engrenar nas séries mas prefiro conhecer o final logo, rsrsrs, então assisto bem mais filmes! Já premição assisto todas, até as de séries. Obrigada pelo carinho! Grande abraço!

      Excluir
  4. Muito bom saber os filmes que ganharam Oscar, eu só assisti o homem aranha. Gostei do seu blog, parabéns!!
    beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vanessa, obrigada! A meu ver todos foram merecedores da indicação é para quem gosta de filme, vale a pena assistir. Grande abraço!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.